História Eu gosto de você, hyung. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Jimin, Yoongi, Yoonmin
Visualizações 47
Palavras 1.307
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Universo Alternativo, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


DEZ MESES CARAIO
AMO VOCÊS DEMAIS
Boa leitura, XOXO;

Capítulo 1 - "Eu também gosto de você, pequeno..." Único


Sabe, eu sempre fui um garotinho curioso, cheio de perguntas, e mamãe sempre me respondia: “Não é hora de você saber essas coisas, querido, quando crescer você vai entender.” Ela sempre me respondeu isso, em todas as vezes que eu perguntava alguma coisa mais “adulta”, porém, teve somente uma vez em que ela me respondeu, o que foi uma surpresa pra mim, já que eu considerava a pergunta “adulta” demais.

Sentado na calçada da rua, eu olhava o movimento, via os carros indo e vindo, as pessoas andando, umas correndo, outras distraídas olhando para o tempo. Até que, no finalzinho daquela rua pacata e tranquila da vizinhança, eu vi ele, meu hyung, vindo em minha direção com o sorriso mais bonito do mundo.

Eu, instantaneamente, abri um sorriso também, e logo aquelas sensações estranhas, que apareciam sempre que eu via meu hyung, voltaram e se instalaram no meu corpo novamente.

Já era a segunda vez em menos de vinte quatro horas que eu sentia as mesmas sensações estranhas, e sempre na presença do meu hyung. Aquilo era estranho, mas um estranho bom, aquele formigamento nas pontas dos meus dedos, as borboletas fazendo um carnaval no fundinho do meu estômago, o corpo esquentando em um calor confortável e a incessante vontade de continuar sorrindo somente por saber que meu hyung tinha vindo me visitar novamente, todo aquele pacote de sentimentos era estranhamente e peculiarmente bom. Eu nunca tinha sentido aquilo antes, eram sensações novas e eu estava gostando delas, confesso que tenho um pouco de medo dessas sensações, ainda mais por ter consciência de que elas estavam ligadas diretamente ao meu hyung de sorriso bonito, mas eu não queria parar de senti-las.  

E bem, vocês já devem imaginar qual a pergunta que eu fiz a mamãe somente com esse trecho de minhas memórias acima, por mais que eu tivesse somente nove anos eu era bastante esperto, todos me elogiavam pela minha esperteza nessa época inclusive, eu não era bobo e já tinha ligado uma coisa a outra. Lembro-me claramente de todas as sensações, inclusive, sinto elas até hoje.

Logo meu hyung correu até mim, me levantei da calçada somente para receber aquele abraço caloroso que ele sempre me oferecia quando me visitava, apenas passei os braços por seus ombros e enterrei a cabeça em seu pescoço, sentindo o cheirinho de sabonete se misturar com o cheirinho fraco de maracujá que vinha de seu cabelo úmido. Ficamos assim por alguns minutos, sem se importar com quem passava na rua e olhasse para a gente, até que ouvimos uma tosse forçada ao nosso lado, o que nós fez desfazer aquele abraço e prestar a atenção em minha mãe, que sorria enquanto nos observava.

– E o meu abraço Yoonie? Eu não ganho? _ Minha mãe apenas abriu levemente os braços, que logo rodearam o corpo do meu hyung em um abraço rápido _ Vamos para dentro meninos, eu fiz um lanche ‘pra gente.

Eu lembro que aquela tarde havia sido diferente das outras, meu hyung, Yoongi, sempre passava a tarde com a gente, já que seus pais trabalhavam nesse horário, então era normal ficarmos sempre juntos, tínhamos nos acostumado com a presença um do outro, mas aquela tarde havia sido de alguma forma diferente. Na época eu não sabia o que era a estranha sensação de querer sorrir sempre que via meu hyung sorrir, ou de como eu me pegava diversas vezes observando meu hyung fazer suas lições de casa, já que ele sempre trazia sua mochila. Na época eu não sabia o motivo de querer ficar tão perto dele, vendo suas reações e expressões.

