História Eu sei o que você é - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~pisalute

Postado
Categorias Seventeen
Tags Comedia, Jeonghan É Uma Vadia, Jihancheol, Verkwan, Verkwan Eh Real
Exibições 463
Palavras 1.987
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Capitão américa: ship war


Quando se é amigo de Yoon Jeonghan, a única certeza que você pode ter na vida é que ele é libriano e não tem certeza sobre nada.

É claro que como amigo dele a tanto tempo eu já deveria prever que sua ideia sobre a certeza vampiresca de Hansol já teria mudado no outro dia, mas Amber do céu, como eu poderia adivinhar?

Ele é a pessoa mais indecisa do mundo e essa é uma das razões para que eu aceite ele ter dois namorados. Ou talvez ele tivesse certeza de que queria os dois? Fica a questão no ar.

Felizmente agora eu tinha Jisoo ao meu lado na comprovação dos fatos que Hansol estava brilhando.

Ele ganhou alguns pontos comigo, e eu até daria alguns Pokémon para ele se eu soubesse como fazer.

Mas tudo ok, Jeonghan continua sendo uma cobra indecisa vadia com dois namorados, segue tudo normal.

Agora vem a novidade bombástica que realmente faz alguma diferença na vida de todos os meus seguidores fiéis.

Estou lendo Harry Potter.

Estou gostando de Harry Potter.

Em apenas uma semana eu já li três.

T R Ê S.

É óbvio que o garoto vampiro não tinha nada a ver com isso a princípio, quando estava lá na metade do capítulo 7 do primeiro. Até, é claro, surgir uma questão interessante na minha mente que consistia em: Qual casa Boo Seungkwan seria?

E depois de perguntar isso para ele, Hansol começou a monologar por duas horas seguidas me fazendo quase desistir de ler sete livros após tanto spoiler, mas no fim de todo aquele lenga lenga sobre bruxos ele fez a melhor pergunta de todas:

"Você não quer assistir os filmes na minha casa no fim de semana?"

E é nesse ponto da narração que você pode imaginar vários gritos histéricos de alguém que foi notado pelo crush vampiro.

Então como vocês podem perceber eu tenho um motivo perfeitamente cabível para ter lido tão rapidamente, mas não sem antes fazer aquele teste e descobrir que eu sou da Sonserina.

O que é um grande absurdo já que eu não fico por aí agindo como se fosse melhor do que todo mundo, em nome de Beyonce!

Enfim, você deve agora estar pensando "Tudo bem, Seungkwan, mas e aí, você desistiu de acreditar que o garoto é um vampirão das trevas que brilha no sol?"

E a resposta para essa pergunta é obviamente não!

Não se engane, eu sou praticamente um dos membros do X-Men, então sim, eu sou perfeitamente capaz de ler Harry Potter e espionar Cullen Hansol disfarçadamente.

Entretanto, não consegui juntar muita coisa essa semana. Bom, fora o vídeo que gravei dele na educação física para mostrar pro meu amigo que aqueles movimentos não são de uma pessoa normal. E pra eu assistir quando estiver triste também.

Sem grandes descobertas foi como a minha semana poderia ser descrita - claro, se você ignorar que eu agora mesmo queria ir para Hogwarts - e finalmente algo importante iria acontecer.

Por que?

Bom, é sábado, meus caros, e estou caminhando para a casa do Hansol.

Eu odeio andar, minha Nossa Senhora.

Não bastava o quanto eu já suava apenas pelo nervosismo, ainda tinha que andar tudo aquilo, e até mesmo a porcaria do clima frio parecia tentar de alguma forma me matar.

Chequei o horário na tela do celular quando estava na esquina da casa dele e notei que estava uns 20 minutos adiantado. Eu poderia matar esse tempo na casa do meu melhor amigo, mas provavelmente ele deveria estar com os namorados e, bom, eu não tenho problema nenhum em atrapalhar eles, o meu problema na verdade é ficar traumatizado com alguma cena +19.

Caminhei lentamente até a casa do crush, tremendo feito vara verde, tentando fazer com que o tempo de alguma forma passasse mais depressa, coisa que claramente não funcionou e não demorou muito para eu estar em frente à porta. Gastei mais alguns minutos tentando normalizar minha respiração antes de tocar a campainha.

O que está acontecendo comigo, Deus?

Parece que estou prestes a conhecer a Beyonce e não entrar na casa de um vampiro!

– Já vai! – ouvi a voz do Hansol e quase tive um piripaque quando ele abriu a porta com uma garotinha em seu colo, com uma coroa de princesa na cabeça. Na dele, não na dela. Ele abriu um sorriso quando me viu e eu quase morri. – Oi, Kwan.

– OI, KWAN! – a garotinha repetiu gritando naquela típica voz de criança que acabou de aprender a falar e ainda troca um monte de palavras me fazendo rir.

– Oi, Hansol. – eu disse observando aquela beleza de rosto.

