História Eu comigo mesmo - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Como Treinar o seu Dragão
Personagens Astrid, Banguela, Soluço
Tags Astrid, Banguela, Como Treinar Seu Dragão, Hiccstrid, How To Train Your Dragon, Soluço, Tempestade
Exibições 94
Palavras 969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oie, caritos e caritas! Aqui esta mais um capitulo para vocês. Espero que gostem!!
ESSA FANFIC FOI BASEADA NAS TEORIAS E IDEIAS LOUCAS MINHAS!

Capítulo 18 - The fort was found


Os cavaleiros voaram o dia todo, vasculharam em tudo que é canto, mas nenhum sinal do Viggor ou do Viggor do passado. Já estavam todos cansados, principalmente os dragões. Soluço disse para todos irem para casa e descansar, amanhã continuariam a busca.

Soluço e Astrid voltam para a casinha, eles entram e tiram os desfases. Estavam muito cansados, deram comida aos Nadders e ficaram conversando enquanto comiam algo. Sem perceberem, alguém estava os observando, a pessoa anda cautelosamente encima das árvores, ela abre um sorriso após ver os dois na casinha e some nas sombras.

 

- O Viggor deve ter ido atrás dele mesmo e como não sabemos onde está o outro Viggor.... Fica difícil! – Fala Soluço se sentando em uma cadeira

- O Viggor 2, que é o do nosso tempo, já deve ter encontrado o 1 – Eles ficam em silencio. Astrid ouve algo vindo das arvores - Ouviu isso?

- O que?

- Fica quieto! – Astrid vai até a janela para tentar ver algo. Lá fora estava um breu, as únicas luzes que haviam eram da lua e de uma lamparina – Tenho certeza que ouvi algo, e as folhas estão balançando ali, mas não vejo nada! – Soluço se aproxima dela e tem uma ideia.

- Já sei com descobrir quem era! E se for um dos homens do Viggor... – Soluço olha para ela que a mesma entende o plano

- Pegamos ele! Soluço você é um gênio! – Ela dá um beijo na bochecha dele e pega na mão do mesmo, puxando-o para a porta e desce as escadas

 

Eles vão até a casa de cada um dos cavaleiros e fazem os acordar. Explicam tudo o que aconteceu e o plano. Melequento reclama sobre esta perdendo o tempo do seu sono da beleza, mas ninguém presta atenção. Os gêmeos comemoram, “ Finalmente um pouco de ação” falou Cabeça Dura.

Os cavaleiros voltam a casinha e pedem para os dragões tentarem farejar algo, até que Perna de Peixe acha um pedaço de pano e diz que é feito de couro de dragão. Ele entrega para cada um dar para seu dragão sentir o cheiro. E eles logo seguem o rastro deixado pela pessoa.

Depois de voar por um tempo, os dragões param perto de uma caverna e Banguela empurra o pequeno Soluço para ela, ele entra e percebe uma luz no fundo. O pequeno Soluço chama todos e mostra o que encontrou. Astrid e Soluço vão na frente, ela segurando seu machado e ele segurando sua espada flamejante (o que deixou o pequeno surpreso e interessado nela).

 

- Eu vou fazer essa espada? Uau, ela é incrível! - Sussurrou o pequeno que logo Soluço abriu um sorriso.

 

Eles vão entrando devagar, passam por algumas tochas queimadas, e pelo visto apagadas recentemente, pedras e pedaços de madeira. Até que chegam em uma parede de arbusto. Banguela se aproxima e faz um sinal com a cabeça que é por ali que têm que passar. Soluço assenti e faz um movimento com a mão e os pequenos entendem que é para esperarem ali. Em seguida, ele olha para a Astrid e ela assente com a cabeça como se dissesse que estava pronta. Os dois passam juntos.

Os cavaleiros ficam esperando algum sinal que para que possam passar.

Soluço e Astrid ficam de boca aberta quando viram o tamanho do forte de Viggor. Era duas vezes maior que o domínio, tinha 4 torres grandes, cada uma em um canto. Nelas haviam berserkers vigiando todo o lugar com arcos e flechas. Haviam também pontes que davam passagens para vários pontos, várias casas onde eram os alojamentos, os refeitórios, depósitos de armas e um calabouço.

Soluço e Astrid podiam ouvir rugidos altos de dragões desesperados para fugir. E por fim, no centro, tinha uma enorme construção. Onde Viggor ficava e onde era realizado a maioria das coisas. Toda aquela base era assustadora, dava até arrepio só de pensar que dragões, e até mesmo pessoas que tentassem e arruinar os planos de Viggor, ficavam ali, sobre sua custodia.

 

- Esse lugar é com certeza maior que o domínio! – Falou Astrid. Eles chegam mais perto da ponta, onde tina uma escada que seguia para o forte. Soluço não consegui falar nada, estava espantado e ao mesmo tempo admirado pelo tamanho do lugar – Soluço... Soluço... Soluço!!

- Astrid fala baixo, quer chamar atenção deles?

- Tá, mas é porquê você não me escuta! – Ela fala um pouco estressada – Eu disse para chamarmos os pequenos, eles precisam ver isso!

Ela se vira para os arbustos quando ouve algo se mexendo. De repente tinha um berserkers tapando a boca de Soluço e o segurando pelos braços. Antes que tivesse qualquer reação, outro vem por trás dela e consegue imobiliza-la. A garota desmaia. O pequeno Soluço aparece e vê toda aquela cena. Ele pensa em atacar, mas não iria funcionar, estavam em desvantagem. Ele volta para trás e avisa a todos para evacuarem.

 

- Nós não vamos conseguir salva-los sozinhos! – Cabeça Quente falou enquanto voavam.

- Vamos ter mesmo que pedir ajuda a mais alguém! – Perna de Peixe

- Vamos falar com seu pai! Talvez ele e mais alguns homens nos ajude, depois é só falar com a Gothi e ela dá o troço de perder a memória pra todo mundo – Melequento

- Tenho que admitir que não é uma má ideia, Soluço. Mas devemos contar sobre isso só para pessoas que temos confiança. – Astrid

- Se sairmos por aí contando a todo com certeza vai ter gente que não vai tomar pra não esquecer! – Cabeça Dura.

O pequeno Soluço não falou nada, ele estava pensando na possibilidade de não precisar contar a ninguém, para não botar ninguém em perigo e não ter o risco de mudar o futuro. Mas devido a circunstâncias, se tentassem atacar sozinhos iriam se dar mal.


Notas Finais


Espero que tenham gostado do capitulo! Minhas aulas já estão acabando, dia 02/11 termina!!!! Ebaaaaaaa!!! Então quer dizer que talvez, só talvez, eu poste 2 capitulos por semana, porem a fanfic pode acabar mais rapido..... mas ai vcs decidem!
Tchauzinho <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...