História Eu e meu...WHAT?? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Doyoung, Jaehyun, Johnny, Taeyong, Ten
Tags Fluffy, Johnny, Johnten, Nct, Ten, Yaoi
Visualizações 56
Palavras 3.699
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Droubble, Festa, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá a a

Essa fanfic foi feita para a minha amiga sofredora por Johnten. Eu nem estou no fandom nem nada do tipo.

Capítulo 1 - Capítulo único.


  - Eu já disse Doyoung, não vou sair de casa. -Eu digo pela décima terceira vez. 

  - Ten, você tem que se animar e não ficar sofrendo sozinho. Por favor, se você for hoje eu paro se insistir. 

  - Aish. Tá, eu vou mas pare de me enxer.


Meu nome é Ten Chittaphon, e vou contar brevemente o que eu passei nas últimas semanas. 


Eu namorava Jaehyun um garoto que conheci durante o colegial. Nosso namoro já durava três anos, quando ele terminou comigo por estar gostando de outra pessoa.

Eu fiquei arrasado, claro. Eu era completamente apaixonado, faria tudo por ele, por isso fiquei muito mal com o término. Isso ocorreu um mês atrás. 


Desde então tudo o que eu faço é comer comida pronta e dormir e sofrer o dia inteiro. Nada fora do normal.


Até...bem, algum certo Doyoung vir me atormentar. 


Eu sabia que precisava seguir em frente...mas poxa eu quero sofrer em paz pelo menos um pouco até eu esquecê lo. 


Mas como não iria ter jeito de seguir meu plano hoje, entrei para debaixo do chuveiro, deixando que a água quente e o box cheio de vapor levassem as frustrações pelo menos naquela noite.


Doyoung já estava pronto quando chegou em minha casa, já que veio justamente para me levar consigo, então assim que terminei de colocar uma roupa decente já saímos de casa e pegamos um táxi.


Quando chegamos na boate, como o habitual, Doyoung foi direto ao bar pegar a primeira bebida da noite, a primeira dentre muitas.


Eu não era aquele cara certinho que não faz nada de errado, já fiquei bêbado algumas vezes, mas eu não queria ficar assim agora. Não toquei em uma gota de álcool desde o meu término. Tinha medo de que, afetado pelas emoções desde e da bebida, eu me descontrolasse e fizesse algo que não deveria fazer, como ligar desesperado para Jaehyun pedindo para ele voltar atrás em sua decisão. 


Eu sabia que aquela escolha não era minha. Ele tem o direito de ser feliz com quem ele quiser, mesmo que não seja comigo, por isso não vou interferir.


Me sentei em um dos bancos do bar, e logo o barman veio perguntando o que eu beberia. Apenas acenei com a mão dizendo que passaria a vez.


Um homem de cabelos castanhos se senta ao meu lado. Ele tinha alguns fios grudados no rosto, provavelmente por conta do suor. Ele se senta de modo que seus cotovelos o sustentem na bancada do bar.


  - Deixa eu adivinhar, alguém te forçou a vir, não é? -Ele perguntou e eu olhei para trás ver se era com outra pessoa. Ouvi uma risadinha. -É você mesmo.

  - Como adivinhou? -Perguntei curioso e me virando para ele.

  - Sua cara de desânimo. E outra: não estou vendo nenhum copo com você. 

  - Você é muito reparador. Eu não reparo nem o ônibus que tenho que pegar. -Digo e ele ri.

  - Na verdade é porque estou na mesma situação. Meus amigos vem para esses lugares e eu viro a babá.

  - Te entendo, mas no meu caso eu só deixo eles fazerem o que quiserem e depois eles que se virem. -Digo e nós rimos.

  - Prazer, sou Johnny. -Ele diz e estica a mão.

  - Igualmente, sou o Ten.


Conversei bastante com esse Johnny. Ele era bem divertido e foi muito melhor do que ficar olhando para o nada sozinho. 


