História Estrada sem fim - Capítulo 35


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Armin, Castiel, Debrah, Li, Lysandre, Peggy, Priya, Rosalya, Violette
Tags Castiel, Duas Irmãs, Lysandre, Máfia, Relacionamento
Visualizações 25
Palavras 1.444
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


《Sorry!!!Gente :v eu demorei pra postar o capítulo por preguiça mesmo, ele já tava pronta faz um tempão, mas a preguiça ataca novamente. Eu sei que isso não é desculpa :') então fiquem com o capítulo maravilhoso》

Capítulo 35 - Psicopata


Fanfic / Fanfiction Estrada sem fim - Capítulo 35 - Psicopata


Entramos em um galpão, velho e cheio de caixas. Ouso algumas vozes, estávamos nos aproximando do local de encontro. Já recarreguei a arma e to pronta pra atirar em que tiver no caminho. Chegamos no local e havia vários homens bem vestidos e seus seguranças ao seus lados com armas enormes para protege-lhos.

Mafioso: Hayato meu amigo! - O homem vai em direção ao meu avô dando-lhe um aperto de mão e em seguida direciona seu olhar para mim - O que temos aqui... - Ele me olha de cima a baixo.

Hayato: Nem pense em tocar em minha neta,se não arranco sua cabeça! - O homem olhar assustado para meu avô e e em seguida volta para o lado de seus seguranças.

Meu avô vai em direção ao um grupo de mafiosos e eles se cumprimentam e começam a conversa. Fico sentada no chão só observando.

Até finalmente um outro homem entrar no local com uma maleta preta e em seguida vai em direção ao meu avô, ele abre a maleta dlhe mostrando o conteúdo. Não consegui ver pois os homens ficaram em volta do cara, mas pelo que eu vi esse "conteúdo" agradou muito meu avô, ele deu uma risada perversa. Ele fecha a maleta e a pega, vem em minha direção e sussura em meu ouvido.

Hayato: Mate todos, não quero ninguém no meu caminho - Assinto com a cabeça.

Pego a arma que estava escondida em minha cintura e miro em direção aos seguranças dos mafiosos, eles logo percebe minha ação e preparam para atirar, mas eu fui mais rápida e atirei na cabeça deles. Os mafiosos olharam entre si e levataram as armas que estavam escondidas na cintura e começaram a atirar, me escondi atrás das grandes caixas e fiquem atirando.

Finalmente acertei um, depois outro e mais outro, mas as balas acabaram, joguei a arma fora e subir em cima das caixas ligeiramente, dei a volta sem que percebessem e ataquei por trás, quebrei o pescoço de um e o outro tentou atirar, mas foi em vão, me abaixe dando uma rasteira no mesmo que caiu, peguei uma faca que encontrei no chão e antes que ele pudesse pegar a arma novamente, enfiei a faca em seu coração. Ele começa a gorfa sangue. Saio do local e vou em direção ao carro de meu avô, abro o mesmo e me sento.

Hayato: Porque demorou tanto?E porque está tão suja de sangue? - Olho pra ele séria.

Ayuni: Esse é o preço de matar alguém, seu corpo fica sujo de sangue... - Falo olhando para o céu que estava estrelado. O motorista já havia dando partida no carro e já o dirigia.

Hayato: Seus amigos e sua irmã não podem te ver assim!Antes que volte para o hotel tome banho na minha casa.

Ayuni: Você tem uma casa aqui?

Hayato: Comprei quando descobri que terei que ficar mais algum tempo aqui pra acabar com a "ameaça"...

Ayuni: Mas...o que tem nessa maleta?-Ele me olha sorridente.

Hayato: Oras...Nosso plano de vingança! - Ele abre a maleta e me mostra o conteúdo, era um pen drive. - Esse pen drive vai nos fazer as pessoas mais poderosas do mundo e ainda por cima iremos acabar com o louco que está atrás de você!

Ayuni: Não quero nada de poder!Só quero acabar com o doido que está atrás de mim! - Reviro os olhos.

Hayato: Mas agora que temos esse pen drive...muitos outros viram atrás de nós, principalmente porque você matou um dos maiores mafiosos dessa área... - Eu ignorei esse último comentário.

Depois do pequeno diálogo o caminho inteiro foi silencioso. Chegamos na casa ,barra, mansão do meu avô...e uma empregada me mostrou onde ficava o banheiro e me deu uma roupa limpa para vestir.

Tomei um banho rápido, tirando todo o sangue, foi quando percebi um arranhão no meu pescoço, tava ardendo pra caramba. Que merda!Algum daqueles caras deve ter me arranhado sem eu percebe, já que a adrenalina tava muita a dor diminuiu. Sai do banheiro, vestia roupa e fui me despedir do meu avô. Eu o encontrei na sala de jogos.

Ayuni: Vô to indo! - Falo pegando as chaves da porta.

Hayato: Vá com Deus minha neta! - Ele vem em minha direção e me dá um beijo na testa.

