História Estrelas - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Destino, Imagine Taehyung, Imagine V, Jimin, Jungkook, Romance, Taehyung
Exibições 176
Palavras 2.043
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessu! Did you miss me? ~quem aí pegou a referência marota à série Sherlock? ><

Capítulo 20 - A garota ruiva


            Tentava ao máximo focar minha mente em outras coisas nos dias que se seguiram, me sentia cada vez mais preocupada com a situação ao meu redor e duvidava de tudo, era difícil confiar nas pessoas depois de sofrer tantas decepções e reviravoltas. Hoseok sequer passou perto de nós novamente, ele parecia triste e envergonhado, não sabia o motivo ao certo, podia ser por seus atos ou porque agora sabemos um de seus segredos, ou ambos talvez.

            - No que está pensando, Astrid? – A voz macia de Jungkook me trouxe de volta à realidade. O carteiro do prédio deixou as correspondências de sua casa na minha, vim aqui para devolver e ele perguntou se eu gostaria de entrar. Aceitei sem ter muita certeza da razão, queria esquecer do mundo ao meu redor e o sorriso do garoto era certamente capaz disso.

            - Nada importante... Bem, o que vamos fazer?

            - Hyna foi dormir na casa de uma amiga, minha mãe está trabalhando no hospital e seu turno demorará hoje, sabe o que isso significa?

            - Não... – respondi sorrindo, ele pegou o telefone e colocou um papel em meu colo.

            - Que vamos pedir pizza! Desculpa, não sei cozinhar, pode escolher qual você quiser!

            Fizemos o pedido e aguardamos enquanto jogávamos videogame em seu quarto, que por sinal é extremamente mais organizado que o meu. De uma maneira estranha, me sentia confortável e tremendamente à vontade naquele quarto decorado por quadrinhos e filmes antigos, sentia como se o conhecesse há tempos.

            - Então você toca violão? – Perguntei sem desviar os olhos do jogo, estava prestes a ser devorada por um zumbi.

            - Sim, ele foi o último presente que meu pai me deu. Ele disse que se eu me esforçasse, conseguiria me tornar um grande cantor um dia, e seu violão iria me ajudar.

            - Eu adoraria ouvir você cantando um dia, deve ser incrível!

            - Não é lá essas coisas, mas deixa Hyna feliz – respondeu com um sorriso tímido, apoiei a cabeça em uma almofada que estava sobre sua cama e o observei jogar, ele estava perdendo e eu já havia morrido, não havia como ajuda-lo. Quando perdeu de fato, sua reação foi engraçada, ele jogou uma almofada e ela acabou me acertando, fazendo com que eu a jogasse de volta nele.

            Jantamos sem pressa e comemos torta depois, Jungkook, assim como Jin e Yuri, está no último ano do colegial, sua escola não é tão longe da minha e as duas tem uma rixa grande nos campeonatos. Colocamos a louça na máquina e guardamos alguns pedaços para Hyna, que adora pizza de frango. Estava frio e sonolenta, sentei ao seu lado no sofá e começamos a assistir um filme de suspense.

            - Gosto de ficar perto de você, As. Eu me sinto feliz – levantei levemente a cabeça de seu ombro e observei seu rosto com um sorriso tímido.

            - Também gosto de ficar com você, Kookie. Aliás, por que parecia tão triste no aniversário do Jimin?

            - Ah eu... não sei, queria ter ido com você na roda-gigante em vez de Taehyung... – ele desviou o olhar, fiquei confusa por um momento, lembrando da situação.

            - Desculpa, não havia percebido que você queria ir comigo...

            - Mas você está aqui agora, certo? Quero aproveitar o tempo que estamos juntos – seu braço me puxou para mais perto de si e eu ri baixo, voltei a apoiar a cabeça em se ombro. Não estava prestando atenção no filme, desconfiava que ele sabia disso e que também não estava vendo o filme direito. – Além disso, você me deve uma dança, lembra?

            - Lembro sim, não poderia esquecer – Jungkook é um excelente dançarino, dançar com ele aquele dia é certamente uma de minhas melhores memórias, uma que infelizmente não registrei e pendurei na parede, mas a sensação que aquela dança me proporcionou seria incapaz de ser registrada por qualquer câmera fotográfica.

            Acho que em algum momento, adormeci em seu ombro, quando abri os olhos lentamente sem mexer um músculo, sua cabeça estava apoiada sobre a minha e uma manta nos cobria. Com o canto dos olhos, vi que a luz da cozinha estava acesa, a senhora Jeon provavelmente havia retornado. Não quis me mexer, me sentia encaixada e completamente bem ali, seu aroma adocicado e seus cabelos macios me embalaram e acabei adormecendo novamente. Acordei tempos depois com fortes batidas na porta.

