História Eu quero me lembrar. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Comedia, Mistério, Romance
Visualizações 6
Palavras 4.037
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Essa fanfic eu vou postar sempre no sábado.
Boa leitura.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Eu quero me lembrar. - Capítulo 1 - Capítulo 1

(Beatrice )

-  Depois das férias sempre bate aquela preguiça de voltar para a escola, mas pelo menos eu tenho a minha  amiga  ambre, que sempre posso contar com ela mesmo ela estando tão longe de mim. --  eu pensei comigo mesma deitada na minha cama.

- filha!  Vamos levantar?  - Gritou a minha mãe da cozinha. 

- Eu já vou mãe!  - Eu disse com a voz cheia de preguiça. 

- eu me estiquei e tentei  criar coragem para levantar. E com muita má vontade eu fui ao banheiro e fiz a minha higiene pessoal. 

- depois eu desci e fui falar com a minha mãe na cozinha.  

- oi mãe eu já estou indo beijo. -- Eu disse já saindo correndo de casa .

- mas filha vc não vai tomar o seu café da manhã ?   -- ela perguntou preocupada.

- não mãe eu estou atrasada, eu vou  comer qualquer coisa na escola.  - eu bati a porta e saí correndo para não chegar atrasada no primeiro dia de  aula. 

-  Enquanto eu caminhava perdida em meus próprios pensamento eu escutei alguns passos rápidos de alguém  atrás de mim. eu me virei para ver quem era.

-   Mas não havia ninguém atrás de mim.

- eu estou ficando neurótica eu disse em voz alta para mim mesma.

- Quando eu voltei  a olhar para frente eu me assustei com o garoto que apareceu do nada na minha frente. 

-  desculpa minha dama por ter te assustado, mas eu acho que uma garota como você não pode estar ficando neurótica. - ele disse sorrindo.

- você está me seguindo seu safado !?  - eu fiquei tão irritada que eu acabei   falando sem  querer. 

- nossa realmente você e louca, calma garota eu só estava passando e escutei o que você disse.  - eu não tenho culpa se vc fica falando   alto na rua. - disse ele  rindo com ironia.

- falando nisso eu me chamo Henry. - eu sei que vc estava louca  para saber o meu nome. - disse ele piscando para ela.

- eu estava preparada para falar poucas e boas para esse garoto metido, mas eu fui interrompida por uma voz suave atrás de mim.

- Ai meu lindo eu estava te procurando em todo lugar. - disse a garota se jogando nos braços do henry. 

-   mas eu estava aqui o tempo todo minha linda. - disse Henry  dando um longo beijo na boca dela.

- eu fui embora  e continuei o meu caminho para a escola, e não consegui parar de pensar que eu ainda vou conseguir falar umas boas verdades para aquele garoto sem noção. 

- quando eu cheguei na minha nova escola eu estava tão irritada com aquele tal henry, que eu abri a porta da escola com tanta raiva que eu acabei batendo a porta na cara de uma garoto, que aparentava ter a minha idade so  que ele é mais baixo que eu. 

- nossa me desculpa vc se machucou ? -- eu corri na direção dele e o ajudei  a se levantar.

-  não, eu não me machuquei, mas obrigada por me ajudar, e não se preocupe eu já estou acostumado em nunca ter sorte nessa escola.

 -  e seja bem vinda ! - disse ele com um sorriso desanimado.

- quando eu ia perguntar o nome dele ele ja havia desaparecido do corredor da escola. 

- eu comecei a andar pelos corredores a procura de alguém que pudesse me ajudar achar a diretora da escola.  

- quando eu cheguei perto da escadaria da escola eu vi uma garota sentada no chão com um guitarra  na mão. 

 eu me aproximei da garota e disse: 

- oi desculpa te incomodar mas e que eu sou nova por aqui, e eu estou totalmente perdida. - eu disse dando um pequeno sorriso tímido.

