História Eu quero que você fique - Capítulo 90


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Costia, Dra. Abigail "Abby" Griffin, Jasper Jordan, Lexa, Personagens Originais
Tags Clarke, Clexa, Lexa, The 100
Visualizações 156
Palavras 1.453
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Sobrenatural, Survival, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 90 - São perdas.


Talvez tudo que eu tinha passado até agora não se compara a minha dor, ele seria uma esperança para todos nós, eu sentirei a falta do seu sorriso, dos seus abraços que na maioria das vezes era eu que dava ... eu sei, eu era um grude quando se tratava dele, vou sentir falta da paz de espirito que ele passava. Jake, espero que esteja em um lugar lindo e com muito verde, já que era sua cor favorita. Eu tive a honra de ser sua avó postiça, fui a mulher mais feliz nesses quase dois anos em que você esteve aqui. Sua missão com toda certeza era essa, ficar aqui e acalmar meu coração. Com amor vovó.

Ouvi as palavras da minha mãe e como os dias anteriores, não dei uma só palavra. Parecia que minha boca tinha sido lacrada, não tinha animo para falar e ver ninguém. Não chorei, não tinha mais uma gota sequer de lágrima. Não deixava ninguém chegar perto de mim, ninguém teve a audácia de me abraçar. Apesar de todos tentarem alguma coisa, eu não cedia, eu não ouvia, eu simplesmente estava ali ... Mas não mais presente. Minha mãe me olha e – Nossa! Ela está totalmente desolada, suas olheiras são mais presentes. Assim como eu, minha mãe foi a pessoa que mais se apegou ao Jake. Era tudo muito triste, tudo lembrava ele. O que foi me falado foi, ele morreu por conta da explosão. Ele foi tirado de mim e do seu povo, eu sentia que no íntimo do meu coração eu não era mais a mesma.

“Filha, trouxe seu jantar. ”

Foi o que ela falou, mas eu não processava nada ... em cima da mesa estavam meu café, almoço e lanche ... a comida não descia ... eu queria ir para casa, estava cansada de tudo aquilo, eu fiquei em Polis enquanto Azgeda se recuperava de toda a explosão.

“Desse jeito você vai morrer ... Pronto, aí o meu coração para de vez, filha por favor eu preciso de você. ”

 “Eu quero ir para casa, mãe. ”

“Eu sei disso, ainda falta algumas coisas ... todos estão ajudando, mas ainda assim falta muito para acabarem. ”

Eu me seno na janela e reparo as pessoas, todas continuam com suas vida, O. e Lincoln juntos, Bell ajudando com os guardas e Indra está com Terro mostranto os portões. O mundo parou para mim, mas para eles ... continua.

“Com licença Dra. Griffin, precisamos de você lá no consultório”.

Até minha mãe ... continua no ritmo da rotina.

“Claro Titus, estou indo agora. Filha tenta comer algo.”

Minha mãe sai e Titus entra no meu quarto fechando as portas.

“Me perdoe a intromição, mas Heda quer saber como você está?”

Heda quer saber como você está? Lexa não muda nunca, parece que tem medo de rejeição, não pode parar um minuto o que está fazendo para vir ela mesma? Eu continuo muda. Não vale a pena gastar minha saliva com Titus.

“Eu sei o que parece majestade, mas Heda está muito ocupada ... Ela teve a brilhante ideia em tirar todo o sangue da Ontari ... desculpa falar o nome dela.”

IMBECIL ... era isso que eu queria falar.

“Tirou todo sangue e sua mãe armazenou para caso precisamos, para algum tipo de experimento ... enfim, ela também levou junto com a Luna, Raven e outros guardas o que restou dos ceifadores, eles estão no deposito antigo no leste do mar.”

E o que eu tenho a ver com isso? Claro que eu não falo, mas penso ... Afinal eu olhava para ele e pensava ... o que diabos ele está fazendo na minha frente?

”Com licença majestade, eu irei dizer a Heda que apesar de tudo, você está se recuperando. ”

Diga a ela que eu morri, seu verme imbecil, não volte aqui ... era o que eu pensei em falar.

“Diga a ela que eu quero vê-la, agora. ”

“Sim ... pode deixar. ”

Não demora nem dois minutos e Lexa aparece no meu quarto, bate na porta.

