História ETERNALL'Y (Larry Stylinson ) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Exibições 20
Palavras 5.931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse sim é do semana, y]na minha opinião ta bem grande..
Espero gostem..

Boa Leitura ;3

Capítulo 3 - Cap - 2


 

— Harry, eu não quero te incomodar..sabe eu..

— Louis, você fala de mais. Já disse que você é sempre bem vindo na minha casa.

A culpa toma meu corpo. Fiz mau em te me afastado dos meus amigos por causa de Adam? Estávamos frente a porta de seu apartamento, grande e branca, ele gira a chave na fechadura da mesma. Ele me da espaço para que eu entre primeiro, logo de primeira tenho a visão que a ampla janela da sala dava para grande Londres nublada e com o céu preste a desabar sobre toda ela. Moveis escuros, paredes cinzas, alguns quadros grandes com paisagens e até mesmo Styles representado nós mesmo com sua beleza arrebatadora de tirar o folego..

Ele deixa as chaves e suas coisas pessoais, sobre a pequena mesa de vidro perto da porta. Logo ele me alcança parando ao meu lado.

— Pode se sentar, vou prepara nosso chá..

— Tudo bem Hazzy.

Ele sorri, um sorriso que daria pra vê até de costas. Me sento perto a janela, um puf branco e outro cinza, escondo as mãos com as mangas do suéter me aconchegando ao estofado, me permito fechar os olhos por alguns segundos, ouço o movimento na cozinha e a água supostamente saindo da torneira direto para a chaleira. Em questão de alguns minutos Harry esta de volta com uma bandeja, a colocando no chão ao nosso alcance. Ele estende uma caneca a minhas mãos, a pego de bom agrado. 

— Louis, é..

Ele parecia em exitar, mas o incentivo a continuar.

— Pode continuar Harry, ta tudo bem.

Seguro a caneca com as duas mãos, olhando a liquido meio amarelado ou beja, que seja, expeli sua fumaça quente que batia em meu rosto e sugadas por minhas narinas. Camomila, com certeza, me preparo para oque vier de certo modo de Harry poderia vir qualquer pergunta que fosse..

— Bom, quero que você saiba que não vou te critica nem nada que te incomode. Só vamos conversa, não precisa me responde se não quiser. Mas Louis, por quê depois de tudo que o Adam te fez, de tudo que ele té fez passa, por quê você continuou com ele? Por quê?

Ele tinha o cenho franzido, uma mão pendia no ar enquanto a outra segurava a porcelana branca. Pra falar a verdade, acho que nem eu sei da resposta, acho que nem eu mesmo saberia responde-ló. Dou um pequeno sorriso, tento formula algo que soasse convincente tanto pra mim quanto pra ele. Ele me olhava com mesmo olhar de antes, minha cabeça se passava de mil a uma coisa de quando conheci Adam até hoje em dia, da suas agressões e ofensas. 

Porque eu ainda continuo com o Adam?

— Olha Harry... Eu sei que não soe convincente pra você, na verdade nem pra mim. Mas você sabe como é te o medo de ficar sozinho, desamparado, sem ter a quem contar seus problemas ou a recorrer um ombro, não um ombro amigo, uma pessoa que sempre possa esta ao seu lado quando mais precisar? 

Harry ponderava, olhava além da paisagem que tinha de Londres, seus olhos pareciam brilhar como se enchessem de lágrimas. 

— Claro que sei Louis...olha isso aqui.

Ele levanta as mãos, não mas as ocupando com a caneca, olhava em volta e eu seguia seu olhar.

— Sei perfeitamente, depois de sair de casa eu passei a ficar sozinho, ter de evitar meu pai, ter que visitar minha mãe quando ele não estivesse em casa. E nem sempre ela esta. Aprendi lidar com meus problemas e frustrações sozinho tendo que guarda-las para mim. Mas a questão é, oque isso tem a vê com o Adam.

— A questão é...isso não tem nada a vê com o  Adam. Ele não tem nada a vê, ele não tem nada, não faz nada. Ele não me proporciona nada não me satisfaz em nada. Mas ele é o único disposto a ficar comigo mesmo que a presença seja nula..

Digo num folego só, oque para mim fária sentido no momento. Mas a verdade era essa, Adam não me satisfaz em más nada ele apenas só me machuca, me ferir mais do que já estou. Por um momento Harry parecia me olha intensamente quanto a minha ultima fala.

— "Acredito que ele não é o único disposto.."

