História Eu e as estrelas - Capítulo 51


Escrita por: ~

Exibições 32
Palavras 937
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIE DESCURPE A DEMORA
MAS CÁ ESTÁ MAIS UM CAP. ESPERO Q GOSTEM.
obrigado por todo apoio q cêis tem me dado, mesmo que uns e outros estejam querendo me subestimar. Mas força, né?

Boa leitura! ^^

Capítulo 51 - Você será capaz de me perdoar?


Fanfic / Fanfiction Eu e as estrelas - Capítulo 51 - Você será capaz de me perdoar?

Yuuki on~

Era difícil ver Sakura-chan tirar malas empoeiradas e velhas debaixo da cama. Aquela cena me fazia lembrar da última vez que eu vira meu pai, admito que aquela ação da Sakura-chan estava me deixando preocupada, e se acontecesse algo com ela? Eu realmente não que isso acontecesse, mas meu orgulho falava mais auto do que minhas emoções, até meu cérebro estava, pela primeira vez, concordando com meu coração, por que o orgulho tinha que acabar com tudo?

Eu estava tentando me distrair ajudando minha mãe com as roupas quando vi Sakura-chan descendo as pressas com seu celular, ela pegou seu casaco de tecido fino, seu cachecol e suas botas. Estava prestes a sair quando minha mãe a chamou, fazendo com que ela voltasse sua atenção para nós, em especial, para mim, mas seus olhos repletos de tristeza me preocupavam mais ainda.

— Aonde vai Ichigo-chan? — Minha mãe perguntou com um sorriso.

Ela deu uma olhada fuzilante em mim antes de responder para minha mãe. Ela esboçou um sorriso, no qual somente eu sabia que era forçado

— Estou indo a procura de casas ou apartamentos disponíveis.

Minha mãe suspirou tristemente.

— Você não precisa ir embora, você é praticamente da família, você é como uma filha pra mim e como uma irmão pra Yuuki. Sabe que pode ficar.

Ela apenas sorriu forçadamente novamente e assentiu saindo de casa.

— Por que será que ela vai embora? — Minha mãe me perguntou triste.

—...eu não sei.

Eu sei que todos já estávamos acostumados com a presença alegre dela todos os dias, agora só faltavam dizer isso para o meu orgulho.

— Eh? Ichigo-chan saiu apenas com aquele casaquinho? Ela vai passar frio.

— Mas não está muito frio lá fora, mãe.

— É claro que está. Veja. Está nevando lá fora.

Fui até à janela da cozinha e vi alguns flocos de neve caindo levemente sobre a terra. Aquela roupa com a qual Sakura-chan saiu, não iria fornecer calor suficiente para ela no meio da neve. Eu tinha que fazer algo para ela, eu finalmente poderia dizer um basta ao meu orgulho, mesmo que fosse difícil. Eu reconheço que as palavras que eu havia dito a ela foram uma das piores. Que tipo de pessoa diria a outra: "continue aguentando."? Pensando nisso agora, eu me sinto uma inútil. Eu fiz uma das maiores besteiras da minha vida, e finalmente eu tenho a chance de corrigi-la e eu vou fazer isso, custe o que custar. Espero que ainda exista uma maneira dela me perdoar, se é que ela também não foi esmagada por um furacão chamado Hana Yuuki.

[...]

Sakura on~

Caminhei pelas ruas sem rumo, na verdade, eu só queria sair daquela casa, eu não podia suportar saber que eu estava vivendo debaixo do mesmo teto que uma pessoa que me odeia.

Eu me sentei em um banco na praça que ficava perto da escola. Estava frio, mas por alguma razão eu não sentia o frio roçar minha pele, eu nem sabia em que mundo eu estava naquele momento. Minha vida havia ficado confusa desde a chegada do Yamada-kun, ela bagunçou as gavetas organizadas da minha cabeça, além de que ele sempre diz coisas estranhas para mim.

— Argh! — Gritei e pessoas direcionaram seu olhar para mim.

De repente, senti alguém tocar meu ombro, foi a primeira vez no dia em que senti alguém me puxar para o mundo real.

— Temos uma garotinha perdida aqui.

Olhei rapidamente para trás.

— Hiro-san! O que está fazendo aqui?

— Compras. E você?

— Procurando casas ou apartamentos disponíveis.

— Uh? Você não mora com a Yuuki? — Ele se sentou ao meu lado.

Esbocei um sorriso fraco.

— Morava. Acho que esquecemos o real motivo do porquê de eu ter ido morar com ela. Mas agora que já está tudo resolvido, eu não preciso mais dos seus cuidados, afinal, eu sempre morei sozinha...

— Não foi por causa da briga? — Eu fiquei em silêncio — Sabe que não pode ficar assim para sempre.

— M-Mas eu sou um fardo pra ela e sua família, eu nem sou parente deles ou algo assim, e-eu...sou a pior pessoa do mundo.

Ele colocou suas duas mãos em meu rosto e direcionou minha cabeça para perto da sua fazendo com que eu olhasse diretamente em seus olhos.

— Você-não-é-um-fardo, você é a melhor companhia que alguém poderia ter, você-é-a-melhor-garota-que-existe. Pare de tentar se rebaixar a alguém que você não é. Você está errada e sabe disso!

— Eu...não sei mais...o que fazer.

— Sabe, você e Yuuki são muito parecidas. Ambas são muito orgulhosas para admitirem que erraram e pedirem desculpas, mas tem uma coisa em que você e Yuuki são diferentes. Você entende que é preciso dar o primeiro passo, Yuuki é muito orgulhosa e um tanto infantil para entender isso.

Corei com suas gentis palavras. Ele viu o quão envergonhada eu estava e tirou suas mãos do meu rosto.

— Então...está frio, né?

—...é.

— Hã...minha casa é aqui perto, vamos, está muito frio aqui fora.

—...vou ter que enfrentá-la não é?

— Provavelmente.

— Obrigado.

— Senão fosse você, eu ainda estaria sem saber o que fazer.

— E agora sabe?

Assenti e ele sorriu. Eu o ajudei com as sacolas e fomos até o apartamento onde ele morava. Tirei meus calçados e entrei no luxuoso quarto.

— Pode sentar.

— Obrigado. —- Sentei em uma almofada perto do Kotatsu.

Olhei para a grande janela ao meu lado e vi muitos flocos de neve caírem suavemente.

Yuuki-chan, você será capaz de me perdoar?

[...]

Yuuki on~

— Sakura-chan! — Gritei por seu nome.

Eu já havia procurado em todos os cantos, eu não a achava e eu sabia que a culpa era minha.

Sakura-chan, você será capaz de me perdoar?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...