História Estrelas - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Destino, Imagine Taehyung, Imagine V, Jimin, Jungkook, Romance, Taehyung
Visualizações 312
Palavras 3.299
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessu! Tentei postar o capítulo ao meio dia para bem, fazer mais sentido, mas meio dia eu ainda estava dormindo :P Enfim, boa leitura para vocês ! ~acabou sendo um capítulo grandinho, me empolguei

Capítulo 16 - O melhor aniversário de todos


            Acordei cedo e coloquei uma roupa confortável, agradecendo por estar um dia de sol – poderíamos aproveitar muito mais o dia. Hoje é aniversário de Jimin, está completando 17 anos. Ontem à noite, sua mãe me ligou para combinarmos os detalhes da festa surpresa. O plano é o seguinte: passaremos o dia em um parque de diversões com nossos amigos, e quando anoitecer, vamos para a casa dele, onde seus pais estariam nos esperando com um banquete de aniversário! Estava muito empolgada.

            Yuri quis convidar Namjoon para ir conosco, infelizmente ele não poderá ir, sua turma irá ao tribunal – bem a cara de How To Get Away With Murder mesmo, adorei. Ele emprestou o carro para Yoongi, que ficou de levar todos nós até o parque. Isso me deixava um pouco preocupada, Yoongi tem carta, mas é um perigo para Seoul, nunca vi alguém que dirige tão mal, é pior que nossa mãe, e eu nem achei que isso fosse possível!

            Yuri, Jungkook e eu nos acomodamos no carro e seguimos para a casa de Jimin, depois para a de Taehyung. Parecia um carro de palhaço, um espaço não tão grande comportando diversas pessoas, e quando você achava que todas já haviam saído, continuam a sair mais e mais.

            - Parabéns, Jiminie! – Demos um abraço apertado nele quando chegamos no parque, que não era tão longe. Já estávamos com os ingressos, então não precisamos pegar fila para entrar. Quando entrei e vi aqueles brinquedos enormes e coloridos, lembrei de quando meus pais nos levavam para esses parques e me diverti com a lembrança.

            - Cara, muito obrigado por terem me trazido aqui! Não poderia estar em um lugar melhor! – Aquele era o ambiente de Jimin, seu lugar favorito no mundo inteiro. – Onde vamos primeiro?

            - Pode escolher, campeão. Hoje o dia é todo seu – Yoongi disse com um sorriso.

            - Que tal naquela montanha-russa? – Perguntou com os olhos brilhando, Yuri, Taehyung e Yoongi correram para a fila, Jungkook caminhou de cabeça baixa, não parecia tão animado.

            - Ei, o que foi? – Perguntei baixinho, caminhei devagar ao seu lado, os outros já estavam aguardando o lugar na fila e pareciam crianças grandes e loucas.

            - Promete que não vai rir de mim?

            - Claro.

            - Eu tenho medo de montanha-russa...

            - Ah não se preocupe com isso, são apenas 3 minutos, posso ir com você, se quiser.

            - Seria bom – Jungkook tem um sorriso lindo, e sempre que estava tímido e suas bochechas ficavam rosadas, parecia ainda mais bonito.

            Não demorou tanto tempo quanto imaginei, sentei no meio do carrinho com Jungkook, Jimin e Yuri estavam na frente e Yoongi e Taehyung atrás. Quando o carrinho começou a subir, Jungkook segurou a trava de segurança que estava na nossa frente, coloquei a mão sobre a dele e dei um sorriso incentivador. A descida começou e levantamos os braços, gritando bastante. Passamos por loopings e curvas malucas, diversas vezes dava a impressão de que iríamos cair. Quando o tempo acabou, segurei o braço de Kook e o ajudei a descer, ele parecia tonto e com um sorriso bobo no rosto.

            - O que achou?

            - Esses foram definitivamente os três minutos mais longos de minha vida.

            - As, olha! A casa de espelhos! – Yoongi me puxou pelo braço e correu na direção dela, o pessoal ao nosso encalço. Entramos na casa e rimos muito com nossos reflexos estranhos, parecíamos alienígenas na maioria deles. Yoongi era sempre o bobão que ficava zoando todos nós, ríamos bastante de suas observações óbvias.

