História Eu sinto sua falta... - Capítulo 25


Escrita por: ~ e ~Bell1008

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Castiel, Dakota, Debrah, Kentin, Leigh, Lysandre, Nathaniel, Personagens Originais, Rosalya, Viktor Chavalier
Tags Amor Doce, Castiel, Drama, Hentai, Romance
Visualizações 73
Palavras 2.982
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem pela demora e enrolação, é que eu também sou leitora né amores. Devido à algumas mudanças em minha vida eu descidi que ia correr um pouco contra o tempo real da fic, hoje vamos ter Hentai.
Boa leitura meus amores💖

Capítulo 25 - Isso é errado.


Fanfic / Fanfiction Eu sinto sua falta... - Capítulo 25 - Isso é errado.


POV Kah on

Querido diário, já faz um tempo que não escrevo aqui, para ser mais exata amanhã vai completar quatro anos, desde que o Viktor matou a Ambre e o Dake cometeu suicídio, desde então não visito essas velhas páginas, mas é que hoje eu preciso de ajuda meu querido, recebi uma nova proposta de emprego da minha editora, eles abriram uma filial na França e queriam que eu cuidasse do lugar, a proposta é incrível, eu até que quero aceitar mas para isso eu obviamente teria que ir morar lá...

Quatro anos atrás

Eu estava jogada na cama pensando em como as coisas haviam acontecido tão rápido, já tínhamos conseguido abrir a outra empresa na França e resolvemos ficar por aqui mesmo, o Lys arrumou uma casa para ficar e o Armim voltou para Nova York, Ambre e Dake iriam se casar no próximo final de semana e eu estava indo com ela pra vários lugares diferentes para a organização, Nath finalmente curado de seus problemas e tinha arrumado alguém com quem ele estava saindo constantemente. Escutei meu celular tocar e vi o nome "Nath" na tela, por qual motivo ele estava me ligando?

Ligação on

Nath_ É a Ambre...- (ele disse parecendo querer chorar.)- Ela foi encontrada morta hoje de manhã aqui em casa, eu tinha saído com a Mel e deixei ela é o Dake aqui sozinhos.- (ele disse chorando, eu não pude acreditar no que eu estava ouvindo.)

Kah_ Um momento e eu já estou chegando aí.- (eu disse rápido e desliguei o celular assim que ele murmurou um "ok".)

Ligação off

Peguei as chaves do carro e dirigi até a casa do Nath, ele estava sentado no sofá olhando para a televisão que estava com a tela desligada, corri até ele e levantei o mesmo dando um abraço bem longo e apertado.

Nath_ Eu, não devia ter deixado ela aqui com ele... Ela estava com vários cortes pelo corpo e um buraco na parte de trás da cabeça, o policial falou que o Dake é o único suspeito por enquanto.- (ele disse sem retribuir o abraço, parecia distante e frio, seus olhos estavam sem brilho e sem vida, embaixo estava enchado e vermelho mostrando o quanto ele já tinha chorado.)

Kah_ O pessoal já sabe?- (perguntei me sentando com ele no sofá.)

Nath_ Eu liguei para Rosa, ela vai falar pro Armim, Alexy e Kentin. Já liguei pro Lys e como ele estava com o Cast, avisou.- (ele disse evitando contato visual.)- Eles já estão vindo para cá, a Rosa e o pessoal vão chegar hoje de madrugada e o Cast com o Lys estão vindo, daqui uns dez minutos eles chegam.

Ele deitou no braço do sofá e eu me direcionei até a cozinha, ele realmente estava muito chateado com tudo isso, preparei um chá de ervas e coloquei dentro da xícara dele dois comprimidos de calmantes naturais, ele precisava dormir um pouco e não tinha algo a não ser os remédios antigos dele.

Kah_ Aqui está.- (eu disse entregando para ele a xícara e ele pegou dando um gole no mesmo, ele já tinha arrumado as coisas para o velório e o enterro, alguns familiares dele iam vir também.)

Quebra de tempo (um mês depois)

O enterro tinha sido completamente triste e vazio, todos estavam de preto e com óculos escuros para esconder as olheiras por conta do cansaço e do choro, menos Castiel, ele não chorou mais pude ver que ele estava se sentindo triste tambem. A polícia já tinha investigado o caso e o Dake foi inocentado, mas duas semanas depois descobriram que tinha sido o Viktor, prenderam ele mas mesmo assim eu ainda tinha pesadelos a noite, isso era culpa minha, tudo isso, o machucado do Lys, a morte da Ambre, as perseguições, tudo era por minha causa, precisava sair dali, de perto deles. Coloquei minhas coisas dentro de uma mala e decidi que eu ia ir pra um lugar deserto onde ninguém me encontrasse, bloqueei o chip do meu celular e fui para o aeroporto, peguei o primeiro vôo que era pro Brasil, eu não tinha avisado ninguém apenas deixei um bilhete para o Cast dizendo para não vir me procurar e que estava tudo bem.

