História Eu só quero entender você - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2PM, EXO, Girls' Generation, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Jessica, Lee Donghae, Nichkhun, Taeyeon, Tiffany
Tags 2pm, Baekyeon, Exo, Exoshidae, Haesica, Khunfany, Snsd, Super Generation, Super Junior
Exibições 159
Palavras 1.997
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi!
Estou começando uma fanfic nova. Eu acredito que está fique bem melhor do que as outras, pois já tenho algumas idéias prontas. O casal principal é Baekyeon, e eu espero que não receba nenhuma pedrada de vocês. rs.

Não tenho dias previstos para a postagem dos capítulos então já me desculpo antecipadamente caso eu demore para postar algum.

Joguei o cap e sai correndo~

Sem mais enrolações, boa leitura e nos encontramos lá embaixo \ ( ^ o ^ ) /

Capítulo 1 - Culpa


Fanfic / Fanfiction Eu só quero entender você - Capítulo 1 - Culpa

Prólogo - Baekhyun

Eu a amei, como eu jamais havia amado alguém. Ela era meu tudo, eu faria qualquer coisa para ver o sorriso dela e eu achava que ela também faria o mesmo por mim, mas era mentira. Tudo não passou de uma mentira, ela era uma traidora, mas eu não posso culpa-la.

 

Há alguns anos atrás 

Eu estava saindo do colégio junto com Chanyeol e Donghae. Era um dia frio, e estava caindo um pouco de neve. Estávamos a caminho da cafeteria que sempre frequentávamos em dias como aquele.

No caminho, vimos uma menina, sentada no banco em frente a cafeteria. Ela chorava. Antes de entrarmos, Chanyeol queria comprar um café da máquina de fora da loja porque dizia que o café de dentro do lugar havia ficado muito caro e não valia a pena. Enquanto esperávamos por ele, fiquei parado observando a menina chorando, ela era linda. Talvez eu tenha me apaixonado a primeira vista ou talvez eu tenha sentido pena dela, mas naquele momento, eu queria muito ajuda-la.

Comprei um chocolate quente e os meninos me olhavam confusos, afinal eu adorava o café do lugar e raramente comprava algo da máquina. Me sentei ao lado dela e ofereci a bebida. Ela parou de soluçar por uns instantes e me olhou com o rosto inchado de tanto chorar, fez uma cara de surpresa e imediatamente começou a secar as lágrimas. Apenas ri de seu jeito meigo e atrapalhado.

- M-muito obrigada. – Ela disse tímida.

- Não precisa me agradecer. – Ela não me respondeu, fiquei atento a cada movimento dela, nossas mãos se tocaram quando ela pegou a bebida de minhas mãos e abriu.

Sua boca já estava roxa devido ao frio. Os cabelos eram castanhos e batiam até sua cintura. Parei de encara-la assim que se virou para mim, ela poderia ficar com medo se eu continuasse a encarando muito. Os meninos entraram dentro da cafeteria e eu fiquei ao seu lado, em silêncio.

- Por que me ofereceu isto? – Apontou para a bebida passando a língua entre os lábios, aquilo me excitou um pouco mas desviei o olhar para seus olhos ainda um pouco inchados.

- Está um dia frio hoje, não acha? – Digo e ela abre um sorriso. Ela é linda.

- Qual o seu nome? – Pergunta bebericando mais um gole daquela bebida quente.

- Baekhyun... Byun Baekhyun. – Digo. – E  o seu? – Pergunto.

- Bae Su-ji. Mas pode me chamar de Suzy. – Ela diz, sorrindo.

- Por que uma moça tão bonita e de um nome mais bonito ainda, chorava? – Pergunto e ela ri.

- Meu namorado é um idiota. Minhas amigas sempre falavam para me afastar dele, ele é um pouco agressivo. – Me mostra seu braço com umas marcas roxas.

- Ele te bate? – Fiquei incrédulo.

- A maioria das pessoas tem essa mesma reação. Eu não tenho culpa... – Seus olhos se enchem de lágrimas novamente. – Eu gosto dele mesmo ele sendo assim, mas chega um momento que você cansa, cansa de ser feita de idiota e de apenas apanhar quando na verdade o que você queria era um carinho, alguém para compartilhar o seu dia, trocar beijos e abraços! – Ela está chorando de novo.

- Você chora muito. – Rio e ela também em meio ao choro. – Alguém precisa mostrar para ele que não é assim que se trata uma mulher. Ainda mais uma tão bonita e legal como você. – Ela sorri e seca as lágrimas.

 

Ficamos mais algumas duas horas conversando, até ela resolver ir embora. Estava bem tarde por sinal. Ela se despediu com um beijo em minha bochecha, agradeceu pela bebida e disse que me encontraria para me pagar de volta. Trocamos nossos números de telefone e praticamente havíamos nos tornado amigos.

Algumas semanas foram o suficientes para eu conseguir me aproximar de Suzy, ela me contou que a cafeteria era de sua família e realmente me dei conta quando recordei o nome "  Bae Caffe " e que, naquela noite fria em que nos encontramos pela primeira vez, tinha acabado de brigar com seu namorado. 

