História Estrelas - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Destino, Imagine Taehyung, Imagine V, Jimin, Jungkook, Romance, Taehyung
Visualizações 310
Palavras 3.393
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessu ! Não me matem pela enormidade do capítulo, achei que não teria sentido separar em dois e vocês sabem que eu me empolgo um bocado né? Mas vale a pena, acreditem! Boa leitura :)

Capítulo 17 - Suga


Fanfic / Fanfiction Estrelas - Capítulo 17 - Suga

            Nosso jogo estava se aproximando, o que me deixava cada vez mais empolgada. O técnico elogiou meus ataques, entretanto, disse que não sou uma defensora tão boa, tenho que me esforçar mais. Jimin parou um pouco de ir assistir meus treinos, ultimamente ele mal saía do shopping nas horas vagas – estava sempre com Helena. Taehyung e Yuri vinham algumas vezes me dar apoio, Taehyung me distraía muito, não entendia nada do que estava acontecendo e comemorava qualquer coisa, era estranho, mas mesmo assim me deixava animada.

            Fizemos um pequeno intervalo para recuperar as energias, olhei meu celular e me assustei: tinha pelo menos oito chamadas perdidas de Yoongi. Liguei para ele, que me atendeu no mesmo instante com uma voz desesperada – pronto, ferrou.

            - Astrid! Graças a Deus você atendeu!

            - Yoongi! O que aconteceu?

            - Lembra que você ficou me devendo uma, está na hora de cumprir o desejo...

            A ligação caiu e eu perdi a cabeça, em que raios Yoongi havia se metido dessa vez? Estava bêbado e machucado em algum canto? Será que foi assaltado? Droga, estava doida de preocupação. O técnico quase me matou quando pedi para ser liberada, expliquei que algo sério havia acontecido com meu irmão e eu precisava ajuda-lo. Sai em disparada da escola quando recebi uma mensagem indicando sua localização.

            From: Yoongi

            No terreno baldio perto da escola, VENHA RÁPIDO! É caso de vida ou morte...

 

            Peguei meu material e corri feito louca até o tal terreno, me senti o próprio Flash. Tropecei no caminho e cai – óbvio, caso contrário não seria eu -, ralei o joelho. Tirei a poeira das roupas e cheguei rapidamente no lugar, esperava encontrar meu irmão todo machucado ou algo do tipo, o celular a postos para ligar para uma ambulância.

            - Astrid! Qual a parte do “vida ou morte” você não entendeu? Por que demorou tanto? – Yoongi estava vivo, bem e intacto, estava sobre uma lata enferrujada e observava o terreno por trás da cerca. Parte de mim queria abraça-lo por estar bem, mas a outra parte, a que estava com raiva, venceu, e eu o empurrei, fazendo com ele caísse sentado no chão.

            - Você tá louco, Yoongi? Eu saí que nem uma louca do treino achando que você estava aqui morrendo ou algo do tipo! Quer me matar de preocupação?

            - Foi mal, eu não sabia que você estava no treino. Mas preciso de sua ajuda, é importante...

            - Fala logo do que precisa, caramba!

            - Tem uma gata lá dentro, ela está machucada e tendo filhotes.

            - E o que você quer que eu faça, Yoongi? Não sei fazer partos e não sou veterinária.

            - Aish, Astrid! Ela vai morrer! Faça alguma coisa! – Nunca vi Yoongi desse jeito, ele parecia realmente desesperado, estava a ponto de chorar. Não sabia o que fazer, o que ele queria que eu fizesse?

            Pulei a cerca com dificuldade, nesse momento meu joelho ralado doeu um bocado. Procurei a tal gata e a encontrei com dificuldade, estava escondida entre algumas caixas de papelão. Suas patas estavam machucadas e ela parecia sentir muita dor, até que seu sofrimento passou e ela simplesmente fechou os olhinhos, permitindo-se descansar. Chorei baixo, o que eu diria para Yoongi?

            Quando estava prestes a me levantar, escutei um miado baixo e triste, havia um pequeno gatinho junto dela. O gatinho estava triste, devia saber o que aconteceu com a mãe. Olhei ao redor procurando possíveis irmãozinhos e não achei, deduzi que aquele era o único. Eu o coloquei em mãos mesmo sobre seus protestos, o pequeninho tinha unhas afiadas e abriu um corte em minha mão direita.

            - Eai? – Yoongi estava com os olhos marejados, e quando viu os meus, que estavam iguais aos seus, ficou profundamente triste. – Droga, droga, droga! Por que isso tinha que acontecer?

