História Estrelas - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Destino, Imagine Taehyung, Imagine V, Jimin, Jungkook, Romance, Taehyung
Visualizações 323
Palavras 3.282
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessu! Com vocês um capítulo esclarecedor (ou não né), sintam-se à vontade para levantar teorias. Li algumas e adorei as ideias loucas de vocês, quem sabe hoje posso ilumina-los um pouco? ~boa leitura!

Capítulo 18 - Dando uma de Sherlock


            Senti minhas pernas ficarem bambas e Taehyung me segurou pelos ombros.

            - As! O que aconteceu?

            - Yoongi... meu irmão... está internado...

            Estava em choque, tremia e meu peito doía. Por que eu não atendi quando ele me ligou? Eu poderia ter ajudado em algo. Aish, o que será que aconteceu com ele? Minha cabeça rodava, mal aproveitei a viagem de volta com Taehyung, estava preocupada demais com Yoongi. Tae entrou comigo no hospital e fomos direto para a recepção.

            - Nome do paciente por favor – disse a entediada atendente.

            - Yoongi Fontanatta, tem vinte e três anos e é quase albino. Ele está bem?

            - Não posso dar informações, apenas para a família.

            - Eu sou a irmã mais nova dele! Astrid Fontanatta! Por favor, preciso saber como ele está! – Senti a mão de Taehyung em meu ombro, eu estava prestes a avançar na mulher e já sentia o gosto salgado das lágrimas.

            - Astrid? – Olhei ao redor procurando quem me chamou e encontrei Yuri, ela estava com o rosto inchado e os olhos vermelhos, o que raios havia acontecido? – Mas que droga, mulher, deixa logo a menina ir ver o irmão dela!

            - Yuri... O que aconteceu com ele? Por que ninguém me diz nada?

            - Pode ir ver seu irmão, mas ele fica aqui – olhei para Taehyung com um olhar triste, nossa noite havia acabado de uma forma que nunca poderíamos ter imaginado. Ele me abraçou e mexeu em meus cabelos.

            - Quer que eu volte para te buscar? – Perguntou com o queixo apoiado em minha cabeça.

            - Não precisa, só vá para casa e descanse, está bem? Sinto muito que nossa noite tenha acabado assim de repente...

            Taehyung me deu um leve beijo na testa e foi para sua casa. Coloquei o crachá de visitante e segui Yuri pelos corredores do hospital, ela não disse uma palavra sequer, por mais que eu perguntasse. Já passava da meia noite quando entrei no quarto de Yoongi. Me aproximei de sua cama e toquei seu rosto branquinho, seu braço estava ligado a uma máquina e a um soro, ele parecia estar dormindo tranquilamente. Segurei levemente sua mão, tomando cuidado para não mexer nos fios.

            - Oh, Yoongi, o que aconteceu com você? – Perguntei sussurrando, minhas lágrimas geladas caíam sobre sua mão e eu comecei a fazer desenhos com os rastros de lágrimas. Escutei a porta do banheiro se abrindo e quase caí para trás. – O que está fazendo aqui?

            - Isso é jeito de falar comigo, Astrid?

            A mulher que me olhava agora tem olhos verdes e frios, seus cabelos estavam impecavelmente presos em um coque no alto da cabeça e seu rosto parecia cansado.

            - Oi, mama – falei timidamente, seu olhar era duro.

            - Vocês não me visitam ou me chamam para visita-los, e quando os vejo novamente é dentro de um hospital! Onde estava, Astrid?

            - Com um amigo, mama...

            - Seu irmão estava precisando de você e você estava saindo de madrugada com garotos? Eu não coloquei filha no mundo para essas coisas!

            - Mas, mama! Eu não saí de madrugada e Yoongi estava perfeitamente bem! Por favor me diga o que aconteceu com ele! – Estava praticamente implorando, seu olhar severo se suavizou e ela indicou que eu me sentasse ao seu lado, eu a obedeci.

            - Seu irmão nunca teve uma saúde de ferro, Astrid, sabe disso. Ele acabou de operar o apêndice, foi uma cirurgia delicada e Yoongi deu trabalho.

            - Ele vai ficar bem, não é, mama?