Harry sussurrará algo que só ele mesmo escutaria, mas seu zumbido passaria discretamente por meus tímpanos. Mas dificilmente de se identificar ou decifrar oque ele dissesse.

— Disse algo?

— Não, nada..

Ele sorri fraco mostrando suas covinhas, tomando mas um gole do liquido quente, ele olha mais uma vez a vista e volta sua atenção passando os dedos sobre o cabelo. Retirando do rosto alguns fios que cairão sobre seu rosto.

— Então porque não acaba com tudo isso logo de uma vez..

— Não é tão simples assim. Adam é um cara explosivo, não aceitaria o termino tão fácil assim além de fazer minha vida um inferno. Eu fui avisado sobre ele, mas preferi entra nessa de cabeça e acabei me queimando.. Além do mais, pra onde eu iria aquele lugar ao menos nem é meu, não posso volta pra casa dos meus pais eles já tem problemas de mais e ainda cuidar das minhas irmãs. Eu seria apenas mais um fardo a eles...

Harry não tinha fala, apenas olhava enquanto o chá esfriava em suas mãos, dou mas um gole colocando a porcelana na bandeja novamente.

— Bom, eu já vou indo Harry. Já tomei muito do seu tempo, creio que você deva ter muito trabalho..

 

{...}

 

Aquele seria o momento certo para eu arrisca? Ele poderia dizer não, mas chances assim temos apenas uma vez.. O som do seus passos eram cade vez mais inaudíveis, solto um suspiro ele estaria nesse momento com a mão no puxador da porta. 

— Vem mora comigo Louis...

Mantenho o olhar nós prédios e ruas de Londres que começavam a se acender com a chegada da noite. 

— Como?

— Isso que você ouviu. Deixe o Adam e vem mora comigo..

Me levanto ficando a sua frente a seis passos do seu corpo, mas o bastante pra deseja-ló como sempre, ele tinha o cenho franzido e a boca semi aberta, as mãos escondidas pelas as mangas do suéter que nadava em seu pequeno corpo..

— Ta me zoando Styles?

— Não brincaria com uma situação dessa. Eu falo sério, termina com o Adam e vem morar comigo..

Ele balança a  cabeça vagarosamente enquanto dou mais alguns passos ficando rente ao seu corpo levantando seu rosto que persistia em baixa.

— Não da Harry. O Adam não nós deixaria em paz, ainda mas sabendo que moraria com você seria brincar com fogo! E também oque pensariam de mim...de nós.

— O Adam seria a menor de minhas preocupações, mas sim oque você passa com aquele canalha o mau que ele te faz. Você não merece passa por tudo isso e não me importaria com que os outros pensariam..

— Você ta sendo muito gentil em me propor isso Harry, mas não da, não com Adam no meu caminho.

Ele sairia mas resolvo responde-ló antes mesmo de sair. O fazendo para no caminho, entre a porta e o corredor.

— Não faço isso por Adam, e sim por você, por te amar. 

Suponho que seu estado era estático com a boca semi aberta os olhos brilhantes e estatelados.

— Por sempre te amar e querer sempre te ver sorrindo. Você soube o quanto fiquei triste quando eu tive que sair do colégio em Doncaster pra vir pra Londres o quanto eu chorei quando soube que você moraria com Adam. Naquele dia todas as minhas esperanças de te conquista foram pelo ralo. Em acreditar que um dia eu poderia constituir algo com você foram despejadas ladeira a baixo..

Finalmente, ele poderia não olha mais em minha cara depois disso. Poderia me evitar de todas as formas possíveis. Mas finalmente! Eu não aguentava mas guarda esses sofrimentos sem poder constata-ló do meu amor que nutria por ele desde sempre.

Seu olhar era baixo, intercalando entre meus olhos e algo relevante ao nosso redor. Ele parecia nervoso em me encarar nós olhos. Suas mãos e dedos formavam um emaranhado só, creio que ele esteja nervoso ou pego de surpresa pela minha confissão.

— Você...fala sério Harry?

— Com a maior certeza e seriedade do mundo Louis...

Encaro meus próprios pés, meus cabelos caiam por meus ombros como minhas lágrimas caiam de meus olhos em quantidades que molhavam o carpete escuro. Sinto um dedo em delinear meu maxilar até o queixo e logo uma pressão sobre meus lábios. Apenas os lábios, sem língua ou qualquer malicia. Ele realmente estaria fazendo isso? Me nego acreditar, mas sua voz, aquela voz, que já me deixará acordado noites sem consegui tira-ló da cabeça por dias, contando os minutos, as horas os segundos pra pode vê-ló novamente. Soa baixa, mas audível o bastante para me deixa em êxtase.

