História Eu não vivo sem você - Mitw - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Andrei Soares "Spok" Alves, BIBI Tatto, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Henrique, Lucas Olioti, Luiz Felipe "Luiz 1227", Malena0202, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, MoonKase, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rosane Martins
Tags Mitw
Visualizações 20
Palavras 821
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura.

Capítulo 24 - De volta para o passado parte:2


​P.O.V Clarine

A última coisa que eu lembro é ter visto uma avalanche e todos em desespero.

Agora estou sozinha no meio do mato, mal consigo me mover, eu devo ter caído para fora do carro e rolado montanha abaixo.

Após ter andando por algum tempo ouço alguns sons vindo em minha direção, fiquei com muito medo e comecei a correr sem olhar para onde eu ia mais o som sempre estava me seguindo, até que escorreguei bati a cabeça e desmaiei.

Fiquei muito tempo em coma, quando acordei estava em um lugar que nunca estive antes.

- Você finalmente acordou, você está bem? – pergunta uma voz doce.

- Onde estou? Quem é você? Como vim parar aqui?

- Aqui é um “ Quartel General”, me chamo Celeste e por fim meus amigos te encontraram no meio da mata e te trouxeram para cá.

- Cadê meus amigos?

- Não sabemos você estava sozinha, talvez eles tenham.

- Morrido, mais porque vocês me trouxeram para cá?

- Eles te acharam muito rápida e ágil, e disseram que você estava muito machucada.

- Mais o que eu posso fazer em troca?

- Como eu te disse, eles gostaram muito de você e acham que quando você crescer poderá trabalhar aqui.

- Mais oque vocês fazem aqui? Já ia esquecendo meu nome é Clarine.

- Prazer Clarine.

Ficamos um bom tempo conversando, depois disso fiquei em media de 1 mês neste local.

​1 ano depois

- Estou com medo, e se esta família me maltratar?

- Não vai, vamos sempre estar te visitando.

- Vamos Clarine? – pergunta  Merlin.

- Oi, como você se chama? – pergunta minha futura mãe.

- Clarine.

- Prazer Clarine, meu nome é Elisa e esse é meu marido Rafael.

- Muito prazer Clarine – diz o senhor Rafael.

- Prazer.

- Vejo que você é bem alegre, você gostaria de ter um irmão?

- Sim.

-Esse daqui é o Felipe.

- Oi Felipe.

- Oi.

- Podem ir brincar, vamos resolver alguns assuntos ta?

Não tenho amigos neste momento, estou feliz por ter um irmão.

- Você me faz um favor? – pergunto para o Felipe.

- Sim, qual?

- Se você precisar de minha ajuda, não hesite em pedir.

- Porque isso agora? – ele me pergunta.

- Meu melhor amigo morreu, porque não pude ajuda-lo.

- Não é verdade, você deve ter ajudado muito ele quando pequena.

- Não, eu sou muito fraca, nunca pude ajudar ele e ele sempre estava me protegendo.

- Vocês eram muitos chegados?

- Sim, ele já me protegeu de um louco querendo me matar por amor.

- Vamos crianças? – fala a Elisa.

- Lembre-se de voltar Clarine – diz Celeste acenando.

- Eu vou.

​3 Semanas depois

​P.O.V Elisa

- Sabe amor, acho que foi uma boa ideia adotar a Clarine.

- Sim também acho, e ela fez várias amigas na escola – diz Rafael.

- Sem contar que ela tem ótimas notas e ajuda o Felipe nas tarefas.

- Falando nisso, o diretor ligou e disse que quer conversar com nos pessoalmente – diz ele preocupado.

Comecei a me preocupar, Celeste disse que Clarine tem extintos protetores, talvez ela esteja fazendo algo por proteção.

- Então vamos amor?

- Vamos – diz ele pegando a chave do carro.

- Onde vocês vão? – pergunta Clarine.

- Vamos para a sua escola querida – digo passando a mão no rosto dela.

- Estou com medo – ela diz e abaixa a cabeça.

- Porque? – pergunta Rafael.

- Foi assim que meus pais e meus amigos morreram, se bem que havia gelo na estrada.

- Não se preocupe, vamos ficar bem – digo para confortar ela.

- Eu sei, não sonhei.

- Tchau querida.

- Tchau.

​Na escola

- Que bom que compareceram o mais rápido possível – diz o diretor.

- Oque houve com a Clarine?

- Fizemos um teste de inteligência e ela acertou todas as questões, e esse teste é considerado o mais difíceis do pais.

- Isso é bom, mais qual é o problema disso? – pergunta Rafael.

- Ela não pode estar no 6° ano, ela terá que pular para o 8°.

- Mais e as amigas dela?

- Ela poderá fazer novas amizades.

- Entendo – diz Rafael.

- Obrigado pela compreensão.

- Vamos tentar conversar com ela.

<< Quebra de Tempo ​>>

​P.O.V Clarine

- Oi Celeste.

- Oi Clarine, como você cresceu.

- Eu nunca iria descumprir com uma promessa.

- Vamos, este aqui vai ser seu apartamento e este seu carro (autora: aqui ela já tem 18).

- Esse é o carro que você tinha me falado?

- Sim, e apartir de agora seu codinome é MidNight.

- MidNight?

- Sim, ou seja meia-noite.

- Entendo, sinto que estou sento espionada.

- Haaaa.

- Quem é você?

- Que extinto em, essa daqui é a Lucy sua companheira.

- Não preciso de companheira.

- Ela só vai te dar as informações de onde eles estrão.

- Ok.

 


Notas Finais


desculpa a demora, estava distraída e é tudo culpa dos animes.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...