            - Claro que vai, Astrid. Os Fontanatta são fortes, nós sempre nos reerguemos, não é, querida? – Minha mãe nunca me chama de querida, nunca mesmo, somente quando está triste ou quando precisa ser doce, me pergunto qual seria sua emoção agora, talvez ambas. Ela passou a mão por meus cabelos e segurou uma das mãos de Yoongi.

            - Eu senti tanta falta das minhas crianças... Como estão as coisas na escola?

            Pensei se deveria contar a ela sobre as mensagens, ela ficaria surtada e definitivamente não precisa disso agora. Escolhi contar sobre coisas boas, como o time de futebol, o aniversário de Jimin, meus passeios com Yuri, o emprego com Namjoon e Suga.

            - Como está Jin? Aquele garoto é um doce, senti falta dele também.

            - Ele me traiu, mama. Terminei com ele, agora está com outra menina.

            - Querida, sinto muito... Não esperava que ele fizesse isso.

            - Ninguém esperava, mama, mas já passou, acho que estou bem agora. Mas ainda dói muito vê-lo, me faz lembrar do que aconteceu e fico um pouco triste, ainda bem que tenho amigos tão incríveis ao meu lado.

            - Aquele jovem que estava com você é um deles? Ele é bem bonito, Astrid.

            - Taehyung? Ah, ele é legal – lembrei de uma vez em que ele ficou fazendo caretas na aula de biologia e eu ri como uma hiena, tive que conter o riso para não rir novamente. Lembrei de nossos momentos mais recentes e desejei voltar àquela campina, deitar ao seu lado na grama sob as estrelas.

            - O que está me escondendo, Astrid? A mama sabe de tudo. O que eu não vejo, Jimin e Yuri contam para mim, não esqueça disso.

            - Aish, aqueles dedos duros...

            - Vou dormir com Yoongi esta noite, volte para casa com Yuri, vocês devem estar cansadas. Acho que Yoongi será liberado amanhã à noite, então trate de preparar sua casa para recebe-lo.

            - Certo, mama.

            Encontrei Yuri dormindo no ombro de Namjoon quando voltei para a recepção, ele a acordou com um beijo na testa e passando os dedos suavemente em seu rosto. Yuri voltou a dormir no meu ombro quando entramos no carro de Namjoon, e ele a colocou na cama quando voltamos para nosso apartamento.

            - O que vocês aprontaram para ela estar tão cansada? – Perguntei baixinho com um sorriso, ele riu de uma maneira adorável.

            - Ela tomou algumas taças de vinho a mais do que devia... Se cuidem, okay? Qualquer coisa é só me ligar.

            Tomei um banho quente e desabei em minha cama, sentia que não dormia há dias e pedi à todas as estrelas para que Yoongi se recuperasse logo. Suga chorou a noite toda sentindo sua falta e me arranhou quando eu a peguei no colo, eu a deixei ao meu lado na cama, onde julguei que ela se sentiria mais quente e segura. Imaginei o quão deveria estar sendo ruim para ela, perdeu a mãe, está passando a primeira noite sem o pai e dormindo com alguém que ela deve detestar. A vida não está fácil para ninguém.

            From: Anonymous

            Não pense que foi minha culpa, dessa vez não tive nada a ver com isso.

            From: Anonymous

            Quarto número 29, certo? Talvez eu passe lá mais tarde para fazer uma visita...

           

            Agora sim eu estava completamente surtada. Uma coisa é aquela maníaca me machucar e me perseguir, mas mexer com meu irmão é completamente inadmissível. Ainda assim, parte de mim sentiu pena dessa stalker, mal deve saber que há uma italiana de sangue frio vigiando aquele menino.

            From: Taehyung

            Como Yoongi está? – Tae

            To: Taehyung

            Operou o apêndice, minha mãe disse que ele vai melhorar logo, estou torcendo que sim – As

            From: Taehyung

            Tenho certeza disso, Yoongi é um cara forte. E você, como está? – Tae

            To: Taehyung

            Não consigo dormir por mais que eu esteja exausta. E estou com muito medo, Tae, ela sabe onde é o quarto de Yoongi... – Tae

            From: Taehyung

            Tenho um plano para descobrirmos quem é essa garota, vou pedir para Jimin me ajudar na segunda. Não se preocupe, vamos cuidar de tudo. Agora dorme, okay? – Tae

            To: Taehyung

            Obrigada por hoje, sério, eu adorei – As

            From: Taehyung

            Eu sei que sim, essa era a intenção :P – Tae

           

            O ursinho que Taehyung me deu me observava serenamente, assim como todos os rostos das fotografias do meu quarto. Estava curiosa para saber qual o plano maligno de Taehyung, imaginei hipóteses engraçadas e acabei adormecendo sem que percebesse. Sonhei que estávamos andando de moto pela cidade, estava com um sorriso enorme no rosto e me divertia muito. E de repente, Jungkook estava lá também, me observando com um olhar triste. Mesmo dormindo, podia sentir os olhares das fotos sobre mim, elas pareciam ler meus pensamentos confusos e sentia como se me julgassem.