Assim que terminamos o lanche, minha mãe disse para nos irmos para a sala, já que ela iria arrumar a cozinha, e logo falou também para Yoongi fazer suas lições, para que pudesse ficar livre e poder ficar mais tempo comigo, me fazendo companhia. E assim meu hyung fez, pegou seu caderno e começou a responder suas lições de matemática, se concentrando para não errar nenhuma e ter que refazer o cálculo novamente. Eu olhava para o caderno sem entender nada, afinal, eu não estava no mesmo ano que meu hyung, ele era três anos mais velho e o conteúdo que estudava era diferente do meu.

– Hyung, que coisa estranha é essa? Por que o número está embaixo disso? _ Apontei o dedo, curioso, afinal, eu não fazia a mínima ideia do que era aquilo.

– Isso se chama raiz quadrada, Dooly. Você vai ver isso aqui daqui a alguns anos _ Sua mão fez um pequeno afago no meu cabelo, enquanto me lançava um pequeno sorriso, que retribui automaticamente.

Yoongi-hyung continuou a fazer a tarefa, e eu continuava lhe perguntando as coisas como uma verdadeira criança curiosa, mas apesar das centenas de perguntas, meu hyung não se sentiu irritado ou cansado de respondè-las, ele sempre respondia todas com um sorriso, e sempre me explicava da maneira que ele conseguia explicar. E isso se estendeu por dez minutos, que foi o tempo que meu hyung demorou para responder todas as questões. Assim que ele terminou de guardar os materiais, puxei ele até meu quarto, para lhe mostrar minhas novas histórias em quadrinho que minha mãe tinha me dado. E em nenhum momento aquelas sensações estranhas me deixaram, eu me senti estranho perto do hyung o tempo todo, não importava a situação.

Lembro-me que, depois que meu hyung foi embora naquele dia, acompanhado de seu irmão mais velho que tinha ido lhe buscar, pois já estava escuro, eu fui pra perto da minha mãe e timidamente sentei ao seu lado no sofá, completamente pensativo sobre aqueles novos sentimentos estranhos.

– Mamãe, posso te perguntar algo? Por favor, preciso que a senhora me responda.

Mamãe suspirou, mas logo sorriu e olhou para mim, pegando minha mão e fazendo um leve carinho.

– Tudo bem meu anjinho, eu vou responder qualquer coisa que me perguntar, mas só uma pergunta, está bem? Nada mais que isso, então pense bem.

Olhei surpreso, mamãe não costumava responder minhas perguntas, sempre falava que eu iria entender tudo mais tarde, quando eu estivesse mais velho. Por isso, sem nem pensar duas vezes, eu lhe fiz aquela pergunta que tanto estava me incomodando.

– Por que eu me sinto estranho perto do Yoongi-hyung? Hoje eu me senti tão estranho perto dele… Mamãe, o que significa isso?

Minha mãe apenas me olhou terna e sorriu, como se já soubesse daquilo a muito mais tempo que eu.

– Isso? Isso se chama paixão, Jimin. Uma coisa que você também só vai compreender quando estiver mais velho.

E, realmente, eu só fui entender de verdade o que eu sentia pelo meu hyung quando completei treze. Demorou um pouco para admitir que eu gostava dele, ainda mais pensando que eu poderia estragar nossa amizade com aquilo. Mas uma coisa que eu sempre fui é ser honesto, tanto comigo mesmo quanto com as pessoas ao meu redor, eu não aguentaria esconder aquele sentimento por muito tempo, então, decidi contar para meu hyung o quanto antes, eu só não contava com uma coisa.

Sentei-me no chão, ao lado de Yoongi-hyung, enquanto o mesmo folheava o livro de inglês, procurando a página que continha as explicações do seu exercício, observei o mais velho atenciosamente, até que deixasse de prestar a atenção no livro e começasse a me olhar.

– Algum problema, Chimchim? Quer falar alguma coisa?

Fiquei nervoso imediatamente e mordi o lábio inferior, tomando coragem para fazer minha confissão.

– Tem algo que eu queria te falar hyung…

– Então diga, o que está esperando? _ Sua resposta havia sido direta, me deixando ainda mais nervoso.

– E que… Eu gosto de você, hyung _ Abaixei a cabeça, esperando uma resposta negativa, mas apenas o que veio foi uma gargalhada gostosa, e um carinho na minha cabeça.

– Eu já sabia disso Jimin… E inclusive, eu também gosto de você, pequeno.    

 


Notas Finais


Se tiver erros, sorry, mas vou revisa-los só depois
me matem lá no grupo, meninas =)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...