História Eu nunca poderia amar assim - Capítulo 10


Escrita por: ~ e ~L_Henri-Kun

Postado
Categorias The Seven Deadly Sins (Nanatsu no Taizai)
Personagens Ban, Diane, Elaine, Elizabeth Liones, King, Personagens Originais
Tags Ban, Diane, Elizabeth, King, Meliodas
Exibições 103
Palavras 2.745
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Colegial, Comédia, Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oiiiiiii
e
desculpaaaaassssss
Eu sei que eu demorei
MAAAAS
Ta aí, mais um capitulo pra vcs. Espero q gosteeeeemmmmm
Boa leitura <3

Capítulo 10 - Meu tudo


♫ ♬ ♫ ♩ ♬ ♩ ♫ ♩ ♫ ♬ ♬ ♫ ♩ ♩ ♫ ♬ ♫

Estou pensando em você

Hoje à noite em minha solidão insone

Se é errado amar você

♫ ♬ ♫ ♩ ♬ ♩ ♫ ♩ ♫ ♬ ♬ ♫ ♩ ♩ ♫ ♬ ♫

Elaine On

Por que eu me sinto tão incomodada com o Ban beijando aquela garota? Sinto uma dor no coração, sei lá...

(inner do bem: Você está apaixonada por ele...)

Será?

(inner do mal: Claro sua tapada, e ainda avisei que não era bom começar algo que nem começou com ciúmes...)

(inner do bem: Quem avisou fui eu.)

(inner do mal: Ninguém se importa.)

Tá, tá chega de briga interna...

Depois que fiquei parada olhando aquela cena, simplesmente ignorei e fingi que não tinha acontecido nada. Ban me encarava, como se quisesse pedir desculpas, mas sinceramente não vejo problema nenhum, ele não é nada meu e eu não sou nada dele. Mas mesmo assim, achei que ele gostasse de mim.

- Vamos Hijikata? – perguntei já pegando sua mão.

- V... Vamos. – disse Hijikata.

- Tchau gente! – digo sorrindo e acenando.

- Tchau! – disse todos.

Ban e a garota não disseram nada.

Estou no carro de Hijikata, que está me levando pra casa. Acho que ele notou que eu fiquei incomodada com aquilo.

- Elaine, você está bem? – ele pergunta preocupado.

- Estou. – respondo normalmente.

-Não parece... – o sinal fecha e ele me olha. – Eu sei como é isso, pode ser sincera comigo...

- Então, o que você ia me contar lá no cinema? – mudo de assunto.

- Bom, é que você pode ter entendido errado minhas intenções com você... – ele para de me fitar e volta a atenção no trânsito.

-C... como assim? – pergunto evidentemente nervosa.

 

AI MEU DEUS ELE É UM ESTUPRADOR

 

- Calma, não precisa ficar nervosa. – ele disse e depois riu, mas a sua feição ficou séria de repente. – Eu só quero a sua amizade, fazer amigos e nada mais...

-Por quê? – pergunto, o fitando.

-Porque às vezes a vida tem dessas, sabe...

Ele tinha um olhar meio triste, algo deve ter acontecido pra ele falar desse jeito.

Chegamos em casa, pedi para ele entrar mas ele disse que já estava tarde e não queria mais incomodar.

- Vamos nos ver de novo? - pergunto já dentro de casa apoiada na porta.

- Pode apostar! – ele dá um sorriso enorme e vai embora.

Subo para meu quarto, tomo um banho, e logo caio no sono.

 

~xXx~

 

Já é de manhã, me arrumo e vou descer para o café. Papai estava na mesa, e a empregada ainda estava pondo a comida.

- Dormiu cedo filha? – pergunta papai.

- Sim, cheguei do cinema e já fui dormir. – disse ainda descendo as escadas.

- Que bom. – dei um beijo na bochecha de meu pai. - Já seu irmão não posso dizer o mesmo... – disse tomando um gole de café, vendo King descer as escadas.

- Eu cheguei mais tarde que a Elaine porque fui de carona com os nossos amigos. O último a chegar em casa... – cumprimentou papai e se serviu.

- Ah... Bom, daqui a pouco vou trabalhar, não me esperem pra janta.

-Como sempre. – dissemos, e nos olhamos na mesma hora.

Sinto que papai mudou também. Antes ele não se importava, depois da morte da mamãe ele se afastou da gente, não que agora ele esteja se reaproximando, mas antes deu partir para os EUA, papai não dava satisfações e não se preocupava se ia chegar tarde ou não.

Mas agora ele está diferente, vi que o olhar dele era como se lamentasse, coisa que não fazia antes. Ele lamentava não ter tempo para nós. Mas que diabos de trabalho é esse?