— Eu também te amo Harry Styles..

Meu metabolismo acelera por conta de suas palavras e sinto o coração pulsar mais rápido. A ultima coisa que eu esperava ou vir dele, justamente foram ditas quando eu menos esperava. Louis Tomlinson me ama. Isso é um tanto surreal, isso poderia ser mais um sonho? Sim, dos vários outros que já tive! Mas ainda sinto a pressão que seus lábios fizeram aos meus, do pouco gosto seu que senti, seus lábios em parecem doces para deixa qualquer um viciado e com uma suposta diabete e macios como se beija-se as nuvens ou um bumbum de bebê.

Ele da alguns poucos passos para trás, coloca as mãos no bolso olhando em meus olhos com um pouco de vergonha. Sua bochechas o entregavam pela ruborização no local, ele me olha uma ultima vez e me olha sorrindo fraco, aquelas ruguinhas no canto dos olhos. Malditas seja elas! 

— Até mais Styles..

Ele fecha a porta, meus olhos não transbordavam mais, meu coração parecia aquecido agora batia de uma forma que nunca senti. Talvez mais feliz, meu sorriso não tinha preço e muito menos um rotulo que lhe descrevesse ele simplesmente era...era..impagável!! Coisa que nenhuma fortuna podia me dar! Isso era o bastante pra me deixa acordado o restinho de dia desperto com a pouca luz que tinha. Logo choveria, o céu dizia isso, fleches e fleches de raios e relâmpagos anunciava a chuva torrencial que estava preste a cair sobre os prédios e casas de Londres.

Até mesmo após a saída dele, me mantive parado no mesmo lugar com os dedos levemente sobre os lábios. Lembrando de seu toque, do nosso contado, onde seu dedo delineou do meu maxilar até o queixo, a pele parecia queima e clamar por ele. Clamar por mais de seus lábios. Por mais daquilo! Retomo minha consciência e levo a bandeja do chão para a pia, em nenhum momento ele sai de minha cabeça, se ele aceitaria minha proposta.

Mas já preparava desde antes o meu psicológico para um suposto não. Precisava espairecer as ideias, relaxar um pouco e tirar os pensamentos que rondavam e me importunavam a mente. Um banho seria o primeiro passo, subindo as escadas começo a desabotoar a camisa de estampas chamativa. Prendo o cabelo em um coque, deixando alguns fios rebeldes soltos na lateral do rosto, a calça é jogada no sexto de roupas sujas. Adentro ao banheiro do quarto, ligo o registro da banheira numa água morna e alguns sais de banho que fazem seus efeitos em contato com a água.

Me livro dos apertos da box preta de cós cinza, entro na banheira sentindo a água morna subir das pernas, quadril, barriga até a altura da clavícula. Repouso a cabeça com os cabelos presos em uma das toalhas postas na borda da banheira, me permito livrar de todos pensamentos que me importunavam, deixando a cabeça em um total branco. Eu não sei quantos minutos ou horas passei aqui. A água já não estava na mesma temperatura de antes, um pouco gélida, pego o robe preto estendido no mármore da pia. 

O visto amarrando fixando na cintura, calço as chinelas indo ao quarto. Enquanto separava um roupa para me vestir e ficar em casa. 

 Meu aparelho celular vibra frenético sobre a escrivaninha próxima a cama. O típico som de Iphone. Desbloqueio o ecrã do aparelho cinza, me deparando com a foto da pessoa que nutria sentimentos desde que me entendo por gente. 

  —Alô..Harry?  

 Supostamente eu tinha um sorriso impagável nos lábios, mas que fora se desmancha por conta da voz trêmula, fraca e chorosa do outro lado da linha telefônica..  

—Lou? Oque foi baby, você ta chorando?

O indago de imediato querendo saber o motivo do seu sofrimento. Me preocupava ouvi-lo daquela maneira.

-É o Adam.. Por favor vem logo Harry..

Nunca aceitei tal relação de Louis, sempre o via marcado, machucado e mais magro que o normal. Olhos fundos carregados por bolsões roxos que revelavam noites mal dormidas, suponho. Já não aparentava ser aquele garoto alegre, que sempre motivava todos. Deixou de interagir com os amigos e uma parte da família por conta de Adam, mas eu e sua mãe, Johannah, já mas nós esquecemos o pequeno, por mais que ele pedisse isso. Eu não seria capaz de deixa-ló. Veementemente condenava Adam, autor de seu sofrimento e tristeza nesse momento!