Presente

Acordei com um pouco de dor no pescoço, abri os olhos rapidamente e olhei as horas no celular, eram 7:00, ótimo eu não estava atrasada, olhei para o meu peito e vi que meu diário estava sobre ele, então eu realmente tinha dormido enquanto escrevia nele, fechei o mesmo e joguei ele em cima da mesa de centro da minha sala, subi as escadas e liguei o chuveiro, tomei um banho não muito demorado e sai do banheiro enrolada na toalha, peguei uma saia lápis de dentro da minha gaveta e uma camiseta com alguns babados no seio, vesti um casaco preto da cor da saia e um salto preto também, eu já estava pronta, fiz uma maquiagem leve e deixei meu cabelo que agora eram vermelhos soltos, fiz uma grande burrada em pintar de vermelho, quando me olhava no espelho né embraca do Castiel, me lembrava do quanto eu amo ele e que esse amor só aumenta a cada dia, me lembro que não posso chegar perto dele por não querer machucar ele. Olhei no relógio, 8:00, Droga! Agora sim com toda certeza do mundo eu estava atrasada, tinha que chegar no trabalho quinze minutos antes para poder dar a minha resposta sobre ir para França com tudo pago, no caminho parei e peguei o café, agora eu entendi o porque do Cast ter tomado tanto café na vida dele, cheguei lá dois minutos atrasada.

Kah_ Olá Srt. Stone! - (eu disse entrando na sala correndo e vi ela apontar para a cadeira em sua frente.)

Srt, Stone_ Oque você me diz sobre a proposta Kazumy.- (ela disse se encostando na mesa enorme que estava atrás dela e na minha frente.)

Kah_ Sim.- (eu disse exitante.)- Eu aceito!- (falei de uma vez , eu estava com medo mas as chances de eu encontrar o Castiel na França eram de zero pra um oque era um enorme risco mas eu estava disposta a correr por isso se eu realmente quisesse o emprego novo, era uma oportunidade única e vai lá saber quando ia acontecer de novo.)

Srt. Stone_ Ótimo, sabia que não ia me decepcionar.- (ela disse sorrindo com alegria.)


Olhei no relógio e vi que já eram exatamente seis e vinte, eu saí do trabalho e fui direto para o super mercado, eu tinha que comprar algumas coisas que estavam faltando.

_ Kazumy?- (alguém perguntou e segurou em meu ombro esquerdo.)

Kah_ Eu mesma porque?- (falei me virando e fiquei boquiaberta com a pessoa que eu vi.)- Lysandre!- (falei abrindo um enorme sorriso e pulando em seu pescoço.)

Lys_ E então, como vai a vida?- (ele perguntou assim que começou a me seguir pelo mercado, pude ver que ele já não era aquele mesmo garoto inocente, ele estava mais forte e mais bonito, tinha algumas tatuagens espalhadas pelo corpo e usava um brinco, estava usando também uma aliança da cor preta na mão esquerda no dedo indicador.)

Kah_ aAh, sabe como é.- (eu disse tentando mostrar que não estava morrendo de saudade do pessoal.) - E a sua com vai?- (perguntei na intenção de mudar de assunto.)

Lys_ Vai bem, agora sou um músico, estou em turnê e vou voltar amanhã para França, o Castiel comprou minha parte na empresa. Por falar nisso, ele tem saudades Kah, todos nós temos.- (tentativa negada com sucesso.)

Kah_ Eu sei, mais isso foi necessário, não aguentaria ver mais alguém se machucando por minha causa e a Debrah ainda estava a solta por aí...

Lys_ Você não precisa explicar para mim, não me deve isso.- (ele disse sorrindo e me acompanhou até o caixa.)- Oque vai fazer hoje a noite?- (ele perguntou enquanto me ajudava a levar as coisas para o carro.)

Kah_ Nada de especial, apenas um jantar eu acho.- (falei rindo e ele me acompanhou na risada.)

Lys_ Janta comigo!- (ele disse animado e eu fiz uma cara de dúvida.)- Há, qual é Vamos vai ser ótimo, prometo que não aí se arrepender.- (ele disse encistindo e eu aceitou balançando a cabeça para frente e para trás.)

Kah_ Pode passar lá em casa daqui uma hora que eu vou estar pronta.- (falei entrando no carro e vendo ele acenar com a mão.)