***

Jimin

            Astrid faltou na aula hoje, sua mãe precisou resolver algumas coisas na cidade e ela ficou tomando conta de Yoongi no hospital. Ela estava ficando surtada por causa da stalker, as mensagens aumentavam e indicavam cada vez mais o quando a maníaca sabia tudo sobre qualquer coisa, era sinistro.

            Isso estava me deixando perturbado também, ficava mais relaxado ao dividir isso com Taehyung, que também estava igualmente assustado. Discutíamos teorias e tentávamos descobrir quem seria a stalker e o que ela faria a seguir. Não entendo porque Taehyung está me evitando hoje, ele apenas andava com o rosto abaixado e fingia que não me via ou ouvia chamar seu nome.

            To: Taehyung

            Por que você tá me evitando? – Jimin

            From: Taehyung

            Não tô te evitando, é impressão sua – Tae

            From: Taehyung

            Eu tô te vendo atrás desse pilar, idiota. Por que está se escondendo de mim? – Jimin

           

            Ele saiu de trás do pilar e andou em passos rápidos sem olhar para trás. Perdi a paciência e o segui. Segurei seu braço e o forcei a olhar para mim. Ele estava de boné e óculos escuro, muito estranho.

            - Mas que droga é essa, Taehyung? – Perguntei irritado, segurei seu braço com força para que ele não saísse dali e ele desviou o rosto. – O que você pensa que está fazendo?

            - Aish, Jimin, me solta! – Eu soltei seu braço e tentei olhar em seu rosto, o qual ele fazia esforço para esconder. De repente, tirei rapidamente o boné e os óculos de seu rosto. – Jimin!

            - Quem foi que te bateu? – Seu olho esquerdo estava roxo e inchado, ele parecia fecha-lo com dificuldade. Na testa, sobre a sobrancelha direita, havia um inchaço e uma cicatriz de um machucado recente. Ele estava um caco e não olhava para meu rosto, era de dar dó. – Diga logo quem fez isso com você, Taehyung!

            - Não foi nada, hyung... – ele tomou os óculos e o boné e os colocou novamente. – Eu... não quero falar disso.

            - Eu sou seu amigo, Taehyung, coloca isso na sua cabeça. Se alguém bate em você, eu quero saber, olha o que fizeram contigo! Eu vou te ajudar e não vou contar para ninguém, confia em mim! – Algo em seu olhar mudou e ele pareceu pensar em minhas palavras, abaixou a cabeça e respirou fundo.

            - Foi meu padrasto.

            - Por que ele fez isso?

            - Dessa vez foi porque peguei sua moto emprestada para passear com Astrid. Eu tomei todo cuidado do mundo para que ele não descobrisse, sério, não sei como ele soube...

            - O quer dizer com ‘dessa vez’? Ele já fez isso antes?

            - Ele sempre faz, desde quando eu era pequeno. Ele está sempre bêbado e vive graças à herança de minha mãe. Prefiro que ele bata em mim do que machuque minha irmã.

            - Você nunca contou para ninguém?

            - E eu ia contar para quem? Não tenho mais ninguém e não posso me livrar do meu padrasto. Não tenho escolha, hyung.

            - Você precisa contar para a polícia ou alguém do tipo, ele pode ser preso e nunca mais vai poder machucar você ou sua irmã...

            - Ano que vem, depois que eu me formar, caio fora daquela casa e estarei livre. Vou aguentar até lá, eu também sou forte, hyung.

            - Eu acredito em você, Taehyung, mas isso é perigoso... E se ele te machucar de verdade e algo mais sério acontecer?