—Fica calmo Boo, eu já estou chegando ta? Vai fica tudo bem baby..

O queria mantes o mais calmo que conseguisse. Sabeia que hora ou outra, haveria de recorrer para ajuda-ló. Não queria interferir no "relacionamento" deles, deixaria Louis resolver e termina isso. Me visto o mais rápido que posso segurando o celular na orelha com o ombro, passo uma camisa gola v pela cabeça e vestindo uma calça colocando minhas botas sem ao menos me preocupar se estão frouxas.

—Já to indo Lou..

—Vem logo Hazz, por..favor. Vem logo...

Encerro a ligação contra minha vontade, mas teria de ter cuidado em dirigir o mais rápido possível até sua casa. O medo do que encontraria quando chegasse tomava-me a cabeça enquanto várias probabilidades passavam em minha mente desesperada de vê-lo bem são e salvo! Sua voz chorosa ecoava em minha mente me torando do sério e da calma. 

Eu não saberia do exato endereço de Louis, o mesmo nunca me informará onde morava, mas um pessoa sabia e essa era Niall. Com a maior pressa do mundo pego o celular do bolço, tomando o cuidado pra não causar um acidente de transito..

— Niall? Niall!

Ignoro as saudações, indo direto ao ponto.

— Harold? Oi pra você também..

— Niall não há tempo pra isso agora! Você ta em casa?

O indago de imediato.

— Sim, mas porquê? O deixe a algumas horas em sua casa..

—Preciso que me leve a casa do Louis e rápido!

— Aconteceu algo? Harry fala o Louis ta bem? Ai meu deus..

Niall se apavora do outro lado, me deixando mas nervoso ainda. Era disso que eu menos precisava agora.

— Niall se controla! Não vai ajuda ficar assim to estérico e preocupado agora! To passando na sua casa no caminho te explico..

Freio o carro que faz barulho alto dos pneus pela parada brusca, paro em frente ao prédio do loiro que já esperava-me do lado de fora. Ele vem correndo em direção ao carro adentrando de abrupto, seus olhos já aparentavam ter chorando.

— Harry oque ta havendo? Por favor fala..

— Eu também não sei! Ele me ligou chorando dizendo pra eu ir até ele e parece que o Adam tem haver com isso..

— Oh não..

Niall se joga no banco do carro em movimento, afastando os poucos cabelos ali em sua testa, ele parecia saber de algo. Algo que eu obviamente eu não sabia.

— Oque? Oque ta rolando Niall?!

— O Louis, disse que conversaria conversaria com o Adam hoje.

Piso mais fundo ultrapassando os limites de velocidade, Niall já havia de me passar o endereço do de olhos azuis. Paro o carro sem ao menos me importa de estacionar certamente na vaga. Niall rápido fala com o porteiro que já o conhece e permite nossa subida. Saímos do elevador a procura da porta certa entre as várias. Entro sem ao menos me preocupar em bater com formalidade. Niall vem logo atrás sufocado puxando o ar para seus pulmões.

— Louis?!

— Solta ele agora!

 

{...}

 

Me esquivo das primeiras gotas que caiam que logo se tornam várias entre as poucas. Meu celular vibra, mensagem de Niall, ele queria saber onde eu estava que no momento era em baixo de um toldo de um restaurante Italiano. Ele pedi o endereço, o mesmo dizia que passaria pra me pegar e evitar que eu tome chuva e fique com um gripe. Logo avisto seu carro de longe, ele para com a porta do passageiro do emu lado, facilitando a entrada sem que eu me molhe muito.

— Obrigado Ni..

Estalo um beijo em sua bochecha ele sorri em agrado com um sorrisinho. Mas sua feição se troca por uma preocupada.

— De nada, mas onde diabos você estava? O Harry tava com você? Vocês transaram e você viu que ele é o homem da tua vida? 

Por Deus! 

— Niall, qual o volume de água oxigenada você ta usando?

Sua cabeça é impulsionada para trás e o cenho franzido.

— E oque isso tem haver com que eu te perguntei?

— Por que você descolore tanto o cabelo que só pode ta afetando seu cérebro! E não, eu não transei com o Harry. Sim, ele estava comigo e estava na casa dele.

Sua expressão relaxa, ele encosta-se ao banco de couro ajeitando a coluna. Seus dedos apertam o volante dando partida no carro e soltando o freio de mão. Ele me olha de relance e me indaga:

— Só isso?

— Não, eu beijei ele..

Ele estatela os olhos, e para o carro numa manobra brusca no acostamento. Por sorte estamos de sinto, se não era capaz deu atravessar esse para-brisa e para no meio da rua!