Ele me contava uma de suas histórias emocionantes, quando eu olho para o lado vejo Doyoung e alguém se beijando calorosamente na pista de dança. Acho que já estava na hora de levar ele de volta para casa antes que as coisas fugissem do controle


  - Foi um prazer te conhecer Johnny, mas acho que já deixei uma criança se divertir demais por hoje. -Eu digo e ele faz um biquinho -Que eu achei particularmente muito fofo- E depois assentiu. 

  - Tudo bem, também foi um prazer te conhecer. Acho que também vou procurar meus amigos. -Ele diz e eu aceno, começando a andar na direção de Doyoung.


E sim, eu cheguei separando o beijo mesmo.


Uma hora e meia depois, eu estava deitado em minha cama, com um bêbado roncando no colchão ao lado desta, me impedindo de dormir.


Enquanto não podia dormir, fiquei relembrando o dia de hoje. Afinal, não havia sido tão ruim ir para a boate.


Conheci uma nova pessoa, e só esse fato já melhorou meu humor, e talvez, mas somente talvez, tenha me dado forças para seguir em frente com minha vida.


Duas semanas se passaram. E é besteira dizer, mas por causa de uma simples boate minha vida voltou a ser (quase) normal. 

Voltei a procurar um emprego, e felizmente consegui um. Voltei a sair de casa, fazer as coisas que eu gostava. 

Não podia negar que ainda pensava em Jaehyun, mas esse fardo se tornava cada vez menos recorrente, porém não menos doloroso.


O horário de almoço finalmente chegou, então saio do prédio onde estava trabalhando e ia para uma lanchonete próxima, quando ouço uma voz me chamando. Uma voz que eu me lembrava perfeitamente. 

  - Ten! -Ele chamou, então olho para trás, o vendo com um sorriso e acenando.

  - Oi Johnny. -Digo agora sorrindo também e me aproximando. -Que surpresa te encontrar.

  - Eu estava indo no subway agora e te vi. Quer ir comer alguma coisa?

  - Na verdade, eu também ia para o subway. -Digo e nós rimos da coincidência. 


Caminhamos até o estabelecimento e conversando durante o caminho. Pegamos nossos sanduíches e nos sentamos em uma mesa.


  - Hoje você parece estar mais feliz do que aquele dia, hun? -Ele diz.

  - É, estou superando.

  - Fico feliz com isso, mas...do que exatamente você está superando?

  - Bem...Você sabe...meu namorado terminou comigo.

  - Ah. Se não quiser falar sobre isso tudo bem. -Ele diz e eu sorrio de lado.

  - Não, tudo bem, acho que vai ser bom eu contar para alguém sobre como eu me sinto.


E então eu contei. Contei tudo o que eu sentia. Desde quando ainda namorava, do que eu sentia com Jaehyun até o atual momento, onde ainda era doloroso, ainda sentia saudade e ainda era difícil pensar nele. E não só pensar nele, mas pensar nele com outra pessoa.


Quando eu acabei de falar, Johnny já segurava minhas mãos, transmitindo segurança. Aquele gesto, por menor que fosse, significou muito para mim.


  - Eu agradeço por você ter se aberto para mim dessa forma. Sei que está sendo difícil para você Ten, mas o tempo cuida de todas as feridas. O começo é complicado, mas depois fica mais fácil de lidar. 

  - Eu sei. Eu só queria que essa hora em que eu o esqueço chegue logo.

  - Mas você não vai esquecê-lo. -Johnny diz e eu o olho confuso. -Por mais que seja doloroso lembrar, vocês criaram esses memórias e momentos juntos, e elas não vão simplesmente desaparecer. Vai chegar o momento em que olhar para essas lembranças não vai ser mais doloroso, é verdade, mas não que você vai esquecer todos os momentos vividos. 


Processei aquelas palavras por alguns segundos. Era uma filosofia que ele jamais havia tido antes. Olhou o garoto a sua frente ainda pensativo, vendo que ele retirou o contato das mãos de ambos, e agora olhava para os lados envergonhado.

  - Desculpe, acho que eu fui profundo demais agora. -Ele diz e eu sorrio.

  - Não tem problema, sempre quis ter conversas profundas em uma lanchonete. -Digo e ele solta uma gargalhada gostosa.


