História Eu odeio ele... Certo? - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Incesto, Lemon, Originais, S_sorarow_d, Yaoi
Exibições 160
Palavras 1.748
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá amories.
Explicações nas notas finais.
Boa leitura e espero que gostem

Capítulo 8 - Cap. 7 - Que venha as ferias


Deixei ser tocado pelo inimigo,tudo bem que antes também, mas eu estava bêbado e agora totalmente sobreo.
Antes mesmo de ser desamarrado, acabo adormecendo pelo longo dia que tive.

 

   

    Olho para o lado e para o outro. Bem queria dizer que não me lembro do que aconteceu ontem... Fico um tempo recapitulando quando sinto um “mexido” em meu lado. Calmamente, me viro para olhar oque, ou quem, era. Encontro um Caleb sonolento ao meu lado e espiro fundo tentando manter a calma... Oque não aconteceu.

 – SEU IDIOTA! – Aposto que se morássemos em apartamento, não seria só o Caleb que tinha acordado. Pulo em cima da praga e começo a bate-lo, sem efeito – COMO OUSA FAZER A-AQUILO COMIGO E AINDA DORMIR CALMAMENTE AO MEU LADO SABENDO QUE VAI MORRER DEPOIS?!

 – Calma Dy-Dy... – Já iria começar a gritar novamente quando... – Sem falar que eu não faria se você não deixasse... Certo? – E isso ainda não foi o pior. – Aproposito... Bela vista você esta me proporcionado.

    Esse cretino! Salafrario, cachorro, idiota, praga!

    Além de falar com uma calma, deu aquele sorriso... Consigo pular de cima dele e me enrolar ao mesmo tempo, ele se levanta indo para o banheiro. Estava completamente corado, bastava agora saber se era de raiva ou de vergonha.

 – Não se preocupe Dy-Dy. Não há nada ai que eu já não tenha visto, certo? – Diz entrando no banheiro, mas depois colocando a cabeça do lado de fora. Porque ele sempre tem que completar com algo? – Aliais... Duas vezes.

    É... Acho que descobri. É de raiva mesmo...  

                                                                                         

 – Vamos lá Dy-Dy, já estamos atrasados.

 – Cala a boca, foi você que demorou um ano no banheiro. Ah, e nunca mais me chame assim.

    Vou ate Logan ignorando tudo que Caleb falava.

 – Logan, deixa eu ir com você na frente vai!

 – Eu acho melhor não... – Diz já indo embora com se estivesse resolvido, mas seguro sou pulso forte e o olho com um sorriso assustador. – Quero dizer... Talvez só hoje esteja tudo bem...

    Nem olho para trás e já entro no carro que um tempo depois se movimenta.

    Não quero ficar com Caleb, nem que seja apenas por um segundo. Só de olhar para seu rosto já fico envergonhado, com raiva e meio confuso também. Dez da festa eu ando meio avoado... Acabou piorando quando a ficha caiu que o homem das minhas memorias era realente ele, mas fui melhorando aos poucos. Agora cá estou eu. Não fui totalmente “curado” e já me acontece uma coisa dessas. Posso até querer ficar longe dele, mas ficará difícil de agora em diante. Hoje tendo aula ficara fácil, mas logo depois vêm as férias e terei que conviver com aquela praga vinte e quatro horas por dia. Devo ser sincero, fico até com medo de ficar um tempo com ele sozinho. Um quarto só para mim faz falta...

    Passei a ida toda falando com Logan e, desça vez, a praga não se meteu nem uma vez. Falávamos sobre nossa infância e quando Logan ia falar algo interessante sobre Kael, chegamos. Saio do carro e vou correndo para a minha sala, escutando de fundo a praga me chamar, mas nem ligo. Me sento com Henri que apenas dá um sorriso triste de lado. De repente a professora entra com o resto dos alunos.

 – Me desculpe por ontem. Eu acabei saindo sem falar com você.

