História Eternamente Meu - Destiel - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Personagens Personagens Originais
Tags Destiel, Sobrenatural, Supernatural
Visualizações 81
Palavras 1.497
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Voltei gente! Aqui estou com esse capítulo bem...revelador, digamos...

Capítulo 4 - Lado Ruim


Fanfic / Fanfiction Eternamente Meu - Destiel - Capítulo 4 - Lado Ruim

*Dean

Eu transei com o Cass. Fato. Não temos nada "estabelecido" entre nós, eu...nós, enfim. Agora não consigo pensar muito nisso, culpa da minha mãe, ela some por um bom tempo e agora volta como uma louca-psicopata-matadora-de-anjos. Bom, não só minha mãe sumiu no passado, como meu pai também, mas isso não é hora de falar dele.

Sammy teve que ir com Crowley(eu sinto cheiro de armação nisso), Charlie sumiu tentando achar pistas da minha mãe, Cass não consegue falar com Hannah na rádio dos anjos, está difícil conseguir um resultado aqui. Minha mãe louca por ai não é brincadeira, me pergunto o que aconteceu com ela pra surtar desse jeito. Se a encontrarmos no estado de loucura, vamos fazer o que for preciso pra impedir ela de fazer mal à alguém. 

*Castiel

As coisas estão normais, normais demais. Isso com certeza é ruim, tenho a sensação de que tempos sombrios vêm pela frente, Dean não é mais o de sempre, a um bom tempo. Por falar nele, ontem nós ficamos juntos, dormimos juntos, enfim...posso dizer que sim, estou feliz, porém não sei dizer ele. 

Todos sumiram procurando por Mary Winchester, confesso que não estou nem um pouco interessado em encontrar uma assassina de anjos, seria ruim, muito ruim.

***

*Sam

O que esse Desgraçado quer comigo!? Justo eu, mas, não importa, é pelo bem de todos, minha mãe a solta por ai matando anjos? Não quero arriscar. Crow(desde quando eu chamo ele assim!?), me trouxe pra um lugar...estranho, deve ser o novo quartel do inferno dele. Ele não fala nada, mas é o rei do inferno, não seria diferente.

***

*Dean

Até agora está tudo normal, nenhum caso ou algo fora do comum. Acho que estou perdido nos meus pensamentos faz tempo, Não falei com Cass desde que...bom, ele deve estar bem né? Que tipo de amigo (namorado?) Eu estou sendo? 

Procuro por ele no bunker inteiro e nada, nem fora daqui, onde esse anjo se meteu!? E...finalmente.

-Quem é vivo sempre aparece né? - Eu disse com tom de sarcasmo. E, não percebi mas a cada momento que ele vai entrando no local devagar pela porta, surge a faca apontada pro seu pescoço e QUÊ!? -Dean, eu... - Ela não, não devia se meter comigo, e ainda por cima está com meu Cass! Aquela...

-Ora ora, se não é meu menino já crescido... - Aquele olhar não me engana, ela não ia ser piedosa, meu Deus como preciso de ajuda... -Não dê nenhum passo garotinho...

-Olha só pra você, conseguiu atingir seu ponto mais horrível Mary... - Eu não posso fazer nada, apesar dos meus instintos gritarem pra salvar Cass daquela...maldita! -Larga essa faca e a gente conversa ok? Por favor, não vamos fazer nada... - Quase implorei.

-Não foi o que eu entendi quando chegou até mim a informação que dois irmãos muito conceituados no meio dos caçadores estavam atrás da Mata-Anjos...

Eu já não sei o que fazer, não posso nem me mexer se não...eu, Dean Winchester não sei o que fazer, já passei por isso antes, esse tipo de situação, só que não envolvia uma pessoa que eu amo e a minha própria mãe. 

Agora parece que minhas preces foram ouvidas, finalmente. Charlie chega sorrateira por trás de Mary e lhe dá um golpe certeiro com um de seus tacos de lutas ou sei lá o que era aquilo, sei que teve efeito, Mary finalmente caiu no chão e largou Cass. A primeira coisa que fiz foi ir até ele, eu estava me sentindo inútil por não poder ter feito nada naquela situação...

-Cass!? Você está bem? -Exclamei.

-Calma Dean, agora está tudo certo, ninguém vai me tirar de você tá? - Juro que corei naquele momento e...quase me esqueci, Charlie, que só espiava aquela cena nossa de "casalzinho" e...deixa pra lá. 

-Charlie, muito obrigado mesmo, eu... - Ela me interrompe.

-Não precisa agradecer vadia, eu presumo que essa seja Mary não é? -Ela disse apontando pra Mary caida no chão. -É melhor tirarmos ela daqui e prende-lá num lugar seguro...

Eu e Cass concordamos com aquilo, em seguida, carreguei o corpo de Mary para os fundos da biblioteca do bunker, onde fica o lugar pros caras maus, agora mulheres más também. Fiquei aliviado finalmente, uma coisa pelo menos foi resolvida, eu acho...

***

*Sammy

Crowley me deixou nessa sala esquisita, que por sinal parece um quarto, comida não vai faltar, já que praticamente tem um banquete na mesa perto da cama onde eu to sentado. Alguém entra no quarto...