Olho as horas em meu celular, meu horário de almoço já estava quase no fim.


  - Obrigado por me ouvir Johnny, mas eu estou em horário de almoço, preciso voltar ao trabalho. 

  - Ah sim, claro. Vamos indo então. -Ele diz e se levanta junto a mim, e quando olho para a porta, meu corpo gela.


  - Ten? - Jaehyun pergunta sorrindo e se aproxima de nós. Não pude deixar se notar que havia cortado o cabelo, ou que tirara o anel que eu havia o dado, ou que tinha companhia. 


Depois de um tempo calado, eu consegui dizer.


  - Oi Jaehyun. 


Eu estava muito desconfortável, e sabia que não era um bom ator, mas estava tentando muito não fazer uma cara horrível ao olhar para os dedos entrelaçados aos dele. Dedos estes que não eram meus.


  - Quem é esse? - Jaehyun pergunta, olhando para Johnny. 

  - Ele é meu... -Fui interrompido antes de dizer "Amigo".

  - Namorado. -Johnny diz e eu quase gritei. Na verdade eu fiz isso, gritando um grande "WHAT??" na minha mente. Olhei para ele, que para a minha ainda maior surpresa, se inclinou para mim e me deu um selinho. 


Ok, vamos fazer uma pausa para que eu possa respirar.


EU NÃO CONSIGO RESPIRAR!


UM FUCKING CARA GOSTOSO DA PORRA QUE EU CONHECI À POUCO TEMPO ESTÁ ME BEIJANDO NA FRENTE DO MEU EX NAMORADO DIZENDO SER MEU ATUAL.


DEUS EU JÁ POSSO IR PRO CÉU MAS ESPERA UM POUCO QUE EU QUERO VER ONDE ISSO VAI DAR.


Arregalei meus olhos após o selinho ser desfeito, vendo que ele sorria. 


  - E na verdade, eu sou um pouco ciumento, então nós já vamos indo. -Ele diz e entrelaça nosso dedos, me puxando para fora dali.


Meu cérebro estava lento, como uma internet fraca tentando processar um download. Tentei tirar minhas mãos das de Johnny, mas com a mais simplea força que eu fiz para as separar, ele segurou mais firmemente, se inclinando e sussurrando em meu ouvido. 


  - Eles ainda estão olhando. -Ele diz e eu paro de me afastar.


Eu já entendia o que ele queria fazer. Ele queria mostrar para Jaehyun que eu já estava seguindo em frente, e de certa forma de tirar daquela situação. 


Quando viramos a primeira esquina, ele me permitiu me afastar.


Eu ainda estava envergonhado, então quando fui falar com ele, olhei para o chão. 


  - Obrigado por me tirar dali. -Digo e ele sorri.

  - Eu que peço desculpas por ter te pegado de surpresa. 


Eu vou ignorar que eu gostei um pouquinho. Também ignorem quando eu estava surtando e meu subconsciente o chamou de gostoso da porra. Eu estava em um momento fragilizado e não consciente de minhas ações. 


Johnny me estende um papel, e quando vejo era um número de telefone. 


  - Se precisar de mais alguma ajuda ou problema pode me chamar. -Ele diz e dá uma piscadela.

  - Ainda não me decidi qual dos dois você é. - Digo e ele ri. -Tchau Johnny, até outra hora.

  - Até. -Ele diz e volto para o meu trabalho. 



Como é bom ter aquele silêncio profundo, a maciez da coberta e nenhum despertador para estragar sua mordomia.

Finalmente o fim de semana chegou. Poder ficar o dia inteiro em casa fazendo...bem...nada. Mas é exatamente esse o bom do fim de semana.

O incidente na lanchonete aconteceu na quarta feira, três dias atrás, e até agora não contatei Johnny. 

Na verdade, quem havia me ligado era Jaehyun , mas como eu estava em horário de trabalho, tive uma desculpa para não atender, mesmo que tivesse visto o celular tocando e simplesmente não quis atender.


E olha lá: É só falar no diabo que o bicho aparece. Lá estava meu celular tocando, e o contato "Jaehyun " aparecendo na tela.