 – Tudo bem. Mas iai, oque que deu lá? – Pergunto e ele fica de lado.

 – Eu... Eu fiz como você falou. – Fala e faço um gesto para ele continuar. – Ele disse “não”... – Fala meio tristonho e sua expressão muda para algo assustadoramente feliz. - Da forma mais educada!

    Ia pergunta-lo mais coisas, mas bem na hora a professora reclamou de nossa conversa e decidimos parar.

                                                                                         

    A ultima aula. Aula de educação física, a pior aula da escola, para acabar de vez com seus alunos mesmo. Você se cansa e soa por nada e ainda tem que aguentar o suor dos outros e o pior, hoje seria basquete. Para a minha sorte não seria joguinho. Sou péssimo no basquete e sempre acabo sendo massacrado por ser pequeno e fraco e ruim... Hoje seria apenas treinar os passes. Vejo a praga chegando perto de mim e instintivamente peço para a pessoa do meu lado seja a minha dupla. Era Luccas. Graças a Deus, parece que o universo esta se redimindo.

 – Não vai com o Henri? – Pergunta me passando a bola

 – Não, ele nuca participa das aulas. Ele tem um atestado... – Falo passando a bola de volta. Olho para o lado e vejo as garotas jogando vôlei. Isa destruía o outro time. Pareci até profissional. – Aquela é a Isa? – Pergunto boquiaberta.

 – Sim. – Diz soltando uma risada pela minha reação. – Ela é a capitã do time.

    Continuamos trocando passes até eu perceber muitos olhares sobre mim.

 – Oque é agora? Pensei que as pessoas já tivessem se acostumado comigo...

 – Se acostumaram. Só não sabem disfarçar os ciúmes. – Faço uma cara de confuso para ele. – Olha para trás...

    Olho para trás e vejo a praga me fitando intensamente.

 – Melhor falar com ele, não?

 – Não, esta tudo bem...

    No mesmo instante volto minha atenção para a bola. Na verdade, volto o meu olhar sobre a bola. Estava me perguntando oque ele queria, mesmo já sabendo oque era. Não prestava atenção em nada, mas percebi o olhar de Luccas para trás de mim e já sabia oque estava acontecendo. Ele estava chegando perto de mim.

 – Cara... Aconteceu algo entre vocês dois?

 – Não, nadinha. Eu só... Preciso ir. – Digo e me viro o vendo perto de mim.

    Já ia desviar o meu caminho quando sinto uma bolada em minha cara. Sério mesmo? Até bolada na cara eu ganho universo? Pensei que estivesse se redimindo... Por casa do impacto eu cabo sendo levado ao chão. Fico parado com as duas mãos no nariz e fecho meus olhos para não chorar com a dor. Ainda bem que não sou mulher, sou fraco com dor.

    Ainda de olhos fechados. Escuto o professor dizer que estou dispensado e sinto ser pego por alguém. Sabia mais ou menos quem era e para onde estava indo, mas decidi deixar quieto... Quando sou colocado sentado abro os olhos. Vejo que estou no vestiário e corro para trocar de roupa. Não vou ficar o dia todo com o uniforme de E.F e aproveito que o outro foi pegar o kit de primeiro socorros. Felizmente, deu tempo para me trocar sem que o outro veja. Sou realmente rápido nisso. Agradeço aos dias que acabei acordando tarde. Volto a me sentar no banco quando vejo a Praga se aproximando. Ele fica na minha frente agachado pra ficar a minha altura. Pega tudo que é necessário e faz um curativo. Não estava quebrado como eu achava e por isso ele apenas limpou e fez o curativo, mas ainda sim, foi um pesadelo. Digo, não pela dor. Mas tive que ficar olhando para seu rosto concentrado e sentir suas mãos me tocando levemente... Oque esta acontecendo comigo? Felizmente acabou.

    Levanto-me aliviado já indo para a saída quando sou interrompido.