            Abracei meu irmão tomando cuidado para não machucar o gatinho em minhas mãos, sua cabeça deitou em meu ombro e ele soluçou baixo.

            - Esse aqui deu para salvar... – Coloquei o gatinho nas mãos dele, os olhos de Yoongi brilharam como os de uma criança, e o gatinho se sentiu muito mais a vontade com ele do que comigo, sequer o unhou.

            - As! Podemos ficar com ele?

            - Eu não sei... Acho que não damos conta de cuidar dele, e o apartamento não é só meu...

            - Por favor, As! Ele não tem mais ninguém! Eu vou cuidar dele, juro, vou comprar tudo que precisar e vocês duas não precisarão se preocupar com nada – Yoongi estava com um olhar pidão e fazia biquinho, que ser humano de 23 anos faz biquinho para sua irmã mais nova?

            - Okay... Mas precisamos leva-lo ao veterinário antes...

            O gatinho pareceu feliz com a notícia, Yoongi estava radiante. No veterinário, o pequenino teve todo cuidado necessário e Yoongi aproveitou para comprar tudo o que seu filho precisaria nos primeiros meses de vida, teve até uma aulinha com a veterinária sobre como cuidar do gatinho.

            - Então, qual nome vão dar para ela? – Perguntou a veterinária com um sorriso gentil.

            - Ela? – Perguntamos quase ao mesmo tempo.

            - Ela – a moça respondeu rindo e entregando a pequenina para Yoongi – Qual vai ser o nome?

            - Alice – respondi animada.

            - E Alice é lá nome para gato, Astrid? Tá doida? Ela vai se chamar Suga.

            - Como se Suga fosse um nome decente para um gato...

            - Não dê ouvidos a ela, doutora. Suga gostou do nome e será esse mesmo, minha Suga.

            - Faz sentido mesmo, ela é tão branquinha... – respondeu a doutora enquanto assinava os documentos necessários.

            - Viu, As? Eu sou um gênio.

            Saímos da clínica com Suga nos braços e diversas sacolas, Yoongi comprou mamadeiras, leite, ração, cama, brinquedos e roupas – estava agindo como um pai de verdade, era lindo vê-lo assim, ficava bobo com Suga. Em nosso apartamento, arrumamos um cantinho para ela e a colocamos para dormir.

            - Ei, Yui... – chamei e ela veio até nós, estava irritada. Passou a tarde toda estudando em seu quarto para uma prova e era constantemente interrompida, engoli em seco. – Yoongi tem algo a dizer para você.

            - Eu? Sua traíra!

            - A filha é sua, assuma seus B.O.

            - Que história é essa de filha, Yoongi? – Yuri agora estava assustada, seus olhos pareciam querer saltar das órbitas. – Não vai me dizer que...

            - Não! Não é nada disso! Adotei uma gatinha, o nome dela é Suga. Vou cuidar dela direitinho, então vocês não precisam se preocupar com nada... – Yoongi mostrou Suga para Yuri e ela logo a pegou nos braços com um olhar animado.

            - Ela é tão linda, Yoongi! Deixe-me brincar com ela!

            - Nada disso, você tem que estudar e ela tem que dormir...

            - Aish, Yoongi, como você é chato!

            - Eu sou apenas um excelente pai! – Yoongi colocou Suga de volta na pequena cama e mostrou a língua para Yuri, que fez o mesmo. Estou rodeada de crianças. Yoongi deitou no sofá e começou a ver algum documentário sobre a natureza, eu fiquei na frente da televisão e impedi que ele visse. – Ei! O que você está fazendo?

            - Agora é sério, Yoongi. Você me deixou louca de preocupação achei que fosse algo muito mais sério, você quase me matou do coração – meu irmão revirou os olhos com um sorriso e me puxou para um abraço inesperado.

            - Desculpa, maninha. Não vou mais te deixar preocupada, prometo.

            Passei o resto da tarde vendo o tal documentário com ele, Suga começou a chorar baixinho e me unhou novamente quando fui pega-la no colo. Disse para Yoongi que sua filha é maluca e ele a tirou de perto de mim, dizendo que eu era uma péssima influência para ela. Suga parou de chorar quando Yoongi colocou ela sobre sua barriga, onde ela adormeceu profundamente, até roncou baixinho – definitivamente filha de Yoongi.

            À noite, pedimos uma pizza para comemorar o dia, o cheiro estava delicioso. Infelizmente, não pude me juntar a eles para jantar. O motivo? A ligação de Taehyung.

