História Etéreo - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 1
Palavras 844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Fantasia, Ficção, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Slash, Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Música tema: The Phoenix - Fall Out Boy

Capítulo 7 - Campo de Batalha


Fanfic / Fanfiction Etéreo - Capítulo 7 - Campo de Batalha

"Assim, podemos tomar o mundo de volta do ataque cardíaco
Um maníaco por vez, vamos pegá-lo de volta
Você sabe que o tempo se arrasta enquanto você espera a canção começar
Então dance sozinho à batida do seu coração

Ei, sangue jovem
Não parece que o nosso tempo está acabando?
Eu vou mudá-lo como um remix
Então ascendê-lo como uma fênix
Você está vestindo a nossa miséria vintage
Não, eu acho que ficava um pouco melhor em mim
Eu vou mudá-lo como um remix
Então irei levantar você como uma fênix

  Coloque sua pintura de guerra  "

 

Acordei com o impacto da minha queda da cama. Isso me fez despertar para uma nova realidade. Estava com sede, então fui até a cozinha beber água. Algo estava diferente: senti a ausência de alguém...

_MÃE! – Gritei enquanto corria até o quarto para ver o que havia acontecido. Não encontrei nada além de uma boneca de vodu com os símbolos "♄ ♋".

 

_Quê brincadeira é essa? Cadê a minha mãe? Eu sei que você está aí!

_Não estou mais, Henry! –Disse uma voz que ecoava em minha mente.

De repente uma sombra se ergue e sai da minha casa em direção à Lupus Square. Eu a persigo até que alguém me puxa para trás.

_Calma Henry!

_O que é isso? Lee? O que faz aqui? Tenho que pegá-lo! Ele raptou minha mãe!

_Eu sei! Mas assim você não é páreo para aquilo. Venha comigo.

Lee me conduziu por um túnel secreto que havia em uma das casas do condomínio onde eu moro. Depois de alguns minutos andando chegamos na minha escola e corremos até a praça da sentinela. Lá estava Jessica.

_Me ajuda, Jessie! Eles levaram minha mãe! –Implorei.

_Mantenha a calma e a razão. Você foi prejudicado, logo você irá pegá-los.

_Como? Lee me trouxe até aqui! Já perdi eles de vista...

_Lição número um: o silêncio tem poder. Pega esse colar e essa capa e vá se encontrar com seus parceiros de trabalho na porta da escola.

Enquanto eu ia para o local, uma moça foi derrubada por dois vultos.

_Stephanie! –Louis gritou enquanto corria em sua direção.

Uma moça morena de cabelos longos e vestido preto a acompanhava e tacou fogo nos dois vultos: era Natasha, mentora de Stephanie.

_Vocês estão bem? –Perguntei para ambos.

_Sim! –Steff.

_Mas agora temos que salvar nossos pais! Vamos! –Louis.

Fomos correndo até um lugar chamado Lost Paradiso que fica no final do quinto boulevard. Chegando lá, começamos uma batalha contra um exército de vultos até que Natasha, Iktos e Jessie se juntam e nos parabenizam.

 

EU ACORDEI

 

_Mãe!

_O que foi Henry? Ai menino, assim você me assusta!

_Desculpa. –Ri envergonhado.

_Qual foi o sonho dessa vez?

_A senhora tinha sido raptada.

_Repreende esse inimigo! –Disse ela, rindo.

Aquele foi simplesmente o sonho mais insano da minha vida! Era tudo muito real, eu sentia os calafrios e todas as outras coisas que se sente em filmes de ação. Preciso contar isso pro Lee.

 

~Na escola~

 

_Oi Mark!

_Oi filho! –Disse ele.

_Você viu o Lee hoje?

_Não. Ele está doente e não pôde vir. Fui ver ele ontem pra levar o presente...

_Presente? Ah não! EU ESQUECI O ANIVERSÁRIO DELE!

_Quando eu crescer quero ser um bom amigo como você!

_Isso é sério! Como pude esquecer o aniversário do meu melhor amigo? –Falei indignado.

_Agora já aconteceu. Mas me diga: o que você ia contar pra ele?

_Eu ia falar sobre o meu sonho. Foi o mais insano da minha vida!

_É? Conta mais...

_Eu estava lutando contra um exército de sombras que tinha raptado minha mãe.

_Sombras? Como eram?

_Eram sombras normais. E tinha aquele símbolo...

_Qual símbolo?

_Uma foice e o número 69 deitado.

_Bom saber que meu filho usa drogas e vai ser um grande diretor de ficção científica. Mas agora eu tenho que ir. Tchau.

_Tá bom. Tchau!

 

~Mark anda meio estranho ultimamente. Ele não é mais aquele cara radiante...~

 

_Ei, estranho! Vem cá!

_Por que você me chama assim?

_Por causa das suas conversas...

_O que tem as minhas conversas?

_São estranhas. E é delas que eu quero falar com você.

_LOUIS!!! –Preciso dizer quem era?

_Nossa! Não foi dessa vez, estranho. Mas você não vai escapar de mim.

 

O resto do dia foi bem usual: aulas chatas, Louis me encarando, Stephanie sendo atirada, Mark agindo estranho, mais aulas chatas e até que enfim, o horário da saída. Fui até a casa do Lee visita-lo pois estava devendo essa, principalmente por ter esquecido o aniversário dele.

_Oi tia! O Lee está?

_Oi meu filho! Ele tá aqui, entre.

_Fala aí, Lee!

_E aí, lerdão? Veio me visitar? Ficou "preocupadinho"? –Sempre zoeiro...

_Fiquei mesmo, e daí?! Além do mais, acabei esquecendo seu aniversário. Mil desculpas.

_Você acha mesmo que eu ligo pra isso, cara? Nem parece que me conhece desde o útero" –Rimos alto.

Passei o resto da tarde com ele e depois fui para casa. Parece que finalmente as coisas estão fluindo na minha vida!

9 de Fevereiro, Henry Bittencourt – DIÁRIO PAGÃO

 


Notas Finais


Capítulos simultâneos: GUARDIÕES (C5), ETÉREOS (C6) e CAMPO DE BATALHA(C7)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...