            Saindo de lá, Yuri e eu pedimos para o pessoal para irmos ao carrossel, os meninos não quiseram ir, disseram que era coisa de menininha, azar o deles, nos divertimos muito com as outras crianças. Fomos em diversos outros brinquedos, como aquelas xícaras que rodam (esse fui com Taehyung, ele girava a xícara feito um louco, com certeza éramos os mais rápidos daquele brinquedo), o elevador que despenca e também os carrinhos de bate-bate. Almoçamos besteiras como pipoca e cachorro quente e seguimos para as máquinas.

            - Yoongi, pegue um ursinho para mim! – Pedi com um sorriso, puxando o braço de meu irmão como uma criança.

            - Aish, Astrid, você está velha demais para isso.

            Tentamos obter os brinquedos em máquinas separadas, conseguimos diversos tickets nas máquinas de basquete, tínhamos os melhores jogadores do time e eles não erraram uma cesta sequer. Tiramos muitas fotos ao longo do dia, a minha favorita era a da montanha-russa, todos saímos com caras engraçadas. Estava perto de anoitecer quando recebi uma mensagem de minha querida –A.

            From: Anonymous

            Belo dia para ir no parque, né? Eu pelo menos estou me divertindo muito.

            From: Anonymous

            Só te digo uma coisa: fique longe do meu namorado.

***

Jimin

            Estava me divertindo muito com o pessoal, aquele era sem dúvida um dos melhores aniversários que já tive e ele ainda estava longe de acabar. Astrid me mostrou a mensagem que a stalker mandou, não entendi o que ela quis dizer, mas era assustador o fato de saber que ela estava aqui. Comecei a ficar mais atento às pessoas que estavam no parque, procurando rostos conhecidos. Taehyung me chamou de lado quando estávamos a caminho de outra atração.

            - Tem algo te incomodando, hyung? – Perguntou ele.

            - Astrid vem recebendo mensagens de um número anônimo, e aparentemente, essa pessoa está aqui em algum lugar.

            - Era sobre isso que eu queria falar... – Tae estava preocupado, acho que devia estar com aquele sentimento de que algo está para acontecer ou algo do tipo.

            - O que tem de errado desta vez?

            - Ambre e Jin estão ali, indo para as xícaras – olhei para onde ele disse e quase caí para trás quando percebi que eles realmente estavam ali, felizes e de mãos dadas.

            - Em hipótese alguma Astrid pode saber disso, combinado?

            - Você acha que Ambre pode ser o número anônimo?

            - Talvez, é o que tudo indica...

            - Ei, vocês dois! – Chamou Yuri. – A gente também quer saber da conversa!

            - Não é nada demais, estava sugerindo que fossemos à Casa Mal-Assombrada, não é mesmo, hyung? – Perguntou Taehyung com um sorriso, disfarcei e entrei na jogada.

            - Exatamente! Estamos indo para lá agora, vamos!

            Deveria contar para Astrid ou para Yuri? Me pergunto se ela comentou com mais alguém, talvez eu nem devesse ter contado para Taehyung, acho que Astrid não iria gostar. Mas ele se preocupa bastante com ela, parece estar sempre querendo cuidar dela, às vezes acho que ele gosta dela, mas Taehyung é um garoto tão bipolar que é difícil afirmar com certeza. Estava andando distraído quando alguém tocou meu braço.

            - Oi, você pode me dizer onde fica essa atração? – Era uma garota negra com um sorriso tímido, ela apontou em um pequeno mapa o lugar onde desejava ir.

            - Estamos indo para lá agora, quer ir conosco?

            - Eu adoraria! Estava sendo um pouco solitário passar o aniversário sozinha...

            - Hoje também é meu aniversário! – Falei sorrindo, era muita coincidência, e essa estranha coincidência me deixava alegre de um jeito confuso. – Qual o seu nome?

            - Helena, e o seu?

            - Jimin, muito prazer! Por que está sozinha em seu aniversário, Helena?

            - Estou fazendo intercâmbio por um tempo, sou do Brasil – então era de lá o seu sotaque! E que sotaque bonito, estava encantado em conhecê-la e queria que ela tivesse um aniversário tão feliz quanto o que eu estava tendo, queria vê-la com aquele sorriso lindo mais vezes.

            - Pessoal, essa aqui é a Helena! E é aniversário dela também, vamos fazer com que ela tenha um aniversário incrível! – Astrid e Yuri fizeram amizade rapidamente com Helena, fiquei feliz em ver que, em pouco tempo, as três pareciam amigas de verdade. Quando entramos dentro da casa, tivemos que nos separar, pelo que eu entendi, eram as regras do brinquedo. Peguei uma lanterna e saí desbravando a casa, não achei tão assustador assim, dificilmente há algo que me dá medo.

