História Estrelas do Céu de Abraão - Capítulo 19


Escrita por: ~

Exibições 29
Palavras 1.957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Saga
Avisos: Insinuação de sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas da Autora


Oiii gente, obrigada pelos novos favoritos 😍 Mais um capítulo para vocês!

Capítulo 19 - Capítulo XIX



Sempre que Jéssica ia até a casa de Calebe e Noemi, ela renovava a esperança dos pais de Iru de terem mais um neto, além de Hatate.

— Vocês tem alguma coisa para dizer para gente?  — perguntou Noemi,  como sempre fazia.

Jéssica entristecida, respondeu:

— Ainda não, mas tenho fé minha sogra, ainda teremos nosso filho.

— É isso mesmo, nunca perca sua fé. Lembre-se sempre de Sara. — Noemi disse a Jéssica.

Gostava de nora, e entendia o drama e o sofrimento que ela passava. Por isso,  preferia apoiá-la ao invés de criticar.

— Se Jéssica vai ter um filho ou não, eu não sei,  mas eu terei de qualquer jeito, posso ter outra esposa. — pronunciou-se Iru.

— Não fale assim, meu filho. — pediu Calebe. — Jéssica quer esse filho, tanto quanto você.  Vocês dois ainda são jovens. Ainda não está na hora de pensar em ter outra esposa, não.

— Mais o Otniel pode se casar de novo, não é? — perguntou Iru, frustrado. — Daqui a pouco terá até outros filhos.

— O Otniel casar!? — Calebe riu. — De onde você tirou uma coisa dessas? 

— O senhor ainda não sabe, meu pai? Não sabe que Otniel assumiu comprimisso com uma canenéia? — questionou ele, como quem não queria nada.

Calebe ficou perplexo. Sem saber o que dizer.

Foi então que Noemi se pronunciou:

— Isso é mesmo verdade? — perguntou ela.

— Claro que é.  Ele assumiu os compromisso dando um anel para ela. Se for falar com o meu tio Quenaz, ele irá confirmar tudo.

— Mas é uma boa moça. Ela vive entre a gente desde criança. E praticamente filha de Quenaz, é a Esther. — interveio Jéssica, explicando.

— Mas mesmo assim, eu acho um desrepeito com a memória da irmã. —  continuou Iru. — Se ainda fosse uma hebreia, agora uma cananéia... 

                           ***

Estavam voltando para casa, Jéssica ia na frente decepcionada como o marido.

— O que aconteceu, Jéssica?  questionou Iru. — Porque você está agindo assim?

Ela parou de andar e virou-se para o marido.

—  Você não tinha nada que falar para Calebe, que Otniel e Esther, estão juntos. — repreendeu Jéssica ao marido.

— E por quê não?  — Iru se fez de desentendido. — Eu posso saber? Por acaso é mentira?

— Acontece que Calebe não esperava, Otniel iria contar para ele, da maneira correta.   — ela suspirou balançando a cabeça. — Eu não devia ter falado nada para você. Rebeca me contou e eu iludida achando que você iria ficar feliz pelo seu primo, fez foi intriga entre ele e seu pai.

— Meu pai tem que saber que Otniel não é tudo isso que ele pensa. — disse Iru. — Porque eu não o decepcionei dessa forma.

— Ou será que isso tudo é frustação? Porque você não ficou com sua amada princesa canenéia? E Otniel se casará com Esther, que foi uma princesa canenéia?

— Se for também? Estou cansado de Otniel ter tudo o que quer, tantos privilégios. E sem cobranças Jéssica, porque você tambem não é capaz de monte de coisas. Como por exemplo, me dar um filho.

Jessica desistiu de tentar. Iru não tinha jeito. Cada dia mais petulante e a humilhando mais.

Seguiu caminhando na frente, e encontrou Rebeca vindo em sua direção.

— Rebeca,  onde você estava?

— Eu!?  Eu estava... Com as meninas.  É isso. — respondeu, nervosa.

Jessica a olhou com desconfiança.

— Que meninas? E porque está nervosa desse jeito? Você não está fazendo nada de errado não, está? — indagou Jéssica a prima. — Olha, eu já tenho problemas demais em minha vida e...

Rebeca a interrompeu, respondendo:

— Estava com Nira, Lila e Esther. E eu não estou nervosa,  prima. Nem fiz nada de errado.  Já a senhora parece decepcionada.

