História Eu, Cinderela?! - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cinderela, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Nico di Angelo, Percy Jackson, Thalia Grace
Tags Adolescente, Amizade, Aventura, Cinderela, Contos, Disney, Drama, Percy Jackson, Romance
Visualizações 36
Palavras 972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora



Capítulo 9 - Solteiro finalmente


Fanfic / Fanfiction Eu, Cinderela?! - Capítulo 9 - Solteiro finalmente

Percy's Pov.

Eu estava num dilema. Eu tinha chamado uma garota para o baile, que eu não conhecia - Eu conhecia, até porque não tem lógica nenhuma convidar uma desconhecida para sair, a verdade é que eu nunca a vi pessoalmente - porém também tinha a minha namorada, que estava esperando eu convida-la, mas eu não ia fazer isso porque eu já tinha um par. Eu queria terminar com ela, mas eu conheço a Drew e não é legal quando ela é contrariada.

Bom, meu pai é Poseidon Jackson, dono de quase toda a costa marítima de NY, e bom, por mais que ele ainda tenha amado minha mãe por muito anos, o casamento deles não deu certo, e então meu pai casou novamente. Lizzy era uma mulher maravilhosa, e apesar de não ser minha mãe, cuida de mim como se fosse seu filho. Minha vida não é tão complicada, enquanto eu estiver dentro dos planos de meu pai. Ele queria que eu me tornasse um jogador profissional, um sonho que ele não conseguiu realizar, mas apesar de ser um esporte que eu ame, não penso necessariamente, em me formar para jogar pelos Yankees.

E tem também a Sabidinha, a garota incrível que conheci em um chat que minha irmã me inscreveu. Sim, eu tenho uma irmã, seu nome é Kristal, mas ela mora com seu noivo em Londres. Na época em que ela me colocou nesse site eu tinha acabado de terminar com minha namorada, Lexie, e eu tinha ficado muito mal, então eu minha irmã falou bem assim "Cresce o mané, se ela não te quer tem quem queira" e me cadastrou no site. Foi ai que eu a conheci, Flor de Libélulas (até hoje me pergunto o porquê deste nome) ou Sabidinha como prefiro. E desde então ela tem sido minha amiga, minha confidente, meu baú de segredos.

É claro, que no início isso para mim nunca passou de duas pessoas conversando pela internet, tanto que eu comecei a namorar a Drew, a menina mais popular do colégio. Ah, qual é eu já não tenho muito, tenho que cuidar do que restou e isso inclui minha popularidade. Eu sou o capitão do time de Futebol, e namorar e menina mais, mais de escola ajuda bastante. Isso pode parecer egoísta, ou até mesmo machismo, mas Drew era uma garota legal, pelo menos no começo.

Não achei que uma conversa no chat, poderia se transformar em algo a mais. Até porque não podemos confiar tanto assim na Internet. Existe muitos loucos neste mundo. Mas minha conversa com Sabidinha era real demais para ser uma psicopata louca. Ela era real demais e convida-la só ia fazer com que tudo que eu sempre imagino se torne verdade.

Obviamente que para isso, eu deveria terminar meu relacionamento com Drew. Não sou tão baixo a ponto de sair com uma garota ainda estando compromissado com outra. Não sou canalha.

Como sempre eu estou sozinho. Meu pai foi trabalhar, e a Tia Matilde - nossa empregada-devia estar para chegar. Pego uma maçã e saio de casa no meu Cadilac preto. Ligo para Drew pedindo para ela me encontrar no Walle's.

A turma toda estava lá. O Christopher, o Nico, o Luke, a Jess e até a Calipso. Porque será que a Drew sempre tem que levar ela e mais dez? Me sentei junto a eles cumprimentando todo mundo. Conversamos um pouco sobre assuntos alheios, até que a Annabeth - a garçonete - chegou.

-O que vão querer?

-O que você tem sem colesterol e sem gordura? - perguntou Drew.

Ela pareceu pensar e depois fez aquela cara de quem acabou de lembrar-se de algo e respondeu a pergunta fazendo todo mundo rir.

-Você quer com gás ou sem?

-Como?

-Ué, você quer água não é? - ela perguntou se fazendo de inocente.

-Idiota. - Drew simplesmente respondeu revirando os olhos.

Ela fingiu não ouvi e se virou para os outros na mesa.

-E vocês o que vão querer?

-Eu quero um X-burg e uma Coca. - pediu Luke.

-E eu vou querer um Duplo e uma Coca, também. - Pediu Christopher.

Todo mundo fez seu pedido e ela se retirou indo para a cozinha, nos deixando a sós novamente. Bom eu não podia enrolar então fui direto ao ponto.

-Drew, precisamos conversar.

-É claro, fale. - ela respondeu sorrindo.

-Acho melhor a sós.

-Percy, querido, somos amigos e tudo que falar pode ser dito na frente dele. - disse falando do pessoal.

-Ok. - eu disse dando de ombros, se ela quer passar vergonha na frente deles, tudo bem. -Não irei ao baile com você.

Um choque passou em sua face. E depois ela sorriu.

-Você está brincando, né?

-Não. - respondi sério. -E também tenho que dizer que o nosso relacionamento acaba aqui.

-O que? Mas por quê?

- Olha só, eu... - respirei fundo, porque apesar da garota ser insuportável, não queria ser indelicado. -Conheci outra garota, e bom, acho que pode rolar algo, e não quero ser injusto com você.

-Você não está bem, você vai para a casa vai pensar direito e depois nós conversamos com mais calma ok? - Como se fosse a rainha do universo se levantou e foi embora.

Acho que ela é maluca, mas pelo menos não fez escândalo. Não tenho o que pensar, e se ela me conhece bem, sabe que não volto atrás com minha palavra.

Os meninos ainda sem falar nada também vão embora, surpresos com os acontecimentos. Como se terminar meu namoro com a Drew fosse o fim do mundo!

Eu me levantei e então a Annabeth voltou, e me senti culpado por ela, ter todo o trabalho e no final a gente nem comer.

-Toma. - disse lhe entregando o dinheiro.

Ela viu que o pessoal já não estava lá colocou as coisas no balcão.

-Não precisa.

Guardei o dinheiro e saí entrando no meu carro decidido, e finalmente me sentindo livre e com a certeza de que no baile eu finalmente iria encontrar a mulher da minha vida.


Notas Finais


Até o próximo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...