História Eternal Love - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Magcon
Exibições 86
Palavras 2.149
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 47 - You agree to marry me?


Meu coração batia forte, e minha respiração estava descompassada. O barco estava repleto de velas, e algumas rosas.  Os olhos de Amanda estavam brilhando, seu olhar foi de encontro ao meu, e hesitei em me agachar e fazer a pergunta o mais rápido possível, e acaba com aquele nervosismo logo de uma vez. Em minha mão direita, eu segurava as alianças. Uma música lenta tocava no fundo fazendo o clima ficar mais romântico, e eu mais desesperado. Amanda se aproximou de mim, em seu vestido branco, e eu não consegui evitar sorrir.

— Amanda Campbell. — Disse respirando fundo. — Céus, isso é difícil. — Falei, e Amanda riu. — Você... Hmm.... Você.... Eu.... Nós... Meu Deus, eu estou tão nervoso. — Falei, e Amanda se aproximou selando nossos lábios lentamente, meu coração parou de bater por um instante, e consegui ter controle sobre o meu corpo novamente.

— Assim está melhor? — Ela perguntou sorrindo. Assenti envergonhado. Suspirei fundo, e sorri.

— Você é tudo pra mim, eu já disse isso? — Perguntei, ela sorriu. — Sei que não sou o homem que você sempre sonhou, não te dei corações, flores, cartas, ursinhos de pelúcia, porque eu te dei todo o amor que existe dentro de mim e sem você eu sou um zé ninguém. Sem você, eu não sorriria, não seria feliz porque só o fato de te ver sorrindo todos os dias, já me traz uma felicidade que eu não sei descrever. Só posso dizer que.... Você é tudo para mim. — Disse sorrindo. — Quer casar comigo?

Meu coração parou de bater por um instante, Amanda hesitou em dar a resposta. Talvez o pedido foi um pouco rápido, embora eu estava certo do meu desejo de fazê-la feliz, de tê-la em meus braços, de poder acordar e vê-la dormindo feito um anjo. Foi o pedido mais rápido que já fiz, mas o jeito que ela me faz feliz, me fascina por inteiro.

— Eu.... Não sei. — Ela respondeu, meu mundo desabou.

— Mas.... Eu.... Pensei que

— Sammy, é claro que eu aceito. — Ela disse rindo, e nem por isso meu coração relaxou. A puxei pela cintura, e selei nossos lábios. Eu não conseguia beija-la pois não conseguia parar de sorrir. — Eu te peguei, não foi?  — Ela perguntou gargalhando.

— Se você fizer isso de novo, eu te jogo desse barco e vou embora. — Falei sério.

— Claro, capitão Wilkinson. — Ela disse sorrindo.

— Vai se fuder. — Resmunguei.

— Ei, eu aceito me casar com você, e você manda eu ir me fuder? — Ela perguntou indignada.

— Sim. — Disse sorrindo. — Vou ajudar você.

Amanda P.O.V.S

Em poucos minutos já estávamos sobre uma cama que ficava localizada em alguma parte do barco, não me lembro dos detalhes, pois estava concentrada em beijar Sammy. Empurrei Sammy sobre a cama o surpreendendo quando me sentei em seu colo, ficando por cima dele. Suas mãos foram na direção de minha cintura e se estabeleceram lá, enquanto Sammy me encarava surpreso. Coloquei minha mão sobre seu peitoral, vendo que ambas tremiam com aquele contato. As deslizei até a barra da sua cueca, engolindo em seco e me debruçando sobre o corpo de Sammy. Colei nossos lábios, iniciando um beijo lento e confortável. A mão esquerda de Sammy se instalou em meu rosto, enquanto a outra continuou intacta em minha cintura. Nossas línguas brigavam por espaço, tentando explorar cada canto da outra boca. Separamos nossos lábios, mantendo os olhares na mesma sincronia.

— Eu amo você. — Sussurrei sorrindo.

— Eu te amo mais. — Ele disse em resposta, seus olhos brilharam.

Ele inverteu as posições, ficando por cima de mim. Sammy tirou meu vestido com rapidez, levando junto meu sutiã, e deixando meus seios à mostra. Corei logo que ele tirou toda a camisa de meu corpo, a jogando longe, pra qualquer canto do quarto. Ele se aproximou de mim, posicionando seu rosto entre a curva de meu pescoço. Assim que ele foi deixando uma trilha de beijos até minha clavícula. Coloquei minhas mãos em cima de seus cabelos, apertando eles a cada contato de seus lábios com minha pele. Senti minha respiração parando e voltando rapidamente, assim que ele deu uma chupada em meu pescoço e passou sua língua lentamente por cima, afim de parar de arder.

