História Eu, o crush e eles - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Kris Wu, Suho
Tags Faculdade, Krisyeol, Menção Hunhan, Suchen, Taobaek
Exibições 230
Palavras 2.606
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Confesso que depois que escrevi "The Ripper" senti uma puta necessidade de escrever outra SuChen, mas com uma história do bem. -Q
E eis que a Victória me obriga a escrever uma pra ela *cof cof* #brinks, não estou sendo obrigada.......talvez um pouco. hmm

Nayara, minha diva, esse KrisYeol é dedicada à você <3
Desculpe novamente! Te pago sorvete!

Irei postar sempre que o possível, não me odeiem caso eu demore.... (juro que irei tentar atualizar rápido, dentro do possível).... Depois que eu conseguir terminar o ultimo capitulo de TR, irei focar nessa.

E, sim, gente, eu também sei escrever coisas fluffy/comédia...... pode ser difícil de acreditar asiduhsaiudhiash
Prometo não matar ninguém </3

Apesar de haver muita interação ChanBaek —interações até suspeitas para quem shippa —, eles não serão casal, apenas melhores amigos, ok? Já irei deixar avisado para ninguém me matar depois sem eu ter matado alguém. -Q

E depois eu faço uma sinopse para ela, deu preguiça psokpsos

Enfim, boa leitura e espero que gostem. <3

Capítulo 1 - Filme de terror com os amigos.


Fanfic / Fanfiction Eu, o crush e eles - Capítulo 1 - Filme de terror com os amigos.

Há algum tempo, Jongdae já vinha pensando na hipótese de contar para Baekhyun e Chanyeol sobre o que sentia por um integrante da republica de estudantes onde moravam.

Quando criou coragem para contar seu segredo aos amigos, os chamou para conversarem depois da janta em seu quarto.

Jongdae já os esperava quando bateram na porta e já foram entrando. Baekhyun falava sem para e Chanyeol lhe dava completa atenção com um grande sorriso.

— Vocês têm certeza de que não estão namorando? — Jongdae questionou, já que não era a primeira vez que via Chanyeol dar tanto atenção ao mais velho.

Baekhyun parou de falar e olhou para o amigo. Chanyeol, por vez, continuou com o sorriso no rosto.

— Por que todos insistem que estamos namorando?

— Talvez porque parece?

— Aish! Amizade não existe mais? Vindo pelos fãs tudo bem, mas agora até você?

— Que fãs? Tu nem é artista pra ter fãs.

— Posso não ser artista, mas tenho minhas fãs na faculdade.

Jongdae fez uma careta e mostrou a língua ao mais velho, que retrucou do mesmo jeito. Chanyeol revirou os olhos diante a criancice dos dois e deitou na cama do líder da republica, e Baekhyun aproveitou para deitar entre suas pernas e apoiar a cabeça em uma das coxas.

— Depois ainda me pergunta o motivo de todos acharem. — revirou os olhos.

Chanyeol arrumou os travesseiros da cama para ficar mais confortável e começou a acariciar os cabelos de Byun.
Achava engraçado como todos pensavam que eles namoravam, mas tudo não passava de amizade, apesar de um fato ocorrido há poucos meses. Com todos comentando o quanto eles eram próximos, ambos começaram a se questionar se realmente existia algo além de amizade entre eles e, depois de muita vergonha e de pensarem sobre, decidiram entrar em um acordo: iriam começar um namorado que ninguém poderia saber e, se, depois de algum tempo nada surgisse, iriam terminar e continuar como eram.

O namoro durou pouco mais de um mês, mas na hora de experimentarem algo além de carícias e beijos, perceberam que não daria certo e resolveram romper. Porém, depois disso, acabaram ficando mais íntimos do que antes.

— Por que nos chamou? — Chanyeol perguntou. — Está com medo de dormir sozinho depois do filme que vamos ver?

— Aigoo! Não é por isso! Eu... eu quero contar algo à vocês.

— Então desembucha, já que vão nos chamar pro filme. — Baekhyun disse e levou um tapa na cabeça. — Precisava bater, porcaria? — deu um beliscão na barriga de Park.

— Desse jeito você vai deixar o menino mais nervoso, Byun, não está vendo que ele já está tenso?

— Tenso? — Byun pareceu perceber a situação do amigo só naquele momento, e o encarou. — O que houve, Chen?

— Eu... eu pensei e... eu posso confiar em vocês, né?

— Claro, o que houve?

Jongdae mordeu o lábio, nervoso.

— Eu não contei antes porque quis pensar mais sobre e criar coragem para falar pra alguém...

— Não enrola, Chen!

Baekhyun levou outro tapa na cabeça e olhou bravo para Park.

Jongdae agarrou o travesseiro e o apertou contra o peito.