            - Aish, mas quem poderia ser? – Jungkook se levantou devagar para que eu não me assustasse, seus cabelos estavam desarrumados e o rosto um pouco amassado, mas isso de forma alguma tirava sua beleza encantadora. Caminhou lentamente até a porta e a abriu cansado. – Oi, em que posso...

            - ASTRID! – O grito de minha mãe foi capaz de tirar toda a sonolência de uma vez só de meu corpo, levantei em um salto e ela entrou no apartamento de Kook com um semblante furioso. – Você enlouqueceu? Saiu de casa durante a tarde, não avisou aonde iria e agora eu te encontro aqui dormindo com um menino que eu nem conheço!

            - Não é isso que você está pensando, mama...

            - Não quero saber! Sabe que horas são? Já passa das duas da manhã! – Antonella Fontanatta me puxou pela orelha até eu estar fora do apartamento e olhou para Jungkook com um olhar mortal. – E você não vai pensando que se livrou de mim tão cedo, garoto.

            Estava morrendo de vergonha, de volta em minha casa, Yoongi dormia no sofá com Suga em seu colo, minha mãe já havia arrumado sua cama no chão e me olhava com um olhar maligno, me senti pequena e quis chamar Yuri para me proteger.

            - Sorte a sua que só ficarei aqui até o próximo final de semana.

            Engoli em seco e tomei banho, me arrumei para dormir e me envolvi em meus edredons. Conferi as mensagens do celular e enviei uma para Jungkook.

            From: Anonymous

            Você não sabe mesmo o que quer da vida, não é?

            From: Anonymous

            Escolha de uma vez qual dos três você quer antes que eu escolha por você, não se pode ter tudo, Astrid.

 

            To: Jungkook

            Desculpe pelo comportamento de minha mãe, ela é um pouco doida às vezes, adorei passar esse tempo com você, como sempre, foi maravilhoso! – As

***

            O dia que eu mais aguardava finalmente chegou. O universo parecia ter contribuído para esse momento, estava um dia limpo e sem uma nuvem sequer no céu, o dia prometia ser incrível. Coloquei meu uniforme, um shorts branco e uma regata azul clara, prendi meu cabelo em um rabo de cavalo alto e coloquei minhas chuteiras da sorte.

            A arquibancada estava lotada, mal havia entrado no campo e já sentia toda aquela energia positiva que a torcida passava. Meus olhos procuravam rostos conhecidos, sabia que eles estavam lá mesmo que agora eu não os visse. O time adversário entrou em quadra e apertamos nossas mãos. Ao som do apito, começamos o jogo, a emoção era indescritível, corria a toda velocidade sempre a postos para fazer os passes necessários e ataques sem brecha para defesa.

            Está me vendo, pai? Está orgulhoso de mim?

            Uma das garotas do time adversário, uma ruiva, era extremamente bruta, cometeu diversas faltas, a maioria contra mim. O que às vezes foi bom, pude marcar alguns pênaltis por conta disso. Quando em um momento ela colocou o pé para que eu caísse, eu a empurrei com força.

            - Qual é o seu problema, garota? – Perguntei com raiva, os técnicos dos times entraram em quadra e as meninas pararam o jogo.

            - Foi um acidente, Astrid, relaxe – seu sorriso é completamente cínico e eu caminhei em passos longos e rápidos para me aproximar dela, estava perdendo a cabeça e podia ser expulsa do jogo.

            - Você não brinca comigo, garota, fica na sua e joga direito. Se tá com algum problema comigo resolvemos fora da quadra – ela sorriu novamente e eu revirei os olhos, o técnico me puxou pelo braço e o dela fez o mesmo.

            - Enlouqueceu, Astrid? – Perguntou furioso. – Você é uma de nossas melhores jogadoras, se receber mais cartões terá que sair!

            - Desculpa, senhor. Não farei novamente.

            Curvei a cabeça e voltei para o jogo, não entendi muito bem de onde veio essa explosão repentina, mas de alguma forma não senti que foi uma reação errada ou exagerada. Marquei três gols no total e nosso time ganhou por uma pequena margem, ainda assim, estava feliz.

