História Eu posso, titio? ( Long imagine Youngjae - GOT7 ) - Capítulo 5


Escrita por: ~, ~bekookie e ~JungNara

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags Colegial, Drama, Got7, Hee Young, Incesto, Mutilação, Romance, Sobrinha, Tio, Youngjae
Visualizações 298
Palavras 2.763
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLHA SÓ QUEM VOLTOU.
Finalmente nós voltamos, yeaaaaah.
Nós sabemos, foram dois meses sem atualizações, abaixem essas pedras por favor.
Queremos agradecer por não abandonarem a fanfic, trouxemos um capítulo gostoso pra vocês.
Eu fiquei sem computador e a Nara teve aquele problema com o celular mas que já foi resolvido há um mês, porém, o mês de Julho foi muito corrido e ficamos sem tempo pra postar. O próximo capítulo talvez saia no fim de semana, iremos atualizar mais rápido agora.
Obrigada a todas as leitoras por esperarem e não desistirem da gente e virem no privado mandar mensagem perguntando da fanfic kkkk.

Enfim, vou parar de enrolar, boa leitura. Nós vemos nas notas finais.

Capítulo 5 - Você já deixou bem claro, titio.


Fanfic / Fanfiction Eu posso, titio? ( Long imagine Youngjae - GOT7 ) - Capítulo 5 - Você já deixou bem claro, titio.

"Vou tentar não tornar as coisas mais difíceis apesar de que em meu interior, os meus pensamentos sejam diferentes. Não me abandone, porque você acha que eu não te amo?

Bad Boy — Big Bang."


Capítulo 4.


Busan, Coreia do Sul - 2018.

05 de Março.

Mas que droga! O que está acontecendo, Youngjae? O que você está fazendo? Não acredito que perdi a cabeça, de novo. Primeiro eu a toquei, depois eu tentei fazer sexo com ela. Como eu cheguei nesse ponto? Como me deixei descontrolar assim.

 Eu sempre senti ciúmes dela, mas sempre tentei levar para o fato de que somos tio e sobrinha. É normal, não? Mas então, esses dias, esses ciúmes ridículos estão aumentando de um jeito que eu não estou sabendo lidar. Há uns dias atrás eu quis matar qualquer um dos meus amigos por estar olhando para ela “daquele” jeito, depois quis matar aquele moleque abusado que encontrei na cama dela seminu e agora eu quero matar o Jackson porque ele tem as chances com ela que eu nunca poderia ter. Esse era o meu medo, deixar que esses sentimentos aflorassem e acabasse estragando tudo.

 

Exatamente como agora.

 

Ela é minha sobrinha, isso tudo é maluquice. Se meu irmão souber de todas as coisas que eu fiz e quero fazer com ela... Com certeza eu vou ser morto. 

 — O que eu estou fazendo? Céus... — Passo a mão no cabelo deixando um suspiro pesado escapar e caminho até minha cama onde deito e afundo a cabeça entre os travesseiros fofinhos que jazia ali.

 Os rapazes foram embora depois de não aguentarem mais a minha cara de cu — segundo eles —. O que posso fazer? Estou irritado com ela e comigo mesmo por deixar essas coisas acontecerem. Levantei da cama e comecei a andar pelo quarto, precisava conversa com ela sobre isso tudo, entender o que está acontecendo. Resolver isso de uma vez.

 Saí do meu  quarto indo direto paro o dela, ao abrir a porta me deparei com ela pondo o sutiã. Estaquei no lugar segurando a maçaneta quando ela se virou e se assustou, logo pôs uma blusa na frente tapando aquela maravilhosa visão.

 

Foco, Youngjae. Foco!

 

— O que você... — Ela bufou e virou de costas, pôs o sutiã e depois a blusa que a tapava. — Você não sabe bater na porta? Meu Deus...

 — Desculpa, Hee. — Suspirei e balancei a cabeça negativamente tentando espantar qualquer pensamento inapropriado que me fizesse ficar duro e a agarrar ali mesmo. Qual é, a Hee tem um corpo maravilhoso.

— Tudo bem. — Ela suspirou e passou a mexer nas roupas no guarda-roupa.  — O que você quer, tio?

 

Tio! É apenas isso o que você é.

 

— Eu queria conversa com você. — Continuou mexendo no guarda-roupa e a vi tirar dali um vestido de festa e mais outras peças de roupa. Ela iria sair sem me informar? 

— Pode falar. — Diz indiferente e ainda de costas. Entrei de vez no quarto e fechei a porta atrás de mim.

— Precisamos conversar sobre tudo o que está acontecendo, olhe para mim. — A vi suspirar e virar para me encarar.