            - Está ocupada? – Perguntou pelo telefone, percebi que além dele falar baixo, tentava abafar a voz.

            - Prestes a devorar uma pizza enorme, por que?

            - Quer fazer algo mais interessante?

            - Mais interessante do que comer pizza em uma sexta à noite?

            - Muito mais – respondeu rindo baixo.

            - Então me conte, estou curiosa.

            - É segredo... Vai ter que descer para descobrir...

            - Descer? Taehyung! Você está aqui no prédio?

            - Vem, logo, Astrid! Estou com frio – e desligou.

            Não entendi nada do que aconteceu, mas confesso, a ligação de Taehyung me deixou animada. Já que ele disse que estava frio, coloquei uma jaqueta de couro, embora estivesse tentada em colocar seu moletom apenas para provoca-lo.

            - Onde vai tão arrumada? – Perguntou Yuri arrumando a mesa.

            - Não estou tão arrumada assim.

            - Está sim – disse Yoongi enquanto trazia os pratos e os copos. – Vai sair com Jungkook ou Taehyung?

            - Aish, vocês dois...

            - Como seu irmão mais velho e responsável, exijo saber quem é o louco que está levando minha irmã gata para sair a essa hora da noite.

            - Não é sair desse jeito, só vou encontrar Taehyung. Que por sinal, deve estar congelando lá fora, então se me dão licença...

            Quando abri a porta para sair do apartamento, dei de cara com uma garota ruiva prestes a bater em nossa porta, levei um susto. Ela sorriu tímida e evidenciou as sardas em seu nariz, que eram muito familiares.

            - Oi! Yoongi está?

            - Está sim... Por que?

            - Kim! Você veio! – Yoongi surgiu e puxou a menina para um abraço, dando um rápido beijo em seus lábios, o que me deixou um pouco sem reação. – Ah, As! Convidei Kim para jantar conosco e conhecer Suga, adoraria que você pudesse ficar conosco.

            - Não dá... Taehyung está me esperando lá embaixo... Até mais... – Não entendi porque, mas aquela garota me passava uma sensação ruim, e isso se intensificou quando percebi que seus olhos se estreitaram quando mencionei Taehyung. Tenho a sensação que a conheço, mas acredito que é mais fácil ela conhecer Taehyung, e de alguma forma, não gostei da ideia.

            - Uou – Taehyung me esperava na faixada do prédio, estava com uma touca branca, uma jaqueta esporte, e um sorriso malandro no rosto. – Está arrumadinha, Astrid.

            - Não estou arrumadinha coisa nenhuma, estou linda – mostrei a língua e ele riu.

            - Se você diz... convencida!

            - Você me chamou aqui para fazermos algo ou para ficarmos de papo furado aqui? – Perguntei revirando os olhos com um sorriso, ele colocou o indicador sobre os lábios e me puxou pelo braço.

            - Não pode contar para ninguém, okay?

            - Taehyung, você está me assustando... – não entendia onde ele queria chegar, comecei a me preocupar quando ele me trouxe até um beco escuro.

            - Não seja tão medrosa, Astrid! – Taehyung sorriu e puxou um lençol preto, revelando uma incrível moto vermelha, ele subiu sobre ela e seu sorriso aumentou. – Vamos?

            - Taehyung, como assim? Você não tem idade para isso!

            - Relaxa, confia em mim – seus olhos brilharam e ele indicou que eu me juntasse a ele com a cabeça. – Vamos, As, acha que eu ia te chamar para dar uma volta se eu não soubesse pilotar isso aqui?

            Revirei os olhos e me sentei atrás dele. Não sabia o que fazer, nunca andei de moto antes. Ele riu e colocou meus braços ao seu redor, estava realmente próxima dele.

            - Segura firme, okay? Vamos dar uma volta – ele ligou a máquina e meu corpo estremeceu, segurei seu corpo com força e ele riu. – Relaxa, garota, eu mal dei a partida.

            - E o capacete?

            - Segurança vem em segundo lugar, As.

            - E o que vem em primeiro? – Engoli em seco e fechei os olhos, rezando para não morrer, ele olhou para mim e sorriu.

            - Diversão.

            Eu segurava seu corpo com força, estava com muito medo de cair. Não que eu não confiasse nele (na verdade, ainda não tenho muita certeza disso), mas ele estava indo tão rápido que meus olhos lacrimejavam. Eu os fechei com força e apoiei a cabeça em seu ombro, ver a paisagem passando em borrões parecia estar me deixando tonta.