Jéssica ficou cabisbaixa.

— Como sempre o Iru. Me humilhando,  eu estou cansada disso.  Cansada! 

— Talvez  a senhora deveria aceitar que ele tenha uma segunda esposa. Assim ele a deixaria em paz, não é?

— Isso nunca! — exclamou Jéssica. — Agora,  vamos embora para casa.

Jéssica jamais permitiria que ela fosse a segunda esposa de seu marido. Rebeca tinha certeza, mas não se importava mais. Os planos dela, agora eram outros. Conquistar Otniel.

E ela duvidava que depois do que havia feito, ele ainda iria querer casar com Esther.  

Riu com o pensamento, e seguiu a prima.

                                               
                        ***

— Esse anel era bonito quando eu comprei,  mas agora em você, ficou ainda mais bonito. — disse Otniel.

Em seguida, ele beijou a mão da noiva.

— Mal posso esperar para me casar com você. — Esther falou, sorrindo.

— Eu também não. É muito ruim não de ver todos os dias.

Eles trocaram um beijo lento e apaixonado. Ele a beijou poucas vezes, mas sempre assim que ele a beijava, com  respeito. Esther percebia que Otniel fazia tudo para as coisas não ficarem muito quentes, antes da hora. 

Nunca imaginou que encontraria un homem que a respeitasse tanto assim.

— Vou conversar com Eleazar, amanhã. Sobre a nosso casamento. —  avisou Otniel.

Calebe entrou e os fitou de mãos dadas.

— Shalom, Calebe. — disseram juntos.
— Shalom.   — disse ele.

— É,  eu queria ter uma conversa com você, Otniel. — disse ao sobrinho.

— Bem, eu vou deixar vocês a vontade. — avisou Esther.

Mais uma vez, Esther sentiu o desconforto em Calebe, antes de sair.  Como sempre que a via. Esther não tinha certeza, mas acreditava que o motivo fosse que por algum motivo por causa de seus pais.

— Então, é mesmo verdade. — começou Calebe.

Otniel sorriu.

— O senhor já está sabendo de meu compromisso com Esther, as notícias correm rápido aqui em Judá.

— Pois é.  — começou Calebe, sem saber como iniciaria o assunto.  Como diria o que queria dizer.

— Sente-se, Calebe. — disse Otniel.

— Bom, vou ser direto. — disse o líder. — Otniel, eu dei a minha filha, Acsa, por mulher. E também, aquele campo fertil em Debir, onde você continua vivendo. E agora,você pretende se casar com uma canenéia? Sabe que as pessoas vão comentar... O ideal é  que se case com uma moça de nosso povo, uma hebreia.

— Meu pai se casou com uma canenéia, e deu tão certo. — Otniel citou Adele.

— As coisas não são iguais, as pessoas não são iguais. Adele e Esther podem ser parentes, mas são diferentes.

— Se é por causa das terras, eu a entrego a você. O pouco tempo que vivi com Acsa, naquele lugar, eu fui muito feliz, desde que ela se foi, eu não fui mais feliz. Nem por um dia, me sentia imcompleto. E quando finalmente, uma moça de bom coração consegue despertar de mim, coisas boas, me traz a vontade de voltar a viver, o senhor, meu tio, vem dizer que acha que não e boa opção?

— Não se trata das terras, você guerreou  bravamente por aquela cidade. — reconheceu Calebe. — Tinha direito a parte dela, Acsa, fez apenas que eu reconhecesse isso, me pedindo as fontes de água, de presente. E você cuida tão bem daquelas terras.

— O fato é que eu  me preocupo com Hatate, Esther ainda é muito jovem. Será que ela está pronta para assumir a responsabilidade de criar Hatate?

— Esther ama Hatate, e seu neto também gosta muito dela. E eu a amo. Isso é o suficiente. — Otniel o respondeu. — Tio, Acsa nunca será esquecida. Ela estará sempre em meu coração. A primeira mulher que eu amei. E não a perdemos completamente,  uma parte dela estará sempre presente conosco: Hatate.

Dificilmente Calebe chorava, mas quando falava de sua filha Acsa, era impossível conter as lagrimas.

— Ele se parece tanto com Acsa. — falou ele.

— É, e antes eu via isso como um problema,  mas não mais.  E eu me sinto pronto para recomeçar a minha vida ao lado de Esther.

— Você sabe que um homem importante para Israel.  E muito em breve,  vai assumir um lugar importante,  talvez de líder tribal de Judá,  depois que eu partir.

