História Eu não sou.... - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 1
Palavras 353
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 2 - 02 - Rotina...



  O dia para todos já havia começado, menos para mim, não tinha vontade de me levantar, de ir a escola, eu não queria sequer comer e isso normalmente eu queria. ....

  Levantei sentindo me tão cansado quanto quando fui dormi no dia anterior, mas o que eu poderia fazer se minha habitual insônia não me deixou dormi? Escovei os dentes e tomei café da manhã 




  Aulas cotidianas, não eram.tão chatas. Mas é difícil sorrir sempre que alguém fala com você. Quando chegou o intervalo eu já estava com dor de cabeça. Diferente do ano passado agora tenho um amigo, mas isso é só mais uma preocupação. Não sei até quando conseguirei ser um bom amigo, além de que ele tem outros amigos e me sinto como se estivesse sendo um intruso. 

  Depois do intervalo teve uma aula de matemática e só eu mesmo na classe gosto dessa matéria. Em seguida as duas últimas eram educação física e ao contrário da maioria, eu realmente não gosto dessas aulas pois odeio exercícios físicos. 


  ******************************



  Hoje quando cheguei em casa notei que todos os presentes estavam felizes, conversando e rindo alto. Passei por eles, aguardei meu material e troquei de Roupa.

  Hoje minha tia resolveu insistir para que eu jantace com todos e eu aceitei sentindo me forçado. Comi tudo em silêncio completo e encolhido sem olhar diretamente para ninguém. Quando terminei, lavei minha louça e sai para olhar o céu do lado de fora de casa.

  Essa solidão me faz sentir me mais eu mesmo, Eu não gosto dela, mas sei que é melhor assim pois já estou no meu limite hoje. Eu não preciso sorrir na escuridão da noite Já que ninguém verá, aqui eu posso ser só eu... ninguém vai notar minhas unhas machucando a superfície fina da pele no meu braço, nem hoje nem amanhã. Ninguém ver quando estou falando sozinho ou começo os pequenos e cotidiano os cortes. ....

  Eu sinto que essa fina dor, aos poucos, me liberta. Sinto que vou me tornando mais vivo e ao mesmo tempo leve. Só distante de todos vou me tornando o verdadeiro eu.




Notas Finais


Por hoje é só, comentem o acharam! No que estão pensando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...