História Eu mato e morro por você! (Larry) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Tags Larry, Larry Stylinson
Exibições 93
Palavras 4.225
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Festa, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi pessoas ta ai mais um cap, foi feito com muito carinho e desculpem a demora.

Capítulo 12 - "Sexo bruto e Planos pro futuro"


Fanfic / Fanfiction Eu mato e morro por você! (Larry) - Capítulo 12 - "Sexo bruto e Planos pro futuro"


-  Eu só estava te protegendo amor, você tem que entender que sua vida e minha prioridade …
- e a sua e a minha …
- estamos num impasse ….

- sim estamos! - Louis desencostou do seu pescoço e o encarou – se foce eu naquele galpão você também teria enlouquecido Lou – Harry estava serio – a partir de agora você se reporta diretamente a mim, nada e decidido sem meu conhecimento – Louis se remexeu desconfortável em seus braços e o maior o agarrou pelo pulso – estamos entendidos Louis?.
Sim estamos! - o outro respondeu sem olha-lo – estou cansado não durmo a mais de 24h – Harry o soutou irritado. 
- Pode ir … pro nosso quarto Louis não no seu antigo – o mais novo já estava indo em direção a porta e parou pra fita-lo por cima do ombro – não me faça busca-lo lá – a voz autoritária de Harry o deixou ainda mais furioso, ele bufou e saiu batendo a porta o outro não pode deixar de cachar lindo com seu nariz afilado empinado e a postura irritada, esperou alguns minutos depois de seguir o outro. Chegando no quarto ele ouviu a ducha ligada e viu as roupas jogadas no chão do quarto, sentou na beira da cama e começou a se despir ficando apenas de box.
A porta do banheiro estava aberta e ele se aproximou devagar, escutou a ducha ser desligada e logo depois viu o reflexo de Louis pelo espelho enxugando os cabelos e logo se enrolando na toalha preta, encostou na porta olhando os machucados no corpo do outro, e claro que o mais novo já tinha notado sua presença, se abaixou e pegou uma caixa de primeiros socorros no armário e a abriu.
- vei me ajudar com isso ou vai ficar me olhando – disse o Louis o olhando pelo espelho, Harry suspirou e foi em sua direção, bem devagar ele limpou os cortes dos braços e costas dele, passou uma pomada cicatrizante e depois se dedicou ao corte na testa. Colocou Louis sentado na pia e passou a fazer o curativo.
- Vai ficar uma cicatriz, deveria ter ido a clinica – sua voz era mais calma e carinhosa agora, o outro manteve os olhos fechados, ele terminou de colocar os pontos falsos suspirando – mesmo assim continua lindo – ele murmurou o mais novo abriu os olhos e ele se perdeu naquele azul intenso, acariciou o rosto do outro com o polegar deslizando até o maxilar, Louis mordeu o lábio inferior sentindo aquele toque quente na sua pele – me deixa te colocar pra dormir – o mais novo suspirou e selou seus lábios demoradamente – vamos – ele o pegou no colo com uma perna de cada lado do corpo.
- Ainda posso andar  Harold – ele reclamou tentando se soltar e claro que sem sucesso pois o outro e mais forte e maior que ele, Harry riu o colocando na cama – tenho que me vestir.
- Você tá bem assim – ele lançou um sorriso sacana e Louis não pode manter sua pose e acabou rindo, foi até o cliset pegou uma calça de moletom e vestiu.
- Por que não coloca suas coisas aqui?, me irrita ver você mantendo aquele quarto como se ainda foce seu – Harry comentou quando ele voltou pra cama.
Gosto de ter meu espaço, as vezes e bom ficar só pre refletir – se ajeitou embaixo das cobertas o o mais velho o abraçou pelas costas.
- Não entendo essa sua necessidade de ficar só e se afastar de nos quando está triste ou irritado, deveríamos conversar Lou e não nus isolarmos, até o Niall já reclamou disso – Louis suspirou fechando os olhos.
E mais fácil lidar com minha raiva quando estou só, odeio falar e você sabe disso melhor que ninguém, e o quarto não tão importante assim só mais espaço pra minhas coisas – deu de ombros.
