História Eu caminho sempre com você - Sesshoumaru e Rin - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen
Personagens Inuyasha, Jaken, Kagome, Rin, Sesshoumaru, Youkai Satori
Tags Inuyasha, Jaken, Kagome, Rin, Sesshomaru, Sesshoumaru, Sessrin
Visualizações 377
Palavras 2.225
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


ATENÇÃO: TIREM AS CRIANÇAS DA SALA!
O tão aguardado Hentai chegou! <3
Spoiler Alert: VAI PEGAR FOGO!

Capítulo 10 - Capítulo Dez


Fanfic / Fanfiction Eu caminho sempre com você - Sesshoumaru e Rin - Capítulo 10 - Capítulo Dez

Sesshoumaru passou a ponta de seu nariz pelo pescoço e cabelos de Rin, sentindo seu doce e delicado aroma natural misturado com as essências dos óleos que ela havia passado pelo seu corpo, mais cedo. Seu perfume o inebriava, fascinava, hipnotizava.

Ele voltou a fitá-la. – Está deslumbrante esta noite, Rin. – Ele a elogiou, com uma voz sensual.

Rin corou. Seu coração acelerou, ela deu um sorriso como resposta e começou a tremer de ansiedade e nervosismo.

- Por que está tremendo? – Sesshoumaru perguntou enquanto passava uma das mãos pelos cabelos dela, gentilmente.

- Eu só estou um pouco nervosa... mas... acho que já vai passar. – Ela confessou.

- Se não estiver preparada, não irei obrigá-la a nada. – Ele a tranquilizou.

Se entregar de corpo e alma para Sesshoumaru era tudo que ela mais queria nesse momento. Ela estava pronta, mas seu corpo a estava traindo, deixando transparecer todo seu nervosismo. Mil pensamentos se passaram pela sua cabeça em uma fração de segundos. Até que se lembrou do que Kagome dissera alguns dias atrás para ela: "Relaxe, e deixe-o te guiar". Certo, era isso que ela iria fazer. A hora que ela tanto esperava havia chegado, a hora de finalmente consumar seu casamento com seu amado Youkai.

Como resposta, ela o beijou apaixonadamente, dando o sinal para que ele começasse. Ele suspirou aliviado, devolvendo o beijo. Suas grandes mãos deslizaram pelas costas delicadas de Rin, alcançando o laço de seu obi, desfazendo-o. Sesshoumaru abriu o kimono rosa lentamente e se deslumbrou com a visão que encontrou em sua frente. – Você é perfeita, minha fêmea. – Ele sussurrou sedutoramente ao pé do ouvido dela, com uma voz rouca, arrastada e tomada pelo desejo, que a fez se arrepiar dos pés à cabeça. Sesshoumaru beijou o pescoço de sua humana enquanto fazia o kimono rosa dela deslizar lentamente pelos seus braços até encontrar o chão, e lá estava ela, completamente exposta. Ele deslizou as mãos pela pele nua, macia e perfumada de Rin, sentindo suas curvas perfeitas.

Ela, por sua vez, tomou coragem e começou a desfazer o laço do kimono de Sesshoumaru, abriu a parte de cima que cobria seu peito e abdômen perfeitamente definidos e maravilhosamente atraentes, observando e tocando cada detalhe com suas pequenas e delicadas mãos. Ela retirou por completo a parte de cima do kimono dele, expondo seus ombros e braços musculosos. Ela mordeu o lábio inferior e olhou nos olhos de seu marido mais uma vez, e mais um excitante beijo começou. Um beijo quente que acendeu as chamas dos dois, poderiam jurar que saíam faíscas de seus corpos. Corpos que agora se encontravam absurdamente colados e tomados pelo desejo. Rin podia sentir a ereção de seu Youkai, ainda por dentro de sua calça, em contato com a sua pele nua. Ele sentia o cheiro de excitação de sua fêmea, aquele cheiro que o deixava cada vez mais entorpecido. Céus, eles desejavam muito um ao outro!