            Ainda assim, era tudo muito bem feito, as coisas que estavam decorando a casa pareciam muito reais, e as pessoas fantasiadas passavam uma credibilidade assustadora. Encontrei uma lanterna caída no chão em algum momento, fiquei preocupado e comecei a procurar a pessoa que a derrubou. Fiquei assustado de verdade quando ouvi um grito familiar, eu o segui, e pouco tempo depois, encontrei Astrid chorando embaixo de uma mesa em uma sala.

            - Ei, o que foi? – Ajudei Astrid a se levantar e ele me deu um abraço forte. – Achei que você gostasse dessas paradas de terror.

            - Jin gosta, assistia com ele por causa dele, mas eu tenho muito medo, Jiminie. Alguém pegou minha lanterna e eu fiquei com tanto medo...

            - As, por que seu braço está sangrando? Alguém te machucou? – Passei o dedo em seu braço e o sangue estava quente e recente, ela precisava de um curativo rapidamente.

            - Foi quando pegaram a lanterna, senti uma dor muito forte no braço, mas nem sei de onde veio ou quem possa ter feito isso. – Ela estava tremendo, me senti péssimo por nunca ter percebido o quanto ela tem medo desse tipo de coisa, poderíamos ter evitado tudo aquilo.

            - Vem, vamos sair logo daqui. – Segurei seu braço, trazendo ela junto de mim. Nunca vi Astrid apavorada de verdade, a cada coisa ou monstro que pulava em nossa frente, ela apertava meu braço e segurava um grito, passou a chorar menos apenas quando saímos da casa, todos os outros já nos esperando.

            - Vocês demoraram, viu! O que aconteceu? – Perguntou Yuri, Astrid me soltou e abraçou Yoongi, o irmão beijou sua testa e confortou-a mexendo em seus cabelos.

            - Por que não disse que não queria ir, As?

            - Não queria atrapalhar o passeio ou algo do tipo, queria ser corajosa, Yoongi, mas eu não consegui.

            - As, relaxa, já passou – Yuri abraçou nossa estrelinha e Taehyung veio falar comigo. – Vem, vou te levar para a enfermaria. – Yoongi foi junto com as duas, Taehyung parecia a ponto de surtar.

            - É culpa minha, Jimin.

            - O que está dizendo, Taehyung? Você não tem culpa de nada disso.

            - Fui eu que disse para irmos lá, então a culpa é minha – seus olhos estavam vidrados e pareciam cheios de dor, coloquei a mão em seu ombro e busquei as palavras certas.

            - Nenhum de nós sabia, Tae, não se culpe. Astrid é forte, vai ficar bem, acredite em mim e nela também.

            - Isso está ficando fora de controle, hyung. Nós temos que fazer alguma coisa, não parece mais uma simples brincadeira por mensagem, está ficando sério... – Não posso discordar, também estava ficando com medo, o que poderia acontecer em seguida? Astrid estava mesmo segura?

            - O que está acontecendo, gente? – Jungkook caminhou até nós com Helena, eles estavam conversando animadamente antes de isso tudo acontecer, não sei explicar por que, mas isso me deixou um pouco irritado.

            - Estamos tentando entender, nada disso faz o menor sentido... – Jungkook não podia saber, Taehyung entendeu e não contrariou. Helena caminhou ao meu lado até encontrarmos Astrid, Yuri e Yoongi novamente.

            - Aquela é sua namorada, Jimin?

            - Não, nada disso, é minha amiga, quase uma irmã, não tenho namorada não – ela riu de como eu atropelei as palavras, estava nervoso e nem sabia porquê. Ficar perto de Helena me dava uma sensação boa. – Quer ir para minha casa depois? Meus pais vão fazer um churrasco, e vai ter bolo...

            - Claro, eu adoraria!

            Astrid retornou com uma atadura no braço direito, segundo Yuri, o corte não havia sido tão superficial assim e precisou levar alguns pontos falsos. Já havia anoitecido, caminhamos para a última atração antes de irmos embora: a roda gigante. Na fila, liguei para minha mãe.

            - Daqui a pouco estamos indo para casa, só vamos em mais um brinquedo. Aliás, vamos levar mais uma amiga, e hoje também é aniversário dela. Você poderia colocar algumas velas a mais no bolo? – Perguntei pelo telefone longe de todos, minha mãe riu.

