História Eu Gosto Dela - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Yoonseok É Vida
Visualizações 108
Palavras 2.386
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Ela sabe meu nome



"- Está gravando? Okay. - Dizia enquanto me arrumava em frente a câmera. - Bem, eu sou Min Yoonie e estou no penúltimo ano do ensino médio. Como é a vida no colégio para mim? Bom, digamos que tem algumas controvérsias. 

A vida no colégio nem sempre foi um mar de rosas... para mim. Já que eu sou considerada como-

- NERD! 

É, eu odeio minha vida no colégio."

- Mãe! - Gritei de meu quarto ouvindo passos nos corredores, me pergunto se minha mãe está treinando para uma maratona. 

- Sim querida? - Pergunta entrando em meu quarto ofegando.

- A senhora por um acaso está treinando para uma maratona? - Pergunto me sentando na cama.

- Na verdade, estou começando um novo estilo de vida que se resume... uma boa parte dele, em correr. Sabe, perder algumas calorias. - Sorri. - Mas, o que você queria mesmo?

- Queria saber se... meu uniforme está limpo. - Digo e a vejo bater em sua própria testa. - Isso que você acabou de fazer - Falo rodando o indicador - Diz que você esqueceu de o colocar para lavar, não é? Mãe? - A chamo quando não a vejo mais na porta de meu quarto. Me jogo em minha cama novamente e pego a fita que estava gravada um dos vídeos mais vergonhosos de toda a minha vida no colegial. 

Olá, eu sou Min Yoonie e estou no segundo ano do ensino médio e sou o mascote do colégio. Se você acha que eu sou como aquelas garotas do meu colégio que ficam com todos os caras, dão as melhores festas, você está se enganando. No meu colégio, eu sou considerada como a CDF da turma e de toda a escola. Mas, eu não sou como os outros "nerds" digamos assim. Meu porte físico é ótimo, desconsiderando a parte de que minhas pernas não são tão grossas quanto as das outras garotas, e que os meios seios não são tão grandes; mas são até bonitinhos. Resumindo, eu sou uma fracassada para as pessoas do meu colégio. 

Menos para meus pais e meu irmão mais velho, Taehyung. Ele estuda no mesmo colégio que eu, mas está no terceiro ano. E com isso, ele não pode acompanhar a minha novela, no colegial. O Tae têm uma namorada, ela é da equipe das líderes de torcida, uma das que tira da minha cara mas faz de conta que me ama na frente do meu irmão. As vezes eu só queria puxar aquele cabelo oxigenado dela e esfregar no asfalto aquele rosto com uma tonelada de maquiagem.

Mas eu não quero que meu irmão me odeie, então vou continuar fingindo que nada acontece entre mim e aquela vaca oxigenada quando entro pelos portões do colégio. 

Vamos falar da minha paixonite do colégio. Bem, não é um garoto popular do time de basquete ou do de futebol americano; muito menos um do grupo que participo na biblioteca. E sim, uma garota. Ah, ela é a garota mais linda que eu já vi em toda a minha vida. Em toda a minha vida no colegial, eu nunca pensei que fosse me apaixonar por uma garota. Mas isso não é a pior parte de tudo - quero dizer, partes -. O pior, é que:

1 - Ela é filha da diretora.

2 - Ela é uma das populares 

E por último o não menos importante: Ela é a capitã das líderes de torcida. 

Aí, você já pode ver o quanto eu tenho azar. Ah! Como pude me esquecer, ela têm um namorado. Ele é o melhor amigo do meu irmão, Jungkook seu nome; se não me engano. 

- Yoonie? Você está aí? - Ouço Tae bater em minha porta.

- Sim! - Grito de volta e o vejo abrir a porta de meu quarto. 

- Achei que ainda estivesse dormindo. O que tem aí nessa fita? - Pergunta sentando ao meu lado na cama. 

- Nada! Quero dizer, não tem nada aqui, está vazia. 

- Yoonie, me deixa ver o que têm nessa fita, agora. 

Eu não posso deixá-lo ver o que tem na fita. Primeiro: arruinaria o namoro dele com a oxigenada, segundo: daria mais um motivo para ele andar agarrado a mim no colégio e terceiro... bom, eu acho que são apenas estes os motivos pelos quais não devo mostrar a fita a ele. 

- Se não tem nada, por que não me deixa pegá-la? - Pergunta arqueando uma de suas sobrancelhas. 

- Porque... porque se não tem nada, não há motivos para que você a pegue. - Respondo apertando a fita contra mim e dou língua para meu irmão que aperta minhas bochechas. - Aish! Para, você sabe que não gosto quando apertem minhas bochechas! 

- Chata. 

- Insuportável. 

- Ridícula. 

- Cuzão. 

- Min Yoonie! Quem anda te ensinando esse tipo de palavreado?! - Berra minha mãe entrando no quarto segurando meu uniforme. 

