História Eternally Eternal - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony, Ian Somerhalder, Katy Perry, Megan Fox
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Ian Somerhalder, Katy Perry, Lauren Jauregui, Megan Fox, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Angel, Anton, Camren, Ian Somerhalder, Katy Perry, Megan Fox, Norminah, Pedro, Trolly, Vercy
Visualizações 69
Palavras 1.898
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gente, vou explicar qual foto é qual só laaaaaaa.... no final kkk

Quero voltar logo, mas ta um pouco dificil por ter começado minhas aulas, meus professores me odeiam, ai vocês já viram né?! to toda kgada na escola kkk mas vou tentar voltar logo logo.
bjos da...
-Ana

Capítulo 20 - Volta logo meu irmão!


Fanfic / Fanfiction Eternally Eternal - Capítulo 20 - Volta logo meu irmão!

POV Camila Cabello

 

On memória de Katy

 

- Esta ficando maluco Matthew?! Eu nunca irei te matar! – Falei apressadamente me levantando junto com ele.

 

- Não ira me matar de fato, mas ira fingir que sim! – Ele fala como se nada fosse nada, será que ele não percebe que já é uma loucura, ele ir embora, agora ele quer que eu o mate, ou pelo menos finja que fiz isso.

 

- É claro que não vou fazer isso Matthew! Eu iria esta matando o seu pai, e caso ele tente me matar eu não o pouparia de fazê-lo! – Falei já prevendo o que aconteceria caso eu fizesse isso.

 

- É o necessário, e o papai nunca mataria você! – Uma vez Matt falou que iria embora, e ele me fez prometer para ele que eu não o impediria, mas ele nunca me disse que seria assim e nessas circunstâncias, de ter que fingir que o matei de fazer a família sofrer.

 

 - Eu não posso fazer isso Matt. Para eu fingir que eu te matei teria que ter muito mais sangue aqui para ocupar mais cheiro do que o que tem aqui, e seu pai ira sentir junto com sua tia, não posso fazer isso! – Falei, e praticamente já tinha o dito que aceitei o fato de que vou fingir.

 

- Eu sei o que tem que acontecer e sei o que fazer! – E então ele caminha com muita dificuldade até o meio da sala e pega aquele objeto que ele nunca o larga, estava no meio de uma poça de sangue, ele pega e vem até mim.

 

- O que você vai fazer com isso Matt? – Perguntei vendo que ele não parava de encará-la.

 

-Isso! – E enfia a faca em seu abdômen, eu simplesmente consigo arregalar os olhos.

 

- O QUE VOCÊ PENSA QUE ESTA FAZENDO MATT? – E depois de gritar em menos de segundos estou ao seu lado tirando a faca dele.

 

- Fazendo o necessário, Vovó! – Ele esta fraco, mas já esta curando.

 

- O NECESSARIO É VOCÊ SE MACHUCAR? – Sei que os meus olhos não estão em bons estados, mas eu nunca iria atacá-lo.

 

- Tenho que deixar o meu sangue mais intenso! – Ele esta mole, mas mesmo assim ele me encara enquanto pega a faca e com um sorriso leve ele começa a se cortar novamente, o cheiro estava me enlouquecendo, mas eu não podia deixa-lo.

 

- Já tem o suficiente aqui Matt! Você já pode parar. – Falei prendendo minha respiração, e sentindo que a cada segundos as veias estão mais transparentes.

 

 - Esta na hora de eu ir embora Vovó! – Depois de isso tudo eu não posso mais impedi-lo.

 

- Certo! Espere um pouco. – Falei e subi as escadas até o meu quarto, logo eu estava em sua frente vendo que as suas feridas já estavam melhores. – Eu iria te dar ela depois de amanhã, em seu aniversario, mas já que esta indo embora vou lhe dar ela hoje. – Falei caminhando em direção à mesa que tinha ali e abrindo a maleta que trouxe em minhas mãos, peguei o que tinha ali que estava embrulhada em um pano grosso de cetim.

 

- Não preci... – Ele fala vindo mancando até mim, mas quando ele vê o que tem ali logo para.

