História Estranha amizade - boku no hero academia - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Izuku Midoriya, Katsuki Bakugou, Ochako Uraraka, Personagens Originais, Tenya Iida
Tags Boku No Hero Academia, Suspense, Terro
Exibições 186
Palavras 2.424
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


As vezes o destino nos prega peças, com ações que nos nunca esperaríamos que acontecem em público, e quando isso acontece nos ficamos totalmente sem chão...

Capítulo 4 - O beijo


Fanfic / Fanfiction Estranha amizade - boku no hero academia - Capítulo 4 - O beijo

Era 5:00 da manhã quando o despertador começou a tocar, ontem eu havia colocado ele para despertar 1 hora mais cedo do que o normal, pois eu não queria cometer o mesmo erro de quase chegar atrasado duas vezes, quando me levantei eu fui direto para o banheiro, eu ainda estava meio sonolento, pois eu não estava acostumado a acordar tão cedo, mas às vezes sacrifícios precisavam ser feitos, após entrar no banho eu senti a água gelada percorre por todo o meu corpo, o que fez com que todos os pelos do meu corpo se arrepiasse instantaneamente, eu realmente detestava água gelada, mas infelizmente não existe um remédio melhor para espantar a preguiça logo pela manhã, após sair do banho eu corri os meus olhos por todo o meu quarto, em busca da minha farda, mas quando eu não consegui encontrá-la em lugar nenhum, eu acabei me lembrando que, ontem após limpar toda a sujeira do assoalho e ter ido jogar o lixo fora, eu havia entrado em meu quarto e jogado a minha farda no chão, pois eu estava muito atrasado, e tudo o que eu mais queria naquele momento era tomar um banho e sair logo de casa, eu ainda parado na porta do banheiro, de lá eu me abaixei para ver se a minha farda estava embaixo da cama, mas foi uma tentativa inútil, pois ela não estava lá, então eu pensei:

-se ela não está no meu quarto e nem no banheiro, onde ela pode estar?

Após pensar um pouco, eu cheguei a uma conclusão óbvia:

-se a minha farda não está em nenhum lugar do quarto, significa que a minha mãe deve ter pegado ela para lavar, essa seria a explicação mais plausível..

Então em passos leves eu fui em direção da porta do meu quarto e abri ela bem devagar, para que a minha mãe não acordasse devido ao barulho da porta abrindo, após feito isso eu segui em direção da lavanderia, eu não tinha plena certeza de que ela realmente pudesse ter lavado, pois ontem antes de eu sair de casa, ela estava comigo, devido a burrada que eu fiz ao chegar em casa, então as chances dela ter pego a minha farda para lavar eram muito pequenas, tudo isso era somente uma suposição minha, mas quando eu cheguei na pequena lavanderia, eu encontrei a minha farda estendida em um pequeno varal improvisado, ela estava um pouco alta, então eu tive que pular para poder alcançá-la, enquanto eu pulava só de toalha para poder alcançar a minha farda, eu consegui perceber que a minha mãe já havia se levantado da cama, e estava atrás de mim, observando todo o meu esforço para alcançar as minhas roupas:

-você sabe que ai do seu lado, existe uma pequena escada para poder subir não sabe?

Nesse momento eu tomei um grande susto, pois eu realmente não havia percebido que minha mãe estava atrás de mim, então com o meu coração ainda na mão, eu me virei e a comprimentei:

-B-bom dia… eu não percebi que a senhora já havia acordado.

Ela estava me olhando com uma expressão de exaustão, por não ter dormido o suficiente, mas em meio a toda aquela exausta, eu pude ver um meio sorriso se formar em seu rosto, então ao vê aquilo eu fiquei um pouco bravo e decidi perguntar do que ela estava rindo exatamente:

-o que é tão engraçado para a senhora está rindo assim logo cedo?

Quando ela percebeu que ainda estava com um meio em seu rosto, ela rapidamente tentou disfarçar e mudar de assunto:

-não estou rindo de nada, só amanheci de bom humor, enfim você já está indo para a escola?

-ainda não, eu só me levantei mais cedo hoje, para não sair correndo de casa como eu fiz ontem, por esta muito em cima da hora.

-há entendo, então sendo assim eu vou preparar logo o café da manhã, para que você não saia daqui com fome.

-tudo bem então, eu só vou terminar de me arrumar, e logo depois eu venho comê.

Quando terminei de falar, eu me virei e voltei a pular para tentar alcançar a minha farda que estava muito no alto, é quando eu estava no meu segundo pulo, a minha mãe chamou a minha atenção já quase se acabando de tanto rir:

-você poderia pensar com a sua cabeça pelo menos uma única vez hoje?! e para de dar esses pulos ridículos? pois eu já falei para você que a escala estava a seu lado, e você sabe muito bem que não vai conseguir alcançar a sua farda desse jeito...

