História Eternal Love - Capítulo 44


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon
Exibições 85
Palavras 1.356
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 44 - Lay me down.


Sammy Wilkinson P.O.V.S:

Madison começou a dançar sensualmente junto a Amanda, e Julia, nós meninos nos entreolhamos e sorrimos, logo em seguida Isabella, Lydia e Emma e juntaram a elas. Os outros meninos que estavam na festa encararam o grupo de garotas, e os meninos se remexeram inquietos no sofá. Matthew se levantou e me chamou.

— Meninas, vamos sentar um pouquinho ali no sofá? Acho que vocês já dançaram demais por hoje. – Matthew disse. Julia pareceu ignorar e o puxou para dançar, ela rebolava na sua frente e o deixava louco, eu sei como ele se sente. Amanda também estava fazendo a mesma coisa, meu corpo parecia estar pegando fogo, eu queria pegar Amanda a jogar contra aquela parede e ... Puta que pariu. Samuel Wilkinson. O que você acabou de pensar?

Amanda se aproximou de novo, colando seu corpo ao meu, e eu estremeci.

Merda.

Respirei o máximo de ar que me pulmão podia aguentar, e puxei Amanda pela mão sem olhar para trás, pois se eu sequer espiasse, vacilaria.

Matthew fez o mesmo com Julia, e os outros meninos com suas namoradas, sentamos elas em um sofá que havia ali e elas aquietaram.

— Gente, vou ensinar uma música para vocês. — Amanda disse toda animada, batendo palmas.

— Quando a chuva passar, quando o tempo abrir, abra a janela e veja eu sou o sol, eu sou céu e mar eu sou céu e fim e ...

— Amanda cala a boca, pelo amor de Deus. — Nash murmurou.

— No dia que em que sai de casa minha mãe me disse. — Ela cantou, e fez uma pausa. — FILHO VEM CÁ. — Ela gritou e as meninas riram. Julia parecia ter reconhecido a música e começou a cantar com ela.

— PASSOU A MÃO EM MEUS CABELOS ...

— Ok, já chega de cantar. — Matthew disse interrompendo sua namorada. — Jesus Cristo tem misericórdia.

(...)

Lydia havia indicado um quarto aonde Amanda poderia dormir, ela parecia estar bêbada pois andava meio cambaleando se equilibrando no salto, me perdi por um momento dela na festa, e após poucos segundos a encontrei no chão.

— Amanda, você caiu? — Disse segurando o riso.

— Não. — Ela rosnou. — O chão queria um abraço, você não está vendo?

— Claro nem percebi, tadinho, agora vamos. — Disse tentando a levantar.

— Não, Sammy. — Ela choramingou. — Ele precisa de mim, ele está carente, você não vê que ele está mal? — Ela perguntou. Uma menina havia acabado de cair também, e falava com o chão.

—Ele não precisa de você, olha lá. — Disse apontando para a menina caída. — Ele está te traindo com outra.

— Que filho da puta. — Ela disse se levantando e olhando incrédula para a menina. — Nem o chão me quer, Sammy. — Amanda disse triste.

— Isso não é verdade. — Falei, e ajudei Amanda a subir as escadas.

A sentei na cama, e me abaixei para tirar seus saltos.

— Obrigada. — Ela disse chorosa me encarando.

— O que foi Amanda? — Perguntei preocupado.

— Eles estão mortos, Sammy. — Ela disse, e uma lágrima desceu de seus olhos.

— Quem?

—Meus pais. — Ela disse triste. — Sinto a falta deles. — Ela disse fungando.

—Está tudo bem, ok? Eles estão num lugar melhor, e não gostariam de ver sua garotinha chorando, não acha? — Perguntei. Ela apenas assentiu.

— Você pareceu meu pai falando assim. — Ela disse com um pequeno sorriso. — Eu sinto falta dele.

— Vem, vai tomar banho. — Disse a puxando e colocando a no banheiro.

Ouvi o chuveiro começar a cair água, e sentei na cama. Passado algum tempo ouvi um barulho de algo caindo no chão, e abri a porta com força, e encontrei Amanda no chão apenas de roupas intimas e a água caindo sobre seu corpo.

— Me ajuda. — Ela murmurou. — O mundo está girando. Porque o mundo está girando? E porque ele está amarelo?

Ri do desespero de Amanda, e a levantei. Me perdi em seu corpo, e acabei me desequilibrando, e caindo no chuveiro junto com ela.

— Aí, minha cabeça. —Reclamei.

— Sammy. — Ela me chamou deitada em meu peito.

— Oque? — Perguntei.

— Você é um inútil. — Ela falou.

— Eu sei. — Respondi.

— Um tapado. — Ela continuou.

— Eu sei, Amanda. — Resmunguei.