— Eu estou apaixonado pelo Junmyeon-hyung.

O garoto escondeu o rosto contra o travesseiro e acabou não vendo a reação dos amigos.

Baekhyun sentou-se de supetão e abriu a boca, surpreso. Já Chanyeol arregalou os olhos, mas logo sorriu e gritou “Sabia!” enquanto apontava para Jongdae.

Ouviram uma batida na porta e logo ela se abriu, revelando um Junmyeon com cara de quem se perguntava o que estava acontecendo ali.

— Quem me chamou?

— N-ninguém, hyung. — Park respondeu.

— Hum, jurei ter ouvido alguém falar meu nome. — notou que Jongdae estava com o travesseiro no rosto. — Dae, por que está com a cara enfiada no travesseiro? Vai acabar ficando sem ar.

Jongdae rapidamente retirou o rosto do travesseiro.

— A-ah, não se preocupe, hyung. — deu um sorriso que fechou seus olhos.

— Enfim, eu vim avisar que já vamos começar a ver o filme, caso não quiserem assistir, façam silencio, por favor. Sério, qualquer dia vocês vão nos deixar surdos.

— Ok! Nós já vamos. — Baekhyun respondeu.

Junmyeon continuou parado no mesmo lugar.

— O que foi, hyung? — Park perguntou.

— O que houve com o Jongdae?

Byun olhou de Junmyeon para Jongdae e viu que o amigo estava ficando vermelho, e levantou-se e começou a empurrar o líder para fora do quarto.

— Já falei que nós já vamos, hyung!

— Aish! Primeiro eu ouço vocês falarem meu nome e agora estou sendo expulso do meu próprio quarto, o que há com vocês? Está acontecendo alguma coisa?

— Não, nada. Aliás, como sabe que falamos seu nome?

— Eu estava vindo chamar vocês e ouvi.

— Ouviu mais alguma coisa?

— Não. Espera, estão escondendo algo?

— Não

— Não minta, Baekhyun!

— Aish! Já falei que não! — percebendo que o líder não iria desistir tão facilmente, fez sinal para que Jongdae e Chanyeol se apressassem para o filme, e foi para a sala com o mais velho. — Então, hyung, como vai a vida amorosa? — passou um braço pelo pescoço do líder.

— Que tipo de pergunta é essa? E qual é a dessa aproximação, Byun?

— Nada, hyung, só estou curioso.

— A curiosidade matou o gato, Baek.

— Você me acha um gato?

Junmyeon revirou os olhos.

— Você está distorcendo as coisas.

— Eu? Falou o cara que não respondeu a minha pergunta.

— Aish! Eu não vou me livrar de você, né? — parou de andar e olhou para o mais novo.

— Não. — apoiou as mãos no ombro do líder e abriu um sorrisinho. — Estou esperando a resposta.

— O que você quer saber?

— Quero saber se você está saindo com alguém.

— Não, Byun, não estou saindo com ninguém. Satisfeito?

— Mais do que imagina, hyung.

— Por que toda essa curiosidade? Está interessado em mim?

— Eu não, mas conheço alguém que está.

— Sério? Quem?

Baekhyun distanciou-se, assoviando, e foi para a sala. Junmyeon não entendeu nada da atitude do mais novo e preferiu ignorar o que havia acontecido.

— Hyung, cadê o Byun? — perguntou Park, enquanto passava ao lado do líder.

— Já foi pra sala. Cadê o Jongdae?

— Ainda está no quarto.

Junmyeon fez as contas nos dedos e percebeu que só faltava Jongdae para se juntar a eles, e foi atrás do mais novo.

Bateu de leve na porta ao vê-lo deitado de bruços na cama.

— Dae, tudo bem? Está passando mal?

Jongdae abraçou o travesseiro e negou com a cabeça.

— Pode ir ver o filme, hyung.

— Você não vem? — aproximou-se da cama do mais novo. — Só falta você.

— Não estou a fim.

— Está realmente tudo bem?

— Sim, só estou com sono. — sentiu o mais velho tocar em sua testa. — O que está fazendo, hyung? — virou-se para poder olhá-lo.

— Estou vendo se não está com febre, você está meio estranho.

— Eu estou bem.

— Então venha ver o filme com a gente.

— Você não vai desistir enquanto eu não for, não é?

Junmyeon deu um risinho e sorriu.

— Que bom que você me conhece. Vamos? Pode levar o colchão se quiser, eu te ajudo.

Jongdae concordou de assistir ao filme e o líder o ajudou a levar o colchão.

Quando chegaram na sala, viram os meninos esperando-os, e notaram que alguém também tinha levado um colchão.

— Por que demoraram? — Sehun perguntou, já sentado em seu lugar.