            - Finalmente, Chim! Espero esse momento há tanto tempo! Querido, venha cá! Jimin disse que trará uma garota!

            - Não é nada disso, mãe, por favor! Eu mal a conheço... Bem, preciso ir, chegou a nossa vez.

            Agora era hora de colocar o meu plano em ação. Conversei com Yuri antes e combinamos de juntar Astrid e Taehyung na mesma cabine, de início, ela protestou, disse que Astrid devia ficar com Jungkook. Eu acho que Tae gosta dela, então acho que ele merece tentar, além disso, também acho que isso o deixará mais leve por conta do que aconteceu antes.

            - Yuri, vá comigo! – Pediu Astrid com um sorriso.

            - Não vai dar, As. Yoongi disse que quer ir comigo.

            - Eu disse? – Perguntou Yoongi, ela pisou em seu pé e ele pareceu confuso. – Ah sim, eu disse.

            - Vá com Taehyung, As – disse. – Eu vou com Helena! – Helena sorriu e eu fiquei animado, queria muito passar um tempo com ela.

            - Mas eu não quero ir com a Astrid, hyung...

            - O que está fazendo, Taehyung? Está louco? – Puxei o garoto pelo braço e lhe dei um tapinha na cabeça.

            - Aish, Jimin, pare com isso! Eu já disse que não gosto dela e...

            Não esperei ele terminar de falar, empurrei-o dentro da cabine onde Astrid estava e ele me lançou um olhar mortal. Jungkook disse que iria junto com Yoongi e Yuri, fiquei feliz, poderia ir sozinho com Helena. Não entendo porque estou agindo desse jeito, me sinto estranho, mas não parece algo que eu queira lutar contra, é bom se sentir assim...

***

Astrid

            - Já entendi que não queria estar aqui comigo, mas nem por isso precisa ficar com essa cara! – A roda-gigante começou a funcionar e Taehyung sequer olhava em meu rosto, o que de alguma forma, fez eu me sentir triste. Ele olhava apenas para o chão e com uma expressão estranha.

            - Não é isso...

            - Por que não queria ir comigo? Eu sou tão chata assim?

            - Pior que é... – disse sorrindo, fiquei feliz por ter conseguido amenizar um pouco seja lá o que ele estava sentindo.

            - Olhe para fora! Estamos começando a subir! – Colei meu nariz na parede vidro e observei lentamente Seoul se tornando cada vez menor, Taehyung não tirava os olhos do chão de jeito nenhum. – Ai meu deus, entendi! Você tem medo de altura!

            - Você tem seus medos bizarros e eu tenho os meus – disse revirando os olhos, cruzei os braços, um pouco irritada.

            - Está bem, acho melhor não conversarmos então. – Olhei para a cidade iluminada abaixo de nós, tudo estava tão brilhante e tranquilo. Havia ficado frustrada, por que Taehyung tinha que agir desse jeito? Assim fica difícil! Um tempo depois, acho que ele percebeu que eu estava irritada e tentou conversar comigo.

            - As, eu...

            - Você não disse que não queria conversar?

            - Não, doida, quem disse foi você – disse com um sorriso, eu revirei os olhos e seu olhar se tornou mais intenso. – Desculpe ter sugerido de irmos naquela casa.

            - Tudo bem, Taehyung, você não sabia desse meu medo bizarro.

            - As...

            - O que foi, Taehyung? Diga logo!

            - Jimin me contou sobre as mensagens.

            - Aish...

            - Eu estava preocupado, e ele também está. Alguém atacou você lá dentro, As, está ficando perigoso.

            - Não preciso que você cuide de mim... – desviei o olhar e ele riu.

            - Tem certeza disso? Não me incomodo em ficar salvando você...

            Voltei a olhar em seus olhos, estávamos próximos e meu rosto corou. Taehyung também é muito bonito, não apenas por sua aparência, é bonito de um jeito diferente e igualmente encantador, ele deu um meio sorriso e eu olhei rapidamente para fora, estávamos no ponto mais alto da roda.

            - Parecem estrelas, não é?

            - Não precisa ver se está com medo.

            - Eu quero ver, As... – Ele se aproximou de mim e da parede de vidro, nossos dedos se tocaram e ele rapidamente afastou sua mão. Olhamos para a cidade iluminada, pareciam centenas de estrelas, formando uma imensa constelação, tudo estava ligado e interligado. Recebi outra mensagem.