 

- Use para sempre lembrar, de nós, e para se proteger, eu não posso toca-las porque estão todas banhadas em ouro, verbena, sangue humano e o meu, da sua tia, do Pedro e Angel, e apenas uma gota de sangue do seu pai... Nunca tentamos isso, e então quando estávamos fazendo o retardado do seu pai cortou o dedo e apenas uma gota caiu e foi o suficiente para deixar todas elas assim. – Falei e lhe expliquei como que ela ficou com aquele efeito, mas logo tirei o sorriso do rosto que enquanto explicava surgiu.

 

- Eu vou voltar logo vó, quando você menos esperar eu estarei aqui com você. – Ele fala e me abraça.

 

- Você sabe que seu pai vai me odiar. – Sai do abraço e o encarei.

 

- Ele não ira te odiar, mas ele não ficará feliz. – Matt faz um carinho em meu rosto.

 

- Vista isso e vá! – Falei pegando o que parecia ser simplesmente um pano, mas que na verdade era o que o seu pai usou quando era um príncipe.

 

- Era do papai. – Ele fala olhando detalhadamente para o que ele iria vestir o coloca e deixa um beijo em minha testa, me deixando ali tendo que encarar tudo o que iria acontecer o que não tardou acontecer.

 

Off memoria de Katy

 

POV Katy Perry

 

- O que aconteceu aqui? Por que você me mostrou isso? – Anton perguntou assim que “voltamos”.

 

- Por que isso foi o que aconteceu! – Falei me levantando e indo até Camila que estava aparentemente cansada. – Calma, logo você ira se alimentar. – Falei para ela colocando ela sentada no sofá e deixando um beijo em sua testa.

 

- SE ISSO FOI O QUE ACONTECEU POR QUE VOCÊ NÃO O IMPEDIU? – Anton gritou se levantando e ficando em minha frente.

 

- “Imagine uma história, faça acontecer e se prontifique a viver e então acredite no que você sente por dentro, e dar a seus sonhos as asas para voar”. – Citei a frase que não me condenou a tristeza, mas não me deixou feliz.

 

- VOCÊ ACHOU MAIS IMPORTANTE SEGUIR UMA FRASE DO QUE MANTER O MEU FILHO COMIGO? – Anton continua a gritar.

 

- É o que nós fazemos... Nós nos permitimos ser livres, o seu filho também era livre. – Falei encarando, eu estava permitindo que ele falasse nesse tom comigo, mas não será por muito tempo.

 

- ALGUEM TINHA ATACADO ELE, E VOCÊ O DEIXOU IR POR QUE SOMOS LIVRES?! SERIO MAMÃE? ELE NEM SEQUER SABIA SE TRANSFORMAR. – Eu já quebrei parte da promessa, não vou quebrar mais uma parte.

 

- Nossa família nunca quebra com uma promessa... NUNCA! – Deixei bem claro a ultima parte, mesmo sabendo que eu tinha acabado de quebrar parte de uma, mas não tinha feito isso por completo.

 

- Eu vou atrás do meu filho, e quando eu acha-lo vou mantê-lo o mais longe possível de você. – E depois de falar isso ele sai em direção à porta, mas eu entro em sua frente e o impeço de fazer isso.

 

- EU. NÃO PASSEI. ESSE. TEMPO. TODO. ESPERANDO. PARA. NADA! – Falei alto e pausadamente olhando bem fundo em seus olhos.

 

- Ele pode esta em perigo mamãe! Ele é o meu filho. – Anton finalmente baixo a voz.

 

- Ele é o meu neto, e você não vai atrás dele até o dia em que ele falou para isso acontecer. – Eu falei saindo de sua frente.

 

- E quem você pensa que é para me impedir de ir atrás do meu filho? Aah sim, já sei quem você é! Você é a pessoa que me fez sofrer por dias e noites, me fez sofrer e me fez viver uma mentira pior que a verdade. – Ele começa brigando, parte para o sarcasmo e logo parte para a amargura.

 

-Me desculpa filha... Mas faça com que ele não vá atrás do Matt! – Sai da frente de Anton e fui até Camila, pedindo para que ela faça o que obviamente é necessário.

 

- Não ous... – Anton não terminou porque travou no meio da frase para logo depois de Camila fazer o que pedi ele concluir. – ...Ouse!