— Sabe o que eu acho? — Perguntou se aproximando de mim. — Que já conversamos demais sobre isso, você já deixou bem claro o que quer e eu aceitei. Então apenas siga em frente e esqueça tudo o que aconteceu, por que eu estou fazendo isso. — Ela ficou alguns segundos parada enquanto me encarava, eu não sabia o que dizer. Eu procurei por isso, eu decidi assim, eu tive a chance de tê-la ‘pra mim e simplesmente joguei fora, eu só quero que ela fique bem.

— Hee eu s- 

— Youngjae, esquece isso. — Ela novamente me interrompe e passa a mão no rosto tentando segurar algumas lágrimas que já se acumulavam no cantinho do olho. — Eu estou atrasada, Sunhi e Hyunki já estão vindo me buscar. Então por favor, saia. 

 

Quando ouvi o nome do Hyunki, senti uma raiva me preencher e olhei sério para a garota a minha frente. Ela vai sair com ele? Ela vai ficar com ele de novo? Mas que porra!


— Aonde você vai? Pelo o que sei ainda sou responsável por você. —  Me aproximei mais dela e a mesma sorriu antes de se afastar.

 

Ah, garota...

 

— Boate, Sunhi me chamou. — Disse simplista.

 Droga, esqueci dessa Boate hoje. Eu não a quero lá, vai ter muita bebida, muitos caras e eu me lembro bem o que aconteceu da última vez. 

 — Não acho que seja bom você ir. — Não quero ter que matar ninguém. Conclui mentalmente.

— Por que não? Você estará lá e os meninos também. Relaxa, vou ficar bem, tio. — Deu ênfase no “tio” e não esperou minha resposta, foi logo entrando no banheiro e me deixou ali com cara de tacho. Soltei um suspiro frustrado e saí do quarto, voltei para o meu e cacei o celular, assim que achei iniciei uma chamada para o Bambam.

— Cara, cadê você? — Ele disse/gritou assim que atendeu. 

— Não grite. Estou em casa, mas me responde, qual de vocês eu devo enforcar por ter chamado a Sunhi? —  Falei indo até o guarda-roupa para pegar uma camisa social preta, coloquei o celular no viva-voz e retirei a camisa que estava para por a outra, fechei todos os botões e subi as mangas compridas até o cotovelo, coloquei a parte da frente para dentro da calça e voltei a pegar o celular, o tirando do viva-voz.

— Quem mais? Jaebum, é claro! Ele tá todo amorzinho com Sunhi e as duas andam grudadas. Esqueceu, gênio? Nem parece que fica 24h de olho na garota.

—Ei. — Protestei. — Eu não fico 24h de olho na Hee.

— Fica sim, meu amigo. E ainda faz hora extra! — Bambam soltou uma risada e foi acompanhado por mais alguns idiotas. Suspirei e peguei a jaqueta, pus a carteira no bolso e me olhei uma última vez no espelho. — Para com esse ataque de ciúmes e vem logo 'pra cá. 

— Eu não estou com ciúmes, só preocupado. — Bufei e saí do quarto, passei pelo corredor e ouvi vozes dentro do quarto da Hee Young, a do amigo pateta era a mais alta, iria avisar que estava indo, mas desisti.

— Certo, certo, continua dizendo isso aqui na boate bebendo com a gente. 

— Já estou indo! — Desliguei o telefone e desci, saí de casa e fui para o ponto de taxi que ficava perto.


Eu, com ciúmes? É apenas preocupação. Isso é muito normal, não é? Mas que inferno, eu não sei mais nada ultimamente.

 

Busan, 10:45 p.m.

Busan’s Club.

 

Assim que entrei no local, encontrei a boate totalmente lotada, passei a procurar algum dos meninos e acabei encontrando Mark no bar.

— Ei, você! — Apontei ao chegar perto, encostei-me à bancada do bar do lado dele e observei tudo a minha frente e aos lados procurando saber se a Hee Young já havia chegado.

— Achei que você iria chegar aqui querendo matar alguém, pelo o que o Bambam falou parecia até verdade. — Mark falou assim que se virou e soltou uma risada, revirei os olhos e pedi ao Barman algo forte para beber. 

— Bambam exagera demais, só isso.

— Porque você não aceita que está com ciúmes da Hee?

— Eu nã-

— Chegou! — Yugyeom me interrompeu e passou o braço por cima do meu ombro. — Vem, estamos fazendo rodada de bebidas e vocês estão precisando beber. Depois as princesinhas fofocam.

O moreno me puxou até a mesa onde todos estavam em volta com várias garrafas de Vodka e Cerveja. Olhei novamente ao redor e dessa vez achei o motivo da minha busca, Hee estava lá na frente, usava uma calça Skinning que deixava suas belas pernas bem marcadas, uma blusa de mangas ¾ na cor branca e um salto. Não era nada demais, mas ela se destacava. 

