História Estranha amizade - boku no hero academia - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Izuku Midoriya, Katsuki Bakugou, Ochako Uraraka, Personagens Originais, Tenya Iida
Tags Boku No Hero Academia, Suspense, Terro
Exibições 57
Palavras 3.737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Fantasia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Super Power, Suspense, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não exija que alguém mude por você, você é quem deve mudar por esse alguém, se realmente o amá

Capítulo 7 - Esperança ou Desespero somente o futuro dirá


Fanfic / Fanfiction Estranha amizade - boku no hero academia - Capítulo 7 - Esperança ou Desespero somente o futuro dirá

Eu sabia… eu sabia que desde o início algo não estava certo, eu não sabia dizer o que era, eu apenas sabia… mas mesmo sabendo que algo estava errado, eu continuei a observar aquele “espetáculo” sem dizer nada, pois não era todo dia, que eu podia ver deku quebra a cara, por confiar demais nos outros.


E sinceramente até que eu estava gostando, mas quando as coisas começaram a sair do controle, eu percebi que eu tinha que intervir, pois se eu não fizesse nada, eles poderiam acabar quebrando o meu “brinquedo favorito”, mas antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, aquele maldito do todoriki se meteu em meu caminho, e foi nesse momento que as coisas começaram a ficar estranhas, pois enquanto eu estava preso, no bloco de gelo que o todoriki criou para me detê, eu percebi que algo aos poucos, estava tentando tomar o controle do meu corpo, e para me libertar eu tive que engolir o meu orgulho, e pedir ajuda as garotas que até então, só gritavam e choravam pedindo por ajuda… é sinceramente até que elas me surpreenderam, com o seu ótimo trabalho em equipe, e isso inclui a inútil da uraraka.


Mas mesmo com a ajuda que elas deram, no fim das contas tudo foi em vão, pois quando eu dei por mim já era tarde demais, é o pior já havia acontecido a deku… e depois disso o caos se instalou ao nosso redor, deixando tudo de ponta cabeça, pois ninguém sabia o que fazer para salvar deku da morte certa, e eu acho que nem mesmo o All Might, que havia chegado pouco depois que tudo acabou, sabia o que fazer para

salvá deku daquele destino cruel...


E quando tudo parecia estar perdido, a Hagakure aparece repentinamente, na porta da sala, trazendo consigo, o que parecia ser a luz no fim desse imenso túnel de trevas… se bem que ela não “apareceu”, pois ela ainda estava invisível, mas isso não importa, pois logo atrás dela estava a recovery girl, que depois de ter ouvido a história da hagakure, deve ter resolvido vim ajudar, caso houvesse feridos.


Sabe eu normalmente não daria a mínima importância, para aquela enfermeira de arake, pois tudo o que ela sabia fazer era distribuir beijos, como uma tarada e no processo curar os fracos com o seu poder regenerativo, mas levando em consideração tudo o que aconteceu, eu acho que essa é a primeira vez que eu me sinto feliz, por vê o rosto daquela velha tarada, pois no fim das contas era ela quem tinha o poder, que precisávamos agora, e como a Hagakure ainda não havia se tocado, da situação desesperadora em que estávamos, havia sobrado para mim que estava mais próximo delas, trazer a velhota para salvar deku da morte...


E assim eu fiz, sem me importar com mais nada, eu saí do meu lugar e corri o mais rápido que eu pude, para pegar a velha e trazê la comigo para perto de deku, para ela pudesse usar os seus poderes e salvá lo, mas antes que eu pudesse chegar nela as fitas de contenção do aizawa-sensei, apareceram no nada e começaram a envolver todo o meu corpo, e quando eu dei por mim eu já estava completamente preso por elas, eu até tentei usar os meus poderes para me libertar, mas como eu já imaginava o aizawa-sensei estava anulando os meus poderes, com o seu maldito olhar, de algum lugar que eu não podia vê lo, e como eu não tinha mais alternativas, eu comecei a gritar feito um louco:


-Ei tire essas malditas fitas de cima de mim!

