História Eu era Rebecca - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 143
Palavras 939
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Policial, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Eu prometo


Fanfic / Fanfiction Eu era Rebecca - Capítulo 4 - Eu prometo

Quando chegamos ao cinema, fomos direto pra fila comprar os ingressos e como sempre, a fila estava quilométrica. Eu sou o tipo de pessoa completamente impaciente, odeio esperar e eu digo isso porque também nasci antes da hora. Prematura.

Eu começou a olhar pro Caio e depois de 5 minutos resolvi soltar o que estava engasgado:

- Desse jeito vamos ficar na fila pra sempre!

- Calma, daqui a pouco a fila anda.

- Não vou ficar esperando aqui, vou comprando algumas coisas pra gente comer.

- Posso ir com você?  - Caio se coloca diante de mim - Eu queria comprar umas coisas também. 

Meu corpo se treme por completo. Eu tenho a impressão de que ele está mentindo, e que na verdade ele só quer me acompanhar mesmo. Afinal ele sabe que a fila da pipoca fica bem longe da fila dos ingressos e que assim ficaremos longe da vista do Luan. Eu esitande balanço a cabeça em sinal de sim e o Luan parece nem se importar muito com isso.

Enquanto caminhamos em direção ao outro lado do cinema, não pude deixar de notar que Caio me olha por completo com olhar não somente de admiração mas também de desejo. E quando algum outro homem me olha ele o fuzila com os olhos e não vou mentir. Eu até gosto.

Chegamos a fila de pipoca e eu sei que pela expressão dele, perguntas sobre o beijo vão rolar.

- Rebecca... Aquilo que você disse sobre me beijar era verdade?

- Sobre eu ter gostado?... 

- Isso.

- Sim... Eu só...

- O que? 

Ele parecia completamente desesperado em saber minha opinião sobre o beijo e ainda mais interessado em saber se eu gostei e o que achei. 

- É que eu nunca havia beijado antes. 

Ele me olha, primeiro com olhar espantado, e pouco depois, carinhosamente ele acaricia meus cabelos: 

- Ainda uma garotinha. Posso dizer com certeza que você se saiu muito bem.

Meus olhos se abaixam e eu sinto as buchechas queimarem de vergonha. 

- Obrigada Caio... Por isso eu pedi pra irmos devagar. Tem muita coisa que eu ainda não sei, que eu ainda não conheço - andamos apenas 5 passos na fila - e eu tenho medo de errar ou...

- Para Rebecca. Você não tem que ter medo de errar, como você espera acertar em tudo aquilo que você ainda não entende? É comum o medo, mas eu garanto... - ele se aproxima mais de mim e olha em direção a fila de Luan, para ver se ele consegue nos avistar, quando tudo está liberado ele continua - eu gostei muito de você. Você é tão pura, e se você quiser, posso partilhar com você tudo que eu já sei. Mas só se você quiser.

Eu paro por um instante. Caio me passa uma confiança a qual eu nunca provei antes, não é o mesmo tipo de confiança que eu tenho no Luan, é diferente. Porque o Luan, nem se ele quisesse, nunca me beijaria. 

- Caio... Eu quero. Mas eu quero ir devagar. Eu não quero apressar nada. Se você quiser ficar comigo, tem que ser no meu ritmo, ok?

- Claro. Eu entendo. 

Sorrimos um para o outro e ele desliza suavemente sua mão direita em direção a minha, nossos dedos estão entrelaçados e um sorriso em minha boca não consegue se conter. Eu estou muito feliz.

Após 17 minutos na fila, finalmente conseguimos comprar o que queríamos. Chocolate, balas, pipoca, doces e salgadinho. Fizemos a festa. Sem contar o refrigerante de dois litros que ganhamos de brinde de uma atendente muito simpática. Enquanto estavamos na fila prometemos que seria tudo em total segredo. Porque não queríamos que isso se tornasse conversa no meio de todo mundo. Então ficaríamos juntos quando estivessemos sozinhos, caso contrário seriamos como dois amigos. 

O Luan tinha acabado de pegar os ingressos na hora em que saímos da fila, foi o tempo certinho de nos encontrarmos todos. Entramos no cinema e estava lotado. Os unicos lugares vagos eram as fileiras de trás no canto da parede. Eu corri pra ficar no cantinho e o Caio no meio, deixando então o Luan no meio da fileira do lado do Caio. 

Conversamos bastante e quando as luzes se apagaram tudo ficou completamente escuro, era um filme de terror e durante todo o filme eu gritei e agarrei no braço do Caio, fazendo o Luan se acabar de rir. E teve um momento que ele riu tanto que teve que correr pro banheiro pra não fazer xixi nas calças. 

Quando o Luan desceu as escadas correndo e saiu da sala de cinema, o Caio instantaneamente segurou meu rosto e me deu um beijo muito mais apaixonado do que o primeiro. Aquele beijo foi tão intenso que eu mal me contive na cadeira. Ele acaricio TODO o meu corpo e eu pensava em o controlar mas algo dentro de mim não permitia que ele parasse. Ficamos uns 2 minutos nos beijando e eu notei que o Luan poderia voltar em breve então eu parei o beijo delicadamente:

- Caio, o Luan pode voltar a qualquer hora...

Ele respirava alto e quase ofegante

- Você ta certa. É que perto de você eu perco total controle.

Eu sorri.

- Eu percebi. Vamos com calma ta? 

Ele concorda com a cabeça e nos afastamos. Pouco depois o Luan entra, subiu as escadas e se sentou ao nosso lado:

- O que eu perdi? 

Eu sorri maliciosamente.

- Nada. Eu nem consegui prestar atenção nessa parte do filme. Estava entediante. 

- Que bom. 

Caio da um sorriso de lado e disfarçadamente, segura na minha mão. No fundo eu sabia que a merda estava feita. Mas era uma merda que eu queria pagar pra ver.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...