— Niall! Oque foi isso, ta maluco?!

— Não, não to! Agora me conta como foi essa história de beijo?

Solto uma bufada alta, e me jogo no banco com um sorriso no rosto. Isso foi errado? provavelmente, mas não chega perto do que imagino que Adam já tenho feito! Mas é como dizem: "Chifre trocado não dói!". Mas se esta errado por te beijado Harry Styles, eu quero esta errado eternamente eterno.

— Ni, ele quer que eu vá mora com ele. Que eu termine com o Adam e vá mora com ele.

— E você aceito? Anda Lou diz!

— Não Niall, eu não aceitei nem recusei. Não é tão simples, tem o Adam, que provavelmente após o nosso termino estará disposto a fazer da minha vida um inferno! 

Niall me olha incrédulo, abre a boca e balança a cabeça em negatividade. Como se não acreditasse no que eu lhe disse agora pouco.

— E sabe oque ele disse depois?

Niall nega, obviamente..

— Ele disse que me ama. Que me amava desde de quando estudávamos em Doncaster..

— E oque você fez? Louis, me diz agora sua bicha passiva!

— Foi ai que o beijei e disse que o amava também.. Não sei me precipitei em dizer que o amava, mas se eu soubesse que ele gostava de mim a tanto tempo eu...não cometeria o erro de por o Adam em minha vida. Agora me arrependo tanto. Será que ele gosta mesmo de mim Ni?

— Aaaa, claro que sim!Meu Deus Lou! Que precipitou nada caramba. Louis ainda a tempo de você arruma sua vida e se livrar do Adam de uma vez por todas!

— Não sei Ni, e se o Harry não gosta mesmo de mim, eu não quero se mais um fardo na vida dos outros. Acho que ninguém seria capaz de gosta pra mim! Gordo, feio e estranho..

Olho pra mim mesmo analisando meu corpo enquanto Niall revisa os olhos e me da um tapa no braço. Esfrego o local, foi fraco mas essa gazela tem a asa pesada.

— Para de falar isso! Isso é coisa do Adam, certeza! Louis ele fala isso pra te fazer mau te deixa inferior. E te fazer senti que você já não é mais capaz de amar ou ser amado. Não de ouvidos a ele.. Você é lindo e único Boo..

Niall tem o dom de vê as coisas antes de todos, ele sabe quando a pessoa não cheira bem, e quendo digo isso também quero falar no sentido de mau cheiro também! Usem desodorante perto dele. Ele sabe quando a pessoa não é de confiança. le sempre tentou me avisar me fazer abrir os olhos sobre quanto ao Adam. mas não eu sempre o contrariei..

 — Lous termina com Adam, que é uma coisa que você deveria ter feito a tempos, da uma chance para o Harold e aceita a proposta dele!

— Nialler...

Digo manso e manhoso, fazendo Niall se virar totalmente o corpo no banco e ficar de frente pra mim. E la vem sermão...

— Nada de "Nialler", se o problema é o Adam fica despreocupado. Ele não fara nada, até porque o Harry acabaria com ele. E você tem a nós. Harry, Zayn, Liam e a mim pra te apoiar, você sempre poderá conta com a gente pra te apoiar e cuida de você se algo acontecer..

Sussurro um obrigado, meus olhos marejam e minhas vistas ficam borradas pelas lágrimas, nem vi o momento em que o abracei. Meu rosto estava na curva de seu pescoço enquanto lágrimas teimosas insistiam em cair, escaparem pelas brechas de minhas pálpebras. Aperto os olhos as expulsando-as  de uma vez por toda.E eu pensaria no caminho sobre o certo a fazer, que obviamente seria termina com Adam. Chega de sofre, de apanha e ficar calado, chega dessa vida de merda. Chega de Adam!

— Obrigado por tudo Ni, obrigado por fica ao meu lado mesmo depois de tudo assim como o resto dos meninos.

— Não precisa Lou, ta tudo bem todos nós erramos. Você merece ser feliz depois de tudo que passou. Agora, falando nós meninos, se importa se passarmos na casa do Zayn e do Liam? 

— De forma alguma eu queria mesmo falar com o Zayn sobre isso tudo.

***

Descemos do carro as pressas, a chuva deu de cessa por alguns estantes, mas ainda suficiente pra molhar nossas roupas. Atravessamos o jardim com pequenas flores e arbustos bem podados o caminho de pedra nós leva até o varanda da casa grande. Niall toca a campainha ao lado a porta, a maçaneta da porta range e aberta em estantes. Zayn nós recebe com o maior entusiasmo, parece que com ele e o Liam vai bem, assim espero.

