História Estou grávido do líder da alcatéia - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~RapJin

Postado
Categorias EXO, SHINee
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, Kai, KiBum "Key" Kim, Kris Wu, Lay, Lu Han, Minho Choi, Personagens Originais, Sehun, Suho, Taemin Lee, Tao, Xiumin
Tags 2 Min, Abo, Alfa, Alfa Lúpus, Baby Sehun, Beta, Chanbaek, Lobo, Mpreg, Ômega, Sekai, Sulay
Exibições 788
Palavras 1.356
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel, Yaoi, Yuri
Avisos: Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa a ausencia no fim de semana e não desistam de nós
\(-_-)/

Capítulo 6 - Capítulo VI


Fanfic / Fanfiction Estou grávido do líder da alcatéia - Capítulo 6 - Capítulo VI

Byun Baekhyun


Meus olhos estavam presos aos dele, aquela pergunta havia me pego totalmente desprevenido e honestamente, não sabia como responder. Inspirei e expirei diversas vezes enquanto meu cérebro tentava processar uma resposta, já Chanyeol mantinha um olhar receoso e podia jurar que sua mão estava tremendo levemente ou talvez fosse apenas coisa da minha mente. 


-Chanyeol... ai..- Senti uma dor no ventre e apertei o ombro do mais velho, Sehun estava se mexendo dentro de mim e aquilo doía um pouco.- Aish! Nosso filho está me machucando... 


O alfa colocou a mão na minha barriga enquanto rindo alto.


-Filhão, não seja mal com o baixinho okay? 

Novamente o bebê se mexeu bem debaixo da mão do appa dele, que mantinha um largo sorriso nos lábios.


-Acho que ele quer que você me deixe cuidar de vocês.


-Eu... Eu também acho... 


Cochichei envergonhado, não demorou para que aquele par de olhos se direcionassem para mim e permanecemos nos encarando. 


-Eu prometo que não irá se arrepender disso...


Sussurrou antes de deixar um leve selar em minha bochecha, ato que me fez ficar extremamente envergonhado e minhas bochechas extremamente vermelhas pareceu ser a coisa mais engraçada para ele ja que o mesmo acabou rindo alto e de forma tão engraçada que me levou a rir junto dele. 

Naquela tarde Chanyeol e eu terminamos de arrumar quartinho do nosso pequeno Sehunnie, após discutirmos muito sobre o porquê eu não iria voltar pra a casa dele e depois de muito discutir e pensar ele acabou por concordar, a única coisa que eu não esperava era que ele iria se

mudar para minha casa. 

 

Enquanto Chanyeol tomava o banho mais demorado do mundo eu estava fazendo nossa janta já que o mais alto não sabia nem lavar o próprio prato, fazia pouco mais de dois meses e meio que estávamos convivendo juntos e de certa forma aquilo parecia natural, estranhamente parecia que éramos um casal, pelo menos era o que o Soo dizia quando vinha me visitar e Chanyeol ficava igual soldado em patrulha dando a desculpa que estava preocupado com nosso filhote. 

Desde a noite em que o alfa pediu para cuidar de nós, ele não voltou a falar sobre o assunto que me deixava envergonhado, aquele em que dizia amar além do filho mas também o ômega que o carregava no ventre e isso me deixava um pouco confuso pois parecia que ele havia falado apenas para poder ficar perto do neném, mas quando Soo nos visitava ele parecia ficar com ciúmes, um ciúmes tão possessivo que ele não suportava nem que Soo me desse um abraço dizendo um "oi".


-Você me deixa confuso... 


Falei pra mim mesmo enquanto terminava a janta e logo senti os braços do alfa rodearem minha cintura e seu queixo apoiar-se em um dos meus ombros. 


-Quem te deixa confuso Baek?


-N-ninguém...


Respondi gaguejando, no fundo do meu peito eu sabia o que queria e eu queria que Chanyeol voltasse a falar no assunto porque eu queria explora-lo um pouco mais, porém não queria ser eu a começar aquilo e muito menos que ele achasse que eu estava interessado naquele suposto amor que o alfa poderia sentir por mim. 


-Mesmo? -Perguntou e eu apenas afirmei com a cabeça.- O cheiro da comida está ótimo, quer que eu coloque a mesa? 


-Sim, por favor.