Ok … durma amanhã conversamos – beijou seu ombro – eu te amo.
- Também te amo – Louis odiava dormir irritado com seu namorado, mais eles tinham voltado a estaca zero e ele agora estava mais uma vez sem liberdade pra trabalhar, ele entendia o desespero de Harry e ia tentar ao máximo não contraria-lo, Harry estava acostumado a mandar e controlar tudo a sua volta, mas se tratando de Louis era bem mais que isso, ele lembrou do quanto ficou apavorado em acordar e não ver o outro ao seu lado, de procura-lo pelo apartamento e não encontra-lo, foi como voltar no tempo. 
A mãe de Louis sempre foi muito amiga da sua e eles frequentavam sua casa o tempo todo, o mais novo era um menininho lindo e encantador e Harry um adolescente, apesar da diferença de idade eles não se desgrudavam, ele se divertia com a implicansia do garoto com suas namoradas e de querer sua atenção o tempo todo. Quando viu a movimentação dos homens do seu pai pela casa falando algo sobre os Tomlinsons ele se escondeu pra ouvir a conversa “estão todos mortos Des, menos o menino … pela câmera de segurança vimos ele ser levado”  ele lembra de estremecer com a noticia “ não podemos fazer nada o garoto já deve tá morto” nesse momento ele entrou no escritório, gritou, esbravejou e implorou pro pai não desistir de achar o pequeno Tommo, seu pai prometeu tentar e ele não o deixou em paz até que o encontraram naquele lugar fétido, ele lembrou de ter entrado no lugar após seu pai matar quase todos ali, andou pelo corredor cheio de sujeira abrindo as portas pelo caminho até achar o quarto certo. Lá estava ele, encolhido um um canto completamente nu, seu corpinho magro estava ainda mais magro e cheio de machucados, tinha um pequeno colchão no chão com um lençol sujo de sangue e outra coisa que ele não conseguia distinguir, Louis tremia de frio e medo “ Boo? Seu eu o Harold” o menino finalmente o olhou seus pequenos olhos azuis cheios de lagrimas, ele tinha um corte no lábio e o olho roxo, Harry se aproximou devagar e ele se encolheu olhando pra porta, o mais velho virou o viu seu pai parado olhando com cara de nojo pro quarto “ pai me deixa com ele” pediu e o pai assentiu fechando a porta, ele puxou o lençol do colchão e cobriu o pequeno corpo “ eu estou aqui agora ninguém vai te machucar” Harry fez muita força pra não chorar quando o menino se agarrou a ale chorando e soluçando, foram muitos minutos até acalma-lo e tira-lo de lá, foram dias até o menino sair da cama e comer por conta própria, foram mesas pre ele sair do quarto e anos pre que ele dormisse sem ter pesadelos quase todas as noite.
Todas essas lembranças fez ele apertar ainda mais o corpo do seu amor nos braços, não podia perde-lo de forma alguma, ele morreria se isso acontecesse, se sentia culpado por tudo que ele fez Louis sofrer durante todos esses anos, ele tinha se descoberto apaixonado pelo garoto e não aceitava tal sentimento, Louis tinha se tornado um adolescente lindo e atraente, ele amava abraça-lo, coloca-lo no colo e dar carinho, amava a intimidade que tinha com ele e todas as noites que dormia com o menor. Só depois da briga com o pai ele se afastou aos poucos, sofrendo cada dia com a distancia, ver seu menino desabrochar e até namorar foi um pesadelo. Mas agora ele estava ali nos seus braços e ele não iria perde-lo outra vez.
Louis acordou dolorido e sentindo o braço possessivo de Harry agarrado em sua cintura, podia sentir a respiração quente dele contra seu cabelo. Devagar ele se desvencilhou e levantou olhando pra o outo que tinha os cabelos desgrenhados no rosto e acabou rindo, foi para o banheiro fazer suas necessidades e sua higiene matinal, estava lavando o rosto quando sentiu o outro lhe agarrando pelas costos.
- Como se atreve me deixar só? - a voz dele estava rouca e preguiçosa.
- Precisava me aliviar e estou morrendo de fome – o mais novo respondeu rindo.