            From: Anonymous

            Não quis te machucar, desculpa.

            From: Anonymous

            Talvez sim, mas enfim, o aviso havia sido dado.

            From: Anonymous

            Você é excelente em fazer o contrário do que eu digo, estrelinha

            From: Anonymous

            Não me culpe caso algo mais acontecer com você...

 

            - Ei! – Taehyung pegou o celular de minha mão e leu todas as mensagens que já havia recebido da stalker, devolveu o celular com um olhar assustado.

            - As, você precisa falar com alguém, essa pessoa é louca!

            - Está tudo bem, Tae. Sequer vi Seokjin desde que terminamos, logo a pessoa desencana.

            - Mas e se ela não estiver se referindo a Jin?

            - Como assim?

            - Talvez não seja necessariamente o namorado dela, mas alguém que ela goste, como Jimin por exemplo.

            - Não, isso é loucura, não faz o menor sentido...

            - Dadas as circunstâncias, qualquer coisa faz sentido.

            Saímos do brinquedo e encontramos os outros, Jimin conversava animadamente com Helena, ele estava começando a se apaixonar, tenho certeza. Que belo presente de aniversário! Jungkook permaneceu calado até chegarmos à casa de Jimin, não entendi porquê.

            A casa estava toda decorada, cheia de balões coloridos e o cheiro de churrasco era delicioso. Ficamos ouvindo música no quintal, ajudei a senhora Park a servir o pessoal e os meninos ajudaram o senhor Park com as carnes. Entregamos os presentes que havíamos comprado para ele, o meu era uma camisa autografada por um de seus atletas favoritos, dei duro para consegui-la e valeu totalmente a pena – seu sorriso era impagável.

            Helena é uma garota incrível, trabalha em uma loja do shopping e está fazendo um curso de moda em Seoul, veio do Brasil e cheia de histórias para contar. Quando perguntei o que ela acha de Jimin, corou e deu um sorriso lindo, disse que ele é incrível. Cantamos parabéns para Jimin e jogamos confete sobre ele, todos nos surpreendemos quando a senhora Park apareceu com um bolo com velas cor-de-rosa, Helena se emocionou.

            - Pessoal, sério, esse é o melhor aniversário de todos!

            - Fico feliz por estar conosco, Helena, venha sempre que quiser – disse Mei Park com um sorriso.

            Ficamos lá até bem tarde, voltamos para o apartamento já de madrugada. Abri a bolsa que havia levado e encontrei um pequeno urso de pelúcia. Havia um laço em seu pescoço e um pequeno bilhete escrito rapidamente.

            Desculpe por ser tão chato na maioria das vezes, não que você não goste, eu sei que gosta. E você também é chata, a mais chata de todas! Por isso eu gosto de te irritar, mas dessa vez quis tentar algo diferente (não se acostume com isso). É apenas porque você me ajudou um pouquinho com meu medo bizarro, você tem o seu, eu tenho os meus

            Não contive a risada quando li o bilhete. Não estava assinado, mas eu conheço bem essa caligrafia quase inteligível.

            To: Taehyung

            Não achei que tivesse percebido que eu queria esse ursinho, obrigada! E eu não sou chata, eu sou um amorzinho - As

            P.s: sério, você tem que melhorar essa letra, foi terrível de ler rs

            From: Taehyung

            Impressionante como mesmo tentando te agradar, você me critica em alguma coisa! Ainda tem moral pra falar que não é chata... – Tae

 

            Dormi com uma sensação estranha, mas boa. Taehyung é uma peça confusa de quebra-cabeça, dessas que você tem dificuldade em encaixar em algum lugar porque o resto do brinquedo está em desacordo. Estava adorando conhecê-lo melhor, ele é muito mais do que ‘o garoto estranho’, como insistem em rotula-lo. Colei as fotos do dia na parede e observei minha constelação, estava cada vez mais recheada de amigos e momentos felizes, brilhando cada mais e mais.


Notas Finais


Faz tanto tempo que eu queria postar esse capítulo! Gostei de escrevê-lo, é com certeza um dos meus favoritos até agora! Sou uma grande fã de PLL, fazer Astrid ter sua -A está sendo divertido, embora eu não saiba tocar tão bem o terror Kkk Acho que ainda vem muito rolo pela frente, e essa Helena aí que brota do nada? Amar ou desconfiar? ~fica o questionamento... Até o próximo capítulo !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...