História Eu acho que te amo, mas não sei o que é amar. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Diário, Lauren Jauregui
Exibições 17
Palavras 2.945
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 9 - Dia 25.11.2016


Fanfic / Fanfiction Eu acho que te amo, mas não sei o que é amar. - Capítulo 9 - Dia 25.11.2016

Oie. Ontem eu fui numa apresentação de uma orquestra sinfônica que tinha elaborado um repertório para homenagear os trinta anos da banda Legião Urbana. A proposta foi muito interessante e eles conseguiram fazer rock com uma banda sinfônica, o maestro é sensacional. Teve um cantor também, claro.

Eu chorei em algumas músicas, a culpa não foi minha, as letras podem puxar prum lado tão emocional, ainda mais com todos aqueles instrumentos tocando. Enfim, eu chorei de paixão, acho que não é um choro ruim, afinal.

Eu pretendia chegar em casa e escrever, mas não tive tempo para isso, então estou fazendo-o hoje.

O repertório foi esmagando mais e mais meu coração, eu realmente chorei. Sentia lágrimas escorrendo pelo meu rosto e despencando da minha mandíbula, molhando sempre o mesmo ponto da minha camiseta. Além disso o choro embargou tanto minha voz que em alguns momentos eu não cantava com medo que minha mãe percebesse que estava chorando e suspeitasse de algo. Em alguns momentos, no começo do derramamento de lágrimas, eu cheguei a encarar o teto tentando impedir o fluxo, mas depois me entreguei a ele, não é sempre que choramos por algo bom.

Enfim, eu tenho a lista das músicas que tocaram e a dinâmica que vou fazer é muito simples, vou colocar as frases que mais mexeram comigo de cada música e fazer mais alguns comentários sobre isso.

‘Será’- ‘Será só imaginação? Será que nada vai acontecer? Será que é tudo isso em vão? Será que vamos conseguir vencer? Ô ô ô ô ô ô ô ô ô ...’. Essa parte me pegou de jeito, mesmo. Eu fiquei me perguntando justamente se seria só imaginação minha. Se nada nunca iria acontecer, avançar de algum jeito. Me perguntei se isso tudo vai ser em vão, se vai passar em branco, ser só mais um episódio da minha vida. Na parte de conseguirmos vencer, eu não consegui pensar em outra coisa que não fosse conseguir ficar junto de Lauren. Será que algum dia eu irei ter ela do meu lado do jeito que desejo mais intimamente? Eu não fiquei melancólica, ao contrário, achei engraçado como eu estava calma perante todos esses questionamentos. Eu não pretendo apressar o destino, seria como querer apressar o nascer da lua, inútil e decepcionante, porque não temos força nenhuma para que isso aconteça. Tudo que tiver que acontecer tem seu tempo certo e se não for para acontecer, no momento certo eu vou descobrir. A questão é, eu não fiquei angustiada em não ter essas respostas, fiquei feliz com a perspectiva de que eu ainda tenho esses questionamentos, porque se me pergunto isso é porque esperança ainda existe. Esperança é tudo que preciso para me agarrar e continuar procurando ser feliz.