- Niall ainda está com Zayn – ele beijou o rosto recém barbeado de Louis – ele que traze-lo pra cá.
- Como? 
- O Niall me pediu pra trazer o Z pra cá e eu deixei – Louis bufou ficando de frente pra ele – amor ele mora só e ainda vai precisar de ajuda.
- Eles não vão ficar no mesmo quarto – cruzou os braços e Harry riu alto
- você acha que seu irmão e algum virgem?
- Sim Harry ele e – o mais velho parou de rir e o encarou incrédulo – e isso mesmo ele e virgem e o Malik vai ter que rebolar muito entes de levar meu loirinho pro mau caminho.
- Qual e? O garota tá na faculdade – ele se afastou ainda rindo – e a época mais louca da vida de um cara, como ele pode ainda ser virgem? Isso e loucura.
- E eu sei o quanto essa época e louca, me lembro bem das vadias que você e o Zayn traçavam na faculdade – o mais velho parou de rir – mas meu Niall e diferente e o Zayn vai ter que lidar com isso – ele saiu do banheiro – o garoto tem sonhos românticos de amor eterno e todo esse blá blá blá, por isso mantive aquele pervertido longe dele, você me convenceu a deixar ele se aproximar, e você – ele virou pra Harry – vei fazer o seu amiguinho manter o pau dele dentro das causas ou eu mesmo corto ele fora, Niall e a única coisa pura que eu tenho no meio de todo esse caus Harry … 
- ei, tudo bem eu entendi tá? - ele se aproximou e pegou o rosto de Louis com as mãos – eu não tinha noção disso, vou falar com ele assim que chegarem e deixar claro tudo isso ok? - ele assentiu e Harry o beijou – a cozinheira tá ai, pede pra ela fazer nosso café … bom pela hora nosso almoço, vou tomar um banho e já desso – lhe deu outro beijo e foi pro banheiro. Louis se vestiu e pegou seu telefone e ligou pro seu irmão postiço.
- “Lou? E ai cara? - o loirinho atandeu.
- Oi Ni, como estão as coisas por ai? - ele falava enquanto descia as escadas.
- Tá tudo bem, sinto sua falta (suspiro) estamos indo pra casa hoje o Z já tá andando e o médico disse que ele podia sair.
- Bom … o Harry me falou de seu plano de trazer esse mané pra cá – Naill soltou uma rizada.
- Ele tá no banho, e não chame meu namorado de mané, sim eu quero que ele fique ai pois ele mora só e …
- tá, tá, eu já entendi, ele fica no meu antigo quarto que tem banheiro e o de hospedes não tem. vocês ainda não ... você sabe
-não ainda não, ele esta sendo bem paciente e eu deixai as coisas bem claras, depois do lance da boate não rolou mais nada perecido, você tinha razão eu teria me arrependido - Louis suspirou aliviado -  até mais tarde mano.
- Até – respondeu rápido e desligou, Niall era de longe a pessoa mais preciosa que ele tinha depois de Harry, ele sentia uma vontade enorme de protege-lo.
Uma hora depois eles estavam no terraço almoçando juntos, como sempre Louis tinha dispensado os empregados da casa, eles tinham duas arrumadeiras e uma cozinheira alem dos seguranças, mas o pequeno odiava a casa cheia de estranhos, ele serviu seu namorado e se juntou a ele pra saborear a comida.
- como está sua cabeça – o mais velho perguntou passando o polegar perto do corte.
- Estou bem, nem sinto dor – ele deu de ombros e se afastou.
- Bom, nassa fim de semana vamos falar com um aliado em potencial – falou em tom serio, estava ficando irritado com a distancia do mais novo.
- Quem e? Qual o plano?
- E o Simon – Louis irrigável – sei que não gosta dele mias e confiável e meu plano ainda e sair desse mundo, e o Simon era ficar no meu lugar – Louis bufou jogando os talheres no prato desviando os olhos pra paisagem – Lou ele tem o mesmo jeito de trabalhar que o meu e muitos dos nossos vão precisar de proteção quando fomos, nem todos vão sair dessa voda e eu estou falando de todos, dos de maior importansia ao cara que repassa as drogas você me entende?