Ao ver a minha mãe rindo dos meus esforços, já praticamente me ridicularizando por eu ser tão pequeno para a minha idade, eu fiquei possesso, mas eu não pretendia brigar com ela logo cedo, então após encontrar a escala, eu puxei ela para perto de mim e subi nela para pegar as minhas roupas, após feito isso, eu desci da escada, e falei para que ela parece de ri de mim:

-mãe já deu! Eu sei que eu sou pequeno tá! Não é necessário a senhora está me lembrando disso!

Ela tentou parar de rir mas foi em vão, pois ela continuou rindo ainda mais enquanto falava comigo:

-desculpe meu bem, mas isso é mais forte do que eu, daqui a pouco passa você vai vê, vá logo para o seu quarto se trocar ou você vai se atrasar, enquanto isso eu vou preparar um pequeno lanche para você..

Após fala a palavra pequeno e riu ainda mais, então eu resolvi sair logo dali, e fui direto para o meu quarto,

Quando cheguei no meu quarto, eu rapidamente vesti as minhas roupas, que agora estavam com um cheiro delicioso de lavanda, mesmo a minha a mãe me irritando as vezes com as suas provocações infantis, eu não consigo ficar com raiva dela por muito tempo, até porque mesmo ela estando com raiva, ela nunca deixa de cuidar de mim, talvez seja porque ela minha mãe, mas eu sinto quê o que ela faz não é por mal, talvez seja só porque ela tem um juízo fora do lugar, ou porque ficar com tédio, eu não sei o real motivo, eu só sei que não consigo ficar com raiva dela mesmo ela me provocando, então eu suspirei:

-eu só queria que ela fosse uma mãe normal como todas as outras...

Algum tempo depois...

Após me trocar, eu fui pegar a minha bolsa para poder sair, hoje se eu não estou enganado, será a volta

do jū-san gō-sensei, desde aquela invasão dos vilões no teste de campo, que ele é o Aizawa-sensei estavam internados no hospital, mas como os ferimentos do Aizawa-sensei não foram tão graves como o do jū-san-gō, assim que ele melhorou ele já pode voltar a dar aulas, com o pretexto de que, já não estava mais aguentando o barulho do hospital, e preferiria voltar a dar aula a ficar mais um minuto naquele antro de loucos:

-eu acho que ele só não queria admitir que estava com saudades da gente.

mas por outro lado o jū-san-gō teve ferimentos mais graves, devido a sua própria individualidade Black-hole, e por isso teve que ficar muito mais tempo no hospital se recuperando, a escola já havia anunciado que ele estaria disponível para dar aulas novamente, a partir de hoje, eu sinceramente só espero que ele esteja se sentindo bem, pois ele é um incrível herói que tentou salvar a todos nós, naquele dia mesmo estando em desvantagem..

-Izuku o café da manhã já está pronto, venha comê!

O chamado da minha mãe, para que eu fosse comê, juntamente com o maravilhoso cheiro de waffles, dançando no ar a minha volta, acabaram me tirando dos meus pensamentos, e então eu prontamente respondi que já estava indo:

-já vou mãe, só estou terminando de pegar algumas coisa.

-ok só não demore muito ou vai esfriar!

Após pegar todos materiais que estavam faltando, eu me dirigir para a cozinha, pois eu já estava quase babando de tanto inalar aquele aroma doce e suculento que os waffles exalavam, quando eu cheguei na cozinha eu vi que a minha mãe estava lavando a louça suja do café, e aparentemente não iria comer agora, então aproveitando eu me sentei a mesa para apreciar o café, quando a minha mãe me chamou atenção:

-então você já sabe que eu vou está saindo de viagem Hoje não é?

Eu fiquei meio surpreso com a declaração, mas segui a conversa normalmente:

-mas a senhora não falou que só iria amanhã após fazer as compras?

-bem isso é verdade, mas eu resolvi está indo logo hoje, pois será um longo caminho, eu vou fazer as compras agora pela manhã, o dinheiro para emergências eu vou deixá no seu guarda roupa, então não se preocupe

-ok só não vá demorar muito nessa sua viagem, não é que eu tenha medo do escuro nem nada do tipo, e que aqui em casa de noite e pouco assustador e tudo mais, então…

-Rá rá rá..

A Minha mãe me interrompeu no meio da minha frase com um pequeno sorriso irônico, é então se aproximou de mim já pronunciando as seguintes palavras:

-a vamos, admita que você vai sentir a falta da sua querida mãezinha, enquanto ela não estiver em casa, eu sei que você tem medo do escuro siiiimmmmm..

Ela dizia isso enquanto apertava as minhas bochechas, então eu me desvencilhei das mãos, e me virei para ela já com raiva:

-para mãe! Eu não tenho mais 4 anos não, para ter medo do escuro! Esse ano eu já vou fazê 16 anos, eu realmente só não gosto de ficar sozinho aqui em casa.

Ela me olhou um pouco desapontada pela minha ação repentina, mas ela logo se recuperou, e então continuou a conversa normalmente:

-bem se você não gosta se ficar só, chame alguns dos seus amigos para passar uns dias com você, eu você Deixa comida e bebida suficiente para um batalhão, então não terá problemas, só nao der nenhuma festa enquanto eu estiver fora, estamos entendidos?!