‘Quase sem querer’- ‘E ainda estou confuso. Só que agora é diferente. Estou tão tranquilo. E tão contente’. Que é exatamente como eu descrevi ali em cima. Eu não deixei de estar confusa e indecisa, só estou de bem com minhas inquietações. ‘Quantas chances desperdicei’. Nessa parte eu fiquei lembrando de quantas chances eu tinha perdido de ter tido algo com Lauren. Eu realmente não consigo até hoje chegar em um número sólido. ‘E queria sempre achar. Explicação pro que eu sentia’. Eu realmente perdi muito tempo me preocupando em tentar entender o que eu estava sentindo. Tempo esse que eu teria aproveitado muito mais se estivesse usando para realmente sentir o que quer que eu estivesse sentindo. ‘Que mentir pra si mesmo. É sempre a pior mentira’. Nessa parte eu chorei bastante também. Eu tentei mentir por algum tempo para mim mesma, tentando esconder que me interessava por meninas atrás de uma máscara do tipo “isso é influência da mídia e do meio que estou vivendo” ou “são só minhas novas amizades que me apresentaram perspectivas novas e eu só estou curiosa, nada mais que isso”. ‘Mas não sou mais. Tão criança a ponto de saber tudo’. Eu ainda sou teimosa e cabeça dura em relação a muitas coisas, mas não me engano mais em pensar que tenho o controle de tudo quando o assunto é minha sexualidade e meus sentimentos. Eu realmente não tenho o controle. ‘Sei que às vezes uso. Palavras repetidas. Mas quais são as palavras. Que nunca são ditas?’. Nessa parte eu analisei o quanto eu achava clichê todos aqueles textos e filmes de amor, mas a verdade é que mesmo que clichê não tem como escapar porque é exatamente assim que é. São borboletas no estômago, é um polo norte que domina o corpo, um nó na garganta, uma necessidade de olhar para a pessoa, os sonhos apaixonados... tudo é o mesmo. Então, agora que faço parte do grupo apaixonado, eu me pergunto para mim mesma do passado: como ser autêntica se tudo o que sinto já foi dito por milhares de pessoas antes de mim? Então deixe, deixe ser clichê, deixe ser brega, deixe ser meloso, deixe ser verdadeiro. Deixe sentir e permita-se ser um açúcar só porque não é por toda pessoa que nos sentimos assim. ‘Me disseram que você estava chorando. E foi então que percebi. Como lhe quero tanto’. Essa parte caiu como uma luva. Lembra de eu comentar que assim que o assunto da traição vazou a Lauren chorou na escola? Eu não lembro de ter dito com essas palavras, mas eu senti sim uma necessidade de ir falar com ela. Confortá-la de algum jeito. Naquele instante eu não cai apaixonada, mas percebi que ainda tinha uma consideração pela Jauregui.

‘Há tempos’- ‘Meu amor, disciplina é liberdade. Compaixão é fortaleza. Ter bondade é ter coragem’. Eu me convenço cada dia mais que tudo que posso fazer é ser o melhor para ela. Não posso beijar nem tocar ela do jeito que quero então o que me resta é fazer tudo o que está a meu alcance. Me resta ter compaixão por ela e esperar que um dia ela percebe que merece muito mais do que Brad proporciona a ela, mesmo que ela não escolha a mim, que escolha alguém que não a trate como se ela fosse dispensável, porque ela não é. Eu acredito que me controlar e demonstrar paciência e calma, quando muitos se afastariam para tentar reprimir os sentimentos, é uma das minhas maiores demonstrações de coragem. Eu nunca tive os medos banais de sempre: baratas, lagartixas ou fantasmas. Não, meu medo sempre foi esse negócio impalpável que vive dentro de nós, os sentimentos. Essas coisas tão simples de se falar, tão fáceis de explicar (usando os clichês, claro), mas tão difíceis de realmente compreender. Eu tinha medo de explorar meu lado humano e descobrir que sou mais mole do que as pessoas que eu julgava como ‘coração de açúcar’. Eu sou tão humana quanto todos e isso, hoje em dia, é a maior alegria que eu poderia ter. Esse sentimento é tão bom, me sentir parte do mundo. Sou humana e sofro de paixão, que mal há nisso? Que mal há em aceitar a sofrência e andar de mãos dadas com a ‘friendzone’? Eu já vi um mal nisso. Hoje em dia não o vejo mais. Até porque, no final, se não der em nada, vira história pra contar. E essa minha história de paixão está muito melhor do que eu esperava, visto que eu nunca pensei que fosse gostar de alguém nessa intensidade.

‘Ainda é cedo’- ‘Eu só queria estar ali. Sempre ao lado dela’. Nesse momento eu percebi que eu não estava tentando sufocar meu sentimento naquele momento que estava sem sentir tudo tão pulsante e vivo. Não, o que eu estava fazendo era me acomodando mais e mais a ideia de que sim, eu preciso dela perto de mim. ‘Cedo, cedo, cedo, cedo’. No final das contas, ainda é mesmo muito cedo. Eu cantava essa parte junto do cantor com minha garganta como se estivesse bloqueada por um nó. Eu senti o nó e mesmo assim cantei. Eu precisava me entregar àquele momento.