Ficamos em silêncio desde então.

Elaine Off

 

Ban acorda e faz o seu café, como todos os dias. Por algum motivo ele se sente um pouco mal por ontem. Ele sabia que sentia algo por Elaine, e quando ela sorriu para todos como se nada tivesse acontecido, ele pensou que ela não sentia nada por ele. Ou era um idiota por pensar isso, porque ela ia fazer o que se gostasse dele? Dar umas pauladas? Afinal, eles não são nada, ainda...

Ban decide então andar de skate, para espairecer um pouco a cabeça. Ele anda um quarteirão inteiro, e encontra uma pessoa.

- Jericho... - sussurra para si mesmo.

Ele a vê sentada em um banco, então decide ir até lá.

- Oi. – ele diz sorrindo sentando ao lado dela.

- Oi. – diz não muito animada como era antes.

- O que houve? – perguntou evidentemente preocupado.

- Sério? – ela pergunta incrédula. Ele apenas acena um “sim” a fitando, e ela bufa logo após.  - Nos beijamos ontem e você nem me ligou, e ainda ficou olhando aquela garota como se o beijo fosse um pecado mortal...  Sério, se você estiver fazendo um joguinho comigo sugiro que pare porque senão...

- Não. Não é nada disso... – ele a interrompe. – Eu não sei bem o que aconteceu ontem, desculpa se te magoei, não foi minha intenção...

- É... Fui eu que te beijei... – disse cabisbaixa.

- Enfim, agora tá tudo certo? Podemos ser amigos e companheiros de skate? – pergunta sorrindo.

- Claro! – disse sorridente e batem as mãos.

- Bora então!

Eles se levantam, e então passam o dia passeando.

Jericho ficou um pouco magoada. Para ela, o beijo significou algo, mas ela pôde perceber que para ele não significava nada. Desde o dia que se conheceram, o dia em que ele a impressionou no parque de skate, ela sentiu algo que não tinha sentido por nenhum outro garoto.

Depois de alguns minutos, ela chega em casa e diretamente deita no sofá, sua mãe estava fazendo faxina.

- E aí mãe! – disse Jericho.

- Por que você não lavou a louça mocinha? – pergunta a mãe dela a repreendendo.

- Ué, lavei sim, só deixei as panelas sujas.

- Lavou, sei... Você é muito folgada!

- Aff mãe, acabei de chegar e tô cansada, para de me encher o saco!

- Só eu que faço tudo nessa casa! – a mãe dela ainda reclamava, passando vassoura na casa.

- É, a única, a diarista, a empregada, a mãe...

- É o que garota? – disse já indo em direção à sua filha com o cabo da vassoura na mão.

- Nada, nada! – dizia já correndo de sua mãe.

Mas não adiantou muito, a mãe dela viu que não a alcançaria e então jogou o chinelo, que pegou bem no bumbum da garota.

Depois de um tempo Jericho sente fome, e então lentamente abre a porta do quarto. Avista sua mãe, colocando os pratos na mesa.

- Me desculpa, mãe... – disse pegando os copos.

- Tudo bem, eu estava de mal humor mais cedo. Hoje vai ser bolinho de arroz e batata-frita. – disse com uma certa empolgação, mas estranhou a sua filha, que não tinha respondido. – O que houve filha? São seus pratos de comida favoritos...

- Nada mãe... - sentou-se à mesa, um pouco cabisbaixa.

~xXx~

Esse domingo foi um pouco entediante para todos. Logo chegaria segunda-feira e Elaine só pensava em como encarar Ban depois de tudo isso. Ela não queria se sentir assim, magoada por alguma razão, mas parte da culpa é dela, por ter aceitado o convite de Hijikata, assim fez com que Ban trouxesse outra. Mas Elaine e Hijikata são apenas amigos, e nada mais. Pensou em até falar isso para o Ban, mas para quê? Talvez para ajeitar um pouco as coisas, serem amigos pelo menos.

Ban estava deitado em sua cama, e também pensava em ajeitar as coisas, falar que foi Meliodas que o obrigou a convidar Jericho. É, eles estavam decididos.

- Vou dar um jeito nisso! – disseram, sozinhos em seus quartos.

 

[...]

 

Na escola, Ban avista Elaine. Ela estava com as suas amigas abrindo os armários.

- Elaine, você está bem mesmo? – pergunta Elizabeth abrindo seu armário.

- E por que não estaria? – pergunta Elaine, fazendo o mesmo.

- Bom, é que nós achamos que você gostasse do novato T... – disse Diane, que pegava seus livros também.

- Acharam errado então. Vamos? – pergunta dando um sorriso, mudando o humor de repente.

