História Eu odeio ele! - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias G-Dragon, History, SHINee
Personagens G-Dragon, Jinki Lee (Onew), Jonghyun Kim, KiBum "Key" Kim, Kyung-il, Minho Choi, Taemin Lee, Yi-jeong
Tags É Tretaaaa, Fazenda, Jongkey, Key Patricinha, Kyungil Muito Locao, Kyungjeong, Meu Pai Amado: Jonghokey, Minkey, So Avisando, Taemin, Zona Rural
Visualizações 133
Palavras 4.733
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioioi

Capítulo 15 - Eu confio nele!


Fanfic / Fanfiction Eu odeio ele! - Capítulo 15 - Eu confio nele!

Eu estava me sentindo no deserto do Saara. Misericórdia, parecia que o sol tinha resolvido dar um rolê nesses dias, por que sinceramente, nem as galinhas estavam aguentando. As coitadas e os filhotes delas andavam toda hora pelos cantos do galinheiro com o bico aberto. Eu, como tive dó, peguei um balde de água e joguei nas coitadas. De começo elas gritaram, mas eu sabia que estavam adorando.

Eu já estava para cavar uma piscina no chão, por que sinceramente se já tá difícil ficar lá fora, imagine dentro de casa. Como nesses dias de calor, nem os ventiladores e ar condicionados não estavam dando certo, Jonghyun resolveu andar quase nu dentro de casa como se fosse a coisa mais normal do mundo. Claro que: eu tinha uma certa tara por aquele corpo, mas não é como se eu fosse deixar ele todo exposto desse jeito. Seria loucura, vai que alguém poderia ver.

- Por que você não coloca uma roupa?

- Por que eu não quero.

Revirei os olhos. Esse era o tipo de diálogo que sempre acontecia todas as tardes. Okay, mas em outro assunto, Seungri nos chamou – lê-se me chamou – para passar a tarde na casa dele. Até que eu não estava tão animado, mas quando disse que iria ter piscina, meu amor, eu não tô podre. Não tô morto. Então vou aproveitar. Na verdade eu nem ia por que:

1. Jonghyun vai, Taemin vai. Eu não sei por qual motivo, razão e circunstância esse idiota chamou aquele travesti, mas se ele der em cima do meu namorado que vai estar lá, não vou medir esforços para entrar num barraco.

2. Se Jonghyun for dar um piti lá, eu mato ele.

E enfim, vovô disse que nós poderíamos ir e que iria na casa de Haneul também, então nos juntamos. Só que eu bem que percebi o desgosto de Taemin quando me olhou. De cima a baixo, aliás.

Pois bem, aqui estávamos nós no carro e com Jonghyun dirigindo. Os outros estavam lá atrás, enquanto eu e ele estamos dentro. Eu realmente não acreditava que vovô pudesse ter tanta confiança nesse delinquente do Jonghyun. Vai que ele atropela alguém na rua e é eu quem vai ser o culpado. Além de todos, ele também.

- Para de mudar essa merda. – Bati na mão dele e fez um bico, se afastando do rádio do carro.

- Você está com um humor maravilhoso hoje, Kibum.

- É por causa do calor. Parece que eu estava dando uma voltinha num vulcão.

- Não sei como o vulcão pôde ter aguentado sua presença. Deve ter sido insuportável para ele. – Dei um tapa em seu ombro e ele sorriu. Cruzei os braços. – Mas sabe, no calor é ainda melhor.

- E por que seria melhor?

Ele olhou para mim com aquele sorriso e aproximou-se.

- Por que foi no calor que você chupou meu pau naquele dia. E não adianta fazer essa carinha por que eu sei que é no calor que você gosta de receber um pau na bunda e ser fodido calorosamente.

Eu o empurrei bruscamente para o lado. Esse cara não tinha a mínima noção do que estava falando! E com quem estava lidando aliás! Eu nem fiquei surpreso por que era o típico dele, mas sinceramente, a sinceridade dele as vezes me deixava abalado.

- Vou perguntar para Minho depois como foi no dia em que transaram. – A essa altura eu creio que eles não estavam escutando. Todos os três gargalhavam lá fora, rindo de algo que se eu estivesse lá iria saber.

