História Eterno Amor - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~Darkinho-kun

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Fugamina, Sasunaru
Exibições 226
Palavras 2.472
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu estou amando escrever essa fanfic e aqui vai mais um capítulo para vocês, espero que gostem. O final do capítulo tá a maior comédia, kkkkkkkk. Aproveitem!
Vejo vocês nas notas finais :] Beijos de Sasunaru!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Eterno Amor - Capítulo 3 - Capítulo 3

Com mais um dia de aula terminado, Naruto e Sasuke resolveram fazer o que haviam adiado e foram até uma sorveteria muito famosa perto da Konoha High School chamada Provas Deliciosas, e aquele nome fazia referência com o colégio que estava perto, pois num colégio há provas e os alunos geralmente não gostam, mas as provas daquela sorveteria todas amavam. Caminharam cerca de um quilometro da escola até a sorveteria, Naruto pediu uma casquinha de sorvete de baunilha e Sasuke uma casquinha de sorvete de chocolate, os dois se sentaram em uma das mesas em frente ao local para tomarem seus sorvetes com tranquilidade. O loiro excitava o amigo enquanto lambia seu sorvete de baunilha para sentir minuciosamente o sabor, Sasuke fez diferente e deu grandes mordidas, pois queria sentir aquele forte sabor de chocolate em sua boca e rapidamente havia acabado sua casquinha. Então ficou observando Naruto tomar aquele sorvete bem devagarzinho, com leves lambias para saborear. O loiro percebeu que o moreno concentrava seus olhos naquele sorvete e pensou que ele poderia estar querendo-o.

- Sasu, você quer mais sorvete? Se quiser não tem problema, eu pego mais uma casquinha – disse Naruto, tentando adivinhar o que seu amigo queria.

- O quê? – perguntou Sasuke, com sua concentração nas partes lambidas daquele sorvete. Ele se excitava ao imaginar que aquele sorvete poderia ser seu membro sendo completamente consumido pela língua de Naruto – Ah, não. Não, eu não quero outra casquinha, Naruto.

- Então por que tá me olhando desse jeito, Sasu? – perguntou o loiro, confuso.

- E quem disse que eu estava olhando para você ou para o seu sorvete? – Sasuke tentou disfarçar com a pergunta, ele estava tentando confundir o amigo para que eles pudessem mudar de assunto. O clima entre os dois estavam cada vez mais estranho, não era um clima tenso, se é o que poderiam pensar, mas era apenas um clima estranho.

- Bom, estava olhando para onde, então? Tem apenas um lixeiro atrás de mim e um... – ele parou de falar assim que percebeu um lindo funcionário da loja repondo o sorvete de morango no estabelecimento e rapidamente voltou seus olhares curiosos e maliciosos para o moreno – Então é isso? Sasuke! Sasuke! Sasuke! Quer dizer que você tá de olho no funcionário loiro da sorveteria?

- Está maluco? – Não tinha mais jeito, ele teria de dizer a verdade senão as coisas piorariam e o amigo pensaria que ele estava a fim de outra pessoa e, não, ele – Naruto, eu vou te falar a verdade. Eu... estava olhando para você. Mas isso também não tem importância, eu já tinha terminado o meu sorvete, para onde olharia? O céu?

- Ah... É, tem razão. Sasu? Faz uns dias que eu queria falar com você sobre um assunto importante e eu queria que nós conversássemos sobre isso agora – o loiro se preparou para começar um assunto evitado há algum tempo: o beijo que os dois haviam dado no dia do trabalho de Ciências.

- Então diz qual é o assunto – respondeu o moreno, curioso para saber do que se tratava todo aquele suspense. Ele suspeitou que pudesse ser sobre o beijo que os dois deram no dia do trabalho de Ciências e preparou-se para as perguntas e questionamentos de Naruto em sua mente.