Claro que os outros também achavam isso, ela estava dançando com aquele amigo ridículo dela e outros caras estavam a comendo com os olhos. Suspirei e balancei a cabeça negativamente, não podia deixar a raiva me controlar novamente. 

Esquece isso, Youngjae, ela falou pra você seguir em frente e é isso que você vai fazer. Peguei um copo de Vodka misturado com alguma coisa que nem prestei atenção e bebi tudo de uma vez. 


— Oh, parece que alguém quer realmente ficar bêbado hoje. — Bambam se pronunciou enquanto enchia novamente o meu copo. O olhei e deixei um sorriso sacana aparecer em meu rosto.

— Vamos nos divertir hoje mano. — Nós dois gritamos e brindamos. 

 

Vou me divertir e seguir em frente, é o certo a se fazer.

 

(...)

 

Já não lembrava mais quantos copos eu já tinha virado, só sei que no momento eu estava sentado com Bambam quase em cima de mim rindo escandalosamente de alguma besteira que o Jackson havia falado. Nós nem lembrávamos mais do que ele falou, estávamos apenas rindo da risada um do outro. Acabei por levantar e segui até o banheiro, quando senti alguém tocar no meu braço, ao me virar dei de cara com Yang Mi. 

Eu não sei definir a nossa relação, às vezes nós ficamos, mas nunca tivemos algo sério. Eu não quero namorar ninguém por enquanto e ‘pra falar a verdade, nenhuma mulher me chamou tanta atenção para engatar em algo sério como a Hee Young me chama.

 

Aaaargh! Eu vou ficar louco.

 

— Oppa! — A mais nova falou e me abraçou. Tinha esquecido o quão enjoada era sua voz. — Não sabia que viria hoje aqui, poderíamos ter vindo juntos. 

— É que eu vim com os rapazes, uma noite só nossa, sabe? — Cocei a nuca um pouco sem graça. Como ela ainda não se tocou de que eu não quero nada sério com ela? Ela até que é legal as vezes.

 

— Oh, sim! Seus amigos... — Ela se aproximou mais e espalmou as mãos em meu peitoral. — Então poderíamos ir embora juntos. 

— Eu não sei, minha sobrinha está aqui e devo levá-la embora. — Me afastei e encostei na parede, estava receoso em deixar ela aqui, mas não vou mentir que estava muito afim de dar uns amassos na Yang Mi. Qual é, ela é gostosa! Não sei porque, mas Hee foi a primeira coisa que veio na minha cabeça, apesar de ter fingido que não estava ligando eu sempre me pegava olhando para ela de longe. Eu me odeio por isso. 

A loira se aproximou mais de mim e segurou minha nuca, senti meu corpo arrepiar com seus toques, o rosto estava bem perto do meu, já conseguia sentir sua respiração em meus lábios. Agarrei sua cintura e a puxei contra meu corpo a ouvindo arfar, ela abriu um sorriso malicioso e eu retribuí.

— Ela já é grandinha e se houver qualquer coisa um dos seus amigos a leva. Vem, vamos para minha casa. — Senti seus lábios finos encostando nos meus. — Saudades de você, gatinho.

Desci a destra até a bunda dela e apertei com força logo ouvindo um gemido manhoso. Ela poderia ter a voz irritante, mas gemia bem gostoso, iria beijar a mais baixa a minha frente quando ouvi uma voz muito conhecida por trás de mim. 

— Youngjae... — Me virei no mesmo instante vendo Hee Young parada enquanto revezava seu olhar de mim para Yang Mi. Eu conhecia bem esse olhar, era decepção.  — Desculpa, não queria atrapalhar, só queria avisar que já estou indo para casa.

A vi se virar e sair sem esperar uma resposta minha, afastei Yang Mi no mesmo instante, me despedi da garota e saí atrás da Hee. Passei pela Sunhi que estava com o Jaebum. — Cadê a Hee Young? — Pergunto olhando em volta, mas não havia nenhum sinal dela, meu coração estava acelerado demais. Hee Young com raiva faz mais besteiras que o normal.

— Ela disse que iria embora, não quis esperar a gente 'pra levar ela em casa. Disse que ia de táxi.

— Que droga! Obrigado, Sunhi. — Saí empurrando todos até chegar à saída, ainda tinha esperanças de que ela não tivesse pego aquele maldito táxi. Não havia nenhum carro disponível ali, fui até um dos seguranças e perguntei se havia visto a garota a qual dei as características, após obter respostas segui para o estacionamento. Só conseguia lembrar do olhar decepcionado que exalava em seus olhos.