- Você fala muita merda Jonghyun. Nossa...

- Não estou falando merda, só estou falando isso por que... Bem, eu não te provei ainda e nem você a mim. Então cá entre nós, é normal que eu esteja curioso.

- Você acha isso normal? É mesmo um abusado mesmo.

- Não sou abusado. É errado agora perguntar sobre este assunto?

- É ué! – Arqueei as sobrancelhas olhando para ele. – Por que isso é numa intimidade só nossa e não tem nada a ver com a sua vida.

- Aposto que ver você cavalgando deve ser melhor que Tiffany.

- Pervertido. Eu nem sei por que ainda estou dando moral para o que você fala, sinceramente... – Bufei mesmo. Nem sei por que ainda fico dando ouvidos para o que ele fala, mas de uma coisa importa e eu quero saber – Mas você já transou com Tiffany?

- Quem nunca?

- Eu nunca. – Ele riu.

- Sim, eu já fiz sexo com Tiffany. Mas não é tão bom quanto poderia ser com você. – Ele deu ombros e fez um bico, parando no semáforo.

- Mas a realidade é que eu não quero.

- Mas uma hora você vai querer.

Decidi me fazer de egípcia mesmo e mudar de assunto. Até que a cidade com certeza é bem interessante e algumas pessoas nos olhavam como se fôssemos alienígenas. Bom, mas diferente de mim, sou um tipo mais pop de alienígena.

Paramos em frente ao portão da casa de Seungri e parecia bem bonito. Já de frente era bem bonito então apareceu uma mulher que eu (na minha humilde opinião) achei bonita. Ela cumprimentou a todos nós e praticamente abraçou Kwon, logo falando que seu nome é Chaerin. Então foi essa a mulher que meu irmão inventava que estava namorando.

- Entrem, por favor! Seungri está esperando todos lá dentro!

- Então essa era sua suposta namorada hein? – Murmurei andando ao seu lado por trás de todos. Kwon me olhou mal humorado.

- Não começa. E também não vá me passar vergonha por que eu já estou muito bem com o meu namorado.

- Que nada, só irei conversar com ela.

- Key-

Nem deu tempo por que eu já estava na frente de todos e puxava conversa com a mulher que estava com a parte de cima do biquíni a mostra enquanto abaixo, estava coberto por um short jeans. Ela parecia ser uma mulher bem legal de se conversar e obviamente bem humorada. Nós começamos a puxar assunto rapidamente, conversando sobre várias besteiras enquanto íamos em direção a piscina.

E eu nunca pensei que sentiria tantas saudades de ver uma piscina bem molhada mesmo, bem transparente e enorme na minha frente. Isso me lembrava do tempo em que eu iria para a casa de uns amigos na Inglaterra, conversando e rindo. Mas sinceramente, eu já ia pôr o pé para frente quando senti uma certa criatura me pegar pela cintura e praticamente se jogar comigo lá dentro. Quando eu coloquei a cabeça para fora, ouvi os risos dos outros, inclusive de Jonghyun que ria em minha frente.

- Você é tão hilário.

- Eu sei que-

Nem respondeu por que eu enfiei a cabeça dele dentro da água e saí jogando meu veneno do outro lado, rindo. Ou seja, conversei com Seungri, com Minho que insistia em me deixar na água, mas obviamente eu não fiquei, mas até que fiz umas amizades legais por lá. E uma delas foi Chaerin.

- Você parece ser bem próximo do Jonghyun. – Ela disse me entregando o protetor e ficou de costas para mim. Comecei a passar em sua pele. – Ele é algo seu?

- Sim, meu primo. Como você o conhece?

- E como ninguém o conhece? O famoso namorado de Tiffany que pegou a metade das mulheres da cidade. – Ouvi ela rir. – E bem, ele fala muito de você. Desde que chegou aqui, ele ficava reclamando por horas e horas... Mas parou. E até estranhei.

- Acho que é de família. Eu e ele não começamos a nos gostar no primeiro momento e até hoje ainda ficamos brigando como duas crianças, mas eu aguento. Não é difícil ter que lidar com a bipolaridade de Jonghyun. – Ela disse um “realmente” – Por falar em Jonghyun... Houve um tempo em que meu irmão dizia que estava saindo com você. Isso é verdade?