Sorri e logo recebi um beijo na bochecha que me fez corar, Chanyeol saiu da cozinha e foi por a mesa para que pudéssemos ir jantar, meu coração estava acelerado e minhas bochechas queimando, não era incomum que ele me desse esses selinhos infantis, era até um hábito que pegou com o tempo de convívio mas eu não saberia dizer desde quando eu venho querendo que esses beijinhos sejam direcionados aos meus lábios, era estranho pensar que eu estava sentindo atração por ele, eu que nunca nem sequer beijei um alfa, eu Byun Baekhyun que só tive um namoro com um beta na fase colegial, estava começando a me interessar por Park Chanyeol, um alfa lúpus. Respirei fundo e balancei a cabeça querendo afastar aquele tipo de pensamento quando ouvi a voz de Chanyeol me chamando para comer, me virei para sair da cozinha e senti minha mente girar e uma dor horrível no baixo ventre, me encolhi tentando conter aquela dor mas aquilo apenas piorou e eu entrei em pânico quando senti minha bermuda molhada. 


-Channie...


Chamei baixinho enquanto ia de encontro ao chão, aquilo só podia significar uma coisa, Sehun decidiu vir mais cedo. 




Park Chanyeol


Era estranho pensar que eu havia mudado todo o meu estilo de vida para estar perto daquele ômega e do meu filho mas, mesmo assim, ele parecia não se importar com o que havia lhe sito semanas atrás. Não entendia como eu poderia estar criando sentimentos intensos por ele sendo que o baixinho apenas me tratava de maneira áspera e era bem arisco em relação a uma aproximação, mesmo que nos últimos dias ele tenha me permitido toca-lo eu ainda podia ver receio e medo quando olhava em seus belos olhos castanhos, medos esses que não via no menor quando Do Kyungsoo estava com ele, não é que eu estivesse com ciúmes do meu amigo com o meu ômega, era só quê queria muito que os sorrisos fofos com as presinhas fossem direcionados a mim e não ao meu amigo cozinheiro.


Após o banho tratei de arrumar a mesa para que pudéssemos jantar e chamei por Baekhyun, estranhando a demora do menor fui até a cozinha atrás dele e o encontrei deitado no chão em posição fetal.


-Baekhyun...!


-Sehunnie estourou a bolsa.


Ele falou entre dentes e sorriu para mim, como se aquela fosse a coisa mais simples do mundo e como um bom alfa que sou entrei em pânico, não sabia o que fazer e minha unica atitude foi pegar Baek no colo e perguntar do que ele precisava, o que deveria fazer primeiro, pegar a bolsa ou levá-lo até o carro? Respirei fundo e após um longo gemido de dor de Baek eu tomei ciência que meu filho estava nascendo. Carreguei o pequeno ômega no colo até o quarto e peguei a bolsa que ele já havia deixado arrumada e sai em disparada para o hospital, já ligando pro doutor Choi avisando que Baekhyun estava em trabalho de parto. 


(…)


Era surreal, eu ainda não conseguia parar de chorar, fora exatamente quatro horas de trabalho de parto ao qual eu acompanhei de perto, o relógio marcava duas e seis da manhã e eu ainda estava sentado ao lado do leito onde Baek descansava, seus cabelos estavam revoltos e sua boa cheinha estava levemente aberta saindo um ruído baixo. Meu choro saia baixinho enquanto afagava os cabelos dele, jamais poderia acreditar que esse ômega enfezado e arisco me daria as três coisas mais preciosas para mim. 


-Channie...? -Chamou me abrindo os olhos e me fitando ainda embriagado pelo sono.- Por que está chorando? Aconteceu algo com eles? 


Prontamente ele se sentou na cama e olhou pro pequeno berço ao lado onde Sehun e Lay estavam dormindo abraçados e então suspirou aliviado. Eu ainda não conseguia acreditar que eram gêmeos, o médico havia nos desacreditado dessa possibilidade a algum tempo, quando Baekhyun o questionou sobre o peso, alegando que se alimentava corretamente mas que mesmo assim, estava muito acima do peso. O doutor Choi alegou que não havia nenhum outro neném e que aquilo era normal, céus nunca passou por nossas cabeças que um estava escondido atrás do outro. 


-Eles estão bem... eu só estou feliz.. -Confessei me levantando e me acomodei ao lado dele na cama.- Você me deu os filhotes mais lindos que esse planeta já viu... 


Ele riu envergonhado e timidamente se aconchegou em meus braços.


-Eu sempre achei que estivesse muito gordo na gestação... -Comentou sorrindo. -Você me deu a chance de realizar meu sonho... Obrigado Chanyeol, obrigado por me deixar ser pai...


Disse de olhos fechados me abraçando apertado e deixando sua cabeça em meu peito. Hoje era o dia mais feliz da minha vida, porque além de ter ganhado meu filhotes eu descobri qual ômega eu queria marcar e ter comigo pro resto da vida, eu só iria precisar convence-lo a me dar uma chance.  




Notas Finais


Pratiquem o bem, comentem e nos deixem feliz
Heueheu RapJin ama vocês bebês


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...