Entre beijos e carícias, Sesshoumaru deslizou suas mãos sobre o bumbum e as coxas de Rin, tirando-a do chão e erguendo-a até a altura de sua cintura, enquanto ainda se beijavam. Ela envolveu suas pernas na cintura dele e os braços em volta de seu pescoço, enquanto ele a segurava pelas coxas e bumbum. Sem interromper o beijo, ele começou a caminhar em direção à enorme cama com lençóis e travesseiros brancos e pétalas de rosas vermelhas, e deitou-a delicadamente.

Sesshoumaru se debruçou sobre seu corpo e começou a enchê-la de beijos por todas as partes. Começou pelo pescoço, desceu para os seios fartos, seus mamilos rosados já encontravam-se rígidos, devido ao enorme desejo que ela sentia por seu Youkai, que por sua vez estava deliciando-se com o gosto deles. Ele desceu mais... trilhou beijos por toda sua cintura fina, chegando até as coxas. Ele beijou as partes internas de suas coxas, intercalando entre uma e a outra, enquanto as afastava vagarosamente e chegava cada vez mais perto do ponto de encontro entre suas pernas.

- Sesshoumaru, o que você vai faz-... oh, oh! – Ela não terminou a pergunta, ele já estava com a língua na intimidade molhada dela, ele precisava urgentemente sentir seu delicioso gosto. Rin se contorcia na cama, agarrava os lençóis como podia, estava sentindo um imenso prazer em ter seu Youkai entre suas coxas, explorando-a com sua maravilhosa boca. Ele retraiu suas garras o máximo que pôde, mas ainda não era o suficiente para que ele pudesse usar seus dedos como gostaria naquele momento. Pela primeira vez em sua existência, Sesshoumaru se amaldiçoava por possuir garras extremamente grandes e afiadas, pois ele jamais se perdoaria se ferisse acidentalmente sua fêmea desse modo. Porém, sua língua e lábios estavam fazendo um ótimo trabalho, enquanto ele massageava com cuidado seus seios macios e coxas com as mãos. Ele continuava a saborear a intimidade de sua humana, que já estava arqueando as costas na cama e gemendo seu nome, enquanto tentava alcançar a testa de Sesshoumaru com uma das mãos, como uma súplica para que ele não parasse. O seu primeiro orgasmo veio, ela liberou toda sua essência, que foi degustada e sugada até a última gota por ele. – É ainda mais deliciosa do que eu imaginava. – Um leve rosnado de prazer saiu do peito de Sesshoumaru, enquanto Rin corava violentamente.

Ela estava ofegante. Acabara de ter seu primeiro e delicioso orgasmo, mas ainda queria e precisava de mais. Sesshoumaru a olhou novamente nos olhos, como se perguntasse se ela estava pronta. Ela acenou positivamente com a cabeça, dando permissão para que ele prosseguisse. Ele se pôs de pé no chão novamente, retirando sua calça de uma só vez. Rin mordeu o lábio inferior ao olhar para seu marido completamente nu e excitado bem na sua frente. Seu corpo era musculoso, bem definido e deliciosamente atraente. Sesshoumaru parecia com um tipo de deus, era majestoso. Toda a atenção dos olhos de Rin foi tomada por seu glorioso membro, que era enorme e espesso. Estava completamente duro e pulsante, ansiando por estar dentro dela. – Céus, é enorme! Como tudo isso vai caber dentro de mim? – Ela somente pensou, não se atrevendo a falar.

Sesshoumaru se aproximou novamente dela, ajeitando-se entre suas pernas, calmamente. Ele também nunca havia tido relações com alguém antes, mas agia tão naturalmente e instintivamente, que parecia já possuir certa experiência. Ele estava em chamas.

O casal se beijou brevemente, e Sesshoumaru começou a se posicionar na entrada dela. Ela engoliu em seco, mas o olhar terno e carinhoso que ele lançou para ela a tranquilizou imediatamente. Agora que Rin estava completamente relaxada, Sesshoumaru quis se assegurar de que ela estava pronta para recebê-lo e deslizou seu membro vagarosamente ainda por fora de sua feminilidade, constatando que ela realmente estava molhada.