- Ele falou que estava saindo comigo? – Assenti e dei o protetor a ela para que fizesse o mesmo. – Ah... Na verdade eu meio que o conheci quando Jonghyun e Minho andavam pela cidade com ele então, acabou que temos uma amizade super saudável agora. Então ele conheceu Seungri e acabou que hoje nós somos amigos mesmo. Não sinto nada por eles a não ser nossa amizade.

- Ele é um mentiroso mesmo. – Ri enquanto observava Jonghyun, Jiyong e Seungri num grupinho conversando e rindo alto na piscina. Do outro lado eu via Minho na churrasqueira e Taemin ao seu lado, arregaçando aqueles dentes para o meu namorado. Até que em um certo momento Minho olhou para mim e acenou sorrindo e fiz o mesmo.

- Oh... Você tem algo com Minho?

- Bem, sim. – Levantei a mão onde estava o anel e senti ela pegando em minha pele. – Estamos namorando já faz uns meses. Nos conhecemos na festa de ano novo que o vovô deu lá na casa.

- Oh. Eu fui só que não pude ficar muito.

- Sim, sim. E a partir daí eu comecei a ser amigos de todos, menos os que não e agradaram da minha presença lá.

- Taemin e Tiffany? – Balancei a cabeça positivamente. Mas confuso. Como ela sabia? – Na verdade eu meio que não gosto muito de Taemin e nem de Tiffany. Taemin sempre teve uma fixação por Minho desde o tempo em que se conheceram. – Voltamos posição original, inclinando sobre a cadeira de sol e passei a olhar para ela. – Na verdade Tiffany e ele. São apaixonados por ó – vi ela estalar os dedos varias vezes. – Muito, mas muito tempo. Não é que eu estou querendo ser fofoqueira, mas vou deixar isso só entre nós. Posso confiar?

- Claro. Minha boca é um túmulo.

- Olha, foi Taemin quem começou a gostar primeiro de Minho. Mas a realidade é que Minho chegou lá a pensar dar uma chance a Taemin, mas ele não o fez por que Taemin era muito ciumento. Praticamente se humilhava para Minho, mas ele não queria, até que Tiffany apareceu. E essa aí é mais oferecida que ele. – Ela foi fazendo uns gestos com as mãos. – Sabia que antes dela namorar com Jonghyun, já tentou levar Minho para a cama o drogando?

- Minha nossa... – Eu cobri a boca. Essa menina é louca...

- Seríssimo! Ela o drogou, mas sorte que no dia daquela festa, eu estava procurando por Seungri para irmos embora e vi ela em cima dele no quarto. E Minho estava louco, não sabia de nada do que estava acontecendo. E foi engraçado falar que eu senti vontade de rir quando puxei ela do quarto pelo cabelo?

Dessa vez quem riu foi eu.

- Você... Fez isso? Sério?

- Sério! – Ela sorriu maldosa. – Ela começou a chorar e chamar por Minho que nem uma coitadinha. Na verdade ela estava quase nua, mas isso não deixou que minha raiva pudesse desaparecer. Joguei ela na sala mesmo, pra todo mundo ver.

- Mulher... Você é das minhas. – Ela sorriu. – Eu não entendo essa vontade louca dela de me fazer separar de Minho. Essa garota, sinceramente, vem enchendo meu saco de uma maneira impressionante. Eu não aguento ouvir ela falando oppa aqui e ali, que coisa chata.

- É, ela é insuportável. Filinha de riquinhos basicamente. Eu também sou filha de ricos mas também não fico desmerecendo meus amigos. – Deu ombros. – Mas voltando ao assunto, ela então começou a namorar com Jonghyun. Na verdade foi estranho por que foi do nada, mas os mais próximos sabem que ela só fez isso para se aproximar de Minho. Mas ele não quer e agora está tentando chamar atenção, sendo a mesma oferecida de sempre. Eu detesto aquela garota, argh.

- Nós somos iguais, na verdade. Eu e Kwon somos irmãos de mães diferentes, só que nosso pai é o mesmo. E tipo, nós somos podre de ricos para falar a verdade-

- O que é que você já está fofocando aí, Key?