Sentamos nas banquetas do balcão enquanto Zayn zanzava pela ampla cozinha de mármore negro que cobria os balcões. Ele coloca uma travessa de lasanha de queijo no forno enquanto Niall tenta alcança uma pequena bandeja de presunto em fatias. 

— Niall, já falei que não é pra comer o presunto! Louis segura essa criança.

— Niall não coma os presuntos!

Roupo um afatia das mãos do loiro que fecha a cara e tenta pegar novamente mas não deixo, Zayn olha o furdúncio em sua cozinha e logo se põe em meio nossa briguinha.

— Vocês dois! parem agora ou nada de lasanha pros dois! Bem melhor agora.

Solto a fatia e Niall pega, Zayn nós da as costas e bem de vagar Niall leva a fatia até a boca. Mas sou mais rápido e a pego de sua mão a colocando na boca a engolindo sorrindo vitorioso. A vingança tem um gosto maravilhoso!

— Seu..seu..

— Olha a boca Horan.

Niall se cala e cruza os braços acima do peito, seu beicinho salta por baixo do lábio superior enquanto ele solta uma lufada de ar pelas narinas em forma de protesto, mas seu rosto suaviza quando ele parece lembrar de algo..

— Zayn, sabe o Louis? Então ele tem algo a contar.

— É Louis? Oque seria?

Me viro a Niall que me olha atrevido me dando língua? Quanta maturidade! 

— Quem da língua pede beijo!

— Seu? Obrigado, sou mais o Joshinho!

Ele vira o rosto pro outro lado de braços cruzados esse é pior que uma criança de cinco anos!

— Parem os dois e fala logo Louis! Oque você tem tanto a contar?..

Conto exatamente tudo que ouve desde do mercado até minha saída abrupta do local. Quando chegamos sua casa, a declaração o beijo e sua proposta. Eu estava disposto a termina com o Adam, mas estaria me precipitando em dizer que amava Harry? Bem provável. Poderiam pensar que estava usando a situação para me livrar de Adam de uma vez por todas? Também, mas por mais que eu dissesse que o amava sentia que foi verdadeiro, assim como beijo e sua confissão amorosa por mim.

— Louis, eu não queria te deixa chateado. Mas eu já sabia que Harry te amava, ele nós contava tudo desde que estudávamos em Doncaster.

— E porque não me contavam?

— Porque não queríamos força nada, queríamos que vocês.. você no caso.. soubesse por Harry, mas ai ele teve que vir pra Londres antes de nós. Mas quando viemos pra Londres as esperanças deles se renovavam mas você conheceu o Adam e ai...

Meu estado era arrependimento, meus cotovelos no balcão e as mãos no rosto. Niall afagava minhas costas e Zayn apenas olhava tudo com uma expressão de pena.

— Como eu nunca percebi nada Zy? Ele sempre se preocupava comigo, procurava saber se eu estava bem me animando sempre...e eu só tinha olhos pra outros. Eu sou um idiota mesmo..

— Não diga isso de você Lou, talvez você tivessem que passar por isso para que pudessem ficar juntos. 

— Pode ser Ni..

Um barulho de tilintar é ouvido vindo do forno. A atenção de Zayn é tirada e voltada para o eletrodoméstico que tinha o ponteiro de conômetro no zero novamente, pronto pra ser usado novamente. Como um recomeço para si, e isso foi como um toque em minha mente que esclareceu me dizendo o certo  afazer.

Acabava a partir da li oque eu e Adam supostamente tínhamos!

 

***

 

— Liam , por favor deixa eu levar o Zayn pra minha casa e faze-ló cozinhar pra mim o resto de sua vida! Z, isso aqui ta ótimo..

Liam já havia chegado da revista, ele teve um photoshop de ultima hora para ser feito, no momento nós encontrávamos todos na cozinha da casa do casal. Niall estava no terceiro pedaço, apesar de apetitoso e convidativo aquele pedaço de lasanha eu ao menos sentia fome, apenas beliscava uns pedacinhos. Zayn e Liam estavam abraçados, Liam envolvia a cintura do de traços muçulmano por trás, e vez ou outra beijava o pescoço, rosto e boca do mesmo. Era lindo a relação dos dois, e isso me fazia pensar: "Sera que serei capaz de ser amado dessa forma?"

— Louis? Não vai comer?