- Hazza esse cara e um idiota, eu lembro das coisas horríveis que ele falava de mim pro seu pai – ele suspirou pesado – nunca liguei pro que as pessoas pensavam de mim, mas de repente lá estava ele – ele falava e gesticulava - “ Des meu caro esse viadinho vai acabar levando seu menino pro mau caminho” lembro que depois da minha primeira missão onde eu deveria dar um jeito em um cara de outra facção e não falhei e mesmo assim ele me faltou com o respeito na frente dos homens dos seu pai.
- Eu não sabia – Harry falou furioso
- claro que não, seu pai me mantinha longe de você, ma época você estudava e bancava o mauricinho e mesmo quando estava em ação ele te mantinha em outros lugares. Eu juro por deus que foi por muito pouco que não o matei no dia do assalto do Brandei bank – ele serrou os punhos na mesa – o Lian estava lá, entramos e saímos sem falhas e quando chegamos na mansão Des nus deu os parabéns e la estava ele com um dos seus comentários ilírios “ pra um viadinho até que você trabalha bem” minha arma foi parar na cabeça dele tão rápido que ele nem sabia de onde tinha vindo – Harry suspirou sentindo a raiva do outro – o Li teve que arranca-la de mim e ainda levei um soco do Des.
- Você me falou que se machucou no assalto …
- eu sei, esquece … eu sei que isso e muito importante pra você e se acha que o Simon e melhor pra isso eu não vou me opor – ele levantou e Harry o segurou pelo pulso o puxando pro seu colo.
Amor eu juro que se ouvir qualquer comentário desse tipo eu mesmo o mato – o mais novo passou os braços em seu pescoço relaxando o corpo sobre o seu – ele não vai ficar com os negócios de mão beijada, vamos fazer um acordo pra não ter que sair da cidade, quero continuar nossa vida aqui eu teremos que ir pra outro pais pra nus proteger.
- Eu entendo … andei pensando – ele acariciou os cachos rebeldes de Harry se perdendo naqueles lindos olhos verdes – quero mandar o Niall pra NY e o Zayn pode ir junto até tudo se resolver – o mais velho selou seus lábios.
- Eu concordo, Z não esta es condições de nada e com Ni protegido vamos ficar mais tranquilos, mas e a faculdade?
- Ele perdeu tantas aulas e esta no fim do semestre … bem vamos falar com ele – o menor ronronou sentindo as mãos grandes de Harry acariciando suas costas e descendo pra suas nádegas, colocou uma perna em cada lado do namorado – quero que ele tenha uma vida normal o mais longe dessa loucura possível – Harry passou a beijar a mordiscar seu pescoço enquanto ele rebolava sutilmente em seu colo.
- O Z tá ansioso pra deixar tudo isso pra trás sei que ele vai amar ter o Niall do seu lado, ele vai cuidar bem do nosso garoto – ele apertou as bandas de Louis arrancando um gemido sofrido.
- Harold … amor eles devem tá chegando.
- Então vamos pro quarto – ele sussurrou rouco causando arrepios por todo o corpo de Louis, sem dar tempo de resposta ele ergueu seu corpo com o menor no colo e o levou escada a cima, beijando e mordendo sua pele branquinha, chagando no quarto ele o jogou na cama e arrancou sua causa de moletos de uma só vez parando na frente da cama admirando o corpo nu e excitado do outro na sua frente.
- Vai ficar ai olhando? - provocou Louis e Harry mordeu o lábio arrancando as próprias calças deixando seu membro rígido apontando pro teto, com um sorriso malicioso ele se deitou sobre o corpo do outro fazendo as ereções se chorarem.