Resolvi parar de enrolar e atender logo àquela maldita ligação. 


Jaehyun : Ten?

Ten: Sou eu.

Jaehyun : Ah, oi! Eu te liguei a semana inteira, por que não me atendeu?

Ten: Eu estava trabalhando. 

Jaehyun : Então você conseguiu o emprego? 

Ten: Sim.

Jaehyun : Parabéns!

Ten: Obrigado. 

Jaehyun : Então, eu estava pensando...Podíamos fazer um encontro duplo. Eu e o Y e você e seu namorado...como ele se chama?

Ten: Johnny. 

Jaehyun : Então, o que me diz?


Eu simplesmente odiei a ideia. Teria que olhar para Jaehyun e Taeyong juntos e agir normalmente com aquilo. Sem contar que eu nunca gostei da ideia de encontros duplos. Um encontro deveria ser uma coisa somente você e mais alguém passando um tempo divertido juntos. Encontros duplos geralmente parecem mais uma competição de qual é o melhor casal ou algo parecido.


Mas por algum motivo, pensar que Johnny estaria lá comigo me passava algum tipo de confiança. Lembrei de suas palavras, dizendo que eu nunca esqueceria Jaehyun , mas minhas lembranças com ele deixariam de ser tão dolorosas.


Eu deveria seguir em frente...Não é? Talvez esse encontro seja algo positivo para mim, como talvez encerrar esse lado da minha vida que se resumia em Jung Jaehyun.


Ten: Nós estaremos lá.  

Jaehyun: Ótimo! Depois te passo o lugar e todas essas coisas. 


Nem esperei para me despedir ou coisa do tipo, só desliguei a chamada e suspirei. 

Fui até a mesa da sala, onde eu havia deixado um papel com um número anotado.


Logo disquei. 


Johnny: Alô?

Ten: Sou eu.

Johnny: Oi Ten. Aconteceu alguma coisa?

Ten: Jaehyun me ligou querendo marcar um encontro duplo. Eu aceitei, então preciso da sua ajuda.

Johnny: Sabia que você não ia conseguir ficar muito tempo longe desse meu corpinho lindo. Eu vou te ajudar, mas a gente precisa pensar em algumas coisas.

Ten: Mais convencido que você não existe. E que tipo de coisas?

Johnny: Coisas de casais normais, tipo como nos conhecemos, à quanto tempo estamos juntos e etc. Você vai fazer alguma coisa hoje?

Ten: Pretendia dormir o dia todo, mas se é por uma boa causa eu sacrifico minha hibernação. 


Johnny me passou seu endereço e pediu para eu ir para lá. Tomei um banho rápido, me vesti e rapidamente fui para o local indicado. 


Ele parecia morar sozinho, assim como eu, já que seu apartamento não parecia ser muito grande.


A porta foi aberta assim que toquei na campainha, e um Johnny com um sorriso que fez minhas pernas terem uma leve fraqueza apareceu. 

  - Oi namorado. -Ele diz e eu rio.

  - Oi amor. -Rebato e ele arregala os olhos mas ri mesmo assim.


Entro em sua casa. Por mais que fosse pequena era bem arrumada. Ele se sentou em uma poltrona e eu no sofá em frente a ele.


Conversamos sobre assuntos cotidianos primeiramente, como "como foi seu dia" e coisas do tipo, até que decidimos trabalhar de verdade montando todo um relacionamento em algumas horas.


A melhor sugestão, dada por Johnny, foi se que nós nos conhecemos ainda no ensino médio, um ano antes de Jaehyun entrar no colégio. Johnny desde então foi apaixonado por mim, mas quando ia relevar seus sentimentos descobriu que eu estava namorando. Ele então decidiu deixar eu ter o meu relacionamento em paz, mas que estaria esperando por mim. Quando descobriu do término, quase três anos depois, ia dar o devido espaço que eu precisava, mas por uma coincidência, acabamos nos encontrando na rua um dia e voltamos a nos falar. Acabou que pitou um clima e começamos a namorar.


Confesso, essa história me deixou emocionado, mesmo que na realidade eu tenha conhecido Johnny numa boate poucas semanas atrás. 


