História Eu sei o que você é - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~pisalute

Postado
Categorias Seventeen
Tags Comedia, Jeonghan É Uma Vadia, Jihancheol, Verkwan, Verkwan Eh Real
Exibições 316
Palavras 1.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Yaoi

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Os vampiros que me mordam


Primeiramente gostaria de dizer que já estou em um nível expert de fã de Harry Potter e todas as palavras, frases e pontos que direi em seguida estão sobre fortes influências de magia bruxa.

Segundo, mas não menos importante, Hansol está cada dia mais Cullen.

Não do tipo "ah Seungkwan, você está exagerando", não meus amigos. Hansol Vernon Chwe mostrou suas garras mais uma vez.

Ou presas, como você preferir.

Talvez você se pergunte "ué, mas tem como alguém ser mais vampiro do que brilhar no sol?"

Eu também achava que ele tinha alcançado o nível master de vampiridade.

Isso, é claro, até aquela bela manhã de terça feira.

Depois do fim de semana maravilhoso assistindo Harry Potter com o crush – que shippa dramione, infelizmente nem todos somos perfeitos –, tive de ficar ouvindo Jeonghan reclamar do Jisoo ter feito ele e o Seungcheol acordarem as seis da manhã para a caça de Pokémon no domingo, mesmo que tenha nevado durante a manhã toda, e fora a segunda onde Hansol não apareceu.

Depois de todos esses acontecimentos que já começavam a fazer com que eu desistisse da ideia de que o meu crush é um vampiro, ele se mostrou ainda melhor que a encomenda.

Lá estava eu, caminhando fabulosamente até o portão da escola tentando não escorregar no chão coberto de gelo quando eu vi ele do outro lado da pista.

E então eu parei para dar um "oi" de longe mesmo, mas antes que eu pudesse exibir meu sorriso de quem está tentando conquistar alguém sem parecer muito Jeonghan, ouvi um grito vindo de longe.

— Cuidado! – e não levo mais de cinco segundos para perceber que definitivamente a pessoa podia ganhar um Nobel de gênio do ano.

Porque essa pessoa não é nada mais nada menos que Kwon Soonyoung.

Em cima de uma bicicleta.

Isso mesmo, meus amigos. Eu já me pergunto como o garoto enxerga normalmente com aqueles olhos rasgados demais e daí ele me inventa de subir em uma bicicleta com o chão coberto de gelo.

Quando o ser humano quer ser burro ele faz até esforço, não é possível.
Eu mesmo teria me movido se não estivesse tão paralisado com o esforço do garoto de não pensar.

A cena toda pareceu passar em câmera lenta; eu inclusive pude ver o momento exato em que os cantos dos olhos de Soonyoung alargaram e seus olhos ficaram maiores que os do monitor das trevas – Do Kyungsoo, provável mentor de trevosidades de Wonwoo – enquanto a bicicletinha ficava mais e mais perto.

E tão inesperado quanto Soonyoung conseguir enxergar com aqueles olhinhos, senti um braço contornando minha cintura e me puxando uns bons três passos para o lado, fazendo com que nós dois caíssemos nos estatelando no chão frio.

Bom, eu não tanto já que eu estava sendo abraçado pelo meu herói, já Hansol fez uma carinha de dor que me fez ficar com dó - mesmo eu tendo consciência de que vampiros não sentem dor, além da emocional, fato que fazem eles escreverem romances melancólicos pela eternidade.

E tomando consciência de outras coisas também, eu notei justo naquele momento o quanto nós estávamos próximos.

Na frente da escola inteira, ou ao menos de quem teve coragem de se levantar naquele frio para ir pra aula. Senti minhas bochechas quentes.

Meu santo Draco Malfoy (é nesse momento que você nota aquele nível expert que citei inicialmente), eu conseguia sentir o hálito de menta se misturando com o meu da forma mais romântica-estranha que já imaginei.

Eu não estava tendo o menor problema em sentir os pelos da minha nuca arrepiando, meu coração batendo forte, nem nada do tipo. Mas eu quase consegui sentir o sorriso malicioso que Jeonghan provavelmente estava fazendo naquele momento, no meio da multidão, e aquele foi o combustível para que eu me levantasse em um pulo.

Antes que eu conseguisse agradecer Hansol por me salvar de uma morte sem classe ou até mesmo enfiar minha cara na neve de vergonha - porque sim, Jeonghan escancarava aquele sorriso na minha direção a alguns metros de distância - o sinal do início das aulas tocou e Hansol só me disse um "até mais tarde" e saiu correndo para dentro do colégio.

