História Eu acho que te amo, mas não sei o que é amar. - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Diário, Lauren Jauregui
Exibições 28
Palavras 982
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Dia 26.11.2015


Oie. Ontem foi meu último dia de aula, mas não escrevi sobre ele porque achei mais importante registrar as músicas já que tudo continuava fresco em minha memória. Pois bem, hora de falar sobre ontem.

Eu tive prova de matemática e de produção de texto, encerrando assim meu ano letivo. Já que nunca fiquei de recuperação na vida, nem sequer tiro nota vermelha, eu acredito que não precisarei retornar para fazer prova de recuperação, então, definitivamente, não sou mais aluna daquela instituição de ensino. Agora, uma coisa que puxa, não sou mais daquela sala...e nem Lauren.

Lauren vai mudar de colégio também, acho que já disse, e não sei o que vai acontecer a partir de agora. Para algumas pessoas deve ser simples chamar alguém para sair, fazer alguma coisa, mas pra mim é um tipo de ação que se complica um pouco. Eu sempre acho que estou incomodando ou coisa do tipo. Nunca sei muito bem o que fazer. Não diria que é medo de levar não, mas sim medo de não saber reagir a situação. Se a pessoa confirmar, não sei muito bem se estou procedendo como o esperado, entende?

É complicado...eu sou complicada. Ontem eu fui passear na praia de tarde, sentir um vento e pensar na vida. Retomei um ponto que estava martelando em minha mente. Como eu posso ter tanta certeza de que vai ficar tudo bem?

Bom, eu sei que eu tenho. Eu sinto como se minha história com Lauren ainda não está terminada, ainda vamos nos comunicar, sermos amigas, algo ainda vai acontecer. Eu não sei porque estou com essa sensação, chega a ser bem estranho, mas é como se fosse o destino sussurrando: não se preocupe, ainda não acabou.

Será mesmo que não acabou? Será mesmo que eu ainda vou ver Lauren? Ter contato com ela? Sairmos? Virarmos amigas? Ou será que é só uma resposta do meu corpo para que eu não entre em algum estado de choque? Eu acho que pode ser só um jeito de meu cérebro querer retardar a constatação de que acabou de vez. De que daqui pra frente é só ladeira a baixo quanto ao nosso relacionamento. Pensando assim, não consigo acreditar em minhas palavras.

Eu tenho certeza de que vamos nos acertar. De que, de algum jeito, eu vou conseguir vencer meu medo e chamar ela pra sair, como amigas, para descontrair. Eu vou trabalhar nisso, vou mesmo. Vou sair dessa zona de conforto que eu tenho e estou até ansiosa em testar essa coisa nova. Isso de dar a cara a tapa parece ser interessante. Afinal, pode ser que eu esteja me enganando quanto a nossa amizade e que Jauregui não queira mantê-la. Se assim for, quando eu sugerir um passeio, ela irá zombar de mim. Não na minha cara, embora possa ser que sim, mas para nossas amigas e pro Brad. Se ela fizer isso, é uma mau caráter deslavada, além do que irá me afastar de um jeito que ela nem sequer imagina. Mas, eu sei que ficarei bem abalada com isso, afinal não estou fazendo nada demais, só estou procurando manter uma amizade.

Boa parte de mim não vê isso como possível. Não sei nem que parte maluca de mim inventou que isso pode acontecer, mas a questão é que essa minoria maluca acaba me travando um pouco. O que me resta saber é se eu vou cair para minha parte neurótica ou vou me manter em pé perante meu eu confiante. Vamos descobrir, algum dia.

Bom, eu pretendo contar nesse meu último relato sobre o que vinha protelando desde quarta.

Na segunda feira daquela mesma semana, dia 21, eu estava na sala de aula. Já tinha acabado a prova e estava à toa, pensando em nada. Até que comecei a ter um devaneio erótico com Jauregui, que estava ali do meu lado.

Eu imaginei coisas obscenas. Eu enlaçando-a e prensando contra a parede. Ela se abrindo pra mim. Ela gemendo. Eu a chupando, em todo ponto de pele que pudesse encostar. Imaginei ela rebolando pra mim, baseando os movimentos no que vejo quando ela dança. Sentia minhas mãos ficando cheias com a carne da bunda dela, mesmo que tudo que realmente estivesse acontecendo era eu olhando pro chão sem me mexer. Eu escutava ela pedindo por mais contato enquanto sentia as nossas respirações se juntando. Foi um devaneio bem real e no fundo me senti meio mal por pensar tanta besteira tão cedo e com a menina envolvida tão próxima de mim, mas acabei relevando. Esse tipo de coisa acontece e é bem saudável.

Enfim, deixe-me contar porque último relato.

A verdade é que não sei mais o que escrever porque não sei aonde essa história vai me levar. Eu não sei o dia de amanhã. Não sei se vou criar coragem ou se vou deixar ela sumir de vez da minha vida. Não sei nem se vou olhar aqueles olhos verdes mais uma vez na vida. Eu não sei de nada e se não sei de nada, não sei o que escrever. Eu pretendo viver minha vida e descobrir, aos poucos, como lidarei com a situação.

Meu objetivo aqui foi analisar minhas atitudes e de algum jeito, no final, eu pretendia tirar algumas conclusões. Eu me analisei e percebi como meus sentimentos podem falar alto sem eu nem perceber. Eu percebi que não tenho com o que me preocupar e pretendo guardar esses relatos. São os relatos da minha história de amor. O que vai acontecer aqui pra frente, vai ser vivido, não analisado. Talvez eu pare, daqui a um tempo, para visualizar toda a situação de novo, mas até lá pretendo sair das palavras de esperança e agir com meu coração.

Boa sorte para mim e para todos os apaixonados de corações bobos. Nós merecemos o mundo só por aturar nossos sentimentos incontroláveis e estúpidos, mas tão lindos e sinceros. 


Notas Finais


É isso. Tudo de bom sempre :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...