Cheguei em casa e tirei a compra do porta malas do carro, coloquei tudo no chão sem nem me importar, eu estava cansada e já eram sete e quarenta o Lys ia chegar oito horas, subi as escadas e tomei um banho de no máximo sete minutos, optei pós vestir algo mais leve e informal, como um vestido que ia até um pouco acima do joelho, ele era preto, era justo até a cintura e depois ele ficava um pouco rodado, era tomara que caia então realçava bastante meu decote, calcei uma sandália preta também e passei as mãos pelo meu cabelo, estava com preguiça para pentear. Escutei alguém bater na porta e fui até ela, com certeza era o Lys.

Lys_ UAU!- (ela disse assim que me viu.)- Você sempre é linda assim ou é só a maquiagem.- (ele disse com humor e nós rimos, peguei uma bolsa qualquer e fomos no carro do Lys, era bem luxuoso apesar de eu não saber muito de carros, ele era lindo e bem grande, ele tinha um motorista então fomos conversando sobre nossas vidas no banco e trás do carro, ele disse que eu tinha perdido o casamento do Alexy e do Kentin e também perdi de ver o bebê da Rosa, sobre o Dake eu já sabia por que vi no jornal, acho que a conversa estava tão boa que nem percebi a hora que tínhamos chegado, só notei quando o Lys com toda aquela calma lendária que ele ainda tinha guardada dentro de si me ajudou a sair. O lugar era lindo, não era nata muito chique, ele sabia que eu gostava das coisas mais simples da vida, os móveis do lugar eram rústicos e a comida tinha uma ótima cara. Eu e ele fizemos o pedido e ficamos conversando o jantar inteiro, eu disse que sábado que vem eu voltaria para a França, ele ficou feliz por achar que eu ia reencontrar a galera e eu não quis desapontar ele.)

Depois de toda essa noite maravilhosa que a gente teve ele me levou até em casa, já eram onze e quarenta e cinco da noite quando nós chegamos em casa.

Kah_ já está bem tarde, dorme aqui.- (realmente estava tarde, estávamos na sala bebendo um pouco, eu senti que ele tinha bebido demais então mandei o motorista embora e tentei convencer ele a ficar, afinal ele era um velho amigo e eu realmente não me importava.)

Lys_ Se você insiste coisa linda.- (ele disse sorrindo, ele ficava meio saidinho quando tomava um goro ou era só impressão minha mesmo.)

Kah_ Ótimo, vou arrumar sua cama.- (eu disse me levantando, não tinha muito espaço aqui em casa, era a cozinha, sala, sala de jogos, meu quarto e o banheiro, então ele teria que dormir no chão do meu quarto porque estava muito frio para dormir no sofá apertado daquele jeito.)

Lys_ Vou me jogar aqui mesmo, você que fique no chão.- (ele disse rindo e se jogando na minha cama, acompanhei ele nas risadas e estiquei o último cobertor no chão, me joguei na cama de frente para ele e vi o mesmo se virar para mim, ficamos ali olhando um nos olhos do outro)

Ele me puxou para mais perto dele e eu senti sua respiração cruzar com a minha, ele tinha um hálito de menta e seu cheiro era como se fosse de cereja. Olhei para ele com os olhos arregalados e assustada com oque eu estava pensando, ele me puxou para mais perto assim colando nossos lábios, ele pediu passagem com a língua e eu concedi sem nem pensar, nossas línguas começaram uma pequena guerra, adentrei seus cabelos com os meus dedos aprofundando mais o beijo, ele desceu suas mãos até meu bumbum e apertou com força o local, isso com certeza ficaria marcado depois, ele era incrivelmente forte, passei as mãos pelo seus braços sentindo cada um dos seus músculos  na ponta dos meus dedos, ele desceu a mão do meu bumbum até minhas coxas e depois para minha intimidade.

Lys_ Poxa, você está quente e tão molhada.- (ele disse quebrando o beijo e massageando meu clítoris por cima da calcinha que eu usava, enquanto observava minha reação, joguei minha cabeça para trás e gemi não muito alto.)