 – Não tão rápido Dy-Dy. – Fala a praga. Paro e olho o mesmo. – Porque anda me ignorando? – Ignoro indo embora, mas a porta estava trancada... Sacanagem. – Eu fiz uma pergunta!

 – Porque quer saber?

 – Dylan! Eu estou falando sério... – Percebemos que é serio quando ele me chama de Dylan.

 – Eu... Eu não sei. – Falo e ele arqueia a sobrancelha. – Eu fico confuso perto de você tá bem?

    Ela da um sorriso e chega perto de mim me beijando.

    Eu estava ferrado? Nem tanto. Eu tinha um plano, porque vocês acham que o deixei me beijar?

    ...

    Tenho que parar de falar sozinho...

    Sinto-o me pressionar um pouco mais na parede e efetuo o meu plano. Roubo a chave do vestiário sem que ele perceba. Quando nos separamos do beijo, não o deixo nem raciocinar direito e já vou embora. Ele fica lá parado olhando para a porta se fechando. Meu coração estava acelerado. Oque eu tinha dito não era uma mentira, mas também não era uma verdade...

    Quando me acalmo, vou até o pátio principal e encontro Henri sentado. Isolado. Me sento ao seu lado e começamos a conversar de nerdises comuns até chegar Luccas e Isa. Ficamos conversando o tempo todo, falando de como seria as férias e ao mesmo tempo, nos despedindo. A despedida mesmo seria em um dos shoppings da cidade.

    O tempo todo não teve sinal de Caleb. A praga só veio aparecer quando Logan chegou. Ele disse para eu ficar longe de Logan, mas nem liguei. Conversei a volta toda com Logan, mas ainda assim, pensando nas férias. Realmente não sabia como seriam, mas acho que serão chatas. Como sempre.

    Ao chegar, saio do carro e entro em casa correndo feito uma criança. Ao entrar em casa me deparo com uma cena igual à primeira vez que entrei aqui. Meus pais estavam sentados nos sofás, provavelmente nos esperando. Sei que disse que não iria ficar íntimo com eles, mas foi justamente ao contrario. Descobri que Katherine era uma pessoa legal e acabei ficando menos hostil com meu pai. Sim, menos hostil. Eu morei com meu pai e sei o quão rigoroso ele pode ser e por isso ainda não sou amigo do mesmo.

 – Boa tarde. – Falo chamando a atenção dos mais velhos. – Aconteceu algo?

 – Claro que não! Apenas estávamos os esperando. – Diz Katherine. – Eu e o pai de vocês queremos dizer algo.

 – Já até sei oque é... – Diz Caleb me dando um susto depois de brotar do chão atrás de mim.

 – Sim. Nós todos os anos matriculamos um acampamento para Caleb nas férias.

 – E decidimos colocar você também.

    Eu estava feliz com o não sei oque antes? Estava. Fiquei mais feliz agora? Fiquei. Mas logo murchei quando lembrei que a praga iria. Não sei o motivo, mas fiquei meio preocupado...

    O final do dia inteiro foi em um shopping com o povo. Era tipo uma despedida do pessoal, mas fora isso nada de incomum aconteceu. E, bom...

...que venham as férias.

 

 

Round and round like horse on a carousel, we go
Will I catch up to love? I can never tell, I know
Chasing after you is like a fairytale, but I
Feel like I'm glued on tight to this carousel

 

Carousel-
Melanie Martinez-


Notas Finais


Ai ai. Vim dizer que estou viva, ok?
Dessa vez realmente demorou, mas tenho um motivo.

1º que eu estava criando outras fics que já já serão postadas
2º que uma pessoa de minha família morreu. Ela era meio que importante para mim e por isso fiquei bastante deprimida...

Mas voltei para ficar. Eh tanto que postarei todas as quartas e se eu não postar. Podem arrancar minha pele xD

Próximo cap tem visão Caleb.
A fic esta apenas começando...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...