            - Isso não vai acontecer, hyung. Eu sei me cuidar – disse com um sorriso de lado, sorriso esse que parecia guardar tamanha tristeza que eu era incapaz de imaginar. – Prometa que não vai contar para Astrid.

            - Como?

            - Ela não vai me deixar em paz se souber disso, não preciso preocupa-la com meus problemas.

            - Ela também é sua amiga, Tae, não é justo com ela...

            - Se ela perguntar, eu vou negar, vou dizer que me meti em alguma briga qualquer e levei a pior. Não conte para ela, certo?

            - Ce-certo...

            Fui para a aula de física e ele para a de história. Não conseguia parar de pensar no que ele havia me dito. Desde criança, protegendo a irmã e a mãe, era agredido pelo padrasto, aquele que devia ama-lo e cuidar dele como um filho, para que elas não se machucassem. O que mais aquele homem era capaz de fazer? Não era só Astrid que não estava segura, Taehyung também não estava.

            O que me fez pensar um pouco mais a fundo. Taehyung é um garoto cuidadoso, se ele tem medo do padrasto, tomaria todo o cuidado para não ser descoberto, e se foi, não foi por meios naturais. Alguém deve ter ajudado. Talvez a tal stalker louca. Quando soou o sinal do intervalo e fomos liberados, lanchei com Taehyung e expliquei a ele o que achava da situação.

            - Acho que seu padrasto descobriu através da stalker, não sei como ela pode ter feito isso, mas para mim é o que faz mais sentido.

            - E o por que ela faria isso?

            - Lembra quando ela falou para a Astrid ficar longe do namorado dela? Talvez ela esteja se referindo a você.

            - Não, hyung, não faz o menor sentido. Eu não namoro, não consigo nem pensar em quem poderia fazer isso... – seu rosto pareceu pensativo, talvez estivesse tentando se lembrar de algo, e quando não encontrou nada, surgiu com outro argumento. – Mas pode ser você o tal namorado.

            - Eu? Como assim?

            - Pensa, vocês são melhores amigos, alguém deve gostar de você e acha que você gosta da Astrid, aí pode estar tentando tirar a Astrid da jogada...

            - Você está insinuando que é a Helena? – Fiquei irritado e acabei falando mais alto, o que fez ele se encolher um pouco.

            - Só estou dizendo que acho que estranho ela ter chegado do nada, no seu aniversário, quando a stalker também está no parque, e de repente ela está andando conosco e a Astrid sai machucada...

            - Helena jamais seria capaz disso, Taehyung – eu o fuzilava com o olhar. Como ele poderia desconfiar de Helena? Ela é tão doce e alegre, eu a conheço, jamais seria capaz de fazer isso. – Sei que você está preocupado com Astrid, eu também estou, mas acusar Helena...

            - Não estou acusando, estou levantando hipóteses, é diferente... E a namorada do Yoongi?

            - Ela sim é estranha, e ela saberia que Astrid foi sair com você e o quarto onde ele está... – seus olhos brilharam de repente e ele sorriu de um jeito malandro, sabia que ideia boa não vinha... – Aish, Taehyung, o que foi dessa vez?

            - Tenho um plano, mas vamos precisar de algumas coisas para executa-lo...

***

            Tínhamos três principais suspeitos, teríamos atitudes diferentes com cada um deles.

            Kim: Taehyung iria observa-la nos próximos dias, caso ela seguisse Astrid, nós saberíamos.

            Ambre: iríamos colocar tinta para cabelo na cor verde em seu shampoo. O objetivo era assusta-la, assim ela pararia de mexer com Astrid.

            Helena (contra minha vontade): eu teria que ver em seu celular se ela mandou mensagens para Astrid.

            E também tínhamos três cartas na manga:

            1 – Mandar uma mensagem para o número anônimo.

            2 – Ligar para o número anônimo

            3 – Hackear para encontrar a tal stalker.

            Parecia loucura, e talvez fosse loucura de fato. Onde havia me metido nessa história toda? Astrid deixou seu telefone comigo no dia seguinte, mandamos uma mensagem e o número rapidamente respondeu.

            To: Anonymous

            Você está aí?

            From: Anonymous

            Estou.

            - Ela respondeu, Taehyung! O que eu faço?

            - Liga para ela!

            Disquei o número e esperei por um tempo até cair na caixa postal, recebi outra mensagem logo em seguida.

            From: Anonymous

            Isso não significa que vou conversar com você, Park Jimin.