Suas mãos se instalaram em minha cintura, ambas subindo até abaixo de meus seios. Olhei para Sammy, nervosa com tudo o que estava acontecendo. Ele passou suas duas mãos pelos meus seios, me fazendo morder o lábio inferior. Seus dedos polegares circularam pelo bico deles, enquanto ele me encarava. Ele abaixou a cabeça, e então meus olhos se apertaram quando senti seus lábios em contato íntimo com meu peito esquerdo. Seus dentes roçaram no meu mamilo, me causando calafrios que eu definiria como bons. Sammy trabalhava naquela região, se distanciando milímetros e fazendo movimentos com sua língua, para cima e para baixo. O observava, até vê-lo deixar rastros de seu cuspe no local e apertar seus dentes contra meu bico. Mordi meu lábio inferior para abafar o grito que sairia da minha boca ao sentir sua mordida forte. Depois disso, ele trabalhou no meu seio direito, até finalizar tais ações. Sammy ficou com a postura ereta, se esticando para tirar algo do chão. O observei atenciosamente, até vê-lo voltando com uma garrafa de vinho em sua mão.

Ele virou a garrafa obre meu corpo, me fazendo impulsionar para frente, porém suas mãos me levaram para trás novamente, deitando-me na cama. O líquido não era gelado, mas era uma situação um pouco desconfortável para se sentir. Ele espalhou o vinho por toda minha barriga, porém, acabou escorrendo um pouco sobre a barra da minha calcinha e consequentemente, em minha intimidade. Sammy deixou a garrafa no chão, se debruçando sobre meu corpo. Ele colocou uma mão em cada lado do colchão, circulando meu corpo. Se deitou sobre mim, apoiando o peso de seu corpo em seus braços. Sua língua se arrastou de meu umbigo até acima dos meus seios. Depois de limpar todo o uísque somente usando a boca, Sammy não percebera que havia caído do liquido em minha intimidade, o que me deixou frustrada.

Ele segurou os dois lados de minha calcinha de renda, se posicionando entre minhas pernas. Ele voltou com seus dedos em direção a minha peça íntima, segurando a borda dela com seus polegares, tentando brincar comigo. Eu observava atenciosamente cada ação de Sammy, do início delas até o momento em que elas se cessariam. E ele sempre com seu olhar conectado as minhas reações, independente do que ele estaria fazendo.

Fechei meus olhos assim que senti o tecido se arrastando pelas minhas coxas, até chegarem em meus tornozelos. Sammy levantou cada uma de minhas pernas lentamente, pegando a calcinha e a jogando longe. Abri meus olhos vagarosamente, me arrependendo de tal ato ao ver a cena em minha frente; Sammy encarando meu corpo inteiro, sem piscar os olhos uma única vez. Senti meu mundo parar juntamente com minha respiração quando Sammy olhou diretamente para mim, me causando mais calafrios e nervoso. Meu coração disparou ao ver Sammy se encaminhando para mais abaixo da cama, ficando com seu rosto perto de minha virilha. Ele se debruçou, deitando de barriga para baixo no colchão. Colocando uma mão em cada perna minha, ele as separou, deixando-as abertas. Uma corrente elétrica viajou pelo meu corpo bruscamente, assim que ele colocou sua boca em minha intimidade.

Joguei minha cabeça para trás, contraindo meus ombros e apertando meus olhos. Sammy usou seus dois dedos da mão direita para separar meus lábios vaginais, dando mais espaço para que ele adentrasse com sua língua ali. Com movimentos de vai e vem, sua língua foi ocupando mais recinto em minha intimidade. Depois de tanto usar aquela região bucal, ele distanciou sua língua dali, continuando com a boca presa em minha região. Sammy abriu a boca, fazendo movimentos de abri-la e fechá-la sem parar, me deixando com mais excitação. Logo depois, abri meus olhos, vendo Sammy me observar, sem cessar os movimentos. Ele tirou sua mão direita dos meus lábios vaginais, a posicionando em meu clitóris. Enquanto ele trincava seus dentes em meu clitóris, ele o estimulava com seu polegar. Coloquei minhas mãos em seu cabelo, apertando cada fio afim de transmitir a imensa sensação de prazer que estava sentindo.

Depois de alguns minutos naquela mesma movimentação nova, porém excitante para mim, Sammy se sentou na cama, adotando uma postura ereta. Já exausta por seu sexo oral, o encarei com a respiração ofegante. Ele apenas abriu um sorriso de canto, saindo da cama e pisando os pés no chão, me deixando com ar de confusão. Ele segurou a barra da sua cueca preta do Calvin Klein, a abaixando completamente a retirando, ficando na mesma situação que a mim; nu.

Sammy voltou para a cama, ficando por cima de mim. Ele esticou o braço, abrindo uma gaveta e pegando um plástico com o nome da marca em vários locais. Sammy abriu o pacote, retirando uma camisinha transparente de lá. Ajoelhado na cama, em minha frente, Sammy colocou a proteção na cabeça de seu membro, o esticando até ocupar toda sua extensão. Com uma mão sobre o travesseiro que eu estava, e a outra em minha cintura, ele se apoiou na cama, para não colocar seu peso grandioso em cima de meu corpo. Ele olhou para seu membro, tirando a mão de minha cintura e segurando o pênis.