Vou embora e quando chego na frente do hotel, meu corpo todo se arrepia. Jesus dai-me coragem pra enfrentar o Castiel... Entro no hotel e pego o elevador, subo até o nosso andar e vou em direção ao nosso quarto, a porta tava aberta, então eu entrei. Tava tudo escuro,sinto uma respiração em meu pescoço.

Castiel: Há onde você estava? - Dei um pulo e liguei a luz rapidamente.

Olhei para Castiel e lhe dei um tapa na cara, em seguida vários chutes e socos. Naquele momento eu queria ter uma faca ou arma pra atacar ele, mas pera...aqui tem uma cozinha certo?Fui em direção a cozinha e procurei uma faca nas gavetas.

Castiel: O que você tá fazendo sua doida? - Achei uma faca e apontei na direção dele.

Ayuni: Doida?Doida?SOU MESMO E VOCÊ SABE O QUE DOIDAS FAZEM? - Ele nega com a cabeça indo para trás assustado, continuei avançando na direção dele - ELAS MATAM!

Vou pra cima de Castiel e o derrubo com tudo o fazendo cair no chão, fico por cima dele e coloco a ponta da faca no seu peito. Ele se recupera da queda e logo percebe que estava rendido.

Castiel: A-ayuni c-calma, v-vamos conversar...ninguém precisa se machucar, certo? - Ele dá um sorriso atrapalhado, pois estava ainda estava assustado.

Ayuni: Mas Castiel... - Dou um sorriso psicopata, ele arregala os olhos - DOIDAS não conversam...elas ferem...

Passo a ponta da faca em seu peito, fazendo-o dá um pequeno gemido de dor, continuei passando a faca até o sua barriga, ficou um arranhão enorme. Dou uma pequena risada ao ver seu estado, ele estava com olhos fechados e mordendo os lábios para segurar os gemidos de dor. Aproximo minha boca de seu ouvido, mordendo seu lóbulo e falo.

Ayuni: Se você me trair com qualquer uma que seja vou te fazer sofrer de pouco em pouco, te torturar e manter você preso, sem escapatória e com ela vou mata-la, mata-la sem dó nem piedade, mas vou faze-la sofrer antes. Você é só meu, ninguém pode te tira de mim e se você quer evitar mortes, melhor ficar de bico fechado e nem sonha em ter outra com você, entendeu? - Ele assente com a cabeça e eu saio de cima dele. Me levanto e ele faz a mesma coisa. Vou em direção a porta da cozinha, fico parada lá e falo.

Ayuni: Eu posso ser um anjo pra você, mas na maioria das vezes eu sou um demônio que ninguém quer por perto... - Falando isso e vou em direção ao quarto, sem esperar respostas.

|Castiel|

Fico paralisado por alguns minutos. Isso realmente aconteceu?Ayuni realmente fez isso?Ela pareceu uma psicopata falando daquele jeito, mas por algum motivo isso me fez ficar mais atraído por ela. Será que sou algum tipo de masoquista?

Vou para quarto, onde provavelmente Ayu já estaria e abro a porta. Ela estava deitado de costas e já estava com seu baby doll super sexy. Me sentei do lado vago da cama e a observei, ela não estava dormindo.

Castiel: O que diabos aconteceu com você afinal?De repente você é um anjo depois vira um de...

Ela se vira com tudo e me olha no fundo dos olhos, uma alça de seu baby doll cai, fazendo ficar cada vez mais sexy.

Ayuni: Afinal Castiel...você só está me usando ou quer realmente algo comigo? - Seu olhar era triste.

Não me contive e a beijei lhe derrubando na cama e ficando por cima da mesma. Separamos nossos lábios e nos encaramos, percebo um arranhão em seu pescoço.

Castiel: Quem fez isso com você? - Passo delicadamente o dedo no machucado.

Ayuni: Não se preocupe, não é nada que tem que se preocupar... - Ela coloca uma das mãos no pescoço cobrindo o arranhão.

Castiel: Foi seu vô? - Ela nega e se levanta da cama pegando o celular - Foi o Erick? - Ela simplesmente não responde e sai do quarto.

Não, não e não!Dessa vez eu quero saber o que está acontecendo!Ela ignora minhas carícias a semana inteira e de repente aparece com um arranhão no pescoço e dá uma de psicopata?Eu quero saber o que está acontecendo e agora!

Fui até a sala e vi Ayuni conversando com alguém no celular, ela não percebeu minha presença, aproveite pra me esconder atrás da porta . Não entendi quase nada da conversa ela estava falando em japonês. Que merda!

Ayuni: Quiero muerto! - Ela gritava como a pessoa.

Pera ela acaba de fala espanhol?Meu Deus, se eu entendi bem...Ela quer alguém morto?Puta que pariu!Jesus Cristo de quem ela tá falando?

Continua...


Notas Finais


《Resumo do capítulo:
Ayuni tá puta da vida :v MATA TODO MUNDO >:v
Castiel tá tipo: o q tá acunte cendo?
O avô dela tá que nem doente rindo porque tem um pen drive (Não posso dizer nada, se me derem uma pedra eu fico feliz :') I'am retardads.)
E os outros: S-E F-U-D-E-R-A-M! :v
Resumo básico do capítulo -3-》


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...