— Um idiota. — Ela murmurou.

— Ok, já chega. — Respondi, e me levantei a ajudando a se levantar.

Peguei uma toalha, desliguei o chuveiro e a enrolei na toalha, a carreguei para a cama. Ela estava toda molhe em meus braços, arrumei seu travesseiro e a cobri, beijei sua testa e fiz carinho em seus cabelos.

( Coloquem a música Sam Smith - Lay Me Down, por favor. Link nas notas finais.)

— Canta para mim. — Ela pediu. Sorri pensando em seu sorriso.

— Yes I do, I believe.That one day I will be, where I was right there, right next to you. And it's hard, the days just seem so dark. The moon, the stars, are nothing without you. Your touch, your skin, where do I begin? No words can explain the way I'm missing you. The night, this emptiness, this hole that I'm inside. The night, this emptiness, this hole that I'm inside.These tears, they tell their own story. — Cantei,e beijei sua testa lentamente.

— You told me not to cry when you were gone. But the feeling's overwhelming, it's much too strong. — Ela cantou olhando diretamente em meus olhos, e meu coração se apertou.

— Can I lay by your side .Next to you, you and make sure you're alright. I'll take care of you and I don't want to be here,If I can't be with you tonight. — Cantei sorrindo fazendo carinhos em seu cabelo.

Amanda sorriu, e eu me deitei ao seu lado, meus olhos estavam vidrados pelo os seus.

— Vai demorar muito? — Ela perguntou.

— Demorar o que? — Perguntei.

— Para entender o quanto eu amo você. — Ela choramingou. Uma lágrima escapou de seu olho, e eu a beijei, aproximando nossos rostos. — Amar você pode ser a melhor decisão que fiz, ou a pior decisão que sempre vou fazer.

 — Se eu não for seu hoje, um dia eu serei. Algumas coisas, por mais impossíveis e malucas que pareçam, a gente sabe, bem no fundo, que foram feitas para um dia dar certo. — Disse sorrindo.

— O que você quer dizer? — Ela perguntou com seus olhos fechados.

— Eu estou dizendo do jeito mais esquisito, o qual nem eu mesmo entendo, eu estou dizendo que eu amo você, Amanda Campbell. — Disse sorrindo. Sentia vontade de chorar, mas não saía lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. — E não existe arrependimento maior do que ter deixado você ir. Nunca reparei o quanto dói amar alguém, o quanto qualquer coisinha que aconteça te corroí por dentro, te fazendo em pedacinhos. Queria não ter complicado tudo quando era para ser tão simples e único. A gente só percebe o quanto ama uma pessoa quando ela está bem longe, às vezes, longe o bastante pra não a ter de volta.

— Mas você não me perdeu. — Ela disse encarando meus olhos. — Eu ainda estou aqui, nós ainda podemos....

— Não. — A interrompi engolindo o choro fraco. — Eu não mereço você.

— Sammy. — Ela disse já deitada, devia ter apagado. Sequei meu rosto que já estava molhado com as lágrimas, e selei seus lábios.

— Sim, eu me arrependo. Me arrependo de não ter te dado valor, de ter passado a impressão de que eu não me importava com você, de não ter corrido atrás quando eu tive a chance e de não conseguir demonstrar os meus sentimentos. Queria poder ter uma máquina do tempo, voltar ao passado e consertar tudo de errado que fiz. Mas infelizmente, não existe uma. Dizem que a vida é assim mesmo, que nós aprendemos com os nossos erros e que iremos consertá-los com outras pessoas. Não sei se ainda aprendi, porque ainda ando cometendo o mesmo erro várias e várias vezes. Mas, sinceramente? Queria ter errado com qualquer outra pessoa, menos com você. — Falei, e beijei sua testa. Ela dormir serena, e não lembraria de nada amanhã. Ela pegaria o primeiro voo para Paris, e iria seguir seu sonho, ela ia ser feliz. — Nós vamos nos ver de novo, eu prometo. — Disse juntando nossas mãos. — Você sempre viverá no meu coração minha pequena Campbell.


Notas Finais


Trailer primeira temporada: https://www.youtube.com/watch?v=3mba31H6fv0 ;
Trailer segunda temporada: https://www.youtube.com/watch?v=lbKBR8VvRJg ;
meu twitter: @samwilkgirl

Estou respostando eternal love, estarei respostando dangerous attraction depois :)

Leiam minhas outras fanfics
The cupid: https://spiritfanfics.com/historia/the-cupid-4610352 ;
A Beautiful Mess ( em breve ): https://spiritfanfics.com/historia/a-beautiful-mess-3491568 ;
Writing my own love story: https://spiritfanfics.com/historia/writing-my-own-love-story-6679865 ;
Find me: https://spiritfanfics.com/historia/find-me-5456958


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...