História Estrelas De Um Universo Paralelo - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 2
Palavras 835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capitulo 1, sem mais nem menos...


--biip--biip--biip--
       —A cara tá de brincadeira!—Ariel diz com uma voz rouca, e depois como um ato de preguiça cobre o rosto com o travesseiro.—Droga não deu nem para eu dormir direito! Merda!
 Depois de arrumada ela veste às pressas uma blusa social branca de manga comprida e uma calça jeans com um salto alto preto discreto e depois de lavar o rosto e fazer um coque no cabelo Ariel sai para o trabalho correndo com medo de perder o ônibus das 5:30h para só depois pegar o metrô e chegar ao trabalho.
Ela trabalha em uma empresa de desenvolvimento de jogos, seu sonho sempre foi ser policial mas devido à morte de seus pais por culpa de um deles ela desistiu desse sonho e usou seus conhecimentos hackers a favor de uma empresa bem paga que não era envolvida com casos de morte e seriais killers. 
         —Finalmente cheguei espero que não esteja...ATRASADA!—Ariel corre desesperada em direção ao elevador da empresa e consegue alcançá-lo mas se dá de cara com seu ex-namorado que também trabalhava em sua empresa, somente em um setor diferente.
—Caramba, você realmente é fria como dizem, geralmente uma garota não reagiria tão calma assim ao pegar o mesmo elevando com seu ex.—Julian, 26 anos o típico playboy brincalhão que pega todas e diz as más línguas que "todos" também.
         —Eu não sou de guardar sentimentos você sabe muito bem disso, e que pra mim agora você é só mais um colega de trabalho-- —Julian prende Ariel contra a parede do elevado com uma mão de cada lado do seu ombro.
        —Não me chame de "apenas colega de trabalho", porque querendo ou não nos já tivemos uma história juntos...E eu ainda gosto de você então-- —Ele para de falar depois que Ariel tira sua mão que a prendia e sai do elevador e antes do mesmo fechar as portas ela se vira e diz:—Se você gosta de mim o problema é seu porque eu não gosto de você.
—Um dia eu ainda vou esquentar esse seu coração de gelo Ariel, espere e verá...
 ....
—Desculpe Sr. Lee eu virei a noite trabalhando na finalização do jogo e acabei dormindo de mais hoje.—Ela diz olhando para seu chefe que estava com uma cara zangada sentado em sua cadeira giratória de couro.
—Você não precisa se desculpar Ariel porque eu já não tenho nada a ver com isso. ESTÁ DEMITIDA!—Depois dessas duas palavras Ariel franze a sobrancelha e joga os papéis que havia trabalhado a noite toda para cima. 
          —Foda-se cara de pinto!— A garota fala e sai soltando o seu cabelo do coque deixando seus cabelos castanhos bagunçados espalhados pelas suas costas enfeitando-as, enquanto caminhava em direção à sua mesa e pegava seus poucos pertences e saia daquela sala e empresa. 
Depois de muito tempo andando sem rumo ela para em um parque da região e se deita na grama úmida.
        —Céu... A quanto tempo eu não olhava para ele. Porque será que eu não olhava para ele? A, é mesmo, eu não tinha tempo...—Ela olhava para o céu azul quando em meio às nuvens surge uma bola de fogo indo em direção. —O que diabos é isso? Espera isso tá vindo... Pra cá! —E em um estrondo a bola de fogo cai no chão quase acertando a garota que tinha se jogado para o lado para não ser atingida. —Você tem asas...! "Como assim asas? Asas!? Você tem asas caralho! PORRA!" Ela pensa.
            —Se você parasse de falar um palavrão a cada 5 segundos eu agradeceria sabe.—O garoto se levanta do buraco que a "chegada" dele havia feito e passa as mãos pela calça tirando a sujeira.
       —Mas eu não falei nada pô.
       —Não falou mas pensou!
       "Caralho, não pode ser porra, ele não pode ter asas e muito menos saber o que eu penso!"
O garoto fez uma careta e disse:—Eu já disse para parar com esse negócio de palavrões, e sim eu consigo escutar seus pensamentos. 
       —Ok, eu acho que passei por um estresse muito grande hoje e ainda tem o fato que eu não dormi ontem, e isso é motivo suficiente para eu tar delirando.
       — Não te culpo em não acreditar em mim, já que todo ser humano é desconfiado. Bom vou dar um resumo simples quando chegarmos em casa.—Ele escuta um pensamento de Ariel " Puta Merda!Esse cara é doido mesmo só pode porra! E o que ele quis dizer com casa?!"
—Não eu não sou doido e eu já pedi para você parar com os palavrões! Já vi que não tem outro jeito.—Ele olha para um lado e para outro e verifica se não tem ninguém, depois ele pega Ariel no colo e começa a voar em direção à casa dela.
Após "pousarem" na varanda, ela diz:—Ok você é um anjo, o que mais preciso saber?—Ela fala em um tom meio surpreso e ainda sem acreditar.
"Bom pelo menos é um começo."o garoto pensa.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...