Corri por quase todo estacionamento até que ao me aproximar do carro do Jackson pude ouvir uma fungada baixa, fui de encontro ao som e encontrei a Hee sentada no chão com o rosto entre as pernas. 

— Hee... — Me abaixei e toquei seu rosto delicadamente, o levantei e o vi todo manchado de lágrimas. — O que houve, Princesa? 

— O que houve? Houve que eu sou uma idiota. — Ela fungou e me olhou, a puxei para um abraço e por incrível que pareça ela não recusou. Sentia como se várias facas acertassem meu peito ao ver o estado da minha garota. Queria ir para casa para cuidar dela e nunca mais deixá-la chorar. Mas acontece que eu sou um babaca. 

— Vem, vamos para casa. — A ajudei a levantar e logo fui empurrado, ela cambaleou para trás e teria caído se eu não a segurasse. — Droga, Hee Young, você está muito bêbada. 

— E daí? Você se importa mesmo? Achei que iria para casa com sua "amiga" — Ela começou a andar se apoiando no carro. — Eu cansei disso, Youngjae, cansei de você não me ver como uma mulher para você. Eu sei que não sou o suficiente e nunca serei. — Ela deu meia volta e bateu o dedo diversas vezes no meu peito. — Sabe por quê? Porque você não gosta de mim. 

Ela começou a me bater e chorar, estava soluçando e isso me doía, minha única reação foi abraçar ela. — Vem, pequena. Vamos para casa. 

Saí com ela do estacionamento e dei graças a Deus que já havia táxis ali. Fui em direção a um deles e ao solicitar abri a porta do carro, a coloquei dentro com cuidado e entrei logo em seguida. O motorista deu inicio a corrida e eu aproveitei para segurar a mão da minha menina que havia dormido, abri um sorriso leve e beijei sua testa.

 

 Casa dos Choi. 3:30 a.m.


 Ao chegar em casa a levei para dentro no colo e subi as escadas, assim que cheguei em seu quarto a deitei na cama e fiquei a olhando por um tempo. Ela é tão linda... Ah, Hee Young, você não faz ideia do que eu sinto por você. Suspirei e levantei de sua cama, iria me afastar quando senti sua mão pequenininha segurar a minha. 

— Não! — Me virei e dei de cara com ela me olhando. — Dorme comigo só hoje. Por favor... 

Não pensei duas vezes antes de voltar até o andar de baixo e trancar a porta, liguei o alarme e voltei para o quarto da Hee, tranquei a porta também e fui logo retirando os sapatos, em seguida tirei as meias e a calça junto com a camisa, o ar-condicionado já circulava pelo cômodo, olhei para a garota na cama e ela me olhava com atenção mesmo querendo fechar os olhos, caminhei com calma até ela e retirei suas peças com calma, busquei por uma blusa e logo a vesti para finalmente me deitar ao seu lado. Eu quero dormir com ela e nesse momento não me interessa mais nada.

Estava pondo a coberta por cima de nós dois quando senti braços me envolverem, sorri com isso e retribuí com um abraço mais apertado, acariciei seus cabelos findando com um selar nos mesmos.

— Senti falta disso. — Ouvi sua voz sonolenta e não pude deixar de sorrir. Não sei por quanto tempo fiquei a acariciando e aproveitando esse momento, quando ouvi sua respiração mais leve a olhei e deixei um selar leve em seus lábios. Acariciei a maçã do seu rosto ainda admirando a beleza da minha menina, ela é tão linda.

Me afastei há dois anos atrás com medo dos sentimentos que estava começado a aflorar dentro do meu peito, mas eu não consigo mais fingir que nada está acontecendo, porque está acontecendo. Eu não posso mais ser um idiota com ela. E eu não vou. Dei um último beijo em sua testa antes de confessar baixinho e deixar o sono me tomar.



— Ah, princesa, você não sabe o quanto eu te amo, te amo muito mais do que possa imaginar.


Notas Finais


Foi isso por hoje, esperamos que vocês tenham gostado. Desculpe qualquer erro, o capítulo foi revisado mas sempre acaba passando despercebido alguns errinhos :c
Dêem uma olhada nas nossas outras fanfics, individuais e outra parceria. É isso, meus amores, beijinhos e até logo.

Fight - ( Long Imagine Kai - EXO) -> https://spiritfanfics.com/historia/fight-long-imagine-kai-exo-8441028

Marcas da Mordida (Long imagine Jimin. - BTS) -> https://spiritfanfics.com/historia/marcas-da-mordida-long-imagine-jimin--bts-8180123

E nossa outra parceria.

The Bet ( Long imagine Yoongi - BTS ) -> https://spiritfanfics.com/historia/the-bet-long-imagine-yoongi--bts-8490091


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...