- Ai meu Deus!! Que cabelo lindo você tem. E claro que eu vou te ajudar, agora você é a minha melhor amiga. --- disse a garota com um gritinho.

- e obrigada eu acho. - eu disse meio assustada. 

-  ai nossa como eu sou má  educada,  eu me chamo Michele, e qual é o seu nome ? - disse ela toda animada.

- eu me chamo Beatrice .- eu disse aliviada ao encontrar alguém para me ajudar a me ajustar nessa nova escola.

Michele:   -  então amiga vêm comigo que eu vou te apresentar a escola, e te contar toda a fofoca de todos os alunos.

- a Michele me pegou pelo braço e me puxou para dentro de uma sala de aula.

  - Quando eu e a Michele entramos na sala de aula, eu fiquei um pouco nervosa ao ver que todos os alunos já haviam entrando na sala de aula.

Eu pensei que eles iam ficar me encarando de cima a baixo, como se eles nunca tivessem visto uma garota nova chegando na escola, mas não foi isso que aconteceu eles nem me notaram. - eles foram correndo na direção da Michele, e estavam  todos animados.

- que bom que você veio, eu pensei que vc tinha esquecido, que você tinha prometido  que ia cantar para a gente.  - disse o garoto alto e moreno que estava junto com outra garotas.

Michele:  - e claro que eu não esqueci dean, eu só me atrasei um pouco, porque eu estava terminando  de escrever a música que eu vou  tocar para  vocês. - disse ela olhando para todos animada.

- e antes que eu esqueça eu quero que vocês conheçam a minha nova amiga, o nome dela e Beatrice eu gostaria que todos fossem muito legais com ela. - disse ela contente.

- falando nisso amiga eu esqueci de te falar eu tenho que dar um show para essas crianças, elas me viram tocar com a minha banda. E foram até a Minha sala me pedirem para eu tocar  para eles. E eu gostaria que vc ficasse aqui e escutasse a minha música também. - disse ela me olhando sem graça.

Beatrice:  - nossa muito legal da sua parte não tem ploblema eu vou gostar de ouvir você cantar.  -  eu disse curiosa.

- a Michele subiu no palco improvisado  que as crianças montaram para ela e se aproximou do microfone e fechou os olhos e começou a cantar. 

" Sonhei que a vida era um sonho.

Que alguém sonhava nos meus olhos

Eu estava de fora, olhando para dentro

E tudo o que vi foram mentiras

Não é minha vida, não é minha vida

Não sou eu que está se divertindo "

  "E por mais que eu tente sair desse sonho você me arrasta de volta, e agora eu sei que tudo foi mentira, você prometeu que nunca  largaria a minha mão, é que nunca me machucaria e foi tudo mentira"

- depois que ela terminou de cantar, Ela me levou  até a diretoria e lá, eu falei com a diretora. E eu descobri que eu estava na mesma sala da Michele.

- eu olhei para a Minha grade de horários e vi que eu já estava atrasada para a segunda aula que seria de matemática. que sorte eu amo essa matéria. - eu disse sorrindo para a Minha minha nova amiga.

Michele: -  olha bia eu vou ter que ir embora mais cedo, você vai ficar bem sozinha ? - ela me perguntou num tom serio.

Beatrice:  - vou sim não se preocupe. Mas está tudo bem ? - eu perguntei desconfiada.

Michele:  - claro que sim, eu só estou com um pequeno problema com a minha mãe.  Mas  isso sempre acontece. - disse ela me olhando triste.

Beatrice:  -  quando a Michele foi embora eu fiquei pensando:  - e estranho pensar que Assim que eu a conheci eu  achei ela meio louca, mas ao conversar com ela eu acabei me acostumando com o jeito dela.  E agora eu estou tão preocupada com ela como se eu á conhecesse á muito tempo.

  - depois que ela recebeu uma ligação no celular dela, ela ficou tão preocupada, que ela  resolveu pedir para a diretora se ela podia ir  embora mais cedo da escola.