Nem percebi a presença do meu irmão e namorado ao lado. Pisquei para Chaerin que rapidamente entendeu.

- Sabe Chae, eu realmente não sabia que meu irmão escondia que gostava de homens. Isso foi uma total falta de respeito comigo, acredita? – Vi ela murmurar várias coisas e balançando a cabeça negativamente, olhando para ele. – Ele nem queria me apresentar você, imagine Seungri...

- Jiyong é muito fechado, Key. Sinceramente, é uma decepção encontrar homens que ainda são assim hoje em dia. – Vi Seungri rir e Jiyong me lançou um olhar irritado. – Não acha, Seung?

- Acho. Uma total falta de respeito. – Ele começou e eu ri. – Na verdade quando eu falava de sua família ele sempre fugir-

- Por que vocês estão fazendo isso comigo, huh? – Fez um bico irritado e cruzou os braços no peito marcado pelas tatuagens. Parecia uma criança mimada. – Isso é palhaçada.

- Eu nunca digo ‘desculpe’ – Chaerin cantarolou e eu ri. – Sou uma garota má, aonde estão minhas garotas más? – Na mesma hora que eu levantei a mão, Seungri fez o mesmo e obviamente nós três começamos a rir.

- Eu sou uma vadia má. – Mostrei a língua para ele e voltei a me deitar, pondo meu óculos de ryco. Por que acima de tudo, eu sou ryco.

E a partir daí uma mini discussão começou entre nós quatro ali, mas nada do que um dia normal e brilhante. O churrasco o qual Minho estava ficando por cuidar, quase queima por conta de uma distração. Eu obviamente passei um tempo pegando um bronzeado e logo depois na piscina, aproveitando a sensação de ter a água me engolindo aos poucos.

E também por que eu estava me divertindo e parei um pouco para pensar. Jonghyun agora estava conversando com Chaerin. Minho estava ajudando Seungri na cozinha. E bem, eu não estava fazendo nada, mas acho que deveria esclarecer umas coisas sobre minha relação com o que tenho.

Okay, eu realmente gosto de Minho. Ele é delicado, gentil e que me trata bem. O tipo de garoto o qual uma garota sonharia para casar. Minha primeira vez foi com ele, cuidou muito bem de mim. Ele tinha um pouco de defeitos – como a competitividade, mas não é nada que eu pudesse controlar – e também trata minha família bem. Eu gosto de Minho, ele pôs o anel no meu dedo e sempre me protegeu.

Mas por um lado, tinha o Jonghyun. Eu estava ferrado. Jonghyun é meu primo. Mal educado, babaca, só sabe falar merda, não sabe falar uma coisa decente para mim, é impulsivo e além do mais adora me provocar. Mas parando para pensar, ele gosta de mim e eu dele. Minho tem uma pegada delicada e já Jonghyun tem aquela pegada quente e explosiva. Sinceramente, eu também gosto dele... Eu estou totalmente ferrado.

Apesar de gostar de Minho, eu também amo Jonghyun. Apesar de que a palavra amar não seja a palavra certa mas... Eu realmente não sei. Me sinto confuso em relação a isso.

- Está pensativo. Algo te incomoda? – Ouvi a voz de Minho resolveu sentar do meu lado, ficando com os pés na agua. Fiquei no meio dele, o abraçando manhosamente. – Está de TPM?

- Alguém por favor, pede para o Jiyong voltar com aquele cabelo branco? Ele tá parecendo uma cenoura. – Ouvi ele gargalhar e apontei para meu irmão, conversando com Chaerin e Jonghyun. Rindo de alguma coisa. – Semana que vem só saio de casa se meu cabelo estiver parecendo um algodão doce.

- É, você está bem. – Seus dedos subiram para meu cabelo, mexendo delicadamente. Isso só me fés esfregar o rosto em seu peito. – Pelo visto você realmente não vê problemas para fazer amizades. Conquistou Chaerin. E olha que ela é impossível.

- Foi fácil. Cobras se identificam com as outras. – Ele riu mais uma vez. – Eu estava conversando sobre uns assuntos do passado. Mas nem me pergunte por que não vou falar.