— Fui ajudar o Dae a tirar o colchão da cama e ele enroscou.

— Está mentindo na cara dura. — Byun sussurrou e levou um cutucão de Park.

Minseok colocou o filme no aparelho e o deixou pronto para começar.

— Foi bom vocês terem trazido o colchão, ia faltar lugar para dois.

— Quem vai ficar nos colchões? — Kyungsoo questionou.

— Os donos dos colchões e quem mais eles quiserem. — Junmyeon respondeu.

— Nesse caso, você pode dividir o colchão com o Jongdae, hyung. — Byun disse para empurrar o líder para o amigo.

— O colchão é do Dae, ele escolhe quem quiser.

— Mas, nesse caso, você o ajudou a trazer, então vocês dois dividem o colchão. — Park retrucou.

— Se o Dae quiser, tudo bem.

Jongdae percebeu que a atenção de todos estava em si e, para não demonstrar que estava envergonhado com isso, jogou o colchão no chão e sentou-se, apoiando as costas no sofá atrás de si.

— Por mim, tudo bem.

Yixing sentou-se em seu colchão e indicou o lugar ao seu lado para Minseok, já que ele era o único sem ter lugar para sentar.

Junmyeon correu para o quarto para pegar uma coberta grande e os travesseiros, e retornou para a sala. Sentou-se ao lado de Jongdae e deu-lhe dois dos travesseiros e esticou a coberta sobre suas pernas.

O líder ainda não tinha percebido o gênero do filme que iriam assistir e lançou um olhar fulminante para Minseok ao ver.

— Eu não tenho culpa, eles que escolheram. — apontou para Byun e Park.

— Não tenho culpa. — Byun logo se defendeu, jogando as pernas no colo do mais alto. — Vocês demoraram.

Junmyeon revirou os olhos e se ajeitou para ficar mais confortável.

Logo em que o filme começou, o líder levou um belo susto, fazendo os meninos gargalharem de sua reação. Já Jongdae, não sabia onde enfiava sua vergonha de tê-lo grudado em seu braço por causa do medo.

Baekhyun e Chanyeol passaram boa parte do filme mandando indiretas e dando risadinhas dos sustos do líder, porém, quando uma personagem do filme deu um grito pelo qual Byun não esperava, fazendo-o levar um grande susto, ficaram quietos e passaram a dar atenção ao que acontecia na tela.

Quando o filme terminou e os garotos começaram a agitarem para irem dormir, Baekhyun rapidamente soltou um “shiiiu” que chamou a atenção de todos.

— O que foi, Baek? — Jongin perguntou.

— Façam silêncio, eles estão dormindo. — apontou para Junmyeon e Jongdae. — Não os acordem.

— Por que está tão preocupado com isso? Vamos ter de chamá-los para irem pro quarto mesmo.

— Não! Deixem eles dormirem aqui.

— Então vou dormir aqui também, estou com preguiça de levar o colchão de volta. — Yixing disse.

— Não! Não! Quem mandou trazer? Vai levar de volta! Vamos deixar somente os dois aqui.

Ninguém entendeu nada do que estava acontecendo. Minseok ajudou o chinês a levar as coisas para o quarto.

Chanyeol também observou os meninos irem para o quarto e se aproximou de Byun, apoiando o braço em seu ombro.

— Eles estão fofos.

— É. — respondeu Byun, indo cobri-los direito. — Vamos dormir. — pegou a mão do mais novo e começou a puxá-lo. — Como você acha que será a reação do hyung ao descobrir que quem gosta dele é o Dae?

— Não sei. — suspirou. — Para o bem do Jongdae, espero que seja positiva.

— Hum... Eu dei uma indireta ao Jun de que conhecia alguém que gostava dele, mas não sei como contar que esse alguém é o Dae.

— E se não contar?

— Teremos um Jongdae choramingando o tempo todo e um Junmyeon me atormentando para saber quem é.

— Caso você for contar pra ele logo, me chame, quero estar presente para ver a reação dele.

— Por que isso?

— Ora, vai ser engraçado... eu acho.

Baekhyun revirou os olhos e entrou no quarto, Chanyeol entrou logo em seguida e fechou a porta.

— Boa noite, Chany. — Baekhyun acomodou-se em sua cama.

— Hyung, posso dormir com você?

— Quê? Por quê?

— Estou assustado por causa do filme.

Baekhyun revirou os olhos e suspirou.

— Do que adianta todo esse tamanho se não passa de uma criança? — viu o mais novo fazer bico e não resistiu. — Vem logo, porcaria.

 

 

 

Quando o dia começou a clarear e os meninos a acordarem, Junmyeon despertou de seu sono, porém, o que o fez acordar foi o garoto aninhado em seu peito.