-  eu comecei a andar até a sala de aula, B do primeiro ano do ensino médio, quando de repente eu senti uma tontura e desmaiei.

- quando eu acordei e abri os olhos lentamente eu vi um garoto de olhos diferentes, ele e estranho é lindo ao mesmo tempo. Um dos olhos dele e azul e outro e verde, ele tinha uma boca linda. - eu não consegui falar nada com ele.

 --- eu só conseguiu pensar caramba que homen lindo. 

- você está bem Beatrice? - disse o garoto agachado perto de mim.

Beatrice: -  Sim eu estou bem. - eu consegui dizer com  a voz fraca e baixa.. - meu Deus que voz linda que ele tem. - eu pensei comigo mesma e ficando vermelha na mesma hora.

Alan:

-  tem certeza que você  está bem mesmo?  - disse ele  ajudando ela a se  levantar.

Beatrice:  - eu tenho Sim, mas como você sabe o meu nome ?  - eu disse tentando me controlar para eu não parecer uma doida desconfiada.

- bom é um pouco constrangedor  e que eu fiquei prestando atenção na chamada para saber o seu nome. - ele disse meio tímido. 

- eu me chamo Alan, mas eu estou realmente preocupado não e normal você desmaiar assim de repente. - disse ele pensativo.

Beatrice:  -  então e que  eu esqueci de comer alguma  coisa agora de manhã, e ontem a noite  eu também não comi nada, então deve ser por isso. - Eu disse meio sem graça .

Alan:  - olha eu vou na cantina pegar um lanche para mim, você quer que eu traga um lanche para vc também ? - disse ele pegando na minha mão. 

-   desculpa eu estar sendo tão grudento assim, mas é que eu percebi que você não é igual as  garotas daqui você e diferente. -- disse ele soltando a minha mão meio sem jeito.

Beatrice:  -  olha eu agradeço pela sua preocupação mas não precisa se incomodar eu já estou melhor. - eu saí de perto dele e comecei a caminhar para longe dele.

 - Alan ficou olhando ela ir embora e ficou triste de pensar que ele tinha  assustado ela. 

- ele estava tão distraído em seus próprios pensamentos que ele nem notou que tinha alguém o observando conversar com a Beatrice.

- sempre assustando as garotas não é Alan, eu já te avisei que você não tem jeito para chegar nas garotas. - disse o garoto rindo.

Alan:  -  você não vai começar a me zoar de novo ne Kevin ? - você nem parece que é meu amigo, disse ele olhando  para o garoto , que estava   escondido em uma das salas de aula de aula.

Kevin: - eu só estava brincando, você não precisa levar tudo a sério o tempo todo. - ele disse saindo da sala e se aproximando do alan. 

-  mas então  o que você pretende fazer para conseguir se aproximar da garota, eu posso te ajudar. e pode deixar eu sei que você é um pouco tímido e eu não vou te envergonhar. - disse ele sincero.

Alan:  - obrigada mas eu vou tentar me aproximar dela sozinho, eu não sei te explicar mas eu me apaixonei por ela. - disse ele confuso.

 (Beatrice)

- Quando eu cheguei na sala de aula, ainda estava confusa sobre a conversa que eu tive com aquele garoto o Alan, sera que ele estava sendo sincero sobre o que ele me falou.

- mocinha entre logo você já está atrasada no seu primeiro dia de aula. -- disse o  professor todo bravo.

Beatrice:  -  desculpa professor e que eu me perdi. - eu disse em pânico.

-  E mentira  ela devia estar procurando macho nos corredores da escola. - disse o garoto que estava com uma roupa toda preta  sentado no fundo da sala, ele disse com uma voz maldosa.

- todos os alunos riram da piada sem graça que ele falou. - Eu cruzei os braços e tentei conter a vontade de meter a mão na cara dele..