- Sabe que eu sou curioso. E talvez vou saber com ela de-

- Não é nada que seja da sua conta. – Ri maldosamente e me afastei, vendo a cara feia dele. – Estou brincando Min. Eu prometi a ela que não falaria para ninguém, só entre nós dois. Estou só brincando com você.

- Depois dessa desisto de saber sobre o assunto. – Balançou a cabeça negativamente e eu sorri, saindo da água para acabar sentando em seu colo, frente a frente. – Também tenho direitos. Eu sou o ativo da relação.

- E daí? Faz alguma diferença entre nós dois?

- Faz. Ativo é ativo, passivo é passivo. – Revirei os olhos. – Há uma grande diferença entre todos nós.

- Você é tão profundo né? Gosta de bancar o babaca! – Comecei a bater em seu peito leve e ele sorriu, pegando em meus pulsos aos poucos. – Me solte. Agora irei ser indomável. Vou bancar a Lady Gaga e vou para uma prisão, fazer um clip com a Beyonce.

- Você fala muita merda Key... – Eu ri no mesmo tempo em que ele gargalhava. – Você não vai ser indomável. Não comigo.

- E por que não?

- Por que eu estou falando e pronto. – Fiz um bico e o senti puxar pelos pulsos para beijá-lo ali. Não era nada daquela coisa desesperada, apenas o toque delicado de nossas bocas ligadas. Assim, eu podia enrolar Minho e dar o meu próximo passo.

Para falar a verdade, de uns tempos para cá, eu não sinto mais... Como podemos dizer, aquela “emoção” de beijar Minho, e sim quando beijo Jonghyun. Eu não sei por que mas, ele sim as vezes me chamava atenção mas eu me fazia de difícil fingindo que não ligava. Mas quando passa a viver com uma pessoa assim, é impossível não notar.

Eu gosto de Minho, ele é ótimo para beijar. Mas eu não quero magoá-lo também. Gosto dele.

Gosto dele. Não e Jonghyun.

Não de Jonghyun. Não de-

- Choi Minho!

A situação é a seguinte: logo para interromper meu pensamento filósofo, sem ao menos eu perceber ele me empurrou para a piscina, mas eu como não sou um cavalo (como o Jonghyun) levei ele junto. Ah, qual é, saí de dentro da água parecendo um pinto engasgado. E o pior é que eu ouvia os risos dos humoristas lá do outro lado, como se fosse a coisa mais engraçada do mundo.

- Você é maluco?! Tá doente?! – Perguntei emburrado e voltando a bater em seu peito mais uma vez, vendo ele sorrir e jogar água em mim – Não faz isso! Babaca!

- Eu só estava brincando Bummie, desculpe. – Foi nesse mesmo momento que eu vi de longe o olhar de Taemin raivoso sobre mim e aquele bico inflado parecendo um pato. Eu só ri maliciosamente e me joguei nos braços de Minho sem mais nem menos.

- Me beija. – Fiz um bico, enrolando os braços em seus ombros e sentindo ele me segurar pela cintura. E como eu falei, ele obedeceu.

E eu não vi o olhar dele, mas tenho certeza que foi de um puro ódio. Mas eu adorava ver o ódio transbordando dos olhos daquela coisinha que acha que pode ser uma cobra venenosa que nem eu. E durante o resto da tarde, até estar quase anoitecendo na realidade, eu já estava querendo trocar de roupa (e por uma surpresa do destino, meu nenê trouxe roupas para mim, é por isso que eu amo Kwon Jiyong) e fui seguindo normalmente para o quarto dele, pedindo licença para o povão.

E olha que a decoração da casa também é bela. Além do jardim belíssimo, os tons dos móveis e paredes é maravilhoso, tão claros e lindos. Mas como ele disse, seu quarto ficava na terceira porta do primeiro andar então fui. Eu estava todo lindo, sem me preocupar com nada quando segundos depois vi aquele deficiente do Jonghyun entrar. Revirei os olhos ironicamente, jogando minha regata molhada para o lado.

- Não posso mais ter pri-

Nem falei tudo por que já senti ele me empurrando para uma parede mais próxima e já ir tentando beijar minha pele com tudo. Ai, que horror.