 

- Desculpa irmão! Acho que já esta na hora de você ir para casa. – Ela pediu e logo indiretamente falou que o melhor a se fazer era ele ir embora.

 

- REVERTE ISSO CAMILA! TIRE ISSO DE MIM! AGORA! – Ele esta transbordando ódio.

 

- Vá para casa Anton, eu não irei reverter nada! – Camila falou mais que convicta, ela falou tão serio que fez com que Anton baixasse a voz.

 

- Certo... Eu vou embora, estou voltando para o Maine, vá até os meninos e diga para eles irem embora, não poderei espera-los. – Anton finalmente se virou para nós e declarou que estava de partida para Maine.

 

- Que? Não! Você acabou de chegar, não deixarei você ir embora! Falei que era para ir para a casa que nossa mãe comprou não para o Maine. – Camila que até então estava sentada falou apressadamente e se levantando.

 

- Camila você não manda em mim, é claro que vou embora!  - Já sabia que dali surgiria uma briga.

 

- Em nenhum momento você ouviu sair da minha boca eu falando que mando em você, mas se você quer ir então terá que me enfrentar. – Não disse.

 

- Faz um bom tempo que não tenho uma boa luta! – Ele fala com um sorriso de lado e já se posicionando.

 

- Isso pode demorar irmão! – Ela também estava com um sorriso de lado, por que sabia que eles poderiam ficar brigando por horas e horas e não iria acabar.

 

- Chegam, vocês dois. – Eu falei e de nada adiantou, eles nem ao menos me escutaram, e então Camila correu em sua direção, mas ele se antecipou e meteu um murro em seu rosto fazendo ela cair. Não vou permitir isso! – É melhor vocês pararem. – Falei e novamente fui ignorada. - CHEGA! VOCÊS PODEM ATÉ SEREM OS PRIMEIROS, MAS AINDA SIM VOCÊS ME DEVEM RESPEITO!

 

 

- Mas Mamãe ele não pode ir embora! – Camila que ainda estava no chão falou enquanto se levantava.

 

- Se ele quer ir embora, ele pode ir embora! – Falei e entrei em uma guerra de olhares com Anton.

 

- Não precisa me defen... – Cansei.

 

- Você é o meu filho e esta em minha casa então eu acho bom você me respeitar! – Mereço respeito.

 

- Você não pode ir Anton, não pode deixar a gente. – Camila não e sentimental com os outros, mas com a família ela é, e algo que ela sempre luta e sempre lutara é para nós manter unidos.

 

- Anton ira embora, você vai até a casa dele e ira falar para os garotos irem embora, ele vai para Maine e quando ele voltar a casa estará aqui. – Anton abriu a boca para falar, mas eu não deixei, falando antes que ele.

 

- Quem garante a você que eu irei voltar? – Ele me encarou novamente.

 

- Sou a sua mãe... Sei como proteger os meus filhos! – Ele vai, mas ele volta.

 

- VOCÊ NÃO PODE ABANDONAR A SUA FAMILIA POR MAIS UM ANO ANTON! DEVEMOS FICAR UNIDOS! – Anton após escutar o que falei quase sorriu, mas quando ele estava no meio do caminho andando apressadamente e já tirando a camisa Camila gritou para ele.

 

- Ele não ira nós abandonar, apenas ira compreender! – Disse colocando a mão em seu ombro, vendo o meu filho começar a correr olhar para trás e logo em seguida se transformar em um lobo.

 

- Volta logo meu irmão! – Camila falou tão baixo que nem um humano seria capaz de escutar, escutei porque estava prestando atenção nela.

 

- Não vai sair para se alimentar? – Perguntei assim que a vi entrando.

 

- Não, isso pode esperar preciso de um momento sozinha! – Mila virou, ela estava com uma expressão de cansaço pelo fato de que ela acabou de fazer algo que exige muito dela, então ela vem até mim deixa um beijo em minha testa sussurra um “eu te amo” e entra me deixando ali, pensando no que aconteceu e esperando chegar o dia em que vou velo.


Notas Finais


A foto em que é apenas UMA faca é a que ele se cortou, ele nunca se separa dela, e ela vai ser importante em alguém momento...
A outra foto é a que Katy deu para ele, mais importante ainda...

POR FAVOR COMENTEM E...
ATÉ A PRÓXIMA!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...