Henry: - licença professor  mas a culpa não foi dela, ela estava me ajudando e por isso ela se atrasou.  e não é  porque ela estava procurando macho, ela não precisa procurar um, e sim os caras que vão  atrás dela, por ela ser linda.  E  quer saber  quem deve estar querendo achar um namorado e você?  - disse ele olhando para o garoto que estava sentado no fundo da sala. 

- está certo henry não precisa defender mais a sua namorada, e vai se sentar mocinha. - disse o professor  olhando na minha direção.

 Beatrice: - eu tive que sentar perto do henry era o único lugar que estava vazio na sala, eu me sentei e o  olhei com um olhar de raiva.

Henry :  - está vendo gata, eu te  defendi e sempre vou estar aqui até que você esteja  caidinha por mim.- disse ele me olhando com um olhar estranho.

Beatrice:  - eu nunca vou gostar de você, e saiba que eu não preciso da sua proteção,  por que vc não me deixa em paz. - eu disse o fuzilando com os olhos.

Herny:  - garota cuidado e  bom você ser mais legal comigo, você não sabe do que eu sou capaz. - eu me levantei  e fui na direção dela e roubei um beijo dela.

Beatrice:  -  eu fiquei tão confusa com o que tinha acabado de acontecer, que no começo eu retribui o beijo, mas quando eu me recuperei do susto, eu o empurrei com todas as minhas forças, e eu dei um tapa na cara dele. - eu também  ia perguntar qual era o problema dele, e por que ele cismou justo comigo. Mas eu fui interrompida pelos berros do professor de matemática.

- vocês dois vão para a diretoria agora vocês vão ficar de castigo,  é proibido vocês ficarem fazendo essas demonstrações de amor na sala de aula. - gritou o professor. 

  Na mesma hora a sala toda ficou em silêncio, todos ficaram assustados com o gritos do professor . 

Beatrice:  - antes que eu começasse a  chorar de raiva, eu saí da sala de aula correndo E comecei a correr sem rumo, e foi ai que eu  me lembrei que aqui na escola tem um porão, eu vou me esconder lá, eu não quero que ninguém me veja nesse estado.

- chegado no porão da escola eu  desci as escadas e procurei me acalmar e comecei a pensar em como eu ia dar o troco naquele garoto idiota. - Eu pensei furiosa.

( algum tempo depois)

- Quando bateu o sinal da escola eu suspirei de alívio, ate  que fim eu vou poder ir para casa e tentar esquecer essa vergonha que eu acabei de passar.. - eu respirei fundo e comecei a subir as escadas para sair dessa escola horrível, mas de repente numa velocidade terrível alguém fechou a porta do porão e me deixou trancada.

-  caramba ! - eu bufei - não  tem como acontecer tanta coisa ruim com uma pessoa só, eu pensei comigo mesma.-

 -  hein  tem gente aqui, por favor alguém pode abrir a porta?  - eu disse batendo na porta nervosa .

- eu sei que você está aí,  é por isso que eu te tranquei, eu quero que você passe a noite aí para aprender a não roubar o namorado dos outros sua piriguete.. - disse a garota gargalhando atrás da porta.  

Beatrice: - eu não estou entendendo nada, quem e você?  - eu disse confusa. - eu não roubei o seu namorado eu nem sei quem e você ? - Eu não roubei namorado de ninguém. -- eu falei gaguejando de nervoso.

- depois do que eu falei eu não escutei mais nada, e também  não escutei nenhum barulho do lado  de fora. - legal ! eu pensei comigo mesma, ela foi embora e me deixou trancada aqui. 

- Quando eu ia começar a gritar para pedir ajuda, eu escutei passos vindo do corredor eu me aproximei mais perto da Porta para poder escutar melhor. - Eu escutei uma voz de garoto do lado de fora. 

- o que está acontecendo aqui Marina?  - perguntou o garoto para ela.

- nossa credo você é muito desconfiado não está acontecendo nada, eu só estava trancado a porta so isso. - respondeu ela se fingindo de inocente.