- Jonghyun, alguém pode entrar-

- Ninguém vai entrar Kibum. Larga essa porra aí e me olha. – Ele jogou minhas roupas para um lado da cama e praticamente me obrigou a olhar para seu rosto. – Sabe o quanto fiquei olhando para você durante esse tempo todo que estava dando atenção para os outros? Por que gosta de me provocar tanto?

- Eu não estava te provocando. Agora se você prefere levar para esse lado, não é mais problema meu. – Sorri sapeca e vi ele fechar a cara. – Agora estou provocando.

- Não sei mais por quanto tempo vai durar essas suas fodas com o Minho, mas... – Riu sem humor, pondo um braço do lado da minha cabeça e outro em minha cintura. Eu já senti seu corpo colado no meu. – Até quando vai perceber que eu posso te foder melhor que ele?

- No dia em que formos para a cama irei tirar a conclusão que você fode bem. Mas até lá não irei tirar conclusões precipitadas. – Dei os ombros. Eu agradecia pelo quarto estar fechado e nós dois não estarmos falando alto. Seria um desastre. – E eu não sou um objeto seu. Desconfia.

- Não estou falando que você é um objeto, só estou falando que quero te foder até ouvir você gritar e também enterrar meu pau na sua boca até gozar bem no fundo. – Sorriu. Como ele conseguia ser tão direto? – Há algum problema em fazer isso agora?

- Por que você é tão direto? Podia ser mais delicado.

- Delicado? – Ele pareceu pensativo. – Kim Kibum, me daria a vossa honra de que eu possa aproveitar de seu belíssimo corpo celestial para acabar com minhas necessidades sexuais?

Dessa vez foi eu quem começou a rir e ele junto. Quando eu penso que não dá pra ficar pior ele aparece com isso.

- Você tem o dom de bancar o humorista né? Cavalo... – Passei as mãos em seu peito nu e subindo para seus ombros. Ele riu. – Eu nem deveria estar te chamando de cavalo. Cavalos são altos.

- Cala boca. – Fechou a cara e eu quase gargalhei. – Eu não sou um cavalo e nem baixo.

- Então é um pônei.

- É, você vai ver o pônei quando eu enfiar meu pau no teu rabo e te fazer gritar o meu nome. – Ele falava seriamente agora. Eu sorri dando beijinhos delicados em seus lábios enquanto falava. – É a força do negão.

Eu e ele como sempre seguramos o riso alto e finalmente me beijou, tomando as rédeas na área. Acho que posso dizer que a parte mais significativa do meu dia hoje (depois de Minho) é ter um tempo a sós com Jonghyun. Bom, ele beija bem, sabe como me fazer se sentir bem numa hora dessas. E definitivamente preciso disso.

- Eu estava pensando... – Descolei minha boca na dele rapidamente e senti os seus lábios beijando meu pescoço. Meu corpo começou a ficar arrepiado. – De... F-fazermos um acordo. Só entre nós dois, ninguém precisa saber.

- Depende do acordo que você quer fazer comigo. Sou fiel quando faço um acordo.

- Certo, eu... Huh, quero que tudo o que temos agora fique só entre nós dois. Ninguém precisa saber de nada, tudo o que fizemos agora será apenas nosso. Nós podemos sei lá... Enlouquecer juntos, mas longe do outro continuaremos normais. Com nossos namorados e... Amigos, ninguém precisa saber de nada.

Ele parou um pouco. E logo me olhou.

- Você está dizendo que posso fazer tudo o que quero com você quando estivermos sozinhos? Com ninguém por perto?

- Isso.

- E que fora dela continuamos normais.

- Certo.

Ele fez um bico, desviando o olhar.

- Gostei. – Balançou a cabeça positivamente. – Assim eu posso ter mais chances de te foder contra uma cama a qualquer hora dessas.

- Por que você sempre fica falando essas indecências? – Empurrei seu peito de lado, rindo. – Não sou qualquer um.

- Eu sei é claro, os mais difíceis são os bons de cama. E não vai durar muito tempo até que você me chupe de novo. – Sorriu como se fosse a coisa mais normal do mundo. – Eu-

“Minho hyung, você deveria estar prestando atenção no seu namorado. Você sabe, eu não gosto dele mas mesmo assim...”

“Eu confio no Key, Taemin. Sei que ele me ama e eu posso fazer tudo por ele.”