‘Pais e filhos’- ‘É preciso amar as pessoas. Como se não houvesse amanhã. Porque se você parar pra pensar. Na verdade não há’. Claro que vai cair no clichê, essa música é tão linda e conhecida que a letra toda é um baita clichê, mas como eu já disse: que mal há em Camila Cabello cair no popular? A antiga Camila não gostaria disso, ela queria ser original, se sentia diferente por não sentir coisas que os outros sentiam. Sentia-se como um robô e estava infeliz com a situação, mesmo não admitindo tão abertamente, no fundo eu sabia que era isso que sentia. Falta de algo humano pulsando em minhas veias. Eu sou uma nova Camila agora, uma Camila que não vê nada de errado em gritar as frases mais usadas do mundo, porque são elas que descrevem o que sinto. É preciso sim amar as pessoas. Mas, como me atento a Lauren nisso tudo. É preciso amar apaixonadamente a Lauren, como se não tivesse amanhã. O amanhã é a maior ilusão desse mundo (outro clichê), é uma ilusão acharmos que podemos resolver nossas vidas amanhã. Embora eu não possa fazer muitas coisas que gostaria, farei tudo que puder para aproveitar o hoje, é ele que importa. ‘Me diz, por que que o céu é azul? Explica a grande fúria do mundo’. Nessa parte eu lembrei das muitas vezes que já sentei com a Jauregui e compartilhei meus conhecimentos. Lauren tem um raciocínio rápido que ela não explora. Ela entende as coisas rápido, se explicadas, mas não procura informação por si mesma. Eu adoro falar com ela sobre as diversas áreas de conhecimento, sempre tento fazer com que não pareça que estou me gabando, porque realmente não estou. Tudo o que eu quero é contar para ela tudo que ela quiser saber e eu puder responder. Eu adoro ensinar Lauren pois sinto como se estivesse ajudando ela a ser um ser humano cada vez melhor.

‘Índios’- ‘E é só você que tem a cura pro meu vício’. Essa não é uma música romântica, mas meus olhos se encheram d’água com essa frase.

‘Vento no litoral’- ‘Aonde está você agora. Além de aqui, dentro de mim?’, ‘Vai ser difícil eu sem você. Porque você está comigo o tempo todo’. Eu não conhecia essa música da legião, assumo, então foi um momento que tirei para curvar a cabeça para cima e fechar os olhos, prestando atenção no ambiente que estava ao meu redor. A imagem de Lauren ficou pulsando em minha mente. Eu me pego fazendo coisas e pensando como seria se Lauren estivesse junto comigo. Como Jauregui gostaria de tal coisa, faria tal piada com tal outra. Ela está em todo o lugar que estou porque ela decidiu se alocar na minha mente e virou uma inquilina mais que satisfatória. Ter a companhia dela me mostra que não estou sozinha enquanto essa paixão existir e pulsar loucamente. Eu não estou sozinha e mesmo que não esteja com ela, meu sentimento basta como companhia.

‘Quando o sol bater na janela do teu quarto’- ‘Mas ainda temos chance. O sol nasce pra todos. Só não sabe quem não quer’. Essa é outra música que eu não conhecia de letra e mantive-me na posição enquanto me atentava a poesia da música. Ainda existe uma chance, isso se assemelha ao que eu falei da esperança. Se o sol nasce todo dia, sem falta, porque não posso me apaixonar por Jauregui todo dia sem falta? Se o sol dá a oportunidade para que todos comecem de novo, porque não daria para nós duas uma oportunidade? Pode me chamar de iludida, mas eu prefiro positiva. Prefiro ver a vida do jeito mais esperançoso possível porque o mundo já me fez um grande favor ao mostrar que o pessimismo está na maioria dos lugares.

‘Tempo perdido’- ‘Temos todo o tempo do mundo’. Temos mesmo. Eu não sei dizer se vou esperar por ela minha vida toda, porque não sei nem o que vou estar fazendo daqui a um ano. Mas uma certeza eu tenho, esse sentimento nunca vai ser esquecido (já expliquei como vejo essas coisas) e sei que sempre vou ser apaixonada por Lauren. Então, agora, eu não tenho pressa nenhuma e não pretendo ter. O tempo é tão longo até a morte. Não tem porque apressar o relógio.  ‘A tempestade que chega é da cor dos teus olhos. Castanhos’. Nesse momento eu não consegui segurar o choro. Eu já tinha descrito esse tipo de sensação como uma avalanche que se apoderou de toda minha paz de espírito. E toda vez que me perco naqueles olhos dela, uma nova onda gigantesca se forma e afunda todos meus outros pensamentos. Eu me lembro de sussurrar a palavra ‘verdes’ nessa parte da música. Eu não poderia falar castanho pois não é a verdade. Eles são verdes. Verdes e maravilhosos. Maravilhosamente verdes. ‘Então me abraça forte’. Eu lembro de gritar essa parte e na minha cabeça vir cenas de eu e ela nos abraçando, aquilo atingiu meu coração como uma flecha certeira, mais lágrimas embaçaram minha vista do palco. ‘Nem foi tempo perdido. Somos tão jovens. Tão jovens, tão jovens’. Eu não vejo como essa paixão pode ser perda de tempo. Perda de tempo é não me entregar a isso. Perda de tempo é viver minha vida, principalmente a adolescência, como se fosse pré-programa para comer, dormir e morrer depois de tudo. Eu sou muito jovem para pensar que é só isso que tenho para o resto da vida. Sentar e esperar a morte chegar. Não, eu quero ter histórias para compartilhar.