Por um momento, ficou sem reação ao vê-lo adormecido tão próximo de si e queria observá-lo por mais alguns minutos, mas acabou sendo obrigado a acordá-lo por causa de sua grande vontade de ir ao banheiro.

Carinhosamente, e tomando cuidado para não assustá-lo, chamou-lhe pelo nome e acariciou seus cabelos.

Jongdae resmungou, soltou um gemido, e acordou assustado.

— Hyung!

— Desculpe, Dae, tentei te acordar sem assustá-lo. Se não fosse por minha vontade de usar o banheiro, eu o deixaria dormir mais.

— Tudo bem, eu...

Vendo que o mais novo estava perdido, Junmyeon aproximou-se mais.

— Está tudo bem?

— Sim. Sim. — levantou desesperado, e pegou a coberta e se enrolou nela. — Obrigado por me acordar.

O líder não tinha entendido nada do que estava acontecendo, mas tinha uma leve impressão de ter visto um certo volume na calça do mais novo.

Com preguiça, levantou-se do colchão e foi rapidamente para o banheiro, mas encontrou a porta trancada.

— Jongdae acabou de entrar de coberta e tudo. — Kyungsoo avisou ao sair do quarto.

— Aigoo. Pior que estou muito apertado. O outro banheiro está liberado?

Kyungsoo bocejou e apontou para o outro banheiro.

— Agora está. — respondeu, vendo Minseok sair. — Bom dia, hyung.

— Bom dia.

Junmyeon correu para o banheiro antes que alguém entrasse na sua frente.

 

Ao chegar na cozinha, pegou uma xícara de café e algumas torradas que Minseok fazia, e sentou-se para comer, ainda sonolento. Enquanto tomava um gole do café, Baekhyun deu-lhe um tapa leve nas costas, mas fora o suficiente para fazê-lo afogar.

Baekhyun se assustou e só acalmou ao ver que o líder estava bem, não era sua intenção de fazê-lo se afogar.

— Um dia você irá me matar, Byun.

O citado sentou-se.

— Desculpe, não tenho intenções de matar o amor do meu amigo.

Junmyeon levantou o olhar para ele.

— Quê?

Baekhyun arregalou os olhos e tentou disfarçar.

— Nada.

— Nada o caramba! O que foi que você disse?

— Está curioso, é? — deu um sorrisinho malicioso. — Não sabia que eras assim, Jun.

— Eu só quero saber quem é. Ontem você falou que conhecia alguém que tinha interesse em mim, agora diz que eu sou o amor do seu amigo. Espera, amigo?

Baekhyun começou a assoviar e olhou pro chão para não ter de encará-lo.

Park entrou na cozinha, todo alegre e desejando bom-dia para todos, mas parou ao ver a cara feia que o líder fazia e tentou escapar da fúria que ali predominava, porém, parou assim que ouviu a voz de Junmyeon mandando-o se sentar.

— Seja lá o que for, não fui eu.

Junmyeon o observou sentar-se.

— Park Chanyeol, você está sabendo que o Baekhyun conhece alguém que tem interesse em mim?

— Não só sei como conheço a pessoa.

Baekhyun deu um chute na perna do mais alto, e Chanyeol só entendeu o que estava acontecendo quando viu o sorriso do líder.

— Então, Park, você vai me dizer quem é.

— Por que ele faria isso?

— Porque, senão, irei pegar o pôster dele do One Piece e o picar em mil pedacinhos.

Byun percebeu o pânico que se apoderou de Park e tentou acalmá-lo.

— Ele não irá fazer nada, Chany.

— Não irei? — Junmyeon retrucou com malicia. — O que acha de eu pegar a almofada sagrada dele e queimar? Ou a coberta? Ah! Já sei! Irei pegar o boneco do Luffy e dos outros, e os derreter.

Park começou a ficar desesperado mesmo com as tentativas de Byun de acalmá-lo.

— Está bem! Está bem! Eu falo! Mas não chegue perto das minhas coisas!

— Está bem.

— Park, não!

— A pessoa que gosta de você é o... é o... — respirou fundo. — É o Jongdae!

Baekhyun deu um tapa na cabeça do mais novo e olhou para o líder, esperando que ele não acreditasse ou que surtasse, qualquer reação, menos que ficasse calmo e pensativo.

— Hyung? — Byun chamou, receoso. — Não vai surtar, vai? Escute, Jongdae nos disse ontem e eu ia deixar para que ele lhe contasse, mas do jeito que ele é... por favor, não fique bravo com ele, realmente sinto que o menino gosta de você.

Junmyeon, calmamente, tomou um gole do café e suspirou.

— Eu já suspeitava.

Byun e Park ficaram surpresos e se encararam por um momento.

— Como é?

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...