 

            - Okay – disse -, isso foi estranho, mas bom, significa que ela estuda aqui.

            Seguimos para o vestiário feminino, momento que eu quero esquecer definitivamente de minha vida. Taehyung tem umas ideias muito esquisitas mesmo, ele é 10% gênio e 90% maluco. Tive que colocar uma roupa bizarra de faxineira e ele estava parecendo um estrupício vestido de garota. E não, não havia outras garotas no vestiário. Colocamos a tinta misturada em seu shampoo seguindo os procedimentos necessários, poderíamos ser expulsos por conta disso.

            Seguimos para a última etapa, deixei o celular com um primo, ele disse que até o final do dia estaria pronto. Taehyung ficou na escola para ver o que aconteceria com Ambre, eu fui encontrar Helena, íamos tomar sorvete no parque.

            Ela já estava me esperando, havia chegado atrasado e ela parecia não se importar. Helena tem o sorriso mais bonito que já vi, só ele é capaz de me colocar nas nuvens e esquecer até meu nome, me sentia bobo perto dela. Estava apaixonado e temia o pior. Tinha medo de meu coração acabar despedaçado como o de Taehyung e Astrid. Nós sempre pensamos o melhor das pessoas, quebrar a cara algumas vezes faz parte. E não acreditava que mesmo eu estava desconfiando da garota que gosto, me senti uma pessoa horrível quando executei o plano bizarro de Taehyung.

            - Lena, posso mandar uma mensagem para minha mãe pelo seu celular? Esqueci o meu em casa...

            - Claro! – Seu sorriso me despedaçou, ela sequer sabia minhas intenções. – Pode mandar.

            Busquei os contatos e tentei não esboçar reação quando encontrei ali o nome de Astrid. E pior, havia uma chamada perdida. Meu coração se apertou e as palavras de Taehyung ecoaram em minha cabeça. Devolvi seu celular e tentei agir normalmente pelos minutos que se seguiram, se meu primo hacker disser que o número anônimo é de Helena será demais para mim, não sei se vou suportar.

            Voltei para a escola e contei para Taehyung o que aconteceu, ele estranhou.

            - Ambre também foi muito suspeita. Ela começou a gritar e fazer o maior chilique, saiu do vestiário e gritou com todos que passavam, culpou até a mim que estava jogando basquete inocentemente. Depois gritou “Astrid, você vai se arrepender disso, vou fazer você pagar! E verde é minha cor favorita!”. Acho que ela realmente acredita que foi As... Será que fizemos mal?

            - Não sei... Em todo caso, acabei de receber uma mensagem dizendo que já sabe de quem é o celular da stalker.

            Taehyung sugeriu que chamássemos Astrid para ir conosco até a casa de meu primo, afinal, é o celular dela. Pedi para ela nos encontrar no colégio e de lá fomos para a casa de meu primo, que não era tão longe dali. Astrid ficou furiosa com o que fizemos para Ambre, minha consciência pesou um pouco, a de Taehyung aparentemente não.

            - O que conseguiu, Jon? – Meu primo estava entretido com o celular, ele tentou nos explicar como conseguiu descobrir e não entendemos nada.

            - Esse aqui é o número da pessoa que manda as mensagens. Foi difícil acessar, estava protegido por dezenas de códigos, a pessoa definitivamente não queria ser encontrada. Espero que não tenha problemas com isso, Chim.           

            Jon entregou o celular em minha mão, li o número do dono das mensagens e senti um calafrio percorrer meu corpo inteiro. Fiquei sem reação.

            - Jimin! Fala alguma coisa! – Pediu Astrid chacoalhando meu braço.

            - É de alguém que conhecemos? – Perguntou Taehyung.

            - As... – Comecei, as palavras me falharam e senti minha boca ficar seca, não conseguia acreditar no que estava vendo. – Esse é o número de Hoseok.


Notas Finais


Tentei não deixar tão grande como o outro, mas olha, te contar, deu certo não. Mas tô feliz com o resultado, espero que vocês também estejam! Obrigada por estarem me ajudando com a divulgação, tem me ajudado de uma maneira imensa! Agradeço também aos comentários, sério pessu, adoro saber o que vocês andam achando, fico muito feliz de ver tanta gente gostando mesmo da história! Vocês são demais <3 ~até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...