História Eu e meu violão - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Eldarya
Tags Trouxisse Aguda
Exibições 44
Palavras 1.490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Ficção, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


OLÁÁÁÁÁÁ! COMO VÃO?


Bom, daqui uns dias vou me mudar, entãão... Daqui a uns cinco dias (acho) vai ficar sem fic por um tempo, que fique avisado desde já ?,?

Leia aí S2

~Bia-san

Capítulo 11 - Um certo tempo depois...


- 1 semana depois -

- Aehow, Mister Máscara!

- Oh, olá Ally!

"No fim das contas o mascarado era bem legal, naquele dia ele me levou pra sua cabana perto do rio (não pense coisas erradas plz) e me convidou para ficar lá até arranjar algum lugar fixo. Durante essa uma semana, ele veio a treinar meus poderes. Não tenho 100% de controle quanto a eles, mas já sei 'flutuar', o que me foi útil, ainda estou com a perna machucada. Dá pra andar, mas prefiro não forçar a barra"

- Mas e aí? Você descobriu algo?

"Desde que cheguei aqui ele se despôs a investigar esse meu banimento fútil"

- Bom, andando pelos arredores do Q.G, ouvi algo como "eu avisei" ou "não fui com a cara dela desde o início" vindo de uma garota de cabelos... Uh... Azuis ou verdes, não sei bem definir

- Hahah...

- Porque está rindo?

- Ela deve ter enchido o pacová deles assim que cheguei, então só agarrou a oportunidade no momento certo e eu, sortuda do jeito que eu sou, me descontrolei. Ela me disse enquanto eu estava em "coma" que alguém gostava de mim e esse alguém era dela e disse que eu não ficaria no seu caminho  

- Hm...

Ele parecia processar algo em sua mente quando eu vi um Seryphon, e logo eu vi na sua pata um "anel". Sabia muito bem de quem era aquele Seryphon

"Kero"

O mesmo me trouxe um papelzinho que tinha algo escrito

'Desculpe'

Ouvi passos e logo ao fundo da mata, um platinado que eu conhecia

- Máscara, corre

- Uh? Por que?

- Obsidiana

- ...?

- VAMO BICHO LERDO!

Eles começaram a se aproximar

- CORRE MÁSCARA

Nós pegamos o que estava no alcance e o máscara a correr e eu, a "voar/flutuar" na mesma velocidade.

- Máscara!

- O que?

- A árvore!

- Que árvore?

- Aquela!

Apontei para uma árvore com um buraco no meio, aparentemente oca

- Entendi

Nos enfiamos na árvore e ficamos em silêncio absoluto

- Onde eles foram?

"Valkyon"

- Sei não, chefia

- CONTINUEM PROCURANDO!

- Fudeu - murmurei

- Onde eles se meteram...

"Glups"

- SAIAM! SE EU ACHÁ-LOS SERÁ PIOR

"Não, obrigada"

- SAIBA, ALLY, QUE ESTÁ COM UM FORAGIDO

Olhei pro Máscara. Podia sentir que estava constrangido

- Não pretendia me contar tão cedo, não é? - murmurei

Ele ficou parado

- VOU TE DAR UMA CHANCE PARA VIR COMIGO, ALLY

- Já volto - saí da árvore discretamente

- VAMOS, SAIA!

- Pare de berrar, parece que bebeu - Falei parada de frente para ele jogando o peso na perna "boa"

- Fez a escolha certa, A-

- Shiu, calaboquinha. Eu não decidi porra nenhuma. Não vou.

- Ordens da Miiko, Ally

- Eu tô banida de Eldarya, o que ela vai querer comigo?

- Não sei. Mas ordens são ordens, e você volta comigo

- Nope

Ele tentou agarrar meu braço, mas eu flutuei antes

- Queridon, eu disse "não". Avisa pra Miiko que se ela quiser vim falar comigo, que venha ela mesma aqui. S-o-z-i-n-h-a.

- Você...

- Eu...?

- Se aliou ao foragido?

- Bom, pelo menos ele me ouviu antes de me julgar "culpada"

- Ally...

- Ally é o cacete, ele é muito mais confiável que todos vocês somados vezes dois ao quadrado!

- Não fale besteira...

- Bom, eu já vou, se quiser, fica aí, esperando. Mas pega uma cadeira, esperar de pé cansa

- Ally, olhe o seu estado. Machucada, sem nem um lugar pra morar... Você acha que vai muito longe assim?

- O Máscara viveu a vida inteira assim e ainda está de pé. Não vai ser um machucado e a falta de um teto que vão me matar

- Humpf... Eu voltarei Ally

- Volte com reforços na próxima vez

Ele saiu dali.

- Ugh, gente estúpida

- Ei

O Máscara aparece do fucking nada

- AAH DIABO! NÃO ME ASSUSTA ASSIM, CACETE

- Heh heh, desculpa

- Uh, e agora?

- Precisamos de comida

- Captei... Mas é errado não é?

- Um dia você ia saber de qualquer jeito que não sou tão "certinho" assim

- Que tal uns potes de mel de um certo elfo azulado?

- Parece bom

- Vamos!