-Para que você possa tentar atacar novamente?!


Eu não sabia da onde que a voz dele estava vindo, parecia ser de todos os lugares, e ao mesmo tempo de lugar nenhum, e como eu não sabia aonde ele estava, eu continuei a gritar na esperança de que ele aparecesse e me soltasse:


-Você está entendendo tudo errado, eu só queri…

-Você só queria atacar a nossa enfermeira, para que ela não pudesse ajudar ninguém, não estou certo?


Cara como ele é sem noção! Ele não consegue vê de que lado eu estou? Ei espera aí o All Might fez a mesma coisa comigo! Quando eu estava dando uma surra no maldito do kaminari, ele também me parou e me tratou como sendo o seu inimigo, porque eles fizeram isso? Há deixa pra lá agora não é hora para isso, o meu dever agora é levar aquela velha até deku custe o que custar! E se eu tiver que virar um vilão para que isso, que assim seja:


-Eu estou pouco me fudendo, para o que você acha ou deixa de achar, o meu amigo está morrendo logo ali!

- nesse momento eu soltei um dos meus braços e apontei para onde deku estava - E você quer que eu continue a ver isso acontecer, sendo que essa maldita velha pode salvá lo?


Nesse momento a recovery girl me encarou com um olhar assassino em seus olhos, por eu ter chamado ela de “maldita velha” e por um instante eu me sentia aterrorizado por aquele olhar, mas eu logo me recompus e voltei a bradar o que eu estava pensando, sem me importar com as consequências:


-então você vai ajudar ou não vai?

- eu disse isso enquanto olhava diretamente para o rosto da velha heroína - que eu saiba esse é o seu dever!

-Ora seu moleque tenha mais respeito pelo os mais velh...

-Aizawa solte ele!


O All Might interrompeu o

aizawa-sensei antes que ele terminasse de falar.


-Mas All Might esse garoto...

-É eu sei, ele já está indo longe demais, eu me resolvo com ele mais tarde! mas agora não é hora para isso, solte logo ele é por favor traga logo a recovery girl para cá, pois nós não temos muito mais tempo a perder!

-Mais...

-Ande logo com isso!


A voz imperativa do All Might, assustou a todos pois não era todo dia que podíamos vê lo daquele jeito assustador, e sem dizer mais nada o Aizawa-sensei o obedeceu, me soltando pouco depois, e como ele ainda não havia aparecido, eu fui até a velha e a peguei pelo o braço, e comecei a puxá la até deku, mas ele começou a bater em meu braço que eu a soltasse:


-Me largue eu sei andar sozinha!

-É eu sei que você sabe andar, mas nós não temos muito mais tempo!

-há se é assim que seja! então aonde é que o seu amigo está?

-por aqui, venha por aqui!


Sem dizer mais nada eu consegui trazê la até deku (não que a distância fosse muito grande) e quando ela viu o estado lamentável em que ele se encontrava, ela soltou a minha mão e correu até o seu corpo, é então se agachou próximo a ele, e pôs as suas duas mãos sobre o seu coração, que pouco tempo depois começaram emanada uma estranha luz verde,


Ninguém tinha a menor ideia do que ela estava fazendo com deku, pois quando ele curava alguém, ela normalmente dava um beijo e pronto, e pouco tempo depois a pessoa começava a se cura espontaneamente, mas em vez de dar um beijo como normalmente faz, ela estava emanando aquela luz estranha de suas mãos, e por um instante eu até pensei que fosse algo ruim, mas quando deku começou a tossir sangue, eu percebi que ela estava curando ele como normalmente fazia, só que de um jeito diferente, e quando eu pensei que tudo ia acabar bem, eu vi que eu estava redondamente enganado, pois a recovery girl tinha uma expressão de preocupação em seu rosto, que só fazia aumentar cada vez mais, e quando eu ia perguntar o que estava acontecendo com deku, o All Might foi mais rápido e tomou a dianteira, tirando assim as palavras da minha boca:


-É então como ele está?