- Ele. - Aponto para meu irmão que me olha indignado. - E a oxigenada da namorada dele quando estão... se comendo no quarto que por puro azar é ao lado do meu. 

- Que história é essa Min Taehyung?! 

- Sua dedo-duro! Mãe, não acredite no que ela diz, não é verdade. 

- O senhor, está de castigo, agora, vá já para o seu quarto! E a senhora, vá tomar banho porque já  já o motorista vem te buscar para te levar a escola. Anda! 

Ótimo, não tem como esse dia ficar pior.

                      |

Nunca diga que seu dia não pode ficar pior porque ele pode ficar sim. Neste exato momento, eu estou sendo carregada até a entrada do meu colégio por pessoas que eu, sinceramente, tenho uma puta vontade de matar. A principal delas é: o melhor amigo do meu irmão, Jungkook e a oxigenada. 

- Por favor me coloquem no chão! - Grito tentando me soltar daquelas mãos que me carregavam.

- F-R-A-C-A-S-S-A-D-A! - Cantavam me deixando com mais raiva ainda e com um sorriso de tristeza - quê? - nos lábios.

E para a minha sorte, ou azar, eles me soltaram. Mas foi do lado de fora do colégio e fizeram questão de me jogar no chão ainda. É, eu sincera e particularmente, odeio minha vida no colegial.  Fui tentar abrir a porta novamente mas estava trancada. 

- Ótimo. 

- Está tudo bem com você? - Ouço uma voz perguntar atrás de mim. - É que eu vi o que eles fizeram contigo. 

Me virei e pude ver a dona daquela linda voz. Ela mesma, Jung Hokiesi, a dona do meu coração e de todos os outros corações daquele inferno. Por um momento, eu achei que fosse borrar as calças, mas não foi bem isso o que aconteceu. Eu apenas engasguei, isso sempre acontece quando fico nervosa. 

- A meu deus você está bem? - A preocupação em seu rosto e voz não parecia ser falsa, o que me deixou um pouco... Alegre. 

- Eu estou bem sim. - Digo arrumando meu cabelo tentando passar a imagem de que estou bem e que minha garganta não está doenda nem um pouco. 

- Mesmo? Não parece, seu rosto está vermelho e sua voz está meio falha. - Passa a mão em meu rosto. 

Olha, eu não sou de corar, ficar com vergonha assim tão facilmente. Mas depois dessa, acho que até um tomate sentiria inveja de mim, pois eu tenho certeza de que - não apenas minhas bochechas - todo o meu rosto está mais vermelho que um pimentão. 

- Estou bem, só preciso de um pouco de água... eu acho. - Digo desviando meu olhar para o seu.

Acabei de perceber algo que nunca havia percebido. Ela é mais alta que eu, como assim? Como pude não ter reparado isso antes? Chega a ser inacreditável, já que gosto de prestar atenção até nos mínimos detalhes. 

- Ei, está aí? - Estrala os dedos em minha frente me fazendo sair de meu transe. 

E os seus olhos parecem duas estrelas, são tão brilhantes, como se estivesse chorando o tempo todo. São tão bem delineados e com os cílios pequeninos e escuros. Seus lábios têm um formato engraçado, bem estranho, mas são vermelhos. Não exageradamente, mas são. 

- Estou sim. É... ai meu deus eu não sei o que dizer. - Digo nervosa e apertando a alça da mochila. - Eu preciso ir, tchau.

Saio andando rapidamente pelo gramado da escola e ouço ela dizer "tchau". Arrisco olhar para trás e a vejo me encarando com um sorriso maravilhoso em seu rosto angelical.  Eu tenho que parar de viajar tanto quando estou falando com alguém. Mas, ela é tão linda. Não tem como não viajar naqueles olhos brilhantes e profundos como um oceano. Nossa, como estou ficando poética. 

Caminho até a parte de trás do colégio e entro no refeitório. Todos me olham e voltam a conversar entre si. Pego uma bandeja e vou até a fila. Depois de pegar a comida que eu, sinceramente, não estou com nenhum pouco de vontade de comer porque parece uma gororóba. Sento-me na única mesa que estava vazia, coloco a mochila e a bandeja sobre a mesa e pego meus fones e meu celular. Coloco alguma música, que é um tanto romântica para o meu gosto.

Aleatoriamente, corro os olhos pelo refeitório até encontrar uma pessoinha em especial que vinha correndo em minha direção com um sorriso psicopata no rosto. 

- Filhota! Você por aqui! - Grita Jin puxando Namjoon para se sentar na mesma mesa em que estou sentada. Jinnie começa a me encher de beijinhos e abraços, as vezes acho que ele pensa que sou um cachorro ou algum outro animal que ele possa apertar. - Como foi o final de semana longe da omma? 