- Na despensa -

- Vivi tempo suficiente aqui dentro pra saber onde tem mel

- E eu já entrei aqui vezes o suficiente pra saber exatamente onde está cada coisa

- Desculpa, expert

Nós pegamos o mel e nos dirigimos á janela pra pular. O Máscara foi primeiro e eu tava quase lá quando eu senti alguém puxar minha perna. MACHUCADA. Me virei pra ver quem era

"Esse cara só sabe ferrar com a minha vida, NÃO É POSSÍVEL! Assim não dá pra ser feliz"

- Parada aí, escrava

- Nain nain nain! Me solta! Tá doeeendo!

- Não. JAMON

- FUDEU MÁSCARA ME AJUDA

O Mácara me puxou de supetão, fazendo com que o Ezarel me soltasse e eu desse um berro

- MAIS CUIDADO NÉ CACETE!

- Uh, Ally?

- Sim?

Ele apontou um punhado de pessoas mais pra frente vindo em nossa direção, dentre eles, Valkyon, Nevra e Ezarel que pulava a janela. Cercados

- Quer saber que se foda

Peguei o Máscarado pelos braço e flutuei. Com muito custo.

- YARGH!

Comecei a "voar" saindo daquele bolo de gente e larguei o Máscara no chão

- Obriga-

- AGRADECE DEPOIS AGORA CORRE

Começamos a correr de novo e nos escondemos em uma caverna

- E agora?

- Agora você vai conversar comigo, assim como deseja, Ally

"Miiko?! Como essa diaba chegou aqui?"

- Você não parece sozinha

- Ah, eles não sabem que eu vim pra cá

- Vamos, diga o que quer falar

- Não com ele - Ela aponta pro Máscara

- Deixa ele aí, não tá atrapalhando ninguém. Agora vai, desembucha.

- *suspiro* Em Eldarya, antigamente, alguns moradores se revoltaram contra o reino e quebraram o cristal. Nós demos conta do recado e achamos que eles não nos incomodariam mais, porém...

- Porém...?

- Nós não esperávamos que mesmo depois de ESMAGAR aquele grupinho, eles iriam continuar crescendo silênciosamente

- Para de enrolar e desembucha logo

- A questão é que o pequeno grupo se tornou uma legião mais forte do que podíamos esperar

- Calma, cê tá me dizendo que vocês não tem condição contra eles, a coisa tá preta pro lado de vocês e AÍ vocês pensam em ME CHAMAR de volta?

- Pode pedir o que quiser! Alguma coisa, QUALQUER COISA! É pelo bem de Eldarya

- Hm... Um segundinho, por favor

- Você vai?

- Sei lá, pra MIIKO vim suplicar pra mim, é porque a coisa tá feia

- Hm

- Tem algo pra pedir?

- Como assim?

- Eu não tenho nada pra pedir.

- E o violão?

- Como voc- ... - Ah, é. Lembrei. Você me vigia e blá blá blá. Quanto ao violão, eu conserto de buenas

"Só que não​"

- Hm, não quero ser um foragido. É, é isso

- E então Ally?

- Eu vou, Miiko

- Uff

- Mas o meu amigo aqui não pode mais ser foragido

- O QUE?

- É isso ou nada

- Hmpf, ok

- No Q.G -

- VOCÊ!

- Oi pra você também, Ezarel

- Miiko o que ela faz aqui?

- Eu a chamei

- E ele? Não era um foragido?

Ela deu de ombros

- Não mais

- Mas...

- Queira me acompanhar

Miiko e Máscarado vão à sala do cristal

- Vou cobrar meu mel, sua...

- Sonha - Eu o cortei

- TIA ALLY!!!!

- Oi Mery!

- Você voltou! Você voltou!

- É, voltei

- Yaay!

- Mas como vai Sabalia? - pergunto preocupada

- T-tio Ez disse que iria cuidar dela... - Ele parecia relutante

- Ah é?

- Uhum

- Mery, nos dê um minutinho?

- Tá! Mas só um!

O Mery se afastou, feliz da vida

- Olha aqui desgraça, cadê minha Sabali?

- Não sei, talvez eu tenha deixado ela escapar...

Segurei as pontas pra não surtar

- Eu tô bem irritada. E te juro que se eu explodir de novo eu não vou parar até te ver em cinzas

- Wow, wow, cama aí, vamos negociar

Eu passei dele e fui pro corredor das guardas. Entrei no seu quarto

- Hm... Huhum... - Em pouco tempo o quarto dele tava um caos

- EI!

- Ups! - Pulei a janela e fui para a sala de alquimia

- Plink, plink - Agora, o laboratório também estava caótico, mas no meio da bagunça achei Sabalia, num cantinho, que quando me viu pulou em mim

- Wow, calma, estou feliz em te ver também!

Ezarel entra

- O... Meu... LABORATÓRIO!

Eu saí correndo dali com a Sabalia

"Calma, 'Ez', vai ficar pior, heeh heeh"

ALLY!

 

Cabô '3'

 


Notas Finais


A gente olha pras nuvens, fala que uma parece isso, outra aquilo... Será que as nuvens olham pra baixo e falam:
- Alááá, aquele tem formato de trouxa, olha só!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...