– Entra. – ele deu espaço enquanto a garota agitava os braços animada. – Essa é a Sophia, minha irmã, o amor da minha vida. – ele deixou um beijinho na testa dela. – Sophi, esse é o amigo que eu te falei, lembra dele? – ela acenou, esticando os bracinhos na minha direção.

– BOO! – ela gritou apertando minhas bochechas como aquelas tias no natal.

– Desculpa por isso. – Hansol disse rindo.

– Sem problemas. – minha voz saiu estranha enquanto ela ainda me apertava. – Ela é tão fofa! – não consegui segurar e peguei nas bochechas dela assim que a mesma me soltou.

Hansol maneou a cabeça na direção do sofá, e caminhei até lá com ele me seguindo após fechar a porta.

– Você chegou cedo, minha mãe ainda não saiu. – ele se explicou sentando ao lado de Sophia no tapete cheio de brinquedos enquanto eu sentava no sofá e assentia.

Dei uma olhada ao redor depois de tirar meu casaco e depositar no braço do sofá, notando a decoração. Não era bem como eu imaginava a casa de um Cullen. Não que tenha um caixão no meio da sala, mas não é tão clara quanto eu esperava. Talvez seja porque ainda não conseguiram deixar a casa a cara deles.

Daqui dá para ver alguns quadros antigos, e na mesinha ao lado do sofá tem uma coleção de moedas - eu tenho certeza de que não conheço nenhuma delas - e um piano em um canto mais afastado.

Será que, como os Cullen, os Chwe guardam moedas como recordação dos lugares onde estiveram? E pensando bem, crianças vampiras não são proibidas?

Como eles conseguiram que Sophia existisse? Será que os Volturi de alguma forma aprovaram aquilo ou eles vivem na ilegalidade vampirica? Teria Sophia um amigo lobisomem parente do Mingyu?

Será que Hansol compõe melodias tristes e melancólicas para acalmar sua alma sofredora de um Cullen?

– Sophi, você não acha que o Boo deveria brincar com a gente também? – a voz de Hansol interrompeu minhas perguntas profundas e virei o rosto a tempo de ver a pequena balançando a cabeça e dando alguns passos na minha direção, pegando minha mão e me puxando com sua força infantil para me juntar ao tapete, acabou que não consegui dizer não para ela.

Dez minutos mais tarde eu estava com um boneco do Capitão América prestes a beijar o Homem de Ferro que Hansol tinha nas mãos enquanto Sophia mexia uma Barbie casamenteira enquanto falava algo que deduzi ser "eu vos declaro super hérois casados", quando uma mulher muito bonita, que deduzi ser a mãe vampira do crush, apareceu meio que correndo nas escadas como o coelho branco, repetindo o quanto estava atrasada.

– Oi, meninos. – ela disse afobada, pegando Sophia no colo. – Tchau meninos. – riu antes que pudéssemos dizer algo.

– Tchau, mãe. – Hansol se despediu, seguindo a mãe com o olhar até a porta enquanto eu apenas acenei.

Então ela parou, olhou para nós dois por um minuto antes de sorrir.

– Juízo, Vernon. – ela falou e em seguida saiu, me deixando com um grande ponto de interrogação na testa, mas sem poder ver a reação do vampiro filho, já que ele ficou mais alguns segundos encarando a porta fechada.

– Vernon? – não consegui conter minha boca e a pergunta saiu sem que eu pensasse muito.

– Er... – ele limpou a garganta e virou o rosto na minha direção. Se ele não fosse um vampiro eu podia jurar que ele estava um pouco corado. – Esse é meu segundo nome. Hansol Vernon Chwe. – ele explicou e eu o olhei desconfiado.

Será que sua mãe tinha errado o nome que eles usam agora e ele precisou inventar isso ou essa informação é verdadeira?

– Vou pegar os filmes. – ele avisou se levantando com toda a agilidade vampira e subindo as escadas.

Sozinho de novo na sala, fiquei tentado a vasculhar tudo atrás de uma prova, mas me contive quando a voz do crush vinda do topo da escada perguntou se eu estava com frio, e pouco depois de gritar um sim ele voltou para a sala com uma caixinha que imaginei ser uma daquelas coisas de colecionador – já que estou bem acostumado com elas – e um cobertor.

– Você não se importa em dividir, certo? – ele perguntou e imaginei ser sobre o cobertor e eu quase tive um ataque histérico ali mesmo.

Se eu me importo em ficar debaixo do mesmo cobertor que você?

– Não mesmo. – eu sorri angelicalmente.

O dia está ficando cada vez melhor.

Depois de colocar o filme e pausar logo no início, ele deixou o cobertor comigo no sofá e foi para a cozinha, e após alguns estouros ele voltou com pipoca e refrigerante.

Depois de deixar a pipoca e os copos no chão veio a melhor parte.