- Vamos. – disseram.

Ele estava parado, encarando Elaine.

- Aí amiga, ele está te esperando. – disse Diane cutucando Elaine.

- Acho melhor esclarecer as coisas, não? – pergunta Elizabeth.

- É, eu sei. – disse e então andou em direção a ele.

Ban  tinha um olhar tranqüilo, o que fez Elaine se sentir confortável.

- Preciso conversar com você... – disse Ban calmamente.

- Vejo vocês na aula. – acena para elas, e logo vão embora, mas não antes que Diane piscasse para ela.

O que será que Diane quis dizer com essa piscadela?

~xXx~

O corredor do pátio estava lotado, daqui a pouco tocava o sinal, e aí virava uma bagunça. Alunos correndo pra lá, outros pra cá, porque não pode chegar atrasado, são apenas 5 minutos de tolerância.

Elizabeth não viu Meliodas desde que chegou, normalmente ele ficava no pátio ou no campo de lacrosse, mas hoje ele não estava em nenhum desses lugares.

- Diane, será que o Meliodas faltou? Eu não o vi... – disse Elizabeth abraçada com os livros e a mochila em seu ombro direito. 

- Não sei Eliza, deve ter faltado...  – disse, com a mochila também em seu ombro direito, mas segurava os livros com o braço esquerdo, de uma forma meio relaxada.

Elizabeth estranhou a sua amiga agir normalmente por Meliodas ter faltado, ela sempre era tão estérica em relação a ele. E sempre o admirou, bom, a maioria das garotas o admira.

Elizabeth percebeu que a mochila estava um pouco mais leve que o normal, então a abriu e percebeu que o fichário não estava lá.

- Droga!

Diane estranhou sua amiga dizer isso, e rapidamente a olhou, curiosa.

- O que foi amiga?

- Esqueci meu fichário no armário!

Diane ri.

- Calma, não é o fim do mundo... – disse ainda rindo.

- É que o sinal já vai tocar e o armário está longe...

De fato, o armário ficava um pouco longe da sala de aula desta vez.

- Então é melhor correr logo em vez de ficar reclamando. – disse num tom brincalhão.

- Tem razão! – rapidamente correu.

Alguns alunos a olharam por ela estar correndo, ainda mais os garotos por estar fazendo um certo volume nela.

De repente o sinal toca, e então ela fica mais nervosa ainda, e os alunos que estavam perto dela também se adiantaram. Ela já estava chegando em seu armário quando percebe uma cabeleira loira em sua frente, e acabam se esbarrando fazendo caírem no chão.

- Me... Meliodas...

Elizabeth fez cosplay de tomate ao vê-lo tão perto de si, e percebe que ele estava segurando em seus seios.

- Elizabeth... – disse com uma cara maliciosa e ao mesmo tempo corado.

Ficaram um pouco se olhando.

- Po... pode me soltar... – ela dizia timidamente e olhando para as mãos de Meliodas que estavam apoiados em seus seios.

Ele percebe o olhar direcionado à mão que estava nos seios da garota, então logo sai da hipnose que estava.

- Ce... certo... – ele volta ao normal. – Você está bem? – disse pegando nas mãos da garota dessa vez, a levantando.

- E... estou... E você? – pergunta ainda corada.

- Bem também, e acho melhor a gente se apressar, o sinal já tocou. – disse com um sorriso radiante.

- Ah! Tem razão! – rapidamente o rosto parou de corar, e ela percebe que estava atrasada. – Eu tenho que pegar meu fichário!

Disse ela que rapidamente tentou correr, mas Meliodas pega sua mão.

  - Não temos tempo, eu te empresto o meu, agora vamos! – a puxa e vão correndo pelo corredor.

Ela se sentiu muito bem na hora que ele pegou em sua mão, corou um pouco também, mas agora ela estava atrasada, e então acelerou o passo junto à Meliodas. Ele a levou justamente para a sala que ela tinha aula de química, pois ele tinha a mesma aula.

Meliodas bate na porta e adentraram a sala, ainda com as mãos dadas.

- Desculpa a demora professor! – Meliodas disse, sorridente.

Todos e principalmente Diane e o professor os olharam.

- Vou nem perguntar o porquê de terem demorado tanto. – disse o professor olhando para as mãos deles entrelaçadas.

Na hora Elizabeth percebe e solta sua mão.

- Eu esqueci meu fichário e tive que voltar... – disse ela apreensiva com o olhar de todos.

- Pelo jeito sem êxito não é, senhorita Liones? – pergunta o professor.

- Pode deixar que empresto o meu. – disse Meliodas ainda sorridente.