Niall me tira de meus devaneios, sua boca como o queixo estavam sujas de creme branco. Nego com a cabeça e ele retira o prato da minha frente lambendo o lábios olhando o sentido da sua vida em em um prato raso com pedaço generoso de lasanha de queijos e molho branco e levemente tostada por cima! 

— Oque foi Lou, desde que cheguei você ta todo deprimido ai.. Algo te incomoda pequeno?

 Liam e seu jeito todo carinhoso com as pessoas, como Zayn pode ficar bravo ao menos discutir com uma coisa fofa e bochechuda dessa!?

— Não é nada Leeyum, eu só to um pouco pensativo só isso..

Ele me abraça de lado e eu encosto a cabeça em seu ombro. Ele era um ótimo amigo e o melhor marido que Zayn pudera escolher.

— Traduzindo amor, isso se chama -Harry Styles!

— Mas oque o Hazz fez ao Louis?

— Depois explico a você.. Certo Lou?

Assinto com a cabeça e Zayn volta as louças na pia, a travessa de lasanha já não tinha mas nada dentro e Niall a rapava com a colher, retirando todos os requisitos de queijo e molho branco. Zayn relutante tentava tira a travessa das mãos do loiro que choramingava em protesto.

— Niall me de essa travessa agora! vai comer vidro agora?

— A Zayn não! Olha esse tanto de creme pra ser desperdiçado..

Zayn puxava de um lado e Niall do outro, meu maior medo era daquela travessa quebrar em ambas as mãos e machuca-los.

— Se você me der, te dou um pedaço de torta..

Niall cerra os olhos para o moreno e solta atravessa. Melhor forma de comprar um gordo/magro de ruim..

— Tudo bem eu asseito.

— Mas antes vai lavar as mãos e essa cara suja. Acho que uma criança de cinco anos faria menos bagunça que você!

Ficamos mas algumas horas na casa dos meninos conversando enquanto assistíamos um filme. Liam falava sobre a ceção de fotos da nova coleção de roupas de uma grife de Londres que sairia na revista, Zayn tinha o sembrante irritado ameaçando de matar Liam se ele se engraçasse com aquelas magrelas antifeministas que impunham padrões a sociedade feminina. Onde apenas mulheres magras, brancas, altas e loiras eram vistas como simbolo de mulher na sociedade. Mas Liam apenas disse: "—Você sabe que jogo no outro time baby.." nós rende bons segundos de risadas dessa sua frase. 

Liam é um homem bonito de corpo másculo dotado de músculo, cabelos lisos e num castanho mas escuro, olhos achocolatados um pouco mais escuros que os de Zayn. Dono de um sorriso impactante e sedutor, seria questão de segundos pra se cativar por Liam! Entendo a preocupação de Zayn, era muito fácil de alguém tentar chama a atenção de Liam por sua beleza. Mas quando Zayn esta por perto junto ao moreno, ele matia as rédeas curtas para o mesmo. Mostrando através de beijos e carícias que aquele ali já tinha dono!

— Niall, acho que devíamos ir, já ta ficando tarde não?

— Também acho, bom já vamos casal..

Zayn que estava deitado no colo de Liam, se levanta pra se despedir assim como o Liam também faz nós acompanhando até a porta. Dou um último abraço nós dois dando boa noite aos mesmos correndo até o carro em seguida, onde Niall já me esperava..

— Então Z, oque aconteceu entre Louis e Harry?

— Vem eu te explico Liam, você não vai acred...

 

***

— Não quer que eu suba com você Lou? Sabe só pra evitar algo..

— Tá tudo bem Nialler, isso é algo que eu tenho fazer sozinho.. Eu sei que não vai se fácil mas...eu prefiro que seja só eu e ele.

— Tudo bem, qualquer coisa me liga..

O loiro sai com o carro e aceno pra ele, me viro pra o prédio fitando o quarto andar da estrutura, solto uma lufada de ar numa forma de aliviar o corpo e a mente. Me faço acreditar que tudo vai acabar bem, cumprimento o porteiro que destrava o portão pra mim. Adentro no prédio esperando o elevador do térreo, aperto o botão do meu andar. O elevador para em alguns andares para que outras pessoas o usassem também, as cumprimento e logo da meu andar. Saio de dentro do mesmo indo até o "meu" apartamento. barulhos do lado de fora aram se ouvido, gemidos...eu não poderia acreditar nisso, era o meu limite naquele momento. Entro de uma vez por todas, me deparando com Adam e uma mulher que seria apenas mais uma pra si numa transa nojento no sofá..

— Oque você ta fazendo aqui? Seu...