            - Se você ficar de olhos fechados, vai perder toda a vista.

            - Taehyung, eu nunca andei em uma moto, estou com um pouco de medo.

            - Cara, você tem uns medos muito bizarros, sério – dei um cutucão em sua costela e ele riu baixo. – Okay, vamos fazer do seu jeito. Que tal um trato? Vou devagar se você ficar de olhos abertos, e se você quiser parar, paramos.

            Indiquei que sim com a cabeça e ele diminuiu consideravelmente a velocidade. Abri os olhos lentamente e o segurei firme, senti minha nuca arrepiar e meus cabelos dançarem com o vento, logo, meu sorriso aumentou. Ele olhou para trás e me viu sorrindo, e progressivamente, passou a aumentar a velocidade. Deitei um pouco a cabeça para trás e observei o céu, as estrelas pareciam pontos brilhantes que se mesclavam com o imenso céu acima de nós. Era uma sensação tão boa de liberdade, me senti tão bem que não queria que aquele momento acabasse nunca.

            - Chegamos – anunciou diminuindo a velocidade e parando a moto perto de uma trilha fora da estrada.

            - Como assim? Já acabou? – Ele sorriu e me ajudou a descer da moto, guiando-a ao nosso lado pela trilha de terra.

            - Sabia que você ia gostar! – Seguimos por pouco tempo na trilha até chegarmos em uma pequena campina, ele apoiou a moto em uma árvore e retirou uma bolsa dela, a qual colocou no chão. – Agora feche os olhos.

            - Por que?

            - Aish, Astrid, você é muito desconfiada! Fecha logo esses olhos, caramba! – Revirei os olhos e obedeci. – Posso? – Instintivamente abri os olhos e ele resmungou. – Não, droga! Fecha os olhos, Astrid! – Taehyung começou a rir e eu fechei os olhos novamente, senti sua mão tocar meu braço e ele me guiou em linha reta. – Pronto, agora pode abrir.

            Não contive um ‘uou’ quando meus olhos se abriram. A nossa frente, toda Seoul estava iluminada, estávamos em um lugar alto, então podia observar tudo com clareza, e o mais incrível é que as luzes dos prédios e casas pareciam estrelas, como a visão da roda-gigante. Taehyung me observava com um sorriso, o que me deixou um pouco constrangida, sentia que estava sorrindo feito boba.

            - Esse aqui é o meu lugar favorito no mundo. Quando vim para cá depois do aniversário de Jimin, lembrei do quanto você ficou feliz com a vista na roda-gigante e pensei em trazê-la aqui.

            - Eu adorei, é lindo demais!

            - Melhor que pizza né? – Ele se sentou na grama e eu sentei ao seu lado.

            - Sim, mas eu bem que queria comer algo, estou morrendo de fome.

            - Eu pensei nisso também – de dentro da bolsa, Taehyung tirou dois pacotes de salgadinho, duas latas de refrigerante, chocolates, jujubas e marshmallows.

            - Deus! Taehyung você pensou em tudo! – Ele jogou um dos pacotes de salgadinho para mim e eu abri as latas, fizemos um brinde e comemos conversando sobre coisas aleatórias. Ele jogou uma jujuba no ar e a pegou com a boca, tentei fazer o mesmo e ela caiu sobre meu nariz, fazendo-nos dar risada. Meu celular tocou cerca de três vezes, olhei o horário e não estava tarde para Yoongi ficar preocupado, então eu não o atendi.

            Deitamos sobre a grama e eu apontei algumas constelações e estrelas para ele, que se divertia tentando memoriza-las, contei a ele sobre Suga e ele disse que já teve um gato quando era criança, mas ele vivia fugindo. Ele me culpou pelo técnico ficar sempre no pé dele e eu o convidei para meu próximo jogo. Adorei descobrir que ele gosta dos mesmos jogos que eu e é um péssimo jogador – finalmente poderia ganhar de alguém. E ele não assiste nenhuma série, então eu tinha que trazê-lo para esse mundo.

            - Jimin gosta bastante de você, disse que você é um excelente amigo.

            - Fico feliz com isso, vocês dois são meus únicos amigos. O pessoal me acha estranho e não quer ficar comigo.

            - Você não é estranho, Tae. Quer dizer, é sim, mas de um jeito bom – ele deu um sorriso quadrado e virou a cabeça em minha direção, não estava deitada sobre seu ombro, mas estávamos bem próximo, seus olhos brilhavam e a lua iluminava nossos rostos, Taehyung é bonito mesmo. Droga, preciso parar de encara-lo senão eu e que vou parecer estranha. – Disseram que você foi expulso de outras escolas, por que?