-nada bem…


A velhota respondeu a pergunta do All Might, sem tirar os seus olhos de deku, e como eu não sou tipo de pessoa que tem muita paciência, para esperar pelo os outros, eu meus fiz as perguntas agora:


-Que ele não está bem nós sabemos, e por essa razão que você está aqui cuidando dele, o que queremos saber é quanto tempo vai levar, para que você termine o seu serviço.


Eu sabia que eu estava sendo muito rude com ela, mas eu só estava dizendo o que todos queriam saber, só que de maneira muito mais direta e eficiente:


-É então quanto tempo vai demorar?

-Mesmo que você diga isso, eu não sei quanto tempo vai demorar, e para falar a verdade, eu ainda não faço a menor ideia de como esse garoto ainda está vivo, pois além de ter perdido uma grande quantidade de sangue, a maioria de seus órgãos internos ou estão em estado crítico ou pararam de funcionar, e se continuar desse jeito ele irá morrer em breve mesmo com a minha ajuda.


Todo mundo inclusive eu e o All Might, ficamos pasmos com a notícia que ela deu, mas mesmo com tudo isso ainda havia uma esperança, pois mesmo depois de ter passado por todo esses danos, ele ainda se mantém vivo de alguma forma, então significava que ele ainda desistido da sua vida, e se ele que é um inútil e não sabe fazer nada direito não desistiu, por eu que sou superior a ele em tudo vou desistir?! Há não vou não mesmo!


-Ei velhota me diga a verdade, ainda eles uma maneira de martelo vivo mão e?


Ela então desviou a sua atenção de deku por um instante, e então respondeu a minha pergunta.


-Para falar a verdade existe sim uma forma de salvá lo.

-Então o que precisamos fazer?

-Bem ele teria que ir o mais rápido possível Possível até um hospital especializado em super heróis, e então ser encaminhado até uma sala de cirurgia, se isso acontecer ele teria uma chance de sobreviver.

-Então o que estamos esperando?

-Isso é impossível pois o hospital mais próximo fica a 8 km daqui, e ele não iria aguentar a viagem até lá.

-Mas se você estiver junto com ele não terá problema não é?


Dessa vez quem falou foi o All Might, que parecia animado com a ideia de levá lo até um hospital.


-Bem sim… poderia dar certo, mas como poderíamos fazer iss…

-Pronto resolvido!

-Hãn como assim!


Até não entendi muito bem o que ele quis dizer, mas quando eu vi ele pegar a velhota e deku em seus braços, eu enfim entendi, pois ele pretendia levar deku até o hospital, enquanto a velhota o curava no processo, era uma ideia louca mas que poderia dar certo, então antes que ele pudesse ir embora eu perguntei, para o All Might para que hospital ele estava lavando os dois, e com um grande sorriso em seu rosto ele me respondeu:


-Antes de você ir, para onde você está levando ele, para que eu possa atrás?

-não vai ser necessário que eu te fale para onde vamos!

-Por que não? você não quer que eu esteja perto dele é isso?


Até eu estranhei esse meu modo de falar, mas o que eu podia fazer? eu realmente estava preocupado com o que ia acontecer com o idiota do deku.


-Eu nunca disse que você não podia ir!

-E então por que não me fala para onde está indo?

-Eu não vou falar para você por não será necessário, pois vai vai junto comigo?

-Hãn como assim?! Como é que eu vou junto com você?

-Desse jeito!


Sem nenhum tipo de aviso prévio, o All Might me agarrou e me jogou em seus costa, e disse que eu me segurasse firme, ou eu podia caí.


-Ei Ei me deixa desse daqui eu não sou mais criança não, para andar grudado nas costa de alguém!