— Cala a boca seu babaca, aliás ou moro..ou melhor morava aqui! E se eu fosse você abriria o olho com esse ai fofa, faça bom proveito..

Vou de encontro as escadas, pronto pra arrumar minhas malas e liga para Harry. Escuto burburinhos dos dois..

— Vaza daqui tenho que resolver assuntos com ele..

— Mas..

— Vaza porra!

Retiro minhas malas de baixo da cama, jogando minhas roupas e pertences ali dentro sem o minimo senso de organização, fechando as malas escuto as porta atrás de mim se fechada com força.. Sinto uma mão me virar de abrupto me causando um dor no ombro. meus olhos se encontram com os negros de Adam que fumegavam de raiva, mas eu não iria baixa pra ele não depois de vê oque vi hoje..

—Quem você pensa que é pra falar comigo daquela maneira? 

— Quem você pensa que é pra achar que eu sou obrigado a aguentar aquele tipo de humilhação, dentre outras que não vou sitar se fica muito feio pra você e também não quero desperdiça o meu tempo com lixo humano feito você, chega pra mim deu!

O empurro, espalmando as mãos em seu peito o jogando para trás o fazendo bater as costas na comoda. Ele volta a mim com sua força que, claramente é a mais que eu, me jogando contra parede me fazendo gemer dor . Ele prende meus braços entre suas mãos apertando-os com força, logicamente deixaria marcas dolorosas. Chuto sua barrida o jogando no chão, corro para fora do quarto a trancando por fora, escuto Adam xinga e resmunga coisa que eram abafadas pela porta e seu pé trabalhando em abri-lá com agressividade..

Corro em direção a sala que estava escura, somente a luz da rua clareava o ambiente, vou até a porta e tento abrila mas a mesma estava trancada e não via o molho de chaves em lugar nenhum. Minhas pernas latejavam como meus braços, minhas costas doíam em vários lugares. Me escondo rente a estante de madeira escura da sala, pego meu celular minhas mãos tremiam e a unica pessoa que me veio a cabeça foi Harry, desbloqueio rápido o ecrã do celular discando seu numero com dedos trémulos..

—Alô..Harry? 

Minhas voz sai trémula e chorosa, tento conter a vontade de chorar mas era difícil de conter o medo que me sucumbia o corpo.

—Lou? Oque foi baby, você ta chorando?

Ele responde, sua voz era preocupada, eu não conseguia responde-ló de forma conexa, minha boca abria e fechava vária vezes. Mas nada se formava ou saía, respiro fundo e me acalmo..

-É o Adam.. Por favor vem logo Harry..

Eu precisa dele, de ajuda pra conter Adam e sua fúria. Antes que algo grave acontecesse comigo precisava da proteção dele. Dos seus braços me acalmando me dizendo que tudo ficaria bem.

—Fica calmo Boo, eu já estou chegando ta? Vai fica tudo bem baby..

Tentava acreditar e presta atenção no que ele dizia e pedia, eu estava entrando em pane total. Tomara que ele demore porque quando Adam sai daquele quarto eu não quero mais estar em meu corpo, por que vai ser dez vezes pior do antes. Eu já não queria mais estar nessa vida mais..

—Já to indo Lou..

Escuto um estrondo vindo das escadas, Adam desce as escadas seus olhos negros mais obscuros do que antes. 

—Vem logo Hazz, por..favor. Vem logo...

Sinto ser puxado pelo pulso com força e o celular retirado de minhas mãos e arremessado contra parede e se desfazer em partes. 

— Ta achando que vai ligar pra alguém? Não, você vai pagar por suas atitudes!

— Vai a merda, você não encosta mais um dedo em mim seu filho duma p****!!

Me desvencilho do seu aperto andando alguns passos para trás ele desferi um tapa,  e sinto sua mão ferver em meu rosto e uma queimação no rosto, caio no sofá com a mão no rosto e com os olhos já em prantos, sinto o gosto de ferrugem na boca e o sangue escorrer pelo canto dos lábios . Ele me levanta segurando meus cabelos da nuca desferindo mais alguns murros na região do abdômen. Já não tinha forças pra continuar a não ser esperar pela ajuda de alguém que ouvisse o alvoroço todo.. A porta de entrada da casa é aberta de abrupto e aquelas vozes chegarem em meus ouvidos com o corpo quase apagando..

— Louis!?

— Solta ele agora!

 

-xXx-


Notas Finais


Espero que tenham gostado e tals.. Comentem, vote pfv. Bjss do Guii, até quinta dnv e Fuii!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...