História Eu (não) estou bem - Mitw - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Mike, Pac, Personagens Originais
Tags Drama, Foudasse, Mitw, Suícidio
Visualizações 202
Palavras 1.564
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Opa capítulo não tem "(não)"
Ihhhh

Chorei escrevendo, me julguem

ESSE EH O FINAL

Dps daqui irei trazer o epílogo e vai acabar oficialmente

Enfim

Espero que gostem

~ foudasse

Capítulo 7 - Eu estou sozinho


Fanfic / Fanfiction Eu (não) estou bem - Mitw - Capítulo 7 - Eu estou sozinho

Tarik havia sido dispensado mais cedo do trabalho, já que seu estado emocional não o deixava trabalhar.

Chegou na casa de seu falecido namorado e se jogou no sofá. A casa agora era como se fosse dele, já que, Valquíria tinha ido viajar e só voltaria quando se recuperasse da morte do filho.

O que para Tarik significava nunca.

Tarik afroxou a gravata em seu pescoço e fechou os olhos, suspirando de forma demorada, se lembrando da manhã seguinte.

A manhã onde tudo em sua vida simplesmente ficou preto e branco, tudo ficou sem cor.

_Flashback On_


Tarik estava deitado em sua cama, entediado, apenas de tarde a mãe dele deixará ele ir visitar seu namorado.

Seu celular começou a vibrar em seu lado, e, com uma expressão preguiçosa, o pegou, vendo o número de seu namorado na tela e abrindo um pequeno sorriso.

— Oi amo-- Se interrompeu ao ouvir um soluço do outro lado. - O quê foi?

— Olá Tarik, É-é a Val-Valquíria. - A mulher ao outro lado da linha soluçava tanto, quase não se entendia o quê está falava.

— Tia Val? Por quê está chorando? E por que está a usar o celular de Mikhael? - Tarik já tinha um tom um tanto desesperado.

— O-o Mi-Mikhael Tarik... E-ele... - Soluçou novamente, não conseguindo terminar a frase.

— Ele o quê?! - Tarik já se encontrava com o tom de voz alto, enquanto tentava entender o quê estava a acontecer. 

— T-Tarik, venha para c-cá por f-f-favor. - Soluçava cada vez mais. - Por f-favor nã-não posso fa-falar so-sobre isso po-por celular.

Tarik não hesitou em desligar a ligação e correr para o andar de baixo de sua casa, onde não viu sua mãe. Então aproveitou para sair de casa sem que essa visse.

Foi até a mesa da cozinha, a procura da chave do carro e logo a achando, em seguida saiu correndo para o lado de fora da casa.

Foi em direção ao carro conversível de sua mãe e adentrou o mesmo, não demorando muito para liga-lo e abrir o portão com o pequeno controle, logo saindo em disparada para a casa do moreno.

Ao chegar lá, viu algumas ambulâncias paradas em frente a casa e Valquíria em frente a porta da mesma.

Estacionou o carro do pior jeito possível e saiu correndo para fora do mesmo, entrando na casa de Linnyker enquanto esbarrava em alguns doutores que tentavam acalmar a mãe do platinado.

— Garoto saia da frente! - Ouviu uma voz grossa e autoritária falar em um tom alto, fazendo Tarik virar bruscamente para trás e ver uma cena que ele nunca iria querer presenciar.

— Mi-Mikhael? - Foi a única coisa que saiu de seus lábios ao ver o garoto deitado em uma maca, essa que era empurrada para fora da casa com rapidez.

— D-deixe ele fa-falar co-com Mikhael, por favor. - Valquíria pediu ao médico que segurava a maca, enquanto apontava para Tarik

— Mas senhora ele já está com pouquíssimas chances de viver, se esperamos ele... - Valquíria interrompeu o médico.

— Por favor... - Pediu como em um sussurro e o médico apenas assentiu.

— Garoto, quer falar com ele? - O médico perguntou, olhando para Tarik que apenas correu até a maca.

O estado do namorado chegava a ser assuntador. Cortes por todo o corpo, principalmente nos braços. Pele pálida, nem aparentava mais ser moreno. E a respiração falha.

— Mi-Mike... - Tarik soluçou antes mesmo de começar a falar. - O quê foi que v-você fez? - Perguntou, engolindo a saliva que havia em sua boca.

Em um gesto rápido Tarik abraçou o corpo quase morto, sentindo o líquido quente e vermelho que escorria pelo corpo de Mikhael passar para seu corpo.

— Eu te amo. - E, por uma provável última vez, beijou os lábios do platinado, sem poder ser retribuído.

— Agora precisamos leva-lo. - O médico atrapalhou o momento, fazendo Tarik se separar de Mikhael e apenas assentir enquanto fechava os olhos e suspirava.

Os médicos voltaram a correr com a maca e logo já estavam dentro da ambulância.

Tarik levou suas mãos até os lábios trêmulos, como se ainda sentisse o beijo que tinha dado em Mikhael a poucos minutos, como se ele tivesse retribuído, como se ele ainda estivesse vivo.

— Tarik? - Valquíria tirou o garoto de seus pensamentos.

— S-sim?

— Mikhael deixou essa carta para você. - Forçou um leve sorriso de lado, sem mostrar os dentes, tentando regular sua respiração após ter parado de chorar tanto.

Tarik não falou nada, apenas pegou a carta da mão da mulher e começou a le-la.

"Tarik, espero que seja você lendo isso, pois, como escrito no envelope, "É apenas para você".

