História Eu, a lua e a Mariela - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Luan Santana
Personagens Luan Santana, Personagens Originais
Tags Evme, Luansantana, Mariela
Visualizações 195
Palavras 664
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capa lindíssima da: @larissaf_s

Capítulo 34 - Capitulo 34


Fanfic / Fanfiction Eu, a lua e a Mariela - Capítulo 34 - Capitulo 34

Narração Luan

Abri a porta e Bruna entrou como um furacão, seguida de Marquinhos, Douglas e Breno.

– Oi pra você também.

– Por que o Roberval está falando merda de você no Twitter?

– Porque eu demiti ele.

– O que aconteceu?

– Ah Bruna, ele nunca foi meu amigo, tentou me separar na Mariela várias vezes, ele disse que só estava comigo pelo dinheiro, ele armou pra aquela mulher me beijar e a Mariela ver.

– Finalmente agora que a verdade deu um tapa na sua fuça você acordou.

Marquinhos me olhou sério.

– Pois ele sempre pareceu um cara legal, mas realmente às vezes era estranho a forma que ele agia. Sinto muito cara eu sei que pra você, vocês eram irmãos.

– Eu tenho vocês dois que estão comigo desde antes de eu ser quem eu sou e pra mim isso basta.

Da forma mais gay possível nós três demos um abraço, Bruna obviamente riu e soltou:

– Que viadisse mais linda.

– Cala boca estamos tendo nosso momento aqui.

Ela continuou a rir e nós nos soltamos.

– Espero que vocês três tenham trazido comida, porque eu nem tomei café ainda.

– Folgado.

Eu ia responder quando Mariela desceu, ela tinha tomado banho e apesar de ter secado os cabelos eles ainda estavam úmidos, ela usava um short, uma regata branca e chinelos era a mulher mais linda do mundo.

– Buongiorno a tutti.

– Bom dia amor.

Abracei ela e lhe dei um beijo em seus lábios.

– Você tá linda.

Ela sorriu.

– Obrigada.

Ela abraçou minha irmã e meus amigos e então saiu para comprar café da manhã.

– Tá apaixonado demais esse homem.

– Vou pedi - la em casamento.

– Luan eu amo a Mariela, pra mim ela é da família, mas e se ela nunca aprender a te amar?

– Ela já me ama mais do que qualquer outra mulher que disse me amar, Bruna ela pode não falar, mas demonstra, talvez ela não consiga reconhecer o que sente, mas eu espero até me falar, só sei que é com ela que eu quero passar o resto da vida.

– Não quero que se machuque.

– Eu não quero viver sem ela.

– Então espero que vocês consigam acertar essas grandes diferenças e serem felizes, porque você sabe que uma hora ela vai sentir realmente a falta do mar e quando isso acontecer, não vai adiantar ela deixar parte dela no mar.

Ela tinha razão, mas eu sei que iamos conseguir resolver tudo.

– Eu sei, mas precisamos tentar ser felizes.

– Sim, Pi você tem toda a razão. Agora vamos preparar o café enquanto Mariela não chega da padaria.

Bruna me ajudou a fazer café e chá enquanto Douglas arrumava a mesa e Marquinhos como ele mesmo disse "supervisionava" que folgado.

Mariela logo chegou com pães salgados e doces, sentamos a mesa e tomamos café todos juntos enquanto conversavamos.

Narração Mariela

Luan finalmente me levou a praia novamente, ele ia fazer um show do litoral do nordeste e eu aproveitei é claro, estava me preparando para ir ao mar quando Luan apareceu segurando um equipamento de mergulhador.

– Onde vai?

– Você disse que ia me mostrar grutas que nunca vi antes então...

– Luan não sei se é uma boa você vir, sabe sem outros mergulhadores.

– A gente aluga um barco, e antes de voltar você seca suas pernas, me leva por favor quero ver o mundo com seus olhos.

Sorri era impossível resistir a ele.

– Okay, mas você tem que fazer exatamente tudo que eu mandar.

– Como vou te ouvir debaixo da água?

– Sereias cantam.

Caminhamos até a praia e de lá Luan pegou um barco, disse exatamente onde âncorar e fui nadando até lá, Luan mergulhou e eu peguei sua mão, começamos a nadar e eu sorri, nunca pensei que ficaria tão feliz em apresentar meu mundo para ele, o levei a uma gruta onde nenhum homem havia estado antes, era bem escondida e apenas quem conhecesse bem aquele mar poderia acha - la, assim que entramos Luan voltou a superfície e tirou a máscara de ar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...