História Eu Não Pedi Para Amar - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~butidfc_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Hoseok, Jikook, Jimin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Seokjin Taehyung, Yaoi, Yoongi, Yoonseok
Visualizações 34
Palavras 1.859
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Esse é o primeiro capítulo de talvez uma das melhores fanfics - eu excluí todas por ortografia horrível- que eu já tenha escrito. Espero quem gostem e aproveitem.

~KitsuV

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Eu Não Pedi Para Amar - Capítulo 1 - Capítulo 1

*Yoongi POV's On*

Eu já fui feliz. Sim já fui, no passado mesmo, isso há muito tempo... Eu ainda estava ao lado do único amor que eu já tive em toda minha vida, Park Jimin. Aquela época da minha vida era a única que valeu a pena viver, eu estava mais que apaixonado, Jimin parecia ser meu oxigênio. Estou exagerando? Um pouco, mas nada disso é mentira.


× 21/12/2016 (Quarta-feira) ×


— Jimiiiiin!! ME DEVOLVE A CÂMERA. - Corro atrás de Jimin - EU VOU TE BATER.

— Ouviram gente? Ameaças, isso é crime Min Yoongi, vou te prender e tenho provas.

— Ah vai, me devolve, idiota. - Sorrio bobo.

— Não Não. - ele levanta a câmera o mais alto que consegue.

— Me dá agora! - Começo a fazer cócegas nele.

— SUGA ISSO VAI CAIR - Rindo.

— Tô nem aí, me dá a câmera.

— AAAAH - Ele derruba sem querer, ela cai na cama convenientemente apontada para nós.

Jimin segura minhas mãos e me beija, eu não esperava aquilo, mas segui em frente dando caminho para a língua do maior, Jimin é mais novo que eu, por dois anos, mas ele é maior e mais forte, mais definido... Mais bonito... Mais perfeito...

— Yoongi, tenho que trabalhar. - Ele interrompe o beijo ao lembrar que deixou a loja sozinha.

— Ihh... Quem veio roubar minha câmera foi você, eu estava pleno bebendo minha xícara de café quando você chegou.

— Estressado.

— Realista. - Corrijo.

Minnie desceu para loja. Essa casa é alugada de uma das amigas da gente, foi "presente" dela – mesmo tendo que pagarmos o aluguel. Enfim, a casa tem dois andares, o de baixo era tipo uma garagem, mas reformamos e transformamos numa loja de esporte, mesmo eu não sendo nada atlético, mas Jimin insistiu e não foi muito, ele consegue tudo o que quer com aquele sorriso... Tsc!

{ 20:00 P:M }

A loja fecha de 19:30, mas quando Jimin está lá ele dá uma checada em tudo antes de subir, essa semana toda era a vez dele de ficar na loja. Nossa vida era perfeitinha, para mim.

Foi em torno de 20:10 que tudo começou a acontecer, desconfiei a demora dele pra subir, já que ele checava tudo em cinco minutos no máximo. Peguei a câmera que eu carregava pra cima e pra baixo e desci silenciosamente na esperança de conseguir gravar um susto, mas aí eu me deparei com aquilo; Jimin estava sentado ao lado de um jovem, aparentemente mais novo que nós – talvez um ano mais novo – alisando a perna dele e o cara apenas conversando normalmente. Eles não me perceberam. Desliguei a câmera e subi discretamente, eu estava perturbado com aquilo.

Guardei a câmera em cima do guarda-roupa e me despi, entrei no banheiro ainda tentando assimilar aquilo que tinha visto, aquela dor era horrível. Entrei no box e liguei o chuveiro, a água morna batendo na minhas costas e no meu rosto pálido agora eram homogêneas com minhas lágrimas que insistiam em cair mesmo eu forçando o contrário. A dor no meu peito era muito forte, eu gritei, gritei alto. Escutei passos fortes como se fossem correndo pelo quarto e as batidas na porta vieram em seguida

— YOONGI? YOONGI VOCÊ TÁ BEM?

Fico em silêncio, me abaixando em posição fetal.

— Yoongi! Me responde.

Eu pensei em gritar para ele sair dali, para ele ir embora e nunca mais nem olhar na minha cara, Doía, doía pensar nas coisas que eu vi, mas doía mais ainda o fato de eu ainda o amar, era como a mistura de amor com amargura. Eu pus as mãos no rosto e pensei melhor no que eu iria responder.