-Confortável? - Ele entra já me questionando, mas era pra eu fazer as perguntas...

-Claro, - Respondi sendo sarcástico, sarcasmo não é meu forte... -O que quer comigo Crowley, por que me trouxe aqui? - Fiquei sem paciência. 

-Calma Alce, o tempo tem a resposta, mas, eu pretendo ser bem direto. Quero você.

-Como assim? O que isso quer di...perai, é isso que eu to pensando? - Eu já começava a entender tudo...

-É tão óbvio alce! Isso aqui é óbvio, nunca percebeu? A ligação que temos? - Ele dizia aquilo tudo como se todo mundo já soubesse e que eu era o lerdo ali. Não entendo esse cara...juro. -Como eu logo logo vou mudar de receptáculo, casca, o que quiser chamar, achei que seria o momento perfeito pra ter você. 

-Ah, então você...vai ser quem agora? - Fiquei confuso com aquele assunto de mudar de casca e tudo mais...

-Uma pessoa que você possa gostar, uma mulher que...ah...foi praticamente desenhada pelos deuses, quer dizer, Deus... - Disse ele mais com um tom sacana que não gostei muito, agora sei as intenções dele comigo. 

-Olha, vamos acompanhar o tempo Okay? Eu já estou aqui e não vou voltar atrás... - Eu estava confiante. 

-Bom saber alce, bom saber...

***

*Cass

Ser pego por aquela mulher foi o mais horrível pesadelo que eu já tive, não podia fazer nada, ela de algum jeito estava protegida contra meus poderes angelicais, o que é estranho. Mas tudo deu certo, ainda bem, Se Charlie não tivesse aparecido lá, acho que seria um Adeus, de novo, só que pra sempre.

-Dean, o que vamos fazer quando ela... - Aquele monstro finalmente abriu os olhos e nos encarou com...ódio, suponho.

-Que situação ein, eu não espereva ser pega, ainda mais por uma amadora, - Ela encara Charlie, -Então, o que vão fazer, finalmente vocês tem a assassina louca do céu, se forem fazer algo, que façam! 

Aquela mulher não parecia normal, algo estava errado, não sei...algo sombrio gritava nela. Alguma coisa aconteceu...

-Eu só quero saber o porquê, o que te fez pirar da cabeça, o que fez você virar uma assassina psicótica matadora de anjos... - Dean não tinha mais compaixão nenhuma por aquela mulher, e nem afeto. Não sei se eu teria também. 

-Isso não é óbvio querido, achou que dar a luz a você...uma coisa anormal e sobreviver seria mil maravilhas? Não, acho que alguma coisa aqui dentro, - Ela apontou pra sua própria cabeça, -Mudou...e sinto que você sabe disso.

Agora aquilo fazia sentido, Dean não é só humano, mas também metade anjo, o que torna ele um Nephilim...isso faz todo sentido. Mulheres que dão a luz à híbridos desse "porte" não sobrevivem, mas essa exceção não acabou muito certo, Mary estava completamente...louca e psicopata.

Não sei o que Dean planeja fazer com ela, Sammy não deve voltar muito cedo, já que está com o Crowley(isso é bem estranho), as coisas daqui pela frente serão difíceis, acredito eu. Entre mim e o Dean, não sei ao certo, é tudo muito complicado, e impossível não se apaixonar por ele todos os dias, cada vez mais. Sério, esse cara me deixa exc...louco!

*Dean

Eu não vou matar minha mãe, eu não seria tão baixo...mas ela vai pagar pelos seus erros, isso tenho certeza.

-Então Cass, - Ela começa de novo, -Como vai sua amiga...Hannah se não me engano... - Eu sinto muito por Cass, eu ouvindo aquilo, sabia que Hannah não estava mas com a gente.

-O que...o que você fez!? - Cass parece estar fora de si agora, até demais(sem ciúmes Dean), ele não vai esquecer isso tão cedo. Eu conheço o Castiel, isso provavelmente vai consumir ele, já que teve uma "história" com Hannah... -Você...Não pode ter...

-Matei! Matei aquela...coisa, todos vocês são abominações, os humanos não devem nem mesmo encarar uma coisa como vocês anjos...que se dizem graciosos e abençoados e blá-blá-blá. - Ela já estava sem saco pra enrolação, era tão fria em cada palavra, e eu percebi que aquilo soava como tiros em Cass, e devia doer, muito...

-Cass, eu sinto muito... - Tentei "ajudar".

-Não Dean, essa mulher tem que pagar, por tudo, ela ainda diz que nós somos as abominações, ela que não devia estar aqui. - Ele já estava explodindo de raiva, é até estranho ver Cass demonstrando sentimentos agora, ele adquiriu isso, então, é tudo novo, com certeza não deve ser fácil lidar com raiva e tristeza de primeira. 

-E o que quer fazer Cass!? Acalme-se e respire, as opções que temos, não seriam "adequadas" pra gente como nós. Que protegem os outros...

-Só há um jeito então, - Ele parecia finalmente ter a solução, -Vou leva-la ao céu...

***





Notas Finais


Qualquer erro é só avisar, obrigado aos que estão acompanhando essa história, sério mesmo! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...