-   aaah !  Socorro e mentira dela ela me  preendeu aqui!! Eu gritei em desespero..

-   eu já escutei espero só um pouco eu já vou  te tirar  daí. -  respondeu ele para mim assustado. 

- o garoto abriu a porta. eu saí do porão rapidamente e fui para cima da garota que estava me olhando com um sorriso no rosto, eu bati na cara dela . Eu estava tremendo de raiva. 

- se você mexer comigo de novo eu vou fazer pior.  - eu revirei  os olhos para ela e sai andando.

 - esperai garota você não  vai me agradecer  se não fosse eu, você Ainda estaria presa lá ?   -  disse ele me olhando com um olhar desconfiado .

- eu não vou te agradecer nada, e melhor você sair da minha frente antes que eu bate em você também. - Eu disse já me aproximando dele e me joguei em cima dele  para poder bater nele com toda a minha força. 

- eu estava tão furiosa com todos que eu já não conseguiu mais pensar em os meus próprios atos.  

- mas ele não fez o que eu estava esperando que ele fosse fazer.

 Ele não me jogou no chão ou me bateu, ele simplesmente  agarrou a minha mãe e me deu um abraço bem apertado e disse:  - agora você já está melhor ? -  deve ter acontecido muita coisa com você, para você estar tão nervosa. - disse ele  com uma voz tranquila .

Beatrice:  - eu não sei explicar, mais ele conseguiu me acalmar.

  - agora que eu percebi o que eu tinha feito, eu fiquei morrendo de vergonha. .  - olha  me solta por favor e me desculpa por tentar te bater, eu sei que você não teve culpa de nada. - eu disse sem olhar nos olhos dele, eu estava muito constrangida. 

-  está bem mais me prometa que você não vai tentar me bater de novo?  - disse ele me soltando dos braços dele. 

- agora que você está mais calma, me explica o que você estava fazendo trancada naquele porão? - ele me olhou curioso.

Beatrice: - ok, eu vou te responder mas antes eu gostaria de saber qual é o seu nome?  - eu perguntei tentando mudar de assunto. 

- ele riu- eu me chamo Nathan e sou do segundo ano do ensino médio, e pelo que eu estou vendo eu não vou conseguir saber o que aconteceu com você,  se você continuar tentando mudar de assunto.  - ele disse meio contrariado.

 Beatrice:  -  Olha Nathan isso  é uma longa história, e  para ser sincera com voce. nem eu sei o motivo daquela garota ter me trancado no porão. -  disse ela com a voz cansada.

Nathan:  - olha eu conheço aquela garota, o nome dela é  Marina, e como eu á  conheço muito bem, eu tenho certeza que ela surtou e fez isso com você sem ela ter motivo nenhum para isso. Ela é louca. - disse ele fazendo um gesto de ela é louca só pode. 

- Beatrice riu - só você mesmo para me fazer rir, depois de tudo que aconteceu. - eu disse sorrindo. 

- olha eu esqueci de falar o meu nome eu me chamo Beatrice, sabe eu fico feliz em ter encontrado alguém legal nessa escola. - eu disse sinceramente. 

Beatrice: -- sabe eu aposto que você deve conhecer uma garota chamada  Michele, ela é tão legal quanto você. - eu acabei tagarelando sem parar, faz tempo que eu não me sentia tão avontade conversando com alguém. Eu pensei comigo mesma.

Nathan: - sabe eu estou gostando de conversar com você, mas eu tenho que ir  para casa. - a gente pode se ver amanhã na escola? - ele me perguntou meio receoso.

Beatrice: - eu vou adorar e prometo que eu não vou tentar  te bater de novo.  - eu disse feliz.

- Antes dele ir embora  ele me deu um pequeno sorriso e disse: 

-  eu vou contar os minutos para eu poder te ver novamente, eu vou gostar muito de ter a sua amizade.  - ele acenou e foi embora.