Bom, você deve estar se perguntando o quê está acontecendo, ou chorando muito. Mas eu te digo que, isso não é culpa sua, não totalmente, você tentou me fazer feliz.

Mas sabe qual foi sua burrice? Não prestar atenção, não enxergar em meus olhos o quão mau eu estava.

Eu não estava bem Tarik, nunca estive bem.

Naquele dia no parque, quando tinhas 8 anos, lembra? A mancha Tarik, aquilo era sangue, mas você era muito ingênuo para perceber.

O ruim Tarik, é que você seguiu ingênuo o resto de sua vida, não via as marcas, não percebia meu rosto pálido e nem as olheiras.

Tarik, você foi a melhor pior coisa que existiu na minha vida.

Mas agora vamos ao que interessa, por quê?

Vou explicar em ordem de acontecimento ok?

1- Minha mãe, quando eu tinha apenas 2 anos, largou meu pai. Meu herói foi embora e nunca mais voltou Tarik, entende como isso é ruim?

2- Aos 6 anos descobri que meu pai, o mesmo que havia se separado de minha mãe, havia morrido, havia realmente ido embora.

3- Aos 7 anos conheci você, claro, isso foi algo bom. Até perceber que você só vinha a mim quando estava sozinho, quando achava que você estava mau. Quando eu vi, que era tudo voltado a você Tarik, mas mesmo assim, eu fui atrás de seu amor.

4- Quando contei a minha mãe, ela falou que era drama Tarik, falou que era algo para chamar atenção. Pois é, diga a ela que, era para chamar tanto a atenção, que agora eu estou morto.

5- E por último, apenas para resumir mesmo, ninguém se importava comigo de verdade. Claro, quando começamos a namorar você talvez tenha visto como é bom ser amado e retribuir esse amor. Mas não vem ao caso. Ninguém se preocupava comigo, com a minha vida. Ou seja, ninguém irá se preocupar com minha morte.

E para finalizar Tarik, eu te amo, te amo mesmo. Você foi meu primeiro e único amor. Os primeiros e únicos lábios que beijei. O primeiro e único garoto que eu quis que se tornasse meu, apenas meu.

Queria tanto isso que comprei algo para você, é só olhar dentro do envelope.

Eu te amo.

Agora, adeus.

~ Mikhael Linnyker."


Tarik já se encontrava soluçando intensamente, chorando como nunca havia chorado na vida.

Ele pegou o envelope enquanto ainda tinha a carta em sua mão.

Mexeu dentro do mesmo e achou dois anéis, nada muito caro, mas que ele entendeu perfeitamente para que iria servir.

— E-ele i-ia me pe-pedir em ca-casamento? - Seus lábios continuavam tremendo, enquanto reprimiam um grito. 

— Tarik? - Valquíria chamou o garoto, que apenas a ignorou e correu para o andar de cima da casa.

Adentrou o quarto de Linnyker e viu o mesmo arrumado, sem nada fora do lugar. Até a cama de Mikhael, algo que ele recusava a arrumar, estava perfeitamente arrumada.

E em cima perto dos travesseiros, havia um pequeno papel escrito "Um último agrado a minha mãe"

Tarik saiu novamente do quarto e correu até o banheiro da casa, vendo a banheira lotada de sangue. Imaginava como Mikhael estava antes dos médicos chegarem. Submerso na água, se não tinha morrido com os cortes com certeza morreria por afogamento.

Se aproximou da borda da banheira a passou seu dedo pela mesma, vendo a ponta de seu indicador ganhar uma cor avermelhada.

Viu que próximo a algumas lâminas com sangue havia um pequeno pote de remédio, e ao lado deste estava o celular de Mikhael, tocando uma música baixa.

"...So you run on gasoline..."

Foi o quê Tarik conseguiu ouvir, e então se lembrou do dia que ouviu músicas com Mikhael a alguns anos atrás.

Tarik caiu de joelhos, perto da borda da banheira, e soltou grito que se reprimia dentro de si, fazendo Valquíria correr até o banheiro da casa.

— Tarik?! - Correu até o garoto, que murmurava o nome do provável falecido namorado baixo. - Calma, vai ficar tudo bem... Me acompanha até o hospital, sim? Mikhael merece mais um adeus. - Valquíria tentou confortar o garoto, que apenas assentiu e passou as mãos por suas lágrimas.


_Flashback Off_


E agora, Tarik estava no mesmo lugar em que Mikhael estava. Na maldita banheira que tirou seu amor de si.

— Mikhael... - Murmurou baixo, ficando submerso na água, tentando ver como agoniante poderia ser morrer afogado.

Abriu os olhos debaixo da água e a imagem do corpo sem vida de Mikhael apareceu em sua frente, fazendo ele voltar de forma rápida para a superfície da banheira.

— Não há mais ninguém aqui, Tarik. - Ouviu a voz do falecido namorado ecoar em sua cabeça. - Agora você tomou o lugar que eu tinha nesse mundo. A solidão.

— Mikhael? - Perguntou, mas dessa vez nada ecoou nem em sua cabeça nem em lugar nenhum, agora ele estava realmente sozinho.


Notas Finais


Estavam preparados para isso? Uh?

Toh feliz por conseguir finalizar essa fic
Claro que ainda tem o epílogo mas toh bem orgulhosa dessa fic

Enfim
Beijins😘💗

Gosto de comentários tah?
Principalmente no último capítulo

Até o epílogo
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...