Ele finalmente começou a entrar nela, forçou a passagem bem devagar, com muito cuidado para não machucá-la, enquanto entrelaçava suas mãos com as dela e a olhava nos olhos. Ele sentiu algo se rompendo dentro dela, e com isso Rin fechou os olhos com força, cerrou os dentes e apertou as mãos de Sesshoumaru, deixando um gemido forte escapar. Sim, a dor era inevitável, por mais que Sesshoumaru tivesse sido extremamente cauteloso e delicado. – Preciso que olhe nos meus olhos, Rin. – Ele pediu, e assim ela fez. Abriu seus olhos, que imediatamente se encontraram com os dele, os lindos olhos âmbares a fitavam cheios de carinho, lhe passando ainda mais confiança. Ele lhe deu um beijo leve, a fim de mantê-la tranquila.

Ele continuou até sentir o final de seu canal estreito, quente e úmido e parou por um momento, para que ela se adaptasse com o seu tamanho. Alguns segundos depois, ele iniciou cuidadosamente os movimentos de vai e vem, bem lentos e sensuais. Depois de poucos minutos, a dor já havia se dispersado e apenas o prazer permaneceu. Ele acelerou os movimentos quando percebeu que Rin não sentia mais dor. Os dois deixaram gemidos de prazer escaparem por suas gargantas. Ao sentir tanto prazer, ela envolveu o pescoço de seu Youkai com os braços, e as pernas em volta da cintura dele, o que acabou dando à ele um melhor acesso para dentro dela. Iniciaram mais um beijo molhado e cheio de desejo.

Longos minutos depois, Sesshoumaru levantou seu tronco e abriu mais as pernas de Rin com suas mãos, segurando-as por debaixo de seus joelhos, permitindo-se aprofundar ainda mais suas estocadas. Rin já estava no seu limite, tentava conter seus gemidos mas estava impossível, Sesshoumaru estava lhe dando um imenso prazer. Ela começou a sentir a mesma sensação que sentira antes e, não demorou muito até que ela gozasse novamente, agora, com Sesshoumaru dentro dela. Seus músculos internos se contraíram, apertando o membro pulsante dele, lhe fazendo chegar ainda mais perto de seu limite. Algumas estocadas depois, ele finalmente, sem hesitar nem por um único milésimo de segundo, liberou todo o seu líquido dentro dela, enquanto rosnava de prazer. Suas essências se misturaram, finalmente haviam se tornado um só.

Sesshoumaru se retirou de dentro dela, mas ainda estava excitado. Ele afundou seu rosto nos seios de Rin, que o abraçou e passou seus dedos pelos cabelos prateados de seu marido. Ela estava ofegante e com um sorriso bobo em seus lábios rosados. – Entregue-se novamente, Rin. Este Sesshoumaru ainda a deseja. – Ele pediu, com uma voz extremamente sensual, beijando-a.

Como ela negaria? Afinal, ela também ansiava por tê-lo dentro dela mais uma vez naquela noite. – Eu o desejo ainda mais, Sesshoumaru. – Ela arfou. Desde quando ficou tão ousada?

- Vire-se, por favor. – Ele pediu, com uma voz lotada de desejo.

Ela fez o que lhe foi pedido, virou-se de costas para seu Youkai, apoiando os cotovelos e joelhos na cama. Aquela visão que ele estava tendo de sua fêmea fez seu corpo estremecer de tesão e soltar um rosnado involuntário pelo seu peito. Seus cabelos negros deslizavam pelas suas costas delicadas, sua cintura fina contrastava com seu quadril largo e bumbum bem avantajado e empinado para sua direção. Ele passou uma das mãos pelas costas de Rin, fazendo com que ela se arrepiasse. Ele deslizou os cabelos de sua humana para o lado, para que pudesse ter uma visão ainda mais privilegiada dela.

Sem esperar mais, afastou mais um pouco as pernas de Rin e colocou-se dentro dela novamente, fazendo-a gemer de prazer, enquanto penetrava sensualmente em sua fêmea, segurando seu quadril com suas enormes mãos. Essa posição em especial, definitivamente acabou o agradando ainda mais. Afinal, ele era um cão e seus instintos afloraram. Ele se inclinou enquanto ainda a penetrava e segurou os seios dela, massageando-os e beijando sua nuca, mas logo depois voltou para a posição inicial, segurando o quadril dela novamente. Rin podia sentir seu ápice chegando mais uma vez, aquela maravilhosa sensação estava chegando. – Se-Sesshoumaru... ah... ah... hmmm... – Ela abafou os gemidos no travesseiro enquanto seus músculos se contraíram contra o membro dele, ainda dentro dela. Suas pernas bambearam e ele a segurou, ajudando-a a permanecer firme. Ele estocou mais algumas vezes, agora em busca de seu próprio gozo e, mais uma vez, liberou-se dentro dela.

