História Eternos Amantes - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eliane Giardini
Tags A Indomada, British Clb, Greenville, Richard, Santa Maria, Santinha
Exibições 26
Palavras 746
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Capítulo 5 - A Volta


OBSERVAÇÃO:
Caro leitor, cada dia escrito no decorrer desse capítulo, ocorre paralelamente aos dias já postados aqui, ou seja, cada dia se refere a um dia já narrado por Santinha ou Richard anteriormente. Não obstante, esta é a visão daqueles dias por outro personagem: Mateus (Herson Capri).

(NARRADO POR MATEUS)

DIA 1
Minha mulher se separou de mim ao descobrir que mesmo depois do flagrante que ela me deu meses atrás, eu ainda continuava me encontrando com outras amantes. Mas nenhuma nunca foi como Santa Maria… Ah, Santa Maria! Me arrependo muito de ter tido medo e não ter ficado com ela quando tudo aquilo aconteceu.
Mas agora, voltei à Greenville e estou indo atrás dela. Lembro-me que ela morava com sua irmã. É para lá mesmo que vou!
Ao chegar na casa, uma senhora que parecia trabalhar lá abriu a porta para mim, a cumprimentei e perguntei sobre Santa Maria.

- Tarde, mas Santinha não mora aqui mais não seu moço. Depois que dona Altiva, a irmã dela, foi internada no sanatório, ela pôde seguir seu caminho com o seu Richard e agora já vai até mesmo se casar... Mas se quiser posso falar com ela. Hoje mesmo ela deve vir para cá porque o British Club, que é o lugar onde ela mora agora com seu noivo, só pode entrar homens.

Disse que não precisava, a agradeci e saí andando pela praça.
Casar? Mas Santa Maria me amava! Não é possível que ela me trocou tão rápido. Eu ainda a amo, ela com certeza ainda deve me amar também. Não vou deixar que esse tal Richard atrapalhe nossa vida. Vou dar um jeito nisso, mas vou precisar de ajuda.

DIA 2
Passei a noite procurando lugar e plano ideais. O segundo consegui em um lapso repentino. Parece arriscado, mas vai dar certo. O primeiro demorei um pouco, mas em minhas vagancias noturnas pelos arredores da cidade, acabei o encontrando. Foi lá mesmo onde acabei dormindo.
Quando amanheceu tratei logo de ir ao hospício. Chegando lá, perguntei por Altiva e a recepcionista me perguntou se era alguém parente. Disse que era um primo de fora da cidade e ela me levou até minha futura cúmplice.

- Quem é você? -Foi o que ela disse assim que me viu entrando.

- Eu sou Mateus. O homem com quem sua irmã Santa Maria fugiu um tempo atrás. -Ela mostrou com a feição que se lembrava. - Vou direto ao ponto dona Altiva… Eu vou te tirar daqui e você irá me ajudar com um plano para ficar com Santinha. Eu sei que você também não a quer com aquele homem de quem ela está noiva. -Ela me olhou surpresa ao escutar essa última palavra e se levantou já exaltada perguntando como tudo ocorreria. Lhe contei tudo e planejamos a fuga.

DIA 3
Era madrugada quando voltei ao sanatório. Como a cidade é pequena e pacata, não haviam seguranças cercando o local. Entrei usando uma copia da chave que fiz hoje cedo com o auxílio de um pedaço de sabão. Entrei sem fazer barulho e Altiva já me esperava. Saímos e com poucos minutos a primeira parte do plano já estava pronta.

Durante o resto do dia, Altiva ficou na "casa" que escolhi para ficarmos por enquanto. Já eu, fui ao mercado fazer compras para durar o tempo necessário para nós.

DIA 4
Altiva realmente não estava de tudo sã. Começo a me arrepender por tê-la tirado do hospício. Assim que eu e minha amada formos embora de Greenville, a coloco de novo lugar onde a tirei. Ela não é parte fundamental do meu plano, só está aqui para me ajudar a controlar Santinha quando ela chegar, pois no início ela vai se zangar, mas depois tenho certeza que ela ficará feliz. Estaremos tendo mais uma chance!

Saí logo no início da tarde e fui para perto do clube onde minha Santinha mora. Ela saiu acompanha de um homem que creio ser seu noivo. Meu rival! Foram até a igreja e em vários outros lugares. Todos passíveis de serem preparativos para o casamento. Estavam sempre sorrindo, trocando carícias… Isso me deixava ainda mais seguro de que precisava tirá-la dali.

Fiquei o dia todo disfarçado esperando a hora certa para abordá-la. Mas ela sempre estava acompanhada.
Já era noite e já estava pensando que teria que voltar outro dia, quando vejo ela sair desacompanhada. Comecei a segui-la sem chamar muito sua atenção, mas fazendo intencionalmente que ela me notasse…



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...