- Então, Sasu, eu queria conversa com você sobre o beijo que nós demos há alguns dias na minha casa. Eu fico pensando naquele beijo a cada momento, entende? Eu preciso tirar minhas dúvidas e esclarecer as coisas, desde aquele dia eu não paro de pensar em você e no nosso beijo. O que antes era amizade mudou, alguma coisa mudou entre nós – Naruto pegou na mão do moreno implorando para que ele esclarecesse as coisas e não o deixasse preocupado com esse assunto todo o momento – Por que Sasuke? Ignorou aquele beijo por dias, mas agora terá que falar sobre ele. Por que quis me beijar?

- Eu... Falamos-nos mais tarde, Naruto – o moreno tentou escapar, mas o loiro segurou seu braço esquerdo impedindo que ele saísse correndo – Está certo, eu vou te dizer por que eu te beijei naquele dia, então – Sasuke se sentou ao redor da pequena circular de madeira novamente – Eu te beijei naquele dia porque eu, eu não sei como explicar direito, mas senti algo quando estávamos próximos e comendo biscoitos. Mas sabe o que eu senti depois que te beijei? Nojo!

- O quê? Não! Isso é mentira! – Naruto saiu correndo atrás de Sasuke, que tentava deixá-lo para trás e fazer com que ele se esquecesse daquele assunto, mas o loiro o alcançou e não parava de segui-lo – Sasuke, eu tenho uma proposta para te fazer.

- Não quero ouvir nada de você, Naruto. Estou chateado – o moreno tentava fazer o amigo se sentir culpado por tudo aquilo e esquecer-se daquele beijo, mas Naruto não caiu na pegadinha.

- Chateado? Sério que está chateado comigo? Ah, por favor! Não tente bancar a vítima para cima de mim, OK? Sasuke, por que não passa essa noite na minha casa?

- Está louco? Depois de você voltar com esse assunto que eu tentei deixar de lado? Nunca! – ele queria esquecer tudo o que havia acontecido a qualquer custo, queria preservar a amizade entre ele e o loiro de olhos azuis.

- Por favor! Sasuke pense que vai ser bom para nos entendermos um pouco – naquele momento, o moreno parou de andar e Naruto também – Parou. É sinal de que está me escutando, não acha? Venha para a minha casa, fique lá hoje. Será bom para descobrirmos mais sobre isso que sentimos quando estamos sozinhos um com o outro – Naruto tentou covencer o amigo com palavras calmas, apesar de saber o que poderia acontecer com os dois dentro de casa e sozinhos, mas, no fundo, ele ansiava por aquilo. Então, os dois seguiram juntos até a casa do adorável loiro de olhos azuis como o céu num dia de sol.

Kushina dormia de um jeito estabanado na poltrona perto da cama onde Minato estava. Ela sonhava com seu amado, mas o paraíso foi voltando a realidade à medida que ela acordava, seus olhos se abriam e a visão ia ficando cada vez mais nítida. Quando teve certeza de que estava pronta para levantar, ela deixou à poltrona e foi até Minato ainda um pouco sonolenta, mas levou um susto ao voltar para a realidade tão de repente e reparar que não havia ninguém na cama de Minato. A ruiva pensou que ainda poderia estar sonhando, porém tendo um pesadelo, então se beliscou para ver surtia algum efeito. Nada. Ela, então, desesperou-se e começou a gritar por socorros. Médicos e funcionários entraram no quarto para tentar entender o que havia acontecido, mas de nada ela sabia. Kushina havia acordado e o corpo do seu amado já havia desaparecido sem deixar nenhuma pista, ela não preocupou o filho e nem ligou para o mesmo, resolveu tomar conta desse assunto sozinha e falar com a polícia.

Após horas se passarem, Naruto decidiu que era o momento de levar Sasuke até seu quarto para ver se o mesmo tentava algo para avançar de amizade para namoro, mas não houve nenhuma investida. O loiro ficou um tanto decepcionado, entretanto, não tinha certeza de que poderia se entregar tão cedo. Sasuke se sentou ao lado do amigo em sua cama que possuía uma coberta com desenhos do homem aranha, então os dois foram se aproximando cada vez mais à medida que conversavam. Finalmente chegou o momento em que o moreno tentou beijar o loiro, mas ele recuou surpreendentemente. Naruto despertou fez o ódio de o moreno transbordar e o fez bater em sua face intencionalmente, o loiro permaneceu caído no chão observando o amigo um pouco descontrolado.