“Clarke? Posso entrar? ”

Eu nem respondo, me aproximo da porta e abro e quando eu abro ela está encostada na parede, fazia uns cinco dias que eu não a via. Lexa era assim, se você está com problemas ela não quer ficar por perto por achar que se ela se aproximar você dará um fora nela, eu já disse, ela não sabe lhe dar com rejeição.

“Como você está? ”

Sabe o que é curioso? Meu coração não dispara, eu não me emociono e nem vejo a mulher que eu amo na minha frente, ela me deixou para resolver problemas e isso deixaria minha raiva por ela maior que meu sentimento de afeto.

“Tenho que sair daqui. ”

“Ok...quer dar uma volta? ”

“Não. Eu quero ir para casa. ”

“Ainda não, Azgeda está uma bagunça e o povo está dando duro para deixar tudo como era antes. ”

“Como era antes? Nada vai ser como era antes ... não adianta, nada vai ser como antes. ”

“Você tem toda razão. ”

“É claro que tenho. ”

“Tudo bem! ”

“Tudo bem? Tudo bem para quem? Para você que não perdeu ninguém? Para você que continua sendo a comandante? A superior? Tudo bem para você que tem seu povo intacto, que tem todos aos seus pés, que tem uma idiota que te ama. Tudo bem então Lexa, mas eu não quero ficar aqui, quero ir para Azgeda.”

“Eu sei que doí Clarke, mas ...”

“Mas o que? Você NÃO FAZ A MINIMA IDEIA, VOCÊ NÃO PERDEU UM FILHO. ”

“Mas perdi pessoas que eu também amava, são perdas. ”

“Quem? Costia? Pelo amor de Deus, você compara um amor de mãe com de uma mulher. ”

“Não. Meus pais ... você tem muita sorte de ter sua mãe com você, eu sinto muito a falta da minha. ”

“Eu teria meu pai se você não tivesse matado ele.”

“Ok...vamos começar tudo de novo? Quer falar mesmo sobre isso? Porque eu já te expliquei. ”

“Vem me dizer que não gostou disso? Afinal você queria mata-lo quando ele era pequeno e hoje finge que se importa...”

“Como pode dizer isso? Também era para eu ter matado você, lembra? Mas não o fiz, eu me apaixonei ... não continuei com a mesma ideia. Meu Deus, Clarke ... como pode pensar isso de mim? ”

“Você não me deve explicações, Lexa ... eu já sei o que devo fazer.”.

“Isso é bom, e como eu posso te ajudar? ”

“Sumindo da minha vida, você é a maldição na minha vida. Você é o amor errado, essa obsessão que eu tenho não pode ser normal. Eu não preciso de você dizendo o que fazer ou o que dizer, eu me basto ... eu sou quem eu preciso ser ... eu não te devo um “obrigado” nem desculpas. Eu não preciso te convencer de nada. ”

Minhas lagrimas surgem, eu estou certa de que acabou ... ela se levanta e suas lágrimas rolam com mais facilidade ...

“Não existe amor errado Clarke, eu te respeito e aceito o seu luto pelo Jake e seus amigos o tempo que for, mas você tem que aceitar as coisas que passaram e as coisa que virão. Eu sinto muito em passar esse tipo de sentimento para você, e não quero que fique comigo achando que sou uma maldição. ”

Falei isso tudo achando que ela sairia do quarto e não me pedisse explicação, ao invés disso ela me cala com essas palavras, mas como disse, eu não era a mesma.

“Eu sinto muito pelo o que aconteceu com ele, mas se você quer ir eu não vou te obrigar a ficar do meu lado ... eu queria que soubesse que ... eu amo você”

“Não faz isso, você não tem o direito de dizer que me ama agora ... eu não aceito isso, eu precisei dele tantas vezes e você não me correspondeu. Pega esse seu amor e me deixa sozinha, amanhã eu irei embora de Polis, da sua vida. ”

Lexa sai, mas na porta ela para e se vira.

“Você pode ir embora de Polis, você pode estar longe, mas você sempre será parte de mim, por que não tem como arrancar a alma ... Independente de qual for a situação eu estrei com você.”

Eu abro a porta do quarto.

“Agora eu não preciso que você fique do meu lado, eu quero que você saia. ”

Ela sai e eu bato a porta com toda força que me resta ... não sei o que estava acontecendo comigo ... eu estava totalmente amargurada ... eu só queria ir ...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...