Me virei na direção de Soonyoung e sua bicicletinha, dando de cara com uma das cenas mais estranhas que meus olhos já captaram: meu colega elfo enfezado que agora tinha cabelos loiros deixava beijinhos no rosto do tapado. Mas até o elfo beija alguém e eu não?

— Seungkwan, se você não vier agora aquele professor chato vai brigar com você. – Jisoo me chamou a atenção agindo como um pai responsável.

E assim foi a primeira parte do dia mais importante da minha investigação vampírica.

Comecei a andar até a minha sala com Jeonghan e seus namorados no meu encalço. Enquanto Jisoo e Seungcheol estavam naquele maior love que só faltavam os olhos se transformarem em coraçõezinhos, Jeonghan me encarava.

— Você viu aquilo, Josh? — Yoon perguntou sem tirar os olhos de mim.

— Aquilo...? — Jisoo perguntou confuso.

— Seungkwan quase foi beijado pelo vampiro que brilha. – Explicou e eu quase enfiei minha cara na neve pela segunda vez.

Venho por meio desta declarar que Yoon Jeonghan é o pior melhor amigo de todos.

Dei graças a Deus que antes de aquele diálogo se prolongar chegamos na minha sala e os três seguiram naquela nuvem de amor para a turma deles. Obviamente me arrependi no minuto seguinte quando o professor reclamou do meu atraso e já começou com aquele papo sem sentido de números.

Mas tudo bem, pelo menos a aula chata me deu tempo para me concentrar no que era realmente importante: o que fazer agora?
Então exatamente como o Leão se apaixonou pelo Cordeiro, a ideia surgiu de repente na minha mente genial.

Peguei uma das folhas do meu caderno e comecei a anotar todas as evidências que já tinha juntado até aquele momento, me distraindo apenas quando o professor disse algo muito interessante.

— Vocês não vão mais ter aulas hoje, já que a reunião de professores foi adiantada. – ele avisou sério, ficando com os olhos arregalados com a minha atitude seguinte.

Eu, Boo Seungkwan, levantei a mão em uma aula de álgebra.

— Isso vale pro resto da escola? – perguntei e o professor balançou a cabeça positivamente, ainda meio atordoado com a minha atitude e provavelmente assustado com o sorriso maníaco que dei.

Tudo dentro dos conformes. Eu colocaria meu plano em prática dentro de poucos minutos. Já conseguia sentir o clã dos Volturi chegando.

Quando o sinal do fim da aula tocou eu quase saí da sala saltitando com toda a minha animação. A neve tinha parado de cair e o gelo no chão já havia derretido parcialmente, agora invés de ser obrigado a andar como um pinguim, aquela água toda encharcava minhas botas novas. Deus não dava uma pausa nos testes comigo, eu mereço.

Hansol estava numa aula em um dos laboratórios, então tive que atravessar a escola toda para encontrar o garoto. Confesso que quase desisti no meio do caminho por conta do barulho irritante que as botas molhadas faziam enquanto eu apertava o passo pelo corredor. Isso sem contar das duas vezes que o monitor quase me expulsou por estar indo na direção contrária à saída; sorte que na segunda bronca Hansol finalmente saiu da sala e o monitor deixou a gente seguir com a desculpa de que ele tinha que entregar uns livros na biblioteca.

Ele até tentou puxar assunto, mas eu o cortei sussurrando um “vem comigo” e saí o puxando até o parquinho cercado por árvores. Paramos bem no meio de onde normalmente ficaria a caixa de areia, e não fiquei nem um pouco surpreso por não ter ninguém ali. Aquele lugar era mais flop que o ArtPop.

Dei mais dois passos respirando fundo e pronto para incorporar o ator de malhação que vive dentro de mim.

Me virei com um sorriso que dizia claramente "eu já te saquei".

— Hansol. – comecei usando o tom mais sério que consegui encontrar e quase consegui ouvir a trilha sonora de suspense tocando ao nosso redor. — Eu sei o que você é.

Hansol ficou em silêncio por um segundo, parecendo entender que sua máscara finalmente caiu. O lugar ficou tão silencioso que eu podia jurar que dava para escutar o casal de três discutindo onde iriam naquele horário livre para se pegarem sem ninguém atrapalhar.

— O quê? — o Cullen me olhou fingindo surpresa.