- Droga! – gritou Sasuke, irritado – Você não queria isso? Hã? Você não queria que eu o levasse pra cama? Diga a verdade para mim, Naruto. Você quer uma coisa e depois decide querer outra completamente diferente, como tem coragem de recuar agora? – o moreno não entendia os sentimentos de Naruto, ele pensava que o que o amigo queria era apenas uma experiência sexual com o amigo e tudo aquilo seria esquecido no fim das contas, mas as coisas não são como ele imaginava que fossem.

- Você não me entende, Sasuke. Eu... eu não me sinto pronto, entende? Claro que não. O que você pensou? Que eu queria apenas que você me levasse pra cama para eu saber como era ter sexo com alguém do mesmo sexo que eu? Não. Sasuke, eu te amo! – o loiro se ajoelhou em frente ao moreno, que ficou envergonhado de estar presenciando aquela cena e tentou não levar a sério a declaração do amigo. Então ele o levantou e o jogou em cima da cama novamente, e após subir na mesma e ficar muito próximo a Naruto, Sasuke começou a tirar o que vestia de seu corpo. Começou pela camisa, no entanto, Naruto deu um basta na situação. – Sasuke, pare! O que vai fazer?

- Eu não quero sexo, você não quer sexo, então que tal apenas tirar o que vestimos? – o moreno perguntou já impaciente com o loiro, que estava começando a demonstrar algumas atitudes um tanto irritantes e desnecessárias. Pois, por ele, os dois já estariam nus na cama e tendo uma quente relação.

- Como assim? – pergunto Naruto, confuso. Sasuke seguiu tirando suas vestes de seu corpo sem hesitar até estar nu na frente do amigo. – O... O que está fazendo? Sasu... Eu não estou muito à vontade com... – as bochechas do loiro começaram a rosar.

- Faremos um teste, não perderei tempo já que você me trouxe para a sua casa. Amanhã é sábado e meus pais não têm do que reclamar, porque mandei um aviso de que dormiria em sua casa hoje. Naruto... Eu quero dormir nu com você. Quero dormir nu com você, quero dormir abraço à você e sentir nossos corpos colados sem barreiras – e naquele momento, o loiro avermelhou-se como uma pimenta ao ver o membro do Uchiha balançando enquanto os dois conversavam, ele reparou que o mesmo estava excitando-se cada vez mais e endurecendo.

- Sasu... – Naruto foi interrompido pelo pedido de silêncio de Sasuke após encostar seu dedo indicador na boca do mesmo e dizer “psiu”.

- Deixe-me guiá-lo – então, Naruto não disse mais nenhuma palavra sequer. As mãos do moreno percorreram da cintura do loiro até sua cabeça para retirar a camisa de seu jovem corpo, ele desabotoou o zíper da calça do mesmo e jogou-a em qualquer direção no quarto, quando Naruto percebeu que estava apenas de cueca era tarde demais para se arrepender. O moreno pegou nos lados da cueca Box branca que ele vestia e deslizou-a calmamente pelas pernas, até os pés. Os dois permaneceram nus e observando os corpos um do outro, Sasuke abraçou Naruto por trás e juntou suas mãos com as dele, logo dormiram aconchegados nos corpos vizinhos.

O dia amanheceu e Kushina ainda não havia avisado o filho sobre o sumiço do pai, a porta do quarto de Naruto estava trancada e a ruiva nem havia voltado para casa com tantas coisas que tinha que fazer para providenciar a procura pelo marido imediatamente. Sasuke e Naruto foram acordados pelo forte sol batendo na janela em frente à cama do loiro e o despertador tocando ao mesmo tempo, infelizmente, seu dono tinha se esquecido de desligá-lo para religá-lo apenas quando fosse dormir no domingo. Ambos se assustaram ao lembrarem que dormiram nus juntos e colocaram rapidamente suas roupas.