Ele se sentou do meu lado e eu cobri ele e segundos depois sua mão se esgueirou pelas minhas costas, me segurando na cintura e me obrigando a ficar ainda mais perto.

Eu podia ter morrido ali mesmo, mas é claro que ainda tinha que ter a cereja do bolo para que alguém como eu morra do coração, então vou narrar os próximos fatos da melhor maneira possível sem grandes surtos:

Pipoca vai, pipoca vem, eu notei logo no início do filme algo muito errado.

– Tiraram a primeira interação do meu shipp. – eu reclamei ao notar que Harry não tinha encontrado Draco na loja de uniformes como no livro.

– Ahn? – Hansol perguntou desconfiado. – Que shipp?

– Harry e Draco. – respondi sem tirar o olho da TV, mas pude sentir que ele me olhava.

– Você shippa Drarry? – ele perguntou.

– Shippo, ué. – o olhei. – Você não?

– Claro que não. – Hansol riu. – Eu shippo Dramione.

Tenho certeza de que se alguém me desse um copo de suco de limão, sem açúcar, batido com gengibre, eu teria feito uma careta mais bonita do que a que eu fiz ao saber dessa informação.

– Não acredito que estou dividindo um sofá com alguém que shippa Dramione. – eu resmunguei alto o suficiente para que ele me escutasse, mas não tive coragem de me afastar dele.

– Não acredito que estou a fim de alguém que shippa Drarry. – ele murmurou baixinho e eu morri.

Será que eu estou em um sonho?

Um segundo, acho que não usei a entonação correta.

SERÁ QUE EU ESTOU NUM SONHO? O QUE É ISSO? É A REALIDADE? DEUS, ME AJUDA!

– O quê? – perguntei encarando ele e agora eu tinha certeza de que suas bochechas tinham ganhado um tom rosado.

– O que o quê? – ele perguntou.

– O que você acabou de dizer.

– Eu disse? – ele desconversou. – Vamos voltar pro filme. – ele apontou pra TV mas não consegui ouvir nada durante os 30 minutos seguintes já que meu coração parecia que ia sair pela boca a qualquer momento, mas ainda assim fiz questão de ficar abraçado ao crush que disse que está a fim de mim – claro, se isso não tiver sido fruto da minha imaginação por estar tão próximo a um vampiro.

Em resumo, eu gostaria de agradecer a J.K Rowling por ter escrito Harry Potter, a Deus por ter feito o dia frio, a falta de cobertores na casa do crush e a minha mãe por me autorizar a sair de casa para passar o dia comendo pipoca e assistindo o novo amor da minha vida literária em forma de filme abraçadinho em Hansol Vernon Chwe.


Notas Finais


finalmente nós chegamos

eu sinto mt se tiver usado muito do meu amor potterhead nesse capitulo, eu estou muito harry potter essas semanas ngm me aguenta mais falando de drarry

enfim, OLA AMIGAS NE QUANTO TEMPO AEEOOO
se serve de consolo pra vcs nós demoramos mais com esse capitulo por um motivo alem de eu mesma tentando não deixar tudo harry potter: estávamos pensando em formas de deixar a história um pouquinho maior sem afetar a qualidade dela (espero que a gente tenha conseguido)

desculpem pelo aviso anterior mais uma vez hdjfkhdsfsd vimos que muitas pessoas ocmentaram nele e gostariamos muito de ver vocês comentando nos capitulos tambem <3

e durante todo esse tempo eu e laila dos santos postamos algumas histórias novas então deixarei os links caso alguem queira dar uma olhada né não sei

O clube do processo - Taoris (EXO) https://spiritfanfics.com/historia/o-clube-do-processo-6414934

Imaginado - daelo (BAP) DEEM MUITO AMOR PRA ESSA BEBE AQUI EU A AMO DEMAIS https://spiritfanfics.com/historia/imaginado-6496737

Obliviate - Myungjin (ASTRO) pra provar minha fixação por harry potter nos ultimos tempos https://spiritfanfics.com/historia/obliviate-6587039

Shy, shy, shy (Jesung - NCT Dream) https://spiritfanfics.com/historia/shy-shy-shy-6598702 e Strong (Yoonseokmin) https://spiritfanfics.com/historia/strong-6598695 que foram os presentes pra minha linda cherosa maknae beta @marmy (obrigada por betar este capitulo tbm mari)

Fifteen Dates (Sesoo - EXO) https://spiritfanfics.com/historia/fifteen-dates-6506248 que mal começo e já amo por demais

Tattoo (namsong - Winner) EU NAO TENHO NEM PALAVRAS PRA DESCREVER O QUANTO AMO ESSA ONE SHOT VCS PODE TODO MUNDO LER E AMAR ELA COMO EU, OBRIGADA https://spiritfanfics.com/historia/tattoo-6394425

bom, é isso brothers, flw

ps: laila que não é potterhead chamou seungkwan de traidor, mas que culpa tem boo se harry potter é demais?????

até a next my friends


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...