Ele se retirou de dentro dela e ela deitou de bruços na cama, ofegante. Ele deitou com o peito para cima e a puxou para si, abraçando-a carinhosamente. Ela deu uma risadinha boba.

- Do que está rindo? – Ele arqueou as sobrancelhas.

- Eu estou muito feliz, Sesshoumaru. – Ela envolveu o peito de seu Youkai com um dos braços. Ele deu um sorriso orgulhoso.

- Você faz este Sesshoumaru sorrir como um tolo. – Ele falou como se protestasse por sorrir tanto quando estava com ela, afinal, isso não era de sua natureza.

- E eu adoro o seu sorriso, você não deveria economizá-lo. – Rin não conseguiu deixar de elogiar o lindo e raro sorriso de seu Youkai. Se beijaram por mais algum tempo e Rin adormeceu em seguida, ela estava cansada, mas muito, muito feliz, realizada e completa. Sesshoumaru se sentia exatamente da mesma maneira.

Amanheceu. Rin acordou, estava com a cabeça deitada sobre o peito forte de Sesshoumaru e constatou que ainda estava sendo envolvida por um dos braços dele. Ela olhou para ele, que estava de olhos fechados, ele ainda dormia. Ela deu um sorriso enquanto observava cada detalhe de seu lindo rosto. – Dormiu bem? – Ele perguntou, ainda com os olhos fechados, mas logo em seguida os abriu e virou o rosto para encará-la.

Ela corou. Não esperava que ele estivesse acordado e sentindo seus leves e quase imperceptíveis movimentos. – Sim, maravilhosamente bem. – Ela respondeu, abraçando-o e aconchegando seu corpo ainda nu ao dele. Ele virou seu corpo para envolvê-la também com o outro braço, deslizando sua enorme mão pelas suas costas, até o seu bumbum e apertando-o levemente.

- Como se sente? Tem alguma dor? – Ele perguntou, preocupado com o bem-estar de sua fêmea.

- Me sinto fantástica... só estou um pouco dolorida.

- Este Sesshoumaru a machucou? – Ele ficou um pouco apreensivo.

- Não! Você foi perfeito, Sesshoumaru. Acho que é normal que isso aconteça na primeira vez. Estou perfeitamente bem, isso deve passar logo, não se preocupe. – Ela falou com uma voz doce, a fim de tranquilizá-lo.

Continuaram abraçados por mais algum tempo e decidiram se levantar para tomar banho. Entraram juntos na banheira e tomaram um longo banho cheio de beijos e carícias. Quando terminaram, se secaram, se vestiram e desceram para o desjejum.


Notas Finais


E então, o que acharam? Alguém quer que eu chame os Bombeiros? Ou o SAMU?

Acho que nunca li uma história em que o Sesshoumaru também fosse virgem. A maioria das pessoas o vê como o maior comedor do mundo, uma máquina de sexo que já transou com milhões de mulheres, mas, sinceramente eu não o vejo dessa maneira. Durante a série, duas mulheres (Sara e Kagura) praticamente se jogaram no braço dele (quando ele tinha um só, hehe) e ele não deu a mínima condição, apenas respeitava os sentimentos delas por ele. E como eu já havia deixado claro no Capítulo Dois, ao meu ver, ele nunca se interessou em ter relações com alguém, só buscava ainda mais poder para superar o pai, e sempre achou esse tipo de coisa uma perda de tempo, algo completamente descartável. Acho que ele só teve esse interesse e desejo despertados quando a Rin cresceu e eles se apaixonaram. Gosto de pensar dessa maneira, eu realmente não enxergo o Sesshoumaru como um "canalha", isso com certeza não combina com a personalidade dele.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...