Segurei sua mão obrigando ele a parar com os movimentos, eu estava morrendo de calor e tinha que me livrar dessa roupa, aposto que era assim com ele também porque assim como eu ele tirou a roupa rápido, primeiro a camisa e eu ajudei ele a tirar a calça, logo depois tirei meu vestido. Olhei para a direção do seu membro vendo que o mesmo já estava completamente duro por baixo do pano da cueca, me sentei em seu colo e ele voltou a me beijar, levou sua mão até o fecho do meu sutiã e escorregou ele pelos meus braços, retirou e jogou em algum canto daquele quarto, sem nenhum aviso prévio ele parou de me beijar e começou a chupar meu seio direito enquanto massageava o esquerdo, e depois vice e versa. Quando acabou com meus seios ele trilhou pequenos e fortes chupões pela minha barriga até que chegasse na minha calcinha, ele olhou para mim e puxou ela para baixo retirando a mesma, ele subiu até minha virilha com beijos molhados pela minha coxa, seus lábios eram macios e quentes e sua língua molhada, senti ele passar a língua pelo meu clítoris e logo depois me penetrou com um dedo, começou a mexer para frente e para trás, ele estava mantendo um contato visual intenso, ele queria ver oque eu estava sentindo e minhas expressões, ele começou a chupar meu clítoris dando pequenas e leves mordidas, aumentou sua velocidade com o dedo e com os chupões, meus gemidos estavam preenchendo aquele quarto inteiro, senti um choque percorrer pelo meu corpo e minha intimidade apertar contra seus dedos indicando que eu já estava no meu limite, ele parou com o chupões e os dedos antes que eu pudesse gozar.

Kah_ Ah, qual é bicolor.- (eu disse em reprovação e mostrando o quão indignada eu estava com aquilo.)

Lys_ Você só vai gozar quando eu estiver dentro de você.- (ele disse sorrindo e com a voz rouca, sim o Lys tinha mudado muita coisa.)

Não falei mais nada, se era assim que ele queria jogar é assim que vamos jogar, me levantei ficando de frente para ele e dei um leve empurrão fazendo com que ele se deitasse sobre a cama, peguei do lado da sua cueca, uma mão de cada lado e puxei a mesma para baixo, revelando seu membro que já estava tão duro que podia ser comparado com uma pedra, tirando o fato de ele estar pulsando, era enorme, acho que isso não vai caber dentro de mim não, peguei o seu membro pelo tronco e começei a fazer movimentos para cima e para baixo ele se levantou um pouco para poder me ver, coloquei oque eu pude na boca e o restante eu continuei com os movimentos, vi ele fazer uma cara de surpresa e soltar um gemido alto, continuei com os mesmos movimentos por um tempo até que ele se levantou e segurou no minha cabeça com força, começou a mexer o quadril para frente e para trás rapidamente fazendo com que seu membro entrasse e saísse da minha garanta. Era um pouco incômodo mais não era algo tão insuportável de se aguentar, senti seu membro pulsar dentro da minha boca e parei rápido me afastando dele, se eu só poderia gozar quando ele estivesse dentro de mim ele também tinha esse mesmo "direito".

Lys_ Vem aqui que agora eu vou te foder.- (ele disse me puxando para cama e ficando por cima de mim.)

Pensei que ele ia me penetrar naquele momento mas pelo contrário ele me deu um beijo calmo mas não deixava de ser excitante.

Lys_ Tem certeza?- (ele perguntou e eu acenti, eu sabia que era errado mas já estavamos longe de mais com isso, ele foi até sua calça e pegou sua carteira, tirou de lá um pacote de camisinha.)

Kah_ não precisa, eu tomo remédio.- (falei sorrindo e ele deu um sorriso maior ainda, venho até mim novamente e me virou de costas fazendo com que eu ficasse de quatro, passou a mão pela minha intimidade e sem nenhum tipo de aviso me penetrou com força.)- Aaah.- (soltei um gemido e senti ele enrolar sua mão em meu cabelo fazendo ficar tipo em um rabo de cavalo, é só então ele começou a estocadas, elas eram fortes e rápidas, senti ele acertar meu ponto G uma, duas, três e mais vezes. Ele saiu de dentro de mim e se deitou na cama me colocando em cima do seu colo, senti ele me penetrar novamente e a sensação era maravilhosa, começei a cavalgar em seu membro e ele se deitou mais um pouco, levantou apenas o quadril e começou a investir as estocadas enquanto eu cavalgava em seu membro, o único som que era ouvinte naquele quarto eram nossa respiração desregulada, e o barulho dos nossos corpos se chocando um contra o outro. Não demorou muito e eu senti aquela mesma corrente elétrica percorrendo meu corpo, minha intimidade se apertou em volta do seu membro e o mesmo pulsou dentro de mim, e assim nós chegamos ao ápice juntos.)

Lys_ Tenho a leve impressão de que vamos nos arrepender disso depois.- (ele disse saindo de dentro de mim e se deitando ao meu lado, estávamos muito ofegantes.)

Kah_ Eu sei.- (falei sorrindo, eu realmente acho que isso era errado.)

Ele me puxou para mais perto fazendo ficarmos de conchinha, meus olhos estavam pesados e eu me deixei levar pelo sono.



Notas Finais


Eita, como esse Lys é safado, não me culpem por isso kkk...
Até mais, o próximo sai logo bjs amores e amoras


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...