- Naru... Eu queria lhe pedir uma coisa – disse Sasuke, num tom de voz preocupante.

- Pode falar, Sasu – respondeu Naruto, com uma face um pouco rosada após olhar novamente para o membro do amigo.

- Eu queria lhe pedir para que isso ficasse entre nós, sabe? Eu... não quero que isso se espalhe. Na verdade queria pedir para que você esquecesse o que aconteceu nesse quarto. Tudo! Até o beijo que nos demos há alguns dias – o moreno viu seu amigo trazer a sua face uma expressão rígida e incômoda.

- Como pode estar me pedindo uma coisa dessas, Sasuke?! Depois de tudo o que aconteceu ontem? – o loiro não conseguia acreditar nas palavras do Uchiha, discordava deles, mas não completamente. – Eu concordo que temos que manter tudo o que ocorreu em segredo, mas não precisamos nos privar do que desejamos. Sasuke! Eu te amo e você também me ama, o que há de errado? – perguntou Naruto, espantado.

- Naruto... Naru, não há nada de errado. É só que... Você não entende! Eu... eu preciso entender os meus sentimentos – o moreno ainda sentia-se confuso com tudo o que estava acontecendo, pois seu amigo havia se apaixonado por ele primeiro – Você não sabe o que eu sinto, então não é o momento para termos mais além de amizade, entende?

- Eu... eu entendo – respondeu Naruto, tentando ser compreensivo – OK. Mas tenho a ideia perfeita para que possamos entender o que sentimos – o loiro já havia pensado em algo, mas não tinha muita certeza de que seu amigo aprovaria.

- E o que foi que pensou? – perguntou ele, curioso.

- Sasu, e se nós fossemos namorados? Não seria uma ótima ideia para experimentarmos esse novo sentimento? – naquele momento, o moreno gritou assustado com a ideia do loiro – Seria bom, não? Nós nos beijaríamos e experimentaríamos o que é ser esse casal que desejamos ser.

- Está louco? O quê? Não. Espera aí! Eu não vou ser seu namorado, Naruto – afirmou Sasuke, convicto de sua decisão.

- Tem certeza? – perguntou Naruto, tentando despertar dúvidas no amado – Eu sei que você quer me beijar – provocou ele.

- Eu não quero. Quando foi que chegou a  essa conculsão?

- Quer sim – repetiu o loiro.

- Eu não quero – repetiu o moreno.

- Você quer sim! – ele insistiu.

- Eu já disse que não quero! – declarou Sasuke.

- Sasu, você aceita ser meu namorado?

- Naru, eu realmente não aceito ser seu namorado.

- Ah, vai! Por favor! – Naruto insistiu e apelou para a tática infalível dos olhinhos azuis de anjo que ele possuía – Vai, Sasu, eu sei que você quer me aceitar...

- Ah... Eu não quero, mas é difícil resistir... – Sasuke tentava resistir, mas aqueles olhos de anjo estavam consumindo sua visão e sua mente tentava lutar contra aquele pedido, ele estava nervoso por não estar conseguindo resistir à beleza de Naruto – Ah, não... Eu não posso aceitar... Eu...

Continua...

 

 


Notas Finais


Obrigado por lerem! Se quiserem comentem para eu saber o que acharam do capítulo, porque amo ouvir a opinião de vocês. O Sasu tá muito nervoso ^-^ kkkkkkk, fofinhos *-*
Beijos de Sasunaru e até o próximo!
Link das minhas outras fanfic para quem se interessar:
https://spiritfanfics.com/historia/almas-dolorosas-4985200
https://spiritfanfics.com/historia/desonrados-5098161
https://spiritfanfics.com/historia/ativos-5499429


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...