- Tem certeza que quer me provocar Louis? - o menor sentiu um arrepio passar pela espinha, Harry sorriu com malicia na expressão do outro – você ainda esta me devendo por ter me abandonado na noite do evento e me fazer correr a cidade como um louco – ele sussurrou e levou sua mão a ereção do outro agarrando pela base com um pouco de força, Louis arqueou as costas segurando em seus ombros largos, ele movimentou a mão sima a baixo sem tirar os olhos dos do outro que tentava não gemer e nem implorar por alivio – acha que e uma boa ideia ma provocar assim Louis? Hum?. - ele bombeou mais rápido arrancando um gemido do outro que não resistiu em fechar os olhos jogando a cabeça pra trás, quando ele parou Louis estava ofegante e voltou a encara-lo com os olhos cheios de luxurio. Harry colocou dois dedos na boca chupando de forma obscena acompanhado pelos olhos azuis semicerrados do outro e depois os levou até a entrada do outro – você ainda não me respondeu – enfiou os dedos de uma só vez fazendo Louis se contorcer de prazer gemendo seu nome alto.
- Não … Hazza eu não acho … hó – Harry estocava e o masturbava na mesma velocidade e o menor era uma confusão de gemidos e pedidos de mais. O maior colocou toda sua ereção na boca e passou a chupa-lo com levando ele a outro mundo, ele agarrou os cabelos compridos do maior tentando conter os movimentos sem sucesso sentindo todo o seu corpo pegar fogo sentindo que iria gozar a qualquer momento – Deus Hazz – ele gritou quando seu ponto sensível foi encontrada e Harry não demorou pra surra-la sem piedade – amor por favor … - Louis segurou os lençóis com força e gozou intensamente sentindo todos os seus sentidos nublarem e sua respiração falha.
Fica de quatro pra mim – ordenou Harry limpando o canto dos lábios e lambendo a ponta dos dedos, o outro ergueu a cabeça pra fitá-lo – não me faz repetir Lou – Louis com muita dificuldade e as pernas tremendo obedeceu a ordem, não que ele estivesse reclamando pois acabara de ter o melhor orgasmo da sua vida e seu corpo pedia por mais. Ele sentiu o outro se afastar um pouco e o espiou por cima do ombro ele indo até o criado mudo e pegar o lubrificante – felizmente pra você eu não quero te machucar “muito” ou te foderia a seco só pra te mostrar quem manda – Harry esbravejou, e nunca pareceu tão sexe e provocante, Louis afundou o rosto na almofada ficando ainda mais exposto pro outro numa forma muda de submissão que agradou e muito os olhos verdes de Harry, passando a língua nos lábios ele observou a entrada rosada do outro pulsando pra si, suas nádegas fartas e pernas grossas depiladas e macias, se aproximou passando os dedos pela sua coluna até chegar na curva do bum-bum vendo a pele do outro se arrepiar por inteiro – tão sensível – sussurrou.
- Hazza por favor – ele sentou um tapa forte contra sua nádega direita e uma mistura de ardência e prazer o fez estremecer e gemer manhoso arrancado um sorriso do mais velho.
- Não te mandei falar, você não tem permissão pra falar Lou só gemer entendeu? - ele falava baixo e rouco alisando a marca deixada per sua mão, esperou uma resposta que não veio e desferiu outro tapa.
- Sim … - respondeu tremulo já completamente duro outra vez, Harry derramou uma boa quantidade de lubrificante na entrada do outro seu próprio membro, se masturbou levemente posicionou a glande na entrada e passou a empurrar, com alguma dificuldade ele conseguiu se colocar por inteiro dentro do outro soutando um gemido gutural, tirou os cabelos do rosto e ficou admirando seu pau atolado naquele buraquinho tão pequeno, sentia as paredes pressionarem seu ereção. 
- E melhor relaxar Lou ou vai se machucar – avisou e o outro respirou fundo relaxando o corpo e ele não demorou a dar a primeira estocada seguida de outras lentas e firmes, ao ouvir o pequeno gemer ele aumentou a velocidade e a força dos golpes segurando com força seu o quadris dele, o barulho de sua virilha se chocando contra as nádegas do outro junto com os gemidos dos dois ecoavam pelo quarto e com certeza podia ser ouvido do lado de fora. Harry se debruçou sobre o corpo suado do outro e o puxou pelos cabelos o fazendo ficar quase ereto encostando as costas e seu peito, passou o braço em sua cintura e voltou a estoca-lo. O mais novo virou o rosto encostando a cabeça em seu ombro e Harry beijou seus lábios capturando o inferior sugando de leve, eles se olhavam intensamente – se toca pra mim baby – pediu com a vos rouca e Louis o fez, uma mão ele levou a seu ereção dolorida e a outra ao pescoço alheio tentando se equilibrar.