— Eu tô bem. – Respondo, finalmente.

— E o que foi esse grito?

— Apenas um rato. - Falei frio

— Mas você não tem medo de ratos...!

— Eu já disse QUE FOI A PORRA DE UM RATO.

— Yoongi?! - Ele se assusta.

Penso em alguma maneira rápida de distraí-lo.

— Faz o jantar hoje?

— Tudo bem. – Ele diz, vencido.

Nossa conversa foi breve, com cortes e poucas falas, eu não estava suportando aquilo, mesmo depois disso eu ainda o amo. Não estava suportando pelo fato dele estar alisando a perna do outro, e sim pela via deles terem feito coisa muito pior. Me enxugo e visto uma roupa aleatória, pego a câmera e antes de ir pra cozinha passo o vídeo pra um pendrive pelo notebook.

— Park Jimin... Você ferrou minha vida. – Digo para mim mesmo.

Vou até a cozinha e sento na mesa, ele serve a comida, nós comemos e o mesmo tenta puxar conversa, mas o deixei falando sozinho. Termino de comer e vou pra sala, sento no sofá e o espero, porquê era óbvio que ele iria vir atrás. E, como eu disse, ele veio.

— Amor...? O que houve contigo? Você está frio, estranho...

— Não é nada, senta aqui.

Ele se sentou, o beijei, beijei ele como se fosse o nosso primeiro beijo; viciante e prazeroso, mordo o lábio dele no final e o vejo suspirar por falta de ar. Levanto e ponho o pendrive na TV.

— Vamos assistir?

— Sim.

Eu pulo algumas filmagens e dou play na hora que estava descendo as escadas, ele estava assistindo aquilo, quando o olho ele está paralisado, e uma lágrima escorre do olho direito dele.

— Sabe esse beijo que eu te dei?

— ...Sim - Demora pra responder, meio desnorteado.

— É bom ter gostado, por que foi o que você vai receber vindo de mim.

Levanto

— Eu acho melhor você ir embora.

Eu que fundei e tive a ideia da casa e da loja, então tudo isso “me pertence”, de certa forma.

— Mas pra onde eu vou a essa hora?

— Não precisa ir agora, hoje você dorme na loja e amanhã eu quero acordar e não te ver mais aqui.

Ele abaixa a cabeça e assente que sim.

× 22/12/2016 (Quinta-feira) ×

Acordei.

Não queria levantar, mas era obrigado a ver se Jimin foi embora. Levantei e fui até a sala e olhei o relógio, eram 8:00 da manhã, a loja estaria aberta nesse horário.

— Jimin... – Eu chamo com receio.

Desci as escadas e vi a loja fechada, uma parte de mim agradecia e outra lamentava... Fui até o quarto e vi que todas as roupas dele sumiram, ele realmente foi embora. Sentei na cama e involuntariamente uma lágrima desceu e quando uma lágrima desce, outras vão vir atrás, e foi o que aconteceu; não parei de chorar até ver meu celular, precisava de algum amigo pra conversar.

Ligando pra Hoseok

— Hope... Quero falar contigo.

— Quer que eu vá aí? - O mesmo pergunta estranhando uma ligação tão repentina e tão cedo.

— Preciso disso.

Hoseok é meu amigo desde que eu era criança, o meu melhor aliás, sempre me apoiou em tudo, me ajudou quando precisei e me dava conselhos, a gente meio que se afastou depois de eu ter começado a namorar Jimin, diria que por nada praticamente? Sim, talvez, mas Jung Hoseok vai vir pra cá mesmo depois de temos nos afastado, é por isso que o considero meu melhor amigo, porquê melhores amigos nunca se separam, são tipo irmãos gêmeos.

— Ok, chego aí em 5 minutos.

A casa de Hoseok não é tão longe da minha, se ele corresse chegaria em menos de cinco minutos. Escuto a campainha tocar e levanto da cama, ando lentamente até a porta, já tinha parado de chorar, porém, quando abro e vejo Hoseok eu não aguento e as lágrimas voltam, me desespero e ponho a mão no rosto.