Eu olhei meio desconfiado para ela, mas decidi não leva a sério os comentários de dar uma festa, então eu simplesmente concordei e voltei a tomar o meu café:

-ok ok sem festas, agora deixa eu comê ou eu vou me atrasar..

Após terminar de comê, eu fui escovar os meus dentes para só então ir para a escola, quando eu terminei eu já estava do lado de fora de casa quando a minha mãe gritou:

-Izuku se puder tente voltar cedo hoje, eu quero me despedir de você antes de ir viajar..

-tá certo mãe, eu vou tentar voltar o mais cedo possível hoje!

-tudo bem então, tenha uma boa aula..

Ante de chegar no colégio eu acabei me deparando com uma cena de luta entre um vilão que parecia que seu corpo era composto por terra e lama contra o herói da madeira Shinrin Kamui, talvez tenha sido graças aos meus hábitos antigos, mas eu estava sentindo uma vontade quase irresistível, de me aproximar do local onde aquela luta estava acorrentado, apesar de agora eu já possuí uma individualidade, eu ainda amo vê as batalhas dos heróis profissionais contra os vilões, então quando eu dei por mim eu já estava caminhando na direção daquele local para vê de perto o que estava acontecendo, a luta entre os dois não demorou muito, pois o Kamui-senpai usou a sua melhor técnica a ‘‘Hitsubaku Urushi Sarou’’ para aprisionar o vilão de terra e lama, o vilão ainda tentou se soltar, mas a prisão de madeira era muito do que os seus ataques, então vendo que não podia fazer mais nada, ele simplesmente desistiu e se deixou ser aprisionado, vendo toda aquela ação eu me senti muito inspirador e muito orgulhoso, pois algum dia eu estarei fazendo a mesma coisa que o Kamui-senpai está fazendo agora, então enquanto eu admirava os esforços dos heróis profissionais eu acabei falando comigo mesmo:

-cara os heróis profissionais são tão legais! Quando eu puder me torna um, eu quero ser tão forte  como eles!

Nesse instante o meu relógio começou a bipar, o que me fez sair bruscamente dos meus devaneios, e quando eu olhei que já eram 7:00 horas eu levei um pequeno susto, pois já estava bem próximo de começar as minhas aulas:

-Opa eu quase me esqueci da aula, eu já estou bem próximo do colégio mas não custa nada apressar um pouco os meus passos.

E com essa convicção em minha cabeça, eu acelerei os meus passos para não chegar atrasado

Algum tempo depois...

Quando eu Cheguei na sala eu vi que faltavam alguns poucos alunos, e foi então que alguém chegou, se esbarrando em mim, por causa da pressa:

-mil desculpas eu não te vi ai, eu estava um pouco atrasada e acabei esbarrando em você por acidente, você está bem?

Eu estava coçando a minha cabeça, pois por causa do tombo repentino eu acabei caindo de cabeça com tudo no chão:

-aí aí aí, minha cabeça, eu estou bem não foi nada grave, não precisa se preocupar..

Quando eu olhei para cima eu vi que a pessoa que havia se esbarrado em mim era a Uraraka-san, e quando eu vi que era ela eu fiquei todo desconcertado:

-n-não f-foi estou b-bem Uraraka-san.

quando ela percebeu que a pessoa que ela havia derrubado era eu, ela passou agir de uma forma mais natural:

-há deku e você, eu pensei que você outra pessoa, me desculpe por isso, vem me dê a sua mão! Para que eu possa te ajudar a levantar:

Ela agora estava com um sorriso radiante em seu rosto, o que ao meu ver, era a coisa bela do mundo nesse exato momento e sem perceber o meu rosto ficou todo corado, então eu estendi a minha mão direita para que ela pudesse me ajudar a levantar, e quando eu já estava quase de pé, Kacchan apareceu repentinamente atrás dela possesso de raiva, pois a primeira ação que ele fez ao chegar na sala foi empurrá a Uraraka-san que estava a sua frente para que ele pudesse passar, então ela acabou ficando sem equilíbrio e nós dois caímos um por cima do outro, e após a queda eu passei senti uma sensação agradável em meus lábios, e quando eu abrir os meus olhos para saber que sensação era aquela, eu percebi que os meus lábios estavam sendo selados pelos lábios da Uraraka-san em um beijo terno...


Notas Finais


Gente eu sei que os meus capítulos demoram um pouco para serem atualizados, mas é que fica um pouco difícil para mim conciliar o pouco tempo que eu tenho, entre trabalho e escola, com a disposição e a minha criatividade, mas sempre que tenho a chance estou escrevendo mais um capítulo para vocês, eu gosto muito de ler os seus comentários sejam eles ou ruins pois assim eu posso saber o que vocês estão achando da minha fic, mais uma coisa, eu sei que os meus capítulos são um pouco grandes, mais isso é porque eu não deixá nenhum detalhe desaa história mal entendido, então mediante a isso eu espero que você continuem lendo e favoritando essa minha fic muito louca, pois isso sempre me dar cada vez mais motivação para escrever mais, então até o próximo capítulo pessoal, bye bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...