— Existem muitos homens que podem assumir essa liderança, Salmon e um deles, além do mais, o senhor ainda vai viver muitos anos.

— Que você esteja certo, mas você também está pronto para um líder tribal. Mas quanto a moça...

— Eu gostaria mesmo de saber, onde Esther entra nessa história? — perguntou Otniel, tentando entender.

— No fato de ser canenéia...

— Não acredito, até o senhor?

— Não sou eu, e você sabe disso. Se você se casar com uma canenéia,  pode perder a confiança do nosso povo,  que levou tanto tempo para conquistar. Ainda teremos que lutar contra os caneneus. Expulsar os que ainda vivem nessa terra.

— Não devo me casar, porque as pessoas acham que ela não boa o bastante para mim? Essa escolha não deveria ser minha? Afinal é de minha vida que se trata, do meu futuro. Isso é um absurdo!  Esther vive como hebreia,  não a motivos para julgamentos em minha união com ela.

— Mas você sabe que os murmurradores não perdem a oportunidade.  Sempre foi assim,  desde a época de Moisés. — Calebe o lembrou.

— Eles sempre encontrarão algum motivo, não posso desistir de Esther, por isso.

— Pretende ter filhos com ela? — Calebe perguntou.

A simples pergunta fez Otniel perder o rumo.

— Eu nem pensei sobre isso. — disse ele, abalado.

— Deveria, ela é jovem, e vai acontecer antes do que você espera.  Talvez na primeira noite.

Esse era um ponto que mudava tudo.

Embora Otniel não tivesse respondido nada, tudo o que pensava que nunca poderia dar um filho para Esther, porque só a pequena ideia de perdê-la no parto como havia sido com sua mãe Yarin, e com Acsa, o destruia.

           
                    ***

— Eu nem deveria ter vindo. Jéssica e Iru podem dar por minha falta. — disse Rebeca, olhando para os lados, afim de se certificar que ninguém a seguiu.

Marduk já a esperava em um lugar mais  
afastado das casas. Ele sorriu quando a viu.

— E então? Fez o que combinamos? —
— foi logo perguntando.

Rebeca assentiu.

— Eu fiz, e ninguém me viu entrar na casa de Quenaz, pode ficar tranquilo. Vai dar certo.

— Tem certeza? Sem chances de dar errado? — perguntou, incerto.

— Sem chances, ele não vai acreditar nela. Com o Otniel aquela sonsa da Esther não se casa. — garantiu a hebreia.

Marduk riu.

— Quem dera ela fosse sonsa. É certinha demais. Se fosse sonsa, minha vida seria muito mais fácil.

 — Eu estava disposta a ser segunda esposa de Iru, mas teria que dividi-lo com a Jéssica. — contou ela.— E eu quero um marido só meu, eu mereço. E pensando bem, Otniel é ainda melhor do que Iru,  um guerreiro ainda mais competente.

— Senti firmeza. Você sabe exatamente o que quer. Tão competente que merece até uma recompensa.

— Que recompensa? — quis saber ela.

A resposta de Marduk foi um beijo, do qual Rebeca retribui de bom agrado.

                   ***

— Tia, a senhora viu o Otniel? — Esther perguntou a Adele.

Horas haviam se passado, desde que ela o deixou conversando com o tio.

— Ele não se despediu de você? — indagou a tia.

— Não, porque ele já foi embora?

— Sim.

Esther ficou preocupada.

— Aconteceu alguma coisa? Vocês brigaram? — questionou Adele.

— Não, nunca discutimos. Estava tudo até bem demais. Então ele foi conversar com o tio, e eu os deixei à sós.

Adele ficou pensativa.

— Bem estranho.

— A única coisa que aconteceu foi o Calebe, nos encontramos e ele me olhou com aquele olhar de sempre...
Eu queria entender o porque, acredito que exista algum motivo, e um pouco de pena, eu acho, mas também receio.

— Esther, não fique pensando nisso. E quanto à Otniel deve haver alguma explicação.

— Tem que existir uma explicação, tia. — falou Esther. — Tem que existir.

Esther estava intrigada. Queria entender o porque de Otniel ter ido embora sem se despedir dela.

Notas Finais


Sei que foi um capítulo confuso, mas no próximo as coisas ficarão mais claras, mas a partir de agora, não serão nada fácil para o otp 💔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...