- Da próxima vez seja mais cuidadosa, e você... – apontou para Meliodas. – Estou de olho. – disse o professor com um olhar mortal. Meliodas apenas assentiu, não desfazendo seu sorriso.

- Sim, professor Dreyfus... – disse Elizabeth, nervosa.

Rapidamente eles sentam em seus lugares. Elizabeth senta ao lado de Diane, que a olhava apreensiva, buscando uma resposta para o que houve. Ela gostou nem um pouco deles estarem de mãos dadas, e Elizabeth desviava o olhar respirando fundo, sabe que deve boas explicações...

~xXx~

 Ban segurava Elaine pelo braço, subindo as escadas que levava para o terraço da escola. Havia bancos de madeira ao redor do muro, uma grade de arame em volta dos geradores de energia, e o painel de controle, no centro do terraço.

Elaine não entendeu direito, o porquê dele a levar tão longe só para conversar. Curiosa, perguntou:

- Ban, por que você me trouxe até aqui?

- Eu quero te explicar o que houve ontem, e quero ninguém me atrapalhando. - disse Ban, determinado.

- Não houve nada demais, e eu não tenho nada a ver com você e com aquela lá...

- A Jericho? - perguntou sorridente, adorou quando sentiu uma pontada de ciúmes nela.

 - É, essa aí. - disse emburrada.

Ban apenas deu uma pequena risada.

- Por quê você tá rindo seu idiota? - pergunta, ainda emburrada.

- Seu ciúmes é fofo... Bom, independente disso ou não, eu vou te explicar.

Elaine cruza os braços, séria.

 - A Jericho me deu um beijo do nada, aí fiquei sem reação porque não esperava por isso. E foi o Meliodas que me obrigou a convidá-la.

- Entendo. E?

 - Foi só isso que aconteceu. Agora você.

- Eu o quê? - pergunta, mas logo caiu a ficha.

- Você ficou com aquele lá?

 - Não - riu, mudando sua feição.  - Somos apenas amigos, e ele mesmo me falou que só queria amizade.

 - E você queria algo a mais? - pergunta, com uma cara de tédio.

- Até que queria... - olha para Ban, esperando uma reação.

E como esperado, Ban faz uma cara furiosa, enciumado. Elaine se diverte com sua reação, e ri.

 - Vingança - Elaine diz, rindo de novo.

Como Ban não queria que ela ganhasse, de certo modo, retrucou mais uma vez.

- É, difícil alguém querer algo com uma baixinha e além disso sem sal... - diz com uma cara séria, mas por dentro morria de rir.

Enquanto falavam, Ban ia para perto de um banco, e Elaine o seguia quase batendo os pés de raiva.

 - Seu idiota... O que foi que disse? - pergunta furiosa.

 - Não ouviu? Então você não escuta muito bem aí de baixo né.

No momento que ele disse isso, ela então subiu em um banco, insinuando que ia dar uma tapa no rosto dele. Sem êxito.

Ele parou a mão dela, e a puxou com a mesma, dando lhe um beijo. Ela ficou pasma, ainda com os olhos abertos, pois não esperava por isso.

Imediatamente, o empurrou. Ele a olha com uma cara apaixonada, e ela ainda estava surpresa com isso. Logo, ela solta sua mão que ainda estava sendo segurada por ele, puxa o colarinho da blusa dele e o beija.

♫ ♬ ♫ ♩ ♬ ♩ ♫ ♩ ♫ ♬ ♬ ♫ ♩ ♩ ♫ ♬ ♫

Estou pensando em você

Hoje à noite em minha solidão insone

Se é errado amar você

Então meu coração não vai deixar agir certo

Um beijo apaixonante, que se tornava cada vez mais quente. Ele se impressionou com o modo de como ela o beijava, e de como segurava sua blusa, de um jeito não delicado. É tão tímida, não esperava por isso.

Mas para ele, isso foi até melhor.

♫ ♬ ♫ ♩ ♬ ♩ ♫ ♩ ♫ ♬ ♬ ♫ ♩ ♩ ♫ ♬ ♫


Notas Finais


Oiii de novooo
Eu, relendo de novo e editando no site, achei q ficou curto, e me desculpeeeemm por isso, sério. Como eu demorei, o cap deveria ser do tamanho do meu amor por kpop (muuuuuuuuuuuito grande), mas espero q vcs tenham gostado. Juro juradinho q o cap 11 vai ter muito mais coisa, e vai ser mt mais intrigante hahahaha misteriousss.
Um bj e um queijo pra vcs <3

(QUEM QUISER O LINK DA MÚSICA > https://www.youtube.com/watch?v=4kxU971_dfE)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...