História Eu apenas queria ver seu rosto irado. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Durarara!!
Personagens Celty Sturluson, Izaya Orihara, Shinra Kishitani, Shizuo Heiwajima, Yodogiri Jinnai
Tags Shizaya, Shizou X Izaya
Visualizações 321
Palavras 1.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OLÁ AMORES, estou bem animada e postando essa fic exatamente 2:46 da madrugada. É minha primeira fanfic então espero não decepcionar. Estou postando pelo celular então peço desculpas se ficar bugada.
É isso, boa(??) leitura <3

Capítulo 1 - Uma ideia um tanto incomum.


   

Izaya estava mais entediado que o normal, espalhava boatos no fórum dos Dólares com a mesma empolgação que alguém leva o lixo para fora. O moreno tombou a cabeça para trás e bufou para esse dia rotineiro. Olhava para a janela, o céu alaranjado de mais um entardecer aparecia com um ar majestoso por entre os edifícios, fitava a movimentação na rua, seus humanos amados caminhando nas calçadas, fazendo compras em lojas de conveniência, saindo dos trabalhos segurando suas maletas, tudo na mais perfeita quietude, pelo menos uma quietude habitual, quando uma máquina de venda automática cortou o ar, se elevando acima das casas atraindo imediatamente os olhos rubros do informante. Um leve sorriso cínico se formou em seus lábios, a primeira coisa que passou em sua mente foi a quantidade de máquinas de venda automática faria aquele monstro jogar contra ele em um dia. Qual era mesmo o seu recorde? Segundos após pensar isso, deixou os ombros caírem e bufou mais uma vez de tédio. O motivo pelo o qual tão rápido essa ideia não lhe pareceu assim tão atrativa foi o simplório fato de já ter feito isso centenas de vezes, não que pudesse ficar entediado com seu detestável monstro loiro, isso estava fora de questão, o problema era o mais visível: a pulga provocava somente o lado agressivo de Shizou, não que esse lado fosse de todo previsível porém as perseguições pelos becos das cidades e os postes arrancados não causavam mais tanta euforia no moreno. Ele poderia prever facilmente os minutos que se seguiram se encontrasse com Shizu-chan agora, o loiro gritaria as sílabas do seu nome em seguida algo próximo seria arremessado em sua direção, Izaya naturalmente desviaria sem muitos problemas e aproveitaria a deixa para falar alguma frase sarcástica sobre seu desempenho naquela briga, Shizou como não pensaria em alguma frase ácida para revidar apenas o xingaria de algo como "pulga maldita", assim começaria mais uma perseguição até a morte pelos becos de Ikebukuro, pela milésima vez.

Não é novidade que quando se é inimigo declarado de alguém desde o colegial as formas diferentes de irritá-la vão se tornando escassas e a fonte de insultos se esgote, mesmo tendo o informante empenhado na tarefa de encontrar diferentes formas de testar a paciência do homem mais forte de Ikebukuro, ele não poderia supor que seria a escapatória para o dia monótono no qual se encontrava.

Então mais uma vez o sorriso mais odiado pelo Heiwajima brotou nos lábios finos do moreno, um sorriso que reservava unicamente para um plano maquiavélico recém formado. Sua mente trabalhava em desenvolver seu plano, de fato não era tão simples, exigia certa preparação das pessoas próximas a ele, o que não era problema já que ele amava trabalhar com as reações delas, todavia tomaria bastante tempo, cerca de uma semana para que pudesse ser posto em prática, mas valia a pena o esforço. O informante estava tão entusiasmado que logo fitou a tela do seu computador e fez seus dedos correrem rápidos pelo teclado, preenchendo o apartamento com um "Tec tec" infernal. Logo estava em um chat dos Dólares, com um sorriso sádico estampando no rosto colocando a primeira parte de seu plano em ação.

************

-Nezumi entrou na conversa-

Nezumi: Boa noite

Usagi30: Noite...

Nakasensei: Boa noite °^°

Nezumi: Hoje aconteceu algo estranho, mas acho que é verdade.

Nakasensei: Oq??

Usagi30: hm?

Nezumi: Estava indo fazer compras e escutei um homem dizendo que Izaya vai largar o trabalho dele, e disse que ele quer se tornar um cidadão honesto.

Nakasensei: An????? '0'

Usagi30: Duvido que seja verdade.