-É eu sei que você não é mais criança, e sinceramente você está precisando perder um pouco de peso, mas esse é o modo mais rápido de levá lo até lá, pois eu tenho certeza que o jovem midoriya, vai gostar de ver o amigo dele quando acorda! Então pare de espernear e se segure pois a viagem vai ser turbulenta!


-Ei Ei Ei eu ainda não estou pronto! Espera só um instante!

-Olha só quem diria que o metido a valentão teria medo de altura! Mas se segure firme ai ou vai cair bonitão.


Quem disse isso foi a vadia da uraraka, que parecia está debochando de mim, enquanto ainda enxugava as lágrimas de seu rosto, e por um instante eu até pensei em discutir com ela por aquilo, pois eu não tinha medo de nada! Mas antes que eu pudesse dizer qualquer coisa o All Might se agachou, e então do nada deu um pulo que atravessou o telhado da escola, e lá fomos nós pulando de telhado em telhado, a vários metros do chão até chegar a um hospital que desconhecia… Cara esse sem dúvidas foi a melhor é a pior esperiencia da minha vida:


-Eu amo essa vida de um super herói!


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Enquanto isso em um lugar sombrio e decaído, que tinha uma vaga semelhança com um bar noturno, mas que não era muito bem frequentado, o bartender conversava com um homem em um canto em participar do bar, pois este parecia estar impaciente com alguma coisa:


-Tomura-san tudo deve está indo conforme o planejado, o senhor não precisa preocupar com nada.

-Kurogire você não faz a menor ideia do que tiver que fazer, para que tudo tenha saído com 100% de precisão e perfeição, pois se houvesse um erro se quer, tudo o que eu planejei por meses teria sido em vão! você fez tudo o que eu mandei, você fazer não fez?

-Sim eu fiz tomura-san, e eu também sabia o quão empenhado o senhor estava, para que tudo saísse conforme o planejado, e por essa razão eu não medi custos, quando contratei aquele homem para o serviço, se bem que ele cobrou muito a mais do que eu havia planejado, mas o que importa mesmo é que ele tenha feito tudo, conforme eu havia ordenado.

-É então ele já entrou em contato?

-Não até agora ele não entr..


(Trim,Trim)


Kurogiri foi interrompido pelo o som do telefone fixo do bar, que continuava a ressoar sem parar.


(Deve ser ele)


-tomura-san espere aqui só um instante, pois eu vou atender o telefonema e volto já.

-Vá e volte logo, pois eu ainda quero tratar sobre mais alguns assuntos importantes com você.

-Entendido agora se me der licença.


Após dizer isso kurogire se retirou e foi até o telefone, para atender ao telefonema, e depois de algum tempo falando pelo telefone ele chamou por tomura, para que ele também ouvisse o que a pessoa do outro lado da linha, tinha para falar.


-Tomura-san poderia vir aqui por um instante? Pois eu gostaria que o senhor ouvisse o que esse homem tem a dizer!

-É realmente necessário que eu vá até aí?

-O que esse homem tem a dizer, e de seu total interesse!

-Ok então estou indo...


Mesmo que relutantemente ele decidiu levantasse de seu lugar, e andou a passos vagarosos até onde kurogire estava, como se cada novo passo lhe rendesse uma dor descomunal, e como não iria?! Pois por todo o seu corpo, havia vários buracos que parecem ser antigos ferimentos causados por armas de fogo, mas que por alguma razão não haviam cicatrizado com o tempo, e a cada novo passo que ele dava, um líquido que parecia ser sangue só que em vez de ser vermelho, possuía uma coloração esverdeada saia desses buracos, depois de algum tempo tomura conseguiu enfim chegar ao seu destino, e quando chegou ele logo tomou o telefone da mão do kurogire, já pronunciando as seguintes palavras:


-eu espero que seja algo importante, pois você sabe o quanto eu odeio está me movendo de um lugar para o outro.

-me desculpe tomura-san mas eu creio que o seu esforço não terá sido em vão.