            Sai da quadra completamente exausta, queria demonstrar melhor minha felicidade, mas sentia meu rosto fechado e emburrado. Minha mãe, Yoongi, Yuri, Namjoon, Jimin, Helena, Taehyung e Jungkook vieram em minha direção e eu os recebi com o melhor sorriso que podia dar.

            - Não sabia que jogava tão bem assim, Astrid – disse minha mãe em tom de deboche com um sorriso.

            - Quem mandou me subestimar, mama!

            - Astrid detona! – Yoongi começou a me pegar no colo e minha mãe bateu em seu braço com força, disse que eu sou pesada demais e eu mostrei a língua para ela, Yoongi bagunçou meus cabelos com um sorriso. – Estou muito orgulhoso, maninha!

            Yuri, Helena e Namjoon me abraçaram e Jimin virou uma garrafa de água sobre mim. Taehyung me abraçou de repente, como eu havia feito com ele, mas me levantando ligeiramente, ri de seu jeito desajeitado quando ele quase me derrubou e me enterrei em seu abraço com um sorriso enorme.

            - Parabéns pelo jogo, foi demais! – Disse ele com um sorriso quadrado.

            - Sou ou não sou uma excelente jogadora?

            - É mais ou menos tipo bem mediana mesmo, dessas que tem sorte ou algo do tipo – dei um tapa em seu braço e ele riu, seus braços me soltaram e olhei em seus olhos iluminados. – Só ganhou por causa da minha torcida.

            - Ah, então quer dizer que você torceu pela As? – Jimin puxou Taehyung com o braço e bagunçou seu cabelo, aqueles dois pareciam amigos de infância quando juntos, era muito engraçado.   

            - Eu torci para todas do time da mesma forma, até para o time adversário eu torci porque eu sou muito legal!

            - Para a As era diferente que a gente viu – Yuri disse animada em volta dos braços de Namjoon, ele então afinou a voz e imitou Taehyung.

            - “Vai, Astrid! Faz logo o gol! Você consegue! Isso! Aê! Oh, Astrid! Astrid!”

            - Ah, cala essa boca, eu nem falo desse jeito! – Todos estávamos rindo muito, inclusive Antonella Fontanatta, o que era um milagre. Com o canto dos olhos, vi um Jungkook um pouco para baixo e me aproximei dele, que colocou o braço ao redor do meu ombro.

            - O que foi dessa vez, Kook?

            - Nada! Estou feliz que tenham ganhado, de verdade! Parabéns! – Jungkook deu um rápido beijo em minha bochecha que foi capaz de me deixar ligeiramente corada no mesmo instante.

            - Como vamos comemorar essa grande vitória? – Perguntou Helena, ela estava de braços dados com Jimin e era lindo vê-los juntos assim.

            - Todo mundo no nosso apartamento! Vamos comemorar também porque a mama está indo embora! Finalmente estaremos livres novamente! – Yoongi disse alto e minha mãe lhe deu um tapa forte na cabeça. “Nosso apartamento”, menino folgado esse hein.

            Estava me sentindo verdadeiramente feliz naquele momento, ainda que descabelada e completamente suada. Minha família, minha brilhante constelação toda ali reunida. Recebi elogios do técnico e consegui ir muito bem no jogo, me sentia orgulhosa e sabia que meu também estava. Aquela sensação maravilhosa que estava sentindo se dissipou um pouco quando meu celular vibrou, indicando uma nova mensagem.

            From: Anonymous

            E não é que você joga bem? Foi delicioso te ver irritada, devia fazer isso mais vezes.

            From: Anonymous

            Ah, é. Eu já faço, mas é porque eu te adoro <3

           

            Meus olhos instantaneamente percorreram todos os rostos ao meu redor. Quase derrubei o celular quando vi de relance um rosto me encarando, se destacando em meio a todos os outros. A garota ruiva com sardas no nariz. Parei de andar e quase tropecei em meu próprio pé com a cena seguinte, a qual assisti como em câmera lenta. Seu braço se levantando ligeiramente, movendo os dedos no celular como se mandasse uma mensagem. O outro braço levantando-se mais alto e acenando para mim. O mesmo sorriso cínico estampado nos lábios. 


Notas Finais


Demorei para postar, eu sei, gommen. Esse foi um cap mais de boinha, como eu havia dito antes, para recuperar os tiros anteriores e preparar para os próximos que virão. Fiquei muito feliz com os comentários do capítulo anterior, vocês são incríveis, pessoas, tô orgulhosa das teorias de vocês, adoro lê-las! <3 Terei eu revelado a identidade da stalker? ~deixo o questionamento Até o próximo cap!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...