Nezumi: Foi a quarta vez que escutei isso hoje, estão todos mentindo em conjunto, então?

Usagi30: São só boatos, eles se espalham rápido -_-

Nakasensei: Faz um tempo que a cidade está tranquila, isso pode estar relacionado, não?

Nakasensei: E também nunca mais vi ele correndo do Shizou e fazendo confusão.

Nezumi: As pessoas mudam.

Usagi30: Faz sentindo.

Nezumi: Estou indo jantar agora, bye.

Usagi: Bye.

-Nezumi saiu-

************

Izaya estalou os dedos e sorriu satisfeito, agora teria que entrar em mais algumas dezenas de chats e espalhar a notícia que a famigerada pulga maldita queria abdicar do seu título, após isso teria que fazer algumas visitas para dar mais credibilidade. Seria perfeito. Definitivamente seria trabalhoso e demorado, porém quando se tratava de irritar o monstro de Ikebukuro o informante não media esforços, bem, muito menos as consequências, para ser sincero as consequências eram sempre a melhor parte, contudo, as consequências desta vez não agradariam em nenhum aspecto o moreno de olhos rubros, mas ainda não chegamos nessa parte da história.

Orihara estava disposto a passar a noite em claro e foi o quê fez, com uma xícara cheia de café na mesa, com os olhos centrados na tela do computador que iluminava seu rosto pálido, que por sinal era a única iluminação da sala, entrava em chats e mais chats até que acreditou que devido ao seus esforços metade da cidade sabia sobre o boato do polêmico Orihara Izaya, assim como a metade do seu estoque de café estava em seu estômago.

Vagarosamente a luz cálida do sol invadia as frestas entre as cortinas e banhava o rosto cansado do moreno, acentuando sua palidez. Ele apoio suas costas na cadeira e suspirou olhando as horas, estava tão imerso no seu trabalho que quase não reparou quanto tempo estava sentado ali, uma coisa é certa, se ele se empenhasse em neurologia, por exemplo, como se empenhava em irritar Shizo, com certeza seria um neurocientista reconhecido mundialmente.

Com um pouco de esforço se levantou, mesmo com as pernas dormentes devido ter ficado tanto tempo sentando, se dirigiu para o banheiro para um banho rápido, se despiu e se pôs embaixo do chuveiro, deixando a água quente relaxar seus músculos tensos, ele fechou os olhos e se permitiu relaxar, estava tão sonolento que pensou na possibilidade de dormir antes de continuar com o planejado, mas logo surgiu em sua mente o rosto irado que Shizou faria, fazendo Izaya afastar essa ideia e apenas sorri minimamente. Ele também nem chegou a formular em sua mente cansada que ficar pensando no rosto do loiro durante o banho não parecia algo normal de qualquer forma.

Terminou o banho, se enxugou com uma toalha macia e colocou peças limpas da sua roupa de sempre, caminhou de volta a sala com uma toalha sobre o ombros, ao mesmo tempo a maçaneta se moveu abrindo a porta, Namie entrou e observou a figura parada no meio da sala com os cabelos molhados, olhos fundos e de rosto cansado.

–Você está péssimo – a mulher concluiu enquanto se sentava.

– Bom dia para você também – comentou sarcástico enquanto terminava de secar seus fios negros.

– Virou a noite trabalhando? – ela perguntou tentando disfarçar a curiosidade.

– Na verdade eu passei a noite me perguntando se você deve ou não se meter na minha vida. Sabe qual a resposta que eu achei no final de minha reflexão?

Namie apenas bufou e balançou a mão recusando a resposta, enrugando a testa ao ouvir a risada de Orihara. Não satisfeito com essa pequena afronta o moreno declarou.

– Cancele todos meus clientes de hoje. Tenho algo mais interessante para fazer.

Namie conseguiu enrugar ainda mais seu rosto e permaneceu calada, qualquer coisa que falasse seria motivo de divertimento para o informante. Izaya soltou um riso anasalado enquanto realizava uma ligação.

–Selty, querida. Precisamos conversar.

Disse não esperando uma resposta, a mesma não viria. Saiu do apartamento e fechou a porta atrás de si.


Notas Finais


Curtinha porque eu fiz no notas do celular :v
Sacaram as referências nos Nick? Ahauhs
Kisu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...