- Ou Hazz hum – gemia jogando a cabeça pra trás o outro largou seu cabelo e abraçou ainda mais forte a cintura dele metendo com mais violência rosnando e mordendo seu pescoço censivel, o maior sentia seu ápice cada vez mais perto e o outro se contrair, ele gozaram juntos trêmulos e ofegantes, Harry preencheu o interior do outro com jatos quentes do seu prazer tendo pequenos espasmos enquanto Louis sujava os lençóis e almofadas da cama do casal. Ele não o largou, ficou ali sentindo aquela sensação pós orgasmo e acalmando a respiração sustentante o peso do outro, quando finalmente se retirou de dentro do outro ele o colocou deitado na parte limpa da cama e deitou ao seu lado.
- Lou? Eu te machuquei? - ele perguntou preocupado de ter se excedido e Louis riu baixo contra o travesseiro.
Não, você não me machucou – ele o encarou com seus olhinhos cansados e um sorriso nos lábios – eu estou bem – Harry suavizou a expressão – por que sempre que temos um sexo mais bruto você fica assim?
- Eu … - ele desviou os olhos deitando de barriga pra sima apoiando a mão atras da cabeça – eu só não gosto da ideia de te machucar.
- Amor, e pelo que me aconteceu – ele viu a maxilar de Harry travar e soube a resposta – sabe que eu não sou mais aquela criança e você nunca ma machucaria daquela forma – o outro continuou imoveu – amor olhe pra mim – ele se apoiou no cotovelo e Harry o encarou com os olhos tristes – gosto da forma que você me toca seja quando fazemos amor ou temos nossos momentos brutos, e tudo perfeito pra mim, não quero que meu passado faça você mudar comigo – ele acariciou o rosto do outro o fazendo relaxar sua expressão – acredite eu não vou quebrar se você pegar um pouco mais pesado e se me sentir incomodado vai ser o primeiro a saber ok?
- Ontem eu demorei a dormir e minha cabeça começou a funcionar a mil, lembranças horríveis me vieram a mente Lou … eu sei que tenho ataques de raiva e saio do controle, só não me deixe te machucar …
- nunca, você nunca vai me machucar confio em você, e seus ataques de raiva eu posso suportar numa boa pois você também me atura – eles riram – achei que me bateria no hospital no dia do ataque contra o Zayn, eu teria batido – o mais velho assentiu.
- Sim teria mesmo – ele virou pra ficar de frente – eu te amo tanto, quero tirar você dessa vida e te dar a oportunidade e finalmente viver uma vida melhor mais plena sebe?
- Eu sei, estou fazendo um esforço tremendo pre me acostumar com a ideia.
- Já pensou que tipo de faculdade você gostaria de fazer? - o outro gargalhou jogando a cabeça pra trás – qual a graça?
Eu não vou estudar  Harold, nem pensar – Harry ficou cério – pretendo aproveitar meus dias gastando o dinheiro que juntei com muito sangue e suor e não vai ser numa sala de aula, um monte de adolescentes e professores me enchendo o saco? Não mesmo.
- Pode ser divertido ..
- Não, sabe o que vei ser divertido? Abrir uma Pub ou uma outra boate a administra-la, viajar por lugares que nunca conheci e cuidar de você e o Nini, isso sim vai ser divertido – o outro suavizou a expressão.
- Então já tem planos?
- Alguns, e nenhum inclui uma sala de aula – Harry riu.
- Ok, que tal um banho – falou com a voz sensual e Louis se jogou na cama.
- Harold, me da pelo menos umas horas pra me recuperar  ok? - o outro riu e levantou da cama.
- Ok, mais a noite você não me escapa – deu uma piscadinha antes de ir pro banheiro, Louis não pode deixar de - reparar aquela bundinha linda e imaginar como seria fode-lo com força e logo desanimou pois nunca que Harry aceitaria tal coisa.
 


Notas Finais


E ei gente o que acham "Harry passivo?" rsrsr bom vamos ver no que isso vai dar
espero que tenham gostado bjbjbj


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...