‘Monte Castelo’- ‘Ainda que eu falasse. A língua dos homens. E falasse a língua dos anjos. Sem amor eu nada seria’. Eu percebi que não adiantava nada ser genial, um prodígio das áreas do conhecimento, se não me entregasse a um reflexo do corpo e da mente. De nada adiantava eu querer pagar de conhecedora de tudo se eu não conhecesse nem a paixão de verdade. ‘É só o amor! É só o amor. Que conhece o que é verdade. O amor é bom, não quer o mal. Não sente inveja ou se envaidece’. Só quem ama de verdade (se apaixona) sabe que é inútil sentir inveja de algo. Eu sou tão loucamente apaixonada por Lauren que não sinto inveja de ser o Brad quem ela beija, eu sei que ela escolheu o melhor para ela. Esse é o tipo de sentimento mais saudável que podemos cultivar. O de estar feliz pela felicidade dos outros. Não é fácil fazer isso por muitas pessoas, mas por Jauregui eu consigo sentir isso sem nem pensar. Eu também não quero sair por aí esbanjando como meu amor por ela é mais puro do que eu esperava e como eu sou auto-controlada em relação a tudo. Não, isso é errado. O melhor é guardar tudo para mim. O mundo poderia envenenar esses sentimentos. ‘É um estar-se preso por vontade. É servir a quem vence, o vencedor’. Eu percebi o como eu tenho a liberdade de escolher que o quero é ser fiel a esse sentimento. Eu escolhi ficar agarrada a essa sensação tão prazerosa que é gostar tanto de alguém. Pra falar a verdade. Essa música toda poderia ser aplicada para mim, sem exceção. Ela é todo sobre o simples sentimento de amar, sem cobrar ser amado de volta. Essa música é toda maravilhosa.

‘Eduardo e Mônica’- ‘Quem um dia irá dizer que existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?’. Eu sempre vi os apaixonados como bobos e minha visão não mudou até hoje. Fato. Mas quem pode culpar uma pessoa por se entregar ao próprio coração? Quem tem a resposta para a simples pergunta: Por que comigo?, ou então, Por que por essa pessoa? Não, não existe explicação, simplesmente acontece. Como piscar os olhos. Num dia a pessoa é só mais uma pessoa e no outro ela é o motivo de você ver tudo mais colorido do que era ontem. Você se encontra apaixonado do mesmo jeito que uma menina se encontra menstruada. Ela num dia não sangra e no outro tudo acontece. É mais fácil aceitar que acontece do que se martirizar por ter sido com você, naquele momento. A história de Mônica e Eduardo é tão fofa que ela toda podia virar um filme e eu assistiria várias vezes. Eu gosto de me comparar à Mônica pois sou agitada, gosto sempre de aprender coisas novas e gosto de achar alguém que pelo menos escute meus pensamentos. Embora eu seja bem mais cética do que a Mônica eu acredito que muitas coisas entre nós são parecidas. Meus olhos não secaram nessa música porque embora seja só uma narrativa, ele finaliza repetindo o trecho que destaquei e eu voltei a derramar água na camisa que estava usando.

‘Geração Coca-Cola’- Não tenho nenhum trecho a destacar que pudesse se aplicar a Jauregui pois essa música não é de amor. Mas é uma ótima música e encerrou muito bem o show.

Eu tive sentimentos muito fortes durante a apresentação. Eu acho que foi mais porque eu estava na presença de uma orquestra maravilhosa e um cantor que conseguia trazer sentimento para a música. Acredito que todo o ambiente me levou mais ainda pro lado sentimental. Tudo estava me levando a sentir tudo o que tinha dentro de mim.

Foi uma noite intensa, contudo acho que consegui disfarçar bem meus sentimentos porque meus pais não comentaram nada comigo. Ponto para Camila chorona.

Eu sei que nesse relato eu devia contar o que estou enrolando desde quarta (23), mas um dia eu conto, não se preocupem, quem sabe vai ser até no próximo. Até amanhã.

-20h53min.


Notas Finais


Obrigada por ler, tudo de bom sempre :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...