-Assim eu espero, então quem está falando?


?- você é tomura-san não é?

Tomura- sim sou eu, e então quem está falando?

?- eu só estou ligando para dizer, que o serviço que o senhor me encomendou já está feito.


Tomura ficou confuso por alguns instantes, mas ele logo percebeu com quem estava falando, e então ele mudou o seu tom de voz de desorientado e preguiçoso, para um tom mais frio e ameaçador, e sem mais cerimônia ele continuou a conversa nesse novo tom de voz assustador.


Tomura- essa sim é uma ótima notícia, e então você tudo conforme o planejado?

?- sim tudo conforme o solicitado pelo kurogire-san, apesar de ter ocorrido um pequena intromissão passageira por parte dos ali presentes, a missão foi comprida com êxito.

Tomura- que tipo de intromissão foi essa?


O homem do outro lado da linha demorou algum tempo antes de responder a pergunta de tomura, talvez por medo do que iria dizer para ele ou por ainda está tentando colocar em palavras o que havia acontecido, e depois de um determinado período de tempo, o homem voltou a falar com se nada tivesse acontecido:


?- para falar a verdade eu não tenho nem como chamar aquilo de intromissão passageira.

Tomura- por que não tem?

?- por que graças aos meus preparativos antecipados, eu consegui deter os movimentos deles, até que tudo estivesse resolvido, e como eu não tinha mais o que fazer, eu decidi brincar um pouco com a mente daqueles idiotas.

Tomura- então quer dizer que você se divertiu enquanto trabalhava, só espero que essa sua diversão não tenha estragado em nada a sua missão!


Tomura falou isso em um tom de voz tão baixo e ameaçador, que até kurogire que não estava participando da conversa se assustou ao ouvir, mas diferentemente de kurogire que havia se assustado só com aquilo, o homem do outro lado da linha demonstrou não sentir medo, daquela pequena ameaça velada, e até riu dela.


?- Ah! Ah! Ah! Há tomura-san o senhor não precisa tentar me ameaçar, pois eu levo os meus trabalhos a sério! Antes de tudo terminar eu apaguei as memórias das minhas doces e pequenas marionetes, então quando eles acordarem nem vão se lembrar de nada do que fizeram, ou porque fizeram, mas até agora eu não consegui entender por que o senhor pediu para que eu atacasse somente aquele garoto, sendo que pelo o preço dos meus serviços, o senhor poderia ter me pedido o seu tão sonhado “símbolo da paz” em uma bandeira de prata com uma maçã na boca, e eu teria te entregado ele sem ter o mínimo de esforço, então o senhor poderia me esclarecer, por que tiver que atacar aquele garoto e não o

All Might-sama?


O homem do outro lado da linha, parecia estar quase debochando de tomura por ele ter feito a escolha errada, mas tomura não se abalou com o seu deboche, em vez disso ele riu tão alto quanto pode.


Tomura- Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Coff..Oss.Caf...Cof… Desculpe por isso meu caro, pois eu estou meio que debilitado ultimamente sabe, mas eu ainda consigo rir, de coisas baixas e sem o menor senso de noção como a sua pergunta que você acabou de me fazer, pois eu não sou obrigado a

respondê la em momento algum, mas como a sua reputação de “o divino manipulador de marionetes” o precede eu vou tira um pouco das suas dúvidas.

?- Ow muito tomura-sama… por estar dividindo um pouco do seu “brilhante intelecto” comigo que sou um zero a esquerda se comparado a você.

Tomura- Tsk… você continuar sendo insolente como sempre, mas enfim se as minhas suspeitas estiverem corretas, aquele garoto tem fortes ligações com o All Might, ligações essas que eu pretendo explorar, bem mais a fundo.

?- mas o senhor poderia ter simplesmente feito o All Might de escravo através do meu poder, assim teria sido muito mais fácil para você.

