História Eu invoquei um demônio!? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 13
Palavras 1.076
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Os personagens dessa história possuem nome de cores (e alguns nomes nada avé) , não tem nenhum significado especial, só acho legal assim porque é fácil de lembrar cada nome e saber quem é quem.
Boa leitura :3

Capítulo 1 - Introdução


Era mais um dia comum, acordei e me levantei ainda com os olhos fechados, fui até o banheiro é fiz o que tinha de fazer.

M: - Blue!!! Levanta a bunda dessa cama e vem comer!!! - minha mãe gritou da escada, provavelmente acordando todos os vizinhos.

B: - Eu já tô indo!!! - Gritei de volta - porra - Falei baixo irritado por ter que aturar gritos logo de manhã

Vesti o uniforme de qualquer jeito,  deixando ele todo amassado, peguei minha mochila e desci as escadas.

M: - Olha esse menino, anda com esse uniforme todo desarrumado assim, ta indo assaltar um banco? - Falou com meu pai, me olhando descendo as escadas.

P: -....  - Me deu uma olhada e voltou a comer.

B: - Que tipo de pessoa assalta um banco vestindo um uniforme? - Falei enquanto me sentava.

M: - Você não descute com sua mãe! - Disse sem nem olhar na minha cara, enquanto pegava mais comida.

Términando de comer sai de casa e segui meu caminho até a escola, não era muito longe nem muito perto, então eu usava uma bicicleta que tinha a tempos.

Chegando lá foi a mesma coisa de sempre, sentei no meu lugar, conversei com alguns colegas, assisti algumas aulas, dormi nas aulas de matemática, e na hora do intervalo uns muleques me arrastaram pra fora da sala até o terraço.

E (Escroto): - Aí, fiquei sabendo que você tava dando em cima da Pink. Se põe no seu lugar, cara. - Um cara com cabelo escroto disse enquanto me dava um empurrão pra parede.

M (Maria vai com as outras): - Quem você pensa que é, ela é a futura namorada do nosso chefe aqui.

B: Foda-sa cara, só falei com ela algumas vezes e isso não tem nada a ver com você - Falei irritado porque tava com fome e ficando estressado.

E: - Foda-se o caralho, se você chegar perto dela mais uma vez eu acabo com sua cara. - Se dirigiu a porta, e o cachorrinho dele o seguiu.

Eu não diria que as pessoas na escola me artomentam, eles simplesmente fingem que não existo, e isso tá de bom tamanho pra mim.

G: - Então era aqui que você tava! - Abriu a porta com as mãos cheias de pães e refrigerantes.

B: - Ue Green, como sabia que eu ia tá aqui? - O perguntei enquanto o ajudava, pegando os refrigerantes de suas mãos.

G: - Quando vi aqueles caras nada avé te puxando imaginei que iam ter levar pra um lugar sem ninguém.

O Green era um amigo próximo, nos conhecemos ano passado mas ainda sim era uma pessoa preciosa pra mim, enquanto eu era mais baixinho e com cabelos pretos com partes brancas, ele era um pouco mais alto com cabelos completamente vermelhos pintados, eu falava muito palavrão as vezes, e acho que as pessoas me achavam rude as por isso, enquanto ele era mais gracioso, as meninas gostavam dele.

G: - Mas então, você viu aquela brincadeira que tá todo mundo fazendo?

B: - Do que você tá falando cara?

G: - Uma pra invocar espíritos, sério que você não viu?

B: - Não mesmo, mas de todo jeito isso aí não tem graça, é tudo fake.

G: - Pois é, mas imagina que foda seria, conseguir invocar um espírito.

B: - Depois me passa o link de onde viu isso, vo fazer.

G: - Sério? Você não tem nada melhor pra fazer né hahaha

B: - Não tenho mesmo não, vou ver se isso aí funciona ou não.

G: Pow, beleza então.

Batendo o sinal informando o final do intervalo nos dirigimos até nossa sala, onde cone ou as aulas chatas que pareceram durar anos, pra finalmente tocar o sinal que mostra liberdade, o sinal de ir pra casa, me despedi de Green é fui com minha bicicleta até em casa.

Chegando lá subi as escada até o meu quarto, tranquei a porta e tirei aquela roupa que me sufocava, ficando apenas de cueca. Deitei na cama e enquanto olhava pro teto com tédio meu celukar apitou.

Green: Aqui o vídeo, só seguir o que tá falando e pronto, se conseguir invocar uma espírita bonita cê me avisa. [Link].

Apertei no link que abriu um vídeo que tinha bastantes visualizações, era simplesmente um cara fazendo aquilo pra ser engraçado, junto dos amigos, mas decidi fazer sério.

Peguei uma velas, um gis e afastei minha mesa e cama da meio do quarto, fiz uma estrela e coloquei as velas em cada ponta, furei meu dedo com uma agulha aleatória que tava no meu quarto e deixei três pingos de sangue cair no meio da estrela. Após isso tudo falei as palavras do ritual que o video fake mandava, repeti uma vez, duas e três, na terceira senti um frio subir pela minha espinha mas além disso nada aconteceu.

B: - Claro que nada ia acontecer, oque você esperava, caralho? - Falei comigo mesmo.

Me levantei do chão e arrumei aquelas coisas, apaguei as velas e me livrei delas, apaguei a estrela no chão passando meu pé mesmo, afinal era só giz, limpei aquele sangue do chão e me joguei na cama.

B: - Já que não deu certo mesmo vou fazer algo de útil na minha vida - Falei pegando meu celular e abrindo em um site porno.

Coloquei em uma categoria que gostava, sadomasoquismo. Só de dar play no vídeo fiquei exitado, já que só estava de cueca foi ainda mais fácil, só desci minha mão e fui fazer o trabalho, fiz movimentos de sobe e desce enquanto assistia aquilo, dei uma apertada na cabeça do meu pau, me fazendo fechar meu olhos e aproveitar aquela sensação. Depois de movimentos rápidos cheguei no meu ápice e me desfiz, colocando um papel na hora certa pra não melar tudo.

B: - Ahhh isso foi bom - Soltei um suspiro lançando o celular na cama.

?: - Realmente, uma boa cena.

B: -Deve ter sido mesmo... Hã? - Arregalei os olhos e me levantei rapidamente.

?: - Não esperava que isso seria a primeira coisa que veria, mas foi uma boa visão de qualquer jeito.

B: - Caralho quem tá aí!? - Gritei olhando por todo meu quarto.

?: - Aqui - Um homem alto com cabelos loiros pele escura e olhos ameaçadores surgiu do nada na minha frente.

B: - F-f-f-fan-fants

?: - Que fantasma o que, não me coloque no mesmo nível daqueles lá - Falou cruzando os braços. - De qualquer jeito meu nome é Black, e já que você me chamou eu tô aqui.

Após dizer isso eu simplesmente desmaiei, eu não achei que isso ia mesmo funcionar





Notas Finais


Então foi isso, espero que tenham gostado e até a próxima.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...