            - Eu me metia muito em brigas... – falou com um sorriso.

            - Você não parece do tipo briguento – respondi rindo, ele se aproximou um pouco mais de mim, sequer me movi.

            - Não sou, mas protejo as pessoas, vale a pena se machucar por algumas pessoas, não é? – Senti seu indicador contornando o dorso de minha mão e pensei no que ele quis dizer com aquilo, era, ao mesmo tempo, um pensamento belo e triste. O que ele deve ter passado para chegar nesta conclusão? Não vou perguntar agora que estamos tão bem... – Lindo band-aid por sinal, os pandinhas te deixam menos ameaçadora.

            - Não entendo por que Suga me detesta, ela vive me arranhando – ele continuou contornando o band-aid decorado com um sorriso, eu não me incomodei, a sensação era boa.

            - Não sou ameaçadora, eu sou um amorzinho – levantei num salto e ele se assustou, rapidamente se levantou e me olhou confuso, mas com um sorriso. Taehyung me olhava de um jeito engraçado e se aproximou, seus olhos pareciam estudar meu rosto e eu estudava o seu, cada traço de seu rosto, assim, tão próximo do meu, desde a pinta que tinha no nariz até o pequeno puxar dos olhos. Retirei a touca de seu cabelo e ele me olhou confuso novamente.

            - Você é muito imprevisível, Astrid.

            - É só que... Você fica muito mais bonito sem a touca... – ele deu um passo em minha direção e eu não me movi, estávamos realmente muito próximos agora, podia sentir sua respiração quente junto da minha.

            - Então quer dizer que você me acha bonito? – Perguntou com um sorriso, eu revirei os olhos, sentindo meu rosto corar.

            - Eu não disse isso...

            - Disse sim – seu rosto se aproximou do meu e senti algo estranho no peito, era como se meu coração estivesse acelerado e eu não entendia porque parecia algo natural do qual eu não devesse lutar contra. Seu rosto mudou o trajeto e ele sussurrou em meu ouvido: - Olha, ao seu redor, As.

            Sem mover um músculo, olhei ao nosso redor e percebi diversos pontos amarelos na campina, eram vagalumes, centenas deles. Taehyung afastou uma mecha de meu cabelo e eu olhei em seus olhos, sua boca se aproximando da minha. Parou bem próximo de minha boca, com um riso baixo.

            - Esse seu celular está me enlouquecendo.

            - É Yoongi, provavelmente dizendo que Suga disse sua primeira palavra ou algo do gênero – mordi o lábio inferior e esperei que ele se aproximasse novamente, o que não aconteceu. De repente, o toque insistente cessou e recebi uma mensagem.

            - Veja, pode ser daquela maníaca...

            From: Anonymous

            Sinto atrapalhar as coisas quando estão tão interessantes. Se bem que já percebi que você realmente não se preocupa com nada do que eu digo. Todavia, recomendaria que você atendesse o telefone, barulho irritante, hein? Pode ser importante... Um beijo!

 

Apoiei a cabeça no ombro de Tae e ele leu a mensagem, parecia igualmente apavorado.

            - Você acha que...

            - Ela está aqui, Tae...

            O telefone começou a tocar novamente e eu dei um salto, engoli em seco quando olhei no visor: “Anonymous”, Taehyung indicou que eu atendesse e eu o fiz.

            - Alô?

            - Astrid? – Perguntou uma voz feminina, parecia em prantos e desesperada. – Ah, graças a Deus!

            - Quem está falando?

            - Kim, a namorada de Yoongi.

            - Kim, diga ao Yoongi para parar de se preocupar. Estou viva e bem.

            - Astrid, você não está entendendo, o Yoongi...

            - Eu sei, diga a ele que Suga é realmente fofa e que ele é o melhor pai do mundo...

            - Astrid! – Ela me interrompeu e percebi que ela estava mesmo chorando, agora sim eu estava preocupada. – Seu irmão acabou de dar entrada no hospital!


Notas Finais


Definitivamente amei escrever esse capítulo (por isso ficou enorme), sério, eu estava com ele na cabeça há muuito tempo e mal via a hora de finalmente posta-lo, fiquei feliz com o resultado! Vocês gostaram? Aliás, preferem capítulos mais curtinhos ou um pouco mais nesse estilo? Deixei de presente mais uma suspeita para nossa querida -A ! Até o próximo capítulo! ~staystrongYoongi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...