Também fizemos uma espécie de jogo para conhecer um pouco um do outro. Aquela coisa básica, tipo cor favorita, animal favorito e etc.


Eu e Johnny tínhamos muito em comum, e eu gostava do modo como ele me tratava. Me fazia sentir...especial.


Era estranho pensar que nesse exato momento eu estava indo para um encontro onde Jaehyun estaria, mas que não seria ele a pessoa que eu iria encontrar.


Pois é, o mundo tem dessas.


Já estava no carro, sentado no banco de acompanhantes olhando as ruas enquanto Johnny dirigia. 


O clima no carro era tranquilo. Ouvíamos uma música baixa que tocava no carro enquanto conversávamos.


Eu estava um pouco nervoso, já ele aparentava estar bem tranquilo. 


Quando ele estacionou o carro, soube que apartir daquele momento, eu seria de Johnny, e Johnny seria meu.


E foi pensando nisso que eu sorri ao descer do carro.


Assim que ele trancou o carro, veio imediatamente para o meu lado e me deu um beijo na bochecha, entrelaçando suas mãos às minhas e andamos juntos para dentro do restaurante. 


Logo vimos Jaehyun e Taeyong sentados em uma mesa no canto, próximo a uma janela. Sorri falso para ele, mas tive vontade de rir quando Taeyong rapidamente entrelaça seus dedos aos de Jaehyun , como se a minha presença fosse uma ameaça. 


Claro que eu estava um pouco desconfortável. Era meu ex namorado que eu não havia superado totalmente ali, mas eu estava no caminho. 


E esse caminho se chamava Johnny. 


O meu "namorado" me guiou até a mesa, onde fiquei sentado frente a Taeyong, e Johnny frente a Jaehyun . Vi uma troca de olhares intensa entre ele, maa tentei não prestar atenção a isso ou ficaria mais nervoso. 


Depois de nos cumprimentamos, Johnny diz:

  - Queria pedir desculpas pela nossa apresentação um pouco conturbada. 

  - Ah, não se preocupe com isso. Eu entendo, visto pelo término recente de Ten. - Jaehyun diz e o clima fica um pouco tenso.

  - Que eu saiba o seu término também foi recente. - Johnny rebate e eu me sinto na obrigação de mudar as coisas. 

  - Vamos apenas esquecer aquilo e ficar tranquilos, tá amor? -Disse olhando para o garoto ao meu lado que sorriu e entrelaçou nossos dedos, deixando-os em cima da mesa, à mostra para eles. 

  - Desculpe por me exaltar. - Ele diz para mim e para eles, mantendo um sorriso de lado.


Eles nada dizem, apenas assentem com a cabeça. Percebo que Taeyong não havia dito nada até aquele momento, então tento falar com ele.


Pergunto algo cotidiano, apenas para uma conversa surgir, não que eu estivesse realmente interessado. Como previsto, um assunto começou a ser descutido. Em certo ponto, a conversa tomou outros rumos, e agora o foco desta era eu e Johnny. 

  - Afinal, como vocês se conheceram? -Taeyong pergunta e os olhos pousam sobre nós. Me senti desconfortável, mas a história estava clara em minha mente.

  - Na verdade nos conhecemos à um bom tempo. -Digo e olho sorrindo para o homem a meu lado. -Antes mesmo de eu conhecer Jaehyun .

  - Mesmo? -Taeyong pergunta e eu concordo. 

  - Eu estudei na mesma escola que o Ten. Nós fomos amigos não muito próximos, mas mesmo assim eu me apaixonei. Quando eu fui revelar meus sentimentos era tarde demais e ele já estava namorando.

  - E o que você fez? -Taeyong estava entretido na história, enquanto Jaehyun parecia pensativo.

  - Bem, eu não iria atrapalhar o relacionamento dele. Eu gostava dele, e por isso queria vê-lo feliz, mesmo que não fosse comigo. Mas eu prometi esperá-lo caso o namoro não desse certo. E agora nós estamos juntos, três anos depois. -Johnny diz e me dá um beijo na bochecha, e só então percebo que eu estava apreciando a história tanto quanto Taeyong. Seria bom se fosse verdade.