- Confia é?

- Cala boca. – Tampei a boca dele. Quando percebi que os passos estavam ficando mais próximos, puxei Jonghyun pelo cabelo ouvindo o choramingo dele e o joguei para baixo da cama. Ufa, ainda bem que não tinha todos aqueles insetos nojentos.

- Você é uma puta. – Ele sussurrou e eu revirei os olhos, vendo os passos entrarem no quarto.

“Mas eu ainda desconfiou dele. Você sabe, apesar de ser o seu namorado, Kibum ainda me intriga. E não é por que não gostamos um do outro... Talvez ele tenha algum caso com Jonghyun hyung.”

“Tae, você já está falando besteira.”

“Hyung, eu não estou.”

“Olha, eu sei que você tem ciúmes e gosta de mim, Taemin.” A cama pesou e eu ouvi alguém sentando na cama. Jonghyun estava atento em silêncio. “Mas mesmo assim eu amo ele e faria de tudo para fazê-lo feliz. Jonghyun momento não é nada para mim, eu passei a não gostar dele. Por conta de Key, pois eu gosto dele dês da primeira vez que o vi naquela festa. Eu amo Kibum com todas as minhas forças.”

- Ele é romântico, ele. – Jonghyun sussurrou baixinho.

“Mas talvez um dia eu possa retribuir o que você sente, não agora. Eu gosto muito de você Tae, mas... Kibum é importante para mim agora.” Ele parecia ter se ajoelhado em frente a ele. “Você é meu melhor amigo, porém Key é meu namorado. E eu o amo. Mas não fique triste comigo ok? Por que apesar de tudo, irei cuidar de você também. E eu te amo.” Ele se ergueu, fazendo alguma coisa e logo saiu andando até a porta. “Vamos?”

Taemin suspirou alto e depois de segundos andou até ele, logo fechando a porta. Eu suspirei de alívio. Eu estava sob tensão, pensando que eles iriam nos descobrir ali, mas não. Era apenas mais uma implicância de Taemin e as palavras de Minho que de certa forma me fizeram me sentir mal.

- Parece que alguém está traindo o namoradinho... – Jonghyun falou provocante ao me ver andar de um lado para o outro. – Hm. Não é atoa que ele não gosta de mim mesmo.

- Cala boca Jonghyun. Você só fala merda. – Revirei os olhos. Ele sentou na cama de frente a mim. – Eu... Ah, céus. Taemin estava se insinuando para o meu namorado, aquele... Travesti!

- Ei, calma também não-

- Eu... Odeio ele! Aquele idiota! Otário! Babaca!

- Key-

- Eu odeio ele! Na verdade odeio ele mais do que você! – Eu já estava quase puxando meu cabelo da cabeça. – OK certo, eu sei que sou errado... Mas Taemin é mais! Sempre querendo envenenar a mente dele! Aquele-

- Escuta aqui porra!

De uma hora para a outra eu senti ele me puxando pelo pulso e automaticamente fui para o colo dele na cama. Arregalei os olhos diante a expressão raivosa dele.

- Você tem que parar de ser babaca Key. Não é só por provocações que vai descer o nível desse jeito. – Ele apontou para o meu rosto, mas eu dei um tapa naquela mão. Não admito que ninguém aponte um dedo para a minha cara. Fez uma expressão emburrada. – Se orienta.

- Se orienta você.

- Olha quem fala. – Riu baixo. – Como eu disse há uns meses atrás que eu ainda vou te amansar. Mas esse momento vai chegar quando eu te levar para a cama, arrancar tudo isso que você chama de roupa e te foder a noite toda.

- Por que você fala isso toda hora?

- Por que eu estou com uma vontade imensa de fazer isso? – Revirei os olhos. – Agora me deixa sair baby, vou ir ali fazer umas coisas e depois nós conversamos de novo. – saí de seu colo e voltei a pegar as minhas roupas secas jogadas no chão. – Esteja bonito para mim hoje.

E o típico dele: não sair sem me provocar com a típica mordida na nuca e um leve apertão na minha bunda. Ah, eu estava ferrado. Muito ferrado.


Notas Finais


So sei q no próximo capítulo vai ter treta e ja ta escrito, ai tem novidades p dps, bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...