- Ah, foi a mesma coisa de sempre. Ou seja, eu não fiz nada. A não ser aturar os gemidos ou melhor, gritos, daquela cadela insignificante que, infelizmente, é namorada do meu irmão. E vocês, o que fizeram?

- Nada. - Namjoon diz antes que Jin pudesse falar alguma coisa que eu simplesmente não queria e nem quero ouvir. 

- Bom, eu já vou indo. Até. - Dou um beijo na bochecha de cada um e saio dali. 

Os corredores do colégio estavam mais lotados do que uma loja em dia de promoções. Vou até meu armário e pego alguns livros os colocando na mochila. 

- Você vai acabar ficando surda. - Diz alguém que estava ao meu lado e não a vi chegar. 

A não, é ela outra vez. Vamos lá Yoonie, não seja tímida, não seja tímida. 

- Já me acostumei com sons altos. - Digo sorrindo minimamente para ela que retribui com outro sorriso maravilhoso. 

- Percebe-se. Bem, é-

- Amor, por que está demorando tanto? - O Jeon aparecesse ao seu lado e sorri para mim como se nada tivesse acontecido mais cedo.

- Eu estava pegando meus livros. Até Yoonie.

Ela sabe meu nome, eu vou surtar!

                       |

Graças aos deuses, eles não aprontaram mais nenhuma comigo até o final da aula. E agora, estou na cozinha ajudando minha mãe a colocar os pratos na mesa pois o jantar irá ser servido agorinha. Quanta formalidade.

- Querida, pode ir chamar seu irmão e seu pai para virem jantar? Obrigada. 

Saio da cozinha e subo as escadas indo primeiramente até o escritório onde meu pai trabalha quando está em casa, e o chamo para ir jantar. Mas, ao bater na porta do quarto de Tae, este já não se encontrava ali. Certamente ele não quer nem olhar para minha cara depois do que eu disse. Fui novamente para a cozinha vendo apenas papai e mamãe ali.

- Ah, querida! Seu irmão disse que não está com fome. - Minha mãe diz colocando a comida em seu prato.

- E onde ele está? 

- Acho que na casa da árvore de vocês. 

Rapidamente, corro para a área de casa onde fica o quintal e nele uma árvore grande, mas não muito, e a casa da árvore. Pude ver a sombra de Tae ali, parecia estar jogando sua bola de basquete contra a parede. Nós fizemos a casa da árvore junto de nosso pai quando eu tinha seis anos e o Tae sete. Era como nosso esconderijo secreto, onde apenas eu e ele poderia entrar.


Subi a escada de cordas e entrei na casa da árvore o surpreendendo com minha chegada. Sentei quase de frente para ele e o vi desviar seu olhar para a bola que estava em mãos. 

- Tae, me desculpe pelo que eu disse, por favor, não fique com raiva de mim.

O ouvi suspirar, sabia o quanto ele estava com raiva de mim. 

- Eu não estou com raiva de você, e sim, com raiva do que fez. Por que fez aquilo Yoonie? Sabe o que vai acontecer comigo caso este relacionamento termine? Ha, acho que não.

- É... eu sou uma fracassada mesmo.

- Espera aí, o que foi que você disse?

- O quê? Eu não disse nada não. 

- Não você disse sim, Yoonie, quem foi que te chamou de fracassada? Me diga quem foi o desgraçado que eu acabo com ele agora.

- Não Tae. Você não pode me proteger para sempre. E é verdade, eu sou uma fracassada. Fiz a mamãe te obrigar a terminar com sua namorada e agora, praticamente, você deve estar me odiando. 

- Yoonie... - Suspirou. - Você é incrível Yoonie, você não é uma fracassada. Eu queria ser tão inteligente quanto você, ser tão estudioso, coisa que eu não sou. Você é incrível, Yoonie. Não dê ouvidos ao que os verdadeiros fracassados dizem para ti. E... eu não estou com raiva de você, muito menos te odeio. Você é minha caçula, e eu te amo.

- Eu também te amo maninho. Você me perdoa mesmo? 

- Sim. Agora, vamos jantar que eu estou morrendo de fome.

Depois de sairmos da casa da árvore, nós jantamos e cada um foi para seu respectivo quarto. E agora eu estou aqui no meu, pensando em tudo o que aconteceu hoje. Talvez Tae esteja certo, eu não sou uma fracassada. Não devo dar ouvidos ao que aqueles idiotas dizem. Mas, eu tenho que protegê-lo de sua namorada e de Jungkook. 

Mas, como uma boa pessoa apaixonada, eu não podia dormir antes de pensar em Hokiesi e seu lindo sorriso. A parte que mais me deixou feliz e surpresa é que; ela sabe meu nome. 

Ela sabe meu nome. 








Notas Finais


Até o próximo capítulo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...