- Beatrice- 

- Enquanto eu caminhava para voltar para casa, Eu não conseguia entender esse sentimento que eu  estava sentindo, eu fiquei triste em saber que ele quer ser só o meu amigo.

- finalmente eu cheguei em casa e eu fui direto para cozinha e procurei alguma coisa para come, e subi para o meu quarto. 

- Eu entrei no meu quarto e tomei o meu banho, eu ja estava preparada para dormir, quando eu escutei o meu celular tocar.

- Eu fui na direção da minha cama aonde eu tinha deixado o meu celular, eu peguei ele é atendi..

- alô??

- até que fim você  me atendeu. - eu estava tentando te ligar o dia todo. - disse a garota em desespero. 

-  nossa mulher respira e se acalma, eu disse rindo ao reconhecer a voz da minha melhor amiga Ambre.

- eu não vou me acalmar  nada. Eu aposto que você já me trocou por uma nova amiga. - disse a Ambre com a voz mais baixa.

- e claro que não, eu nunca vou te abandonar amiga.

 - agora para  de ficar fazendo drama que eu tenho uma novidade para te contar.- eu disse animada.

Ambre: - mentira me conta tudo ? -disse ela dando um gritinho histérico. 

Beatrice: -  tabom  eu vou contar. Então  hoje eu conheci um garoto tão legal e ele me salvou de  uma louca varrida. - eu contei para ela super animada.

(Alan) 

- eu estava bem perto da minha casa, quando eu escutei um barulho vindo do beco escuro que tinha do lado da minha casa. 

- parece que eu escutei alguém gritar .--l Sera  que alguém pode estar precisando de ajuda.

- Eu vou lá ver o que esta acontecendo, eu fui na direção do beco, e foi aí que eu vi um cara armado que tinha acabado de atirar em alguém. 

- hein você . o que você está olhando?  E o que foi o que você  viu garoto. - perguntou ele me  apontando arma que ele estava segurando. 

Alan: - eu comecei  a tremer de medo. e eu não estava conseguindo falar  para poder explicar para ele, que eu não tinha visto nada do aconteceu aqui.

- o homem estava de bone, e por causa da luz fraca do beco eu não pude ver direito o rosto dele. 

- garoto o que foi que vc viu ?  - se não eu vou ter que ter mandar para o cemitério.  - disse o homem com a voz ameaçadora. 

Alan:  Eu estava em pânico eu não sabia o que fazer.

- olha eu juro que eu não vi nada, e eu só quero ir embora.  - eu disse com a voz trêmula .  

-  é para piorar eu não conseguia parar de olhar o cara morto no chão. 

- Quando o homem se aproximou de mim, eu pude ver ele melhor, ele tem os cabelos loiros, ele é  branco e suas roupas estava cheia de sangue do homem que ele tinha acabado de matar.

- eu não conseguia dizer mais nada, eu fiquei  paralisado de medo.

- e quando eu  vi ele disparando a arma contra mim, eu não consegui correr ou tentar me esquivar da bala, eu estava em choque.

- e quando a bala atingiu o meu ombro  eu senti uma dor terrível e foi aí que eu vi tudo se apagar...

*****

 (Beatrice)

(Trimmm) 

- Eu desliguei o despertador e me levantei para tomar  o meu banho, Eu me olhei no espelho e ajeitei o meu cabelo ,  e passei  um pouco de rímel.

 - e disse em voz alta para mim mesma. 

- hoje o dia vai ser diferente eu vou conseguir sobreviver  a mais um dia de aula. - eu pensei positivamente.  

- Enquanto eu estava terminado  de arrumar eu pentiei o meu cabelo que era grande, e depois sai do meu quarto e fui tomar o meu café da manhã com a minha mãe. 

- e eu levei a maior bronca do mundo da minha mãe, por ter  ficado de castigo, por causa daquele  garoto idiota.

  


Notas Finais


Eu continuo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...