Tomura- de fato teria sido muito mais fácil e favorável para mim, se eu tivesse feito isso, mas em compensação teria sido chato, pois como um escravo ele atenderia toda e qualquer ordem que eu disse, sem nem ao menos pestanejar, e isso tem a menor graça.

?- então o que esse garoto quase morto tem de tão interessante, que o All Might escravo não teria?

Tomura- desespero meu caro, desespero.

?- agora que bugou foi eu, como assim desespero?

Tomura- àquele se tornará o mais belo e glorioso desespero que a humanidade já presenciou, e tudo graças ao All Might, que é conhecido popularmente com o símbolo da paz, você não acha isso irônico?

?- de fato é realmente irônico, mas eu ainda não entendi como que aquele garoto inútil, irá se tornar no seu tão sonhado desespero?!

Tomura- e vai continuar sem entender, pois eu já disse mais do que o suficiente, para alguém como você.

?- há não faz assim tomura-sama, você vai mesmo me deixar sem saber de nada? Mesmo depois de tudo que eu fiz por você?

Tomura- você foi muito bem remunerado por sinal, então

fique quieto e somente observe,

o desenrolar dos acontecimentos pois eu te garanto que entretenimento não irá lhe falta… então muito obrigado pelos os seus serviços e até a próxima

?- não não espera não desliga ainda, eu ainda qu...


Sem esperar mais nem um segundo, tomura desligar o telefone deixando que o homem do outro lado da linha continuasse a falar sozinho…


-Tsk… aquele idiota do tomura desligou mesmo, ele continuar resgatável como sempre, mas até que foi interessante o que ele me disse, e por hora eu vou me calar e esperar para ver o que vai acontecer, pois eu estou ansioso para vê que tipo de espetáculo o tomura-sama irá me apresentar dessa vez, Mhuahahahahaha...


De volta ao bar, kurogire olhava para tomura com um olhar de reprovação, por ele ter feito o que fez, mas tomura parecia não dar a mínima para o bartender que o olhava, pois ele apesar de tudo estava se sentindo vitorioso, por ter provado para si mesmo que era superior ao homem do outro lado da linha, e por saber que o seu plano enfim havia começado a andar, e enquanto se dirigia de volta ao seu lugar no bar, e comentava com kurogire sobre o que iria acontecer:


-kurogire escreva as minhas palavras, eu ainda vou mandar nessa merda de mundo em que vivemos, e quem iria se tornar a ponte para o meu sucesso, será o pobre e atualmente indefeso Midoriya-kun, e tudo graças a burrice que o All Might fez ao escolhê lo como o seu sucesso.


Antes de se senta em seu cadeira, tomura pega um dardo que estava ali perto e o joga em uma foto do All Might, que estava pendurada na porta do bar, acertando o centro do alvo, e após fazer isso tomura esboçar um pequeno sorriso assustador, e então pensar com sigo mesmo:


(Quando esse dia enfim chegar, será o meu tão esperado “Game Over” para o meu amado Símbolo da Paz!!! Mhuahahahahahahahahahhahaha)


Notas Finais


Então esse foi mais rápido que os não é?! Hehe eu espero que Nesse capítulo vocês consigam tira as suas dúvidas sobre o que aconteceu e deixou de acontecer nos outros dois capítulos anteriores, de fato foi um erro meu fazer com que a história ficasse atropelada dessa forma, mas fazê o que eu não bato bem da cabeça não é hehe, nesse cap dois vilões fazem a sua grande entrada triunfal e mais um continua na incógnita, quem será esse? Ademais nesse capítulo eu também fiz um referência ao super poder desse vilão mistérioso com sendo o "divino manipulador de marionetes" essa mesma referência aparece no filme de Hunter x Hunter que eu assisti esses dias, então eu espero que vocês tenham gostado do capítulo, e uma dica quem pude assista a Hunter x Hunter por que é um anime muito foda, agora sem mais delongas até a próxima bye bye!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...