Esperando por alguns segundos, de olhos fechados, pude sentir algo invadindo minha intimidade bem devagar. Meus lábios foram se abrindo, conforme sentia algo me incomodando. Assim que aquilo se agravou e pude perceber mais da metade de seu membro dentro de mim, um grunhido alto escapou de meus lábios. Sammy tirou sua mão de seu pênis, apoiando-a em minha cintura, para dar a ele mais impulso.

Meus olhos se arregalaram e um grito escapou de minha boca quando senti Sammy retirando seu membro e logo voltando com ele para dentro de mim, em um só movimento. Minhas unhas cravaram em seu ombro, tentando absorver o prazer que sentia. Sammy movimentava sua cintura, indo para frente e para trás, repetidas as vezes. Com o braço que o apoiava, ele segurou minhas costas, se sentando na cama e me levando junto com ele. Eu havia escorregado levemente, fazendo com que o membro de Sammy invadisse mais minha intimidade. Me agarrei ao corpo dele, apertando seu cabelo com uma de minhas mãos.

Empurrei Sammy, deitando seu corpo sobre a cama, e ficando por cima dele.  Ele me encarou surpreso, e eu sorri. Me debrucei sobre seu corpo, apoiando minhas mãos em seu peitoral e jogando minha cabeça para trás. Subi e desci minimamente e vagarosamente, cavalgando sobre sua intimidade. Suas duas mãos foram ao encontro de minha cintura, chegando a apalpar minhas nádegas. Já tomados pelo prazer, comecei a pular sobre seu membro mais rapidamente, gemendo bem alto com cada movimento. Sammy mordeu seu lábio inferior, encarando minhas ações precisamente, apertando minha bunda. Um grito histérico escapou de mim, assim que a mão direita de Sammy pressionou firmemente minha bunda, causando um estralo em seu tapa. Ele se sentou na cama, sem impedir que eu cessasse meus movimentos. Segurando minha cintura, seus dentes abocanharam meu seio esquerdo, mordendo o bico dele e logo em seguida, o chupando firmemente. Apoiei minhas mãos em seus ombros, arranhando o local enquanto pulava vagarosamente em cima de seu membro.

Ele inverteu as posições mais uma vez, me deitando tranquilamente e se debruçando sobre meu corpo. Indo com mais ferocidade e agilidade, Sammy movimentava seu corpo, me penetrando velozmente. Coloquei minhas mãos sobre seu peitoral, cravando minhas unhas sobre ele. Cheguei ao ápice, e logo após algumas estocadas, Sammy chegou também. Um cansaço imenso me invadiu e eu derrubei meus braços acima de minha cabeça, no travesseiro, relaxando. Sammy saiu da cama, e se livrou da camisinha. Ele beijou minha testa, e se deitou ao meu lado, me abraçando.

(...)

Um mês depois.

Esperava sentada na sala de espera, Ariel estava fazendo seu último exame para realmente comprovar que ela estava livre do câncer.

— Olá, senhorita. — Alguém disse, e encarei a pessoa, encontrando um policial.

— Hm... Oi. — Respondi.

— A senhora poderia me acompanhar por um segundo? — O policial pediu e eu o segui, adentrando um quarto vazio.

— Policial aconteceu alguma coisa? Eu...

— Você se chama Amanda Campbell? — Ele perguntou.

— Sim. — Respondi. — Está tudo bem? — Perguntei preocupada.

— Está tudo ótimo. — Ele disse sorrindo, e começou a tirar a sua roupa sensualmente, as orbitas de meus olhos saltaram.

— Moço, meu Deus eu...

— DESPEDIDA DE SOLTEIRO. — Ouvi meninas gritarem, colocando uma música sensual no fundo, e começarem a dançar com o policial. Lydia, Emma, Bella, Julia e Madison me abraçaram, e me puxaram para dançar.

Sammy Wilkinson P.O.V.S

Estava tudo escuro assim que acordei, uma música alta tocava no ambiente, assim que o pano foi tirado de meus olhos, avistei muitas mulheres, e bebidas por todo o lado. Todos os meninos estavam na minha frente, sorrindo.

— DESPEDIDA DE SOLTEIRO!


Notas Finais


Trailer primeira temporada: https://www.youtube.com/watch?v=3mba31H6fv0 ;
Trailer segunda temporada: https://www.youtube.com/watch?v=lbKBR8VvRJg ;
meu twitter: @samwilkgirl

Estou respostando eternal love, estarei respostando dangerous attraction depois :)

Leiam minhas outras fanfics
The cupid: https://spiritfanfics.com/historia/the-cupid-4610352 ;
A Beautiful Mess ( em breve ): https://spiritfanfics.com/historia/a-beautiful-mess-3491568 ;
Writing my own love story: https://spiritfanfics.com/historia/writing-my-own-love-story-6679865 ;
Find me: https://spiritfanfics.com/historia/find-me-5456958


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...