  - Que romântico! - Taeyong diz e olha para mim- Você tem sorte de ter um namorado tão atencioso. -Completa e rimos da cara de indignação de Jaehyun.

  - É eu tenho. -Digo e lanço um sorriso para Johnny.

  - Por que nunca me disse sobre ele? - Jaehyun pergunta. 

  - Bem, você também nunca tinha me falado sobre Taeyong. -Digo e ele se cala.


E foi a fala de Taeyong que me fez refletir. Jaehyun tinha sim suas qualidades, mas de fato, nunca me tratou da forma como Johnny -mesmo sendo um falso namoro- me trata. Será que ele era assim mesmo? Ou apenas uma apresentação de namorado perfeito?

A verdade é que eu estava gostando de cada coisa que via nele. Os toques que ele me dava, os olhares, os sorrisos. Isso para mim é algo que eu estava precisando, e que não sentia o mesmo com Jaehyun .


Isso me faz questionar o que eu realmente sentia por ele. Eu amei Jaehyun? Eu era realmente tão apaixonado por ele quanto pensava?


Foi com essas dúvidas na cabeça que o encontro finalmente chegou ao fim. O casal a minha frente se despediu, indo embora em seguida, ficando somente eu e Johnny. 


  - Não foi assim tão ruim. -Eu digo. -Pelo menos não tanto quanto eu pensei.

  - É, eu gostei. Vem, vamos a um lugar. -Ele diz e eu concordo, me levantando junto a ele.


Johnny entrelaça nossos dedos, mesmo o encontro já tendo acabado. Desisto de questionar, afinal, um sorriso involuntário já surgia em meu rosto.


Só então percebo os primeiros flocos de neve cairem ao chão, enquanto as mãos quentes rodeavam a minha, me puxando para um tronco de madeira.


Nos sentamos ali, e me permito encostar minha cabeça no ombro alheio, que rodeia meu corpo com seus braços em um abraço desajeitado.


  - Você é realmente todo fofo e atencioso assim? -Questiono curioso.

  - Pode parecer estranho, mas sim. Eu tentei agir mais como eu sou. -Ele diz e fica em silêncio. 

  - Eu não acho estranho. Eu gostei. -Digo e o vejo sorrir.

  - Pensei que acharia muito meloso ou sei lá, algo do tipo.

  - Não achei, gostei do jeito Johnny. -Digo e ele ri.

  - Se quiser, pode continuar tendo mais dele. - Ele diz com uma piscadela e eu rio, mas logo depois tenho meu rosto aproximado do seu. -Não deveria rir, estou falando sério.  

  - Se não quer que eu ria então me cale. -Digo e sorrio, mas logo depois nossos lábios estavam selados.




  - Johnny, anda logo, vamos nos atrasar pro...-Fui calado com um beijo por parte dele.

  - Se você falar isso mais uma vez eu faço de novo. -Ele diz e eu sorrio.

  - É mesmo? Ok. Johnny, anda logo, vamos -Começo a repetir e ele dá um selinho desta vez, me pegando pela mão e a entrelaçando à minha.

  - Ten meu amor, não vamos nos atrasar, está tudo sob controle. 

  

Eu deveria confiar mais em meu namorado, já que no final realmente não nos atrasamos.


Onde estávamos? Ah sim, comemorando nosso primeiro aniversário de namoro, desta vez verdadeiro. Combinamos de ir ver o pôr do sol juntos, e cá estávamos nós: O céu alaranjado e nós dois abraçados olhando para ele.


  - Eu te amo, Johnnie. 

  - Eu sei. -Ele diz e eu olho para ele indignado. 

  - Onde está o namorado romântico de um ano atrás? -Questiono e ele lança um sorriso, e um segundo depois já se encontrava em cima de mim, apoiando uma de suas mãos acima de minha cabeça. 

  - Ah ele está bem aqui, e ele também te ama. -Diz e me beija.

  - Idiota. -Digo e sorrio sozinho.


Notas Finais


Foi isso. Espero que quem quer que esteja lendo tenha gostado :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...