— Ei, ei, calma, o quê aconteceu? - Ele se aproxima me abraça pondo a mão nos meus cabelos, mexendo um pouco e escondendo meu rosto no seu peito. — Põe pra fora.

Olho mais uma vez para o rosto de Hoseok.

— O Jimin, ele... Ele...!! - Eu não conseguia falar, puxo ele e sento no sofá. - Assiste isso. - Ligo o aparelho e dou play na mesma parte de ontem.

Ele assiste tudo atentamente, quando acaba fica com uma expressão de pensativo, meio sem ação. então me abraça forte.

— Vai ficar tudo bem, calma. - Me deu um beijo no topo da cabeça. — Eu tô aqui, ok? Quer tentar fazer algo legal pra esquecer isso ao menos um pouco?

Ele me afasta e põe as mãos nas minhas bochechas, sinto-me rosado, um pouco corado, mas pela proximidade .

— Jimin foi muito babaca, ok? Você merece alguém muito melhor que ele.

Sequei minhas lágrimas com a manga da minha blusa

— Depois do Jimin, não penso em mais ninguém, coisa melhor não há, porquê eu não quero mais nada com ninguém, eu não quero me machucar de novo. - Falei da forma mais fria possível.

— Por enquanto. - Ele falou baixo, quase um sussurro, mas eu escutei, atordoado não entendi o que significava, então nem liguei. – A gente podia tentar sair um pouco, não sei, eu vi que lançou um filme legal no cinema.

Eu estava realmente voando com isso tudo, ia recusar, mas ouvindo a proposta de Hoseok com aquela carinha dele de "por favor deixa eu te ajudar", eu não resisti.

— Por mim... - Olho pra cima e respiro fundo.

Me levanto

— Você ainda vai passar em casa pra tomar banho?

Ele demora um pouco pra se tocar de que correu até aqui, estava suado e com roupa não muito adequadas pra sair por aí.

— Ah é, verdade. Vou. – Ele pensa um pouco – Passo aqui de que horas pra gente sair?

— Você quem decide, por mim passaria a tarde toda assistindo na Netflix.

Estava me esforçando pra não parecer ingrato ou egoísta (?) com Hoseok.

— Ei, não precisa exatamente ser no shopping. Eu só quero passar o dia me divertindo contigo. – Ele abriu um sorriso.

Penso bem no que vou falar pra não falar besteira, eu amo muito Hoseok, ele é praticamente meu irmão mais velho e magoá-lo seria uma coisa sem perdão.

— Vamos ao shopping, socializar. – Lembro que no shopping tem praça de alimentação. - E sem falar que faz tempo que não como sushi.

Vejo que Hoseok está prendendo o riso, porquê? Porquê eu simplesmente odeio pessoas, pessoa pra mim é lixo e socializar é uma coisa que eu só faço se estiver chapado, bêbado ou doente demais pra me responsabilizar pelos meus atos.

— Idiota. - Jogo uma almofada em Hoseok.

Ele dá uma risada curta

— Ok ok, eu passo aqui de 12:00 então? A gente passa o dia no shopping, vê um filme, come sushi, briga com espadas nas Americanas, aproveita e rouba uns doces, e vai.

Eu queria conseguir me divertir animadamente assim como ele sugeriu, mas eu não conseguia, o lance do cinema e do sushi até vão, mas brincar... Eu não sei.

— Vamos apenas assistir e comer. - Olho o relógio, eram 9:30 - 12:00 certo?

— Certo, passo já aqui. - Fala, saindo.

— Ok...

Assim que ele sai, eu vejo uma foto minha e de Jimin no centro em frente a tv, começo a tremer de raiva, seguro o porta retrato e o jogo no chão, mas eu jogo com todas as forças que eu ainda tinha, estava nem aí para os cacos de vidro, peguei a foto e sentei no sofá. Olhei para foto que logo estava sendo molhada por minhas lágrimas, eu não aguentava mais chorar por isso, mas aquela dor ainda apertava meu peito, e eu – infelizmente – ainda amo Park Jimin.


Notas Finais


Muito obrigado por ler ❤

Até o próximo capítulo, espero que tenham gostado porquê deu até um pouco de trabalho de fazer e editar, PRINCIPALMENTE PQ A @butidfc_ É PREGUIÇOSA.

Tchaun ❤👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...