História Eu e as estrelas - Capítulo 51


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ao Haru Ride, Hirunaka no Ryuusei, Kaichou wa Maid-sama, Kimi ni Todoke, Suki-tte Ii Na Yo, True Love
Personagens Personagens Originais
Tags Romance, Suki-tte Ii Na Yo
Visualizações 45
Palavras 633
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Bishounen, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OIEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE AQUI ESTÁ O PENÚLTIMO CAP. GENTEEEEEEEEEEE
TO TRISTE POR ABANDONAR VCS, mas é a life
MAS NAU ABANDONAREI VCS, LEIAM ROLLER COASTER!!!
é isso meu povo, bjs

Capítulo 51 - Aliança


Fanfic / Fanfiction Eu e as estrelas - Capítulo 51 - Aliança

Alguns anos depois...

— Obrigado por me ajudar com as mudanças, Yuuki. — Falou Sakura se sentando sobre o seu sofá.

— Não foi nada, mas acho que quem fez o trabalho pesado foi o Yamada. — Apontei para o homem que estava deitado sobre o outro sofá com a respiração pesada. 

Há alguns meses atrás, Sakura acabou por casar-se com Yamada. Quando foi rejeitada por Hiro no colegial, Yamada foi quem costurou seu coração rasgado, e ela acabou se apaixonando pelo mesmo.

Sakura se aproximou do homem afagando seus cabelos castanhos.

— Você foi o nosso Herói. Mas, também devemos agradecer a nossa escritora Yuuki por nos ajudar.

O homem dá um sorriso nasalado e se levanta do sofá indo para a nova cozinha do casal. Nós duas ficamos sozinhas na sala de estar e sentamos no sofá, uma ao lado da outra.

— Quem diria que o "Garoto insuportável" iria virar seu marido!? — Comentei. — Mais uma vez, parabéns pelo casamento.

— Obrigado, e o Naruse?

Fiquei em silêncio.

Meu relacionamento com Takumi não está sendo o melhor dos relacionamentos. Ele tem estado distante, e isso aconteceu de alguns meses para cá.

— Pelo menos eu posso viver um romance perfeito nos livros em que eu escrevo. — Ela riu.

— Sabe, vocês namoram a um bom tempo, já tem uma certa intimidade, por que não pergunta o que está acontecendo?

— É...

Dois dias depois...

Eu havia acabado de tomar banho e colocar um vestido azul marinho com rosas vermelhas por toda extensão da saia quando a campainha tocou me fazendo ficar confusa, já que eu não estava a espera de ninguém. Abri a porta e vi um grande buquê de flores a minha frente com todos os tipos de flores.

Dei um sorriso nasalado enquanto o homem tirava o buquê do rosto mostrando sua face.

— Quer sair hoje? — Perguntou ele.

Revirei os olhos e sorri.

— Claro, Takumi.

[...]

Caminhávamos pelo parque de mãos dadas. Nós conversávamos sobre coisas aleatórias como sempre fazíamos.

— E Sakura e Yamada?

— Se mudaram para a casa nova a dois dias, eu te falei que iria ajudar com a mudança, esqueceu?

— Ah...é...

Nos sentamos em um banco de madeira próximo a uma árvore. Eu observava o céu azul sem uma nuvem sequer.

— Já pensou em um final para seu livro? — Ele perguntou.

— Não sei se faço ela vai embora e fica fora por alguns anos ou eles se casam.

— Então...posso te dar minha opinião?

— Claro...

Ele fica de pé e me puxa pela mão, o que faz com que eu levante e fique para em frente a ele. Takumi ajoelha-se e retira uma caixinha do bolso.

— Hana Yuuki, eu sei que não tenho sido o melhor companheiro do mundo, as vezes te machuco ou a deixo com raiva sem perceber, mas gostaria de saber de você, Hana Yuuki, aceita casar com esse cara a sua frente que você pode ter certeza que tem os mais verdadeiros e puros por você?

Mordo o lábio inferior na indecisão. Olho em seus olhos e me lembro de tudo o que já passamos juntos.

— Sim Takumi, eu aceito ser sua esposa. — Ele esboça um sorriso, me pega o colo e deposita um beijo demorado em meus lábios que logo é retribuído por mim.

As pessoas que caminhavam pela praça começaram a aplaudir, o que fez com que eu escondesse meu rosto no peito dele ainda completamente corada. Eu me surpreendi ao estar mais animada do que eu imaginava apenas com o seu pedido.

— Eu te amo. — Ele sussurra em meu ouvido, em seguida, pega minha mão e coloca a aliança em meu dedo.

— Eu também te amo...e muito. — Fiz o mesmo e recebi um beijo em minha testa.

Olhei a aliança mais uma vez e sorri com os olhos marejados ao perceber que eu havia ficado noiva do meu primeiro amor.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...