— Não adianta tentar me enganar. – revirei os olhos para a atuação dele. — Você não come alho, é bom nos esportes, inteligente, seus olhos mudam de cor, você brilha no sol, tem um piano na sua casa. — pontuei, levantando um dedo para cada fato. — E o mais importante: me salvou hoje cedo rápido demais. Não precisa mais fingir. Eu já sei. – cruzei os braços.

— Sabe o quê? — sua expressão confusa continuou.

Revirei os olhos de novo. Não acredito que ele realmente está tentando me enganar.

— O que você é. — respondi firme. — Um vampiro.

O vampiro me encarou mantendo aquela cara falsa de interrogação por uns segundos antes de a mudar numa velocidade sobrenatural e se transformar em um sorriso estranho.

— É, Seungkwan... – ele começou a falar, dando alguns passos na minha direção, me fazendo ir instintivamente para trás. — Você me pegou. – mais um passo. — Infelizmente agora que você mostrou que sabe sobre mim... – mais alguns passos e então eu acabei batendo as costas em uma das árvores dali. — Eu vou ter que morder você. – ele completou colocando as mãos dos lados do meu rosto. — Nada pessoal, você sabe. Só... coisa de vampiro.

Eu nunca pensei muito bem em como eu seria vampiro. A vida eterna nunca me pareceu muito atrativa, sabe? Talvez por todas as madrugadas em que eu me imaginava sendo vampiro, não era uma Alice Cullen, e sim uma Bree Tanner, sacas? Ferrado, sozinho e morto pela Jane na melhor das hipóteses.

Mas virar vampiro depois de ser mordido por Hansol pareceu ser uma boa forma de trocar meus hábitos alimentícios e brilhar no sol, então eu fiz o que qualquer fã de Crepúsculo faria ao ter um vampiro dizendo que iria lhe morder: fechei os olhos, esperando pela transformação prontíssimo para curtir a eternidade e ver quando o CEO Yang iria pagar por ter assassinado meu 2ne1.

Hansol passou o nariz pelo meu pescoço e eu pude sentir a sua respiração quente. Olha, eu não vou negar, estava ótimo, mas ele poderia acelerar o processo né? Depois disso ainda tinha a fase de recém-criado e aquilo ia ser um saco. Então eu abri os olhos para fazer essa sugestão básica para ele, mas não tive tempo de dizer nada.

Ele segurou o meu queixo e me beijou.

Isso mesmo, Hansol Vernon Chwe Cullen grudou a boca na minha.

Eu travei ali mais que Samsung Galaxy com Snapchat instalado, enquanto ele deixava outro selinho esperando uma resposta minha.

Quando ele se afastou e ameaçou tirar a mão da minha cintura, tratei de ativar o meu Jeonghan interno e o puxei de volta, começando outro beijo para finalmente pôr em prática todas aquelas dicas que li nos testes da internet. Adeus bv.

As conclusões da minha investigação poderiam ficar para depois, até porque quem me garante que ele não é um vampiro que se apaixonou por mim?

Bem, talvez os seus lábios quentes nos meus e as bochechas vermelhinhas que faziam sua primeira e única aparição para mim naquele momento.

E como tudo que é bom dura pouco, a gente ouviu um barulho por trás das árvores. Nenhum de nós dois estava disposto a descobrir o que era, então resolvemos que já era hora de ir embora.

E enquanto Hansol me puxava para voltarmos pro amontoado de gente na saída com a mão bem entrelaçada na minha, apenas um pensamento rondava a minha mente:

Eu não acredito que eu sou a própria Bella Swan.
 


Notas Finais


DEPOIS DE VARIOS SÉCULOS EIS QUE SURGE DO INCRIVEL CHAO ESOQVE ELA MESMA COM O MELHOR CAPITULO DE TDS

AAAAAAAAA FINALLY O KISS ACONTECEU

então amigas como vcs devem ter pensado aí na mente pensante de voces esoqvé está quase no fim ):

nós aumentamos a história uns dois capítulos porque gostamos muito de tudo aqui, mas acima de tudo nós não queríamos estragar a história de forma alguma então eh isso
só mais dois caps

MAS NAO FIQUEM TRISTES
dizem os boatos que lessica tem uma Sekai na manga só esperando a oportu de aparecer rsrsrssss

mandem mensagens fofas pras panterinhas @beaflowers e @marmy e leiam as histórias delas
elas são importantes pra gente e escrevem super bem então é obrigação de vcs!!!!!!!

bom, boa noite, tenham uma ótima semana, verkwan é real e lessica ama vcs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...