A verdade é que, compartilhamos nossas vidas um com o outro e nos tornamos melhores amigos em menos de 1 ano. Eu sentia que ela confiava em mim, e eu confiava ainda mais nela, afinal eu já a amava. Chanyeol e Donghae eram os meus conselheiros, sempre me diziam para eu parar de querer conquista-la pois era evidente que ela não queria nada além de amizade comigo, eu realmente ficava bravo e achava que eles não queriam que eu fosse feliz, mas no final, eles estavam certos. Eles sempre estiveram certos.

(...)

Um ano e meio havia se passado desde tudo o que aconteceu. Eu estava namorando Suzy e estávamos felizes juntos, ou, eu achava que estávamos.

Convidei Suzy para tomar um sorvete. Chegamos na sorveteria e nos sentamos esperando nossos pedidos.

- Você está linda com esse vestido, mas não entendi por que colocou uma camiseta de manga comprida por baixo, está um calor danado! – Digo e ela ri.

- Obrigada. Ah, eu estou com um pouco de frio. – Ela diz e sorrio segurando sua mão, entrelaçamos nossos dedos.

Enquanto comíamos, ela acabou derrubando um pouco de seu sorvete na mesa e teve de arregaçar as mangas para limpar. Quando fez isso, vi uma marca roxa em seu braço e segurei-o firme.

- O que é isso? – Pergunto ficando irritado. – O QUE É ISSO? – Alterei um pouco o tom de voz fazendo algumas pessoas olharem para nós.

- Eu apenas caí. – Ela diz olhando para o lado.

- Está mentindo. – Aperto com mais força.

- EU APENAS CAÍ, BAEKHYUN. – Ergue o tom de sua voz e me olha. – Não queria preocupa-lo, imaginei que sua reação iria ser essa, por isso cobri. – Diz olhando para o lado e enchendo os olhos de lágrimas.

- Me desculpe. – Puxei seu braço fazendo ela se aproximar de mim e a abracei. – Eu só pensei besteira, disse que nunca ia te fazer chorar e olha aí. – Afasto ela de meu peito e seco suas lágrimas com os dedos.

- Eu te amo. – Ela diz e me beija.

- Você me promete uma coisa? - Perguntei olhando-a em seus olhos enquanto seguro seu rosto com uma das mãos.

- Sim, faria qualquer coisa por você, o que é? - Ela questionou.

- Você promete nunca me trair? Nunca me deixar? - Digo e ela ficou séria, pensativa por uns instantes.

- Eu prometo. - Cruzamos nossos dedinhos e selamos nossos lábios em um beijo apaixonado.

 

Continuamos a comer, e ela disse que precisava ir ao banheiro. Assenti e fiquei observando-a caminhar. Ela era incrivelmente linda, chamava a atenção em qualquer lugar e eu ficava um pouco enciumado com isso. Olhei para o lado da porta do estabelecimento pois o sininho chamou a atenção para mais um cliente. O tempo foi se passando e Suzy não voltava do banheiro, comecei a ficar preocupado naquele momento achando que alguma coisa tinha acontecido, fui até o banheiro feminino e da porta chamei por seu nome. Ninguém respondia.

Fui até o balcão e paguei por nossos sorvetes, sai do lugar e a cena que vi foi o suficiente para me deixar no chão. Suzy estava de caricias e beijos com o seu ex-namorado.

- Suzy. – Falei com a voz fraca e querendo chorar.

- Baek... – Ela disse surpresa. – Eu posso... – Se aproximou segurando meu braço mas soltei com agressividade.

- POR QUE? – Perguntei. - POR QUE? EU NÃO ENTENDO, EU NÃO TE FAZIA FELIZ? VOCÊ NÃO ESTAVA FELIZ COMIGO? – Digo alto e irritado.

- Deixe-me explicar! – Ela tentou passar a mão pelo meu rosto mas dei um tapa e a olhei sério.

- Por favor, não apareça mais na minha frente. – Disse. No fundo, eu estava quebrado, queria faze-la ficar, mas não poderia perdoar uma traição.

- Baek... eu... – A interrompi.

- VAI EMBORA! – Gritei. - " mas chega um momento que você cansa, cansa de ser feita de idiota e de apenas apanhar quando na verdade o que você queria era um carinho, alguém para compartilhar o seu dia, trocar beijos e abraços! " - Repito o que ela havia dito logo quando nos conhecemos. - É isso que você diz, mas você acaba fazendo a mesma coisa... me fez de idiota! - Digo indo em direção a ela.

- Baek... eu tentei te falar desde o início, eu não o amo... - Aquilo doía tanto. 

- Então por que não me disse antes? - Perguntei colocando as mãos dentro do bolso da calça.

- Porque você iria sofrer. - Ela diz deixando uma lágrima escapar. - Eu gosto tanto de você, está doendo aqui dentro também. - Diz.

- Eu estou sofrendo 10 vezes pior do que se você tivesse me falado antes, Suzy. Eu iria entender se você me dissesse,iria doer, mas iria doer menos...mas você preferiu me iludir. - Digo sério.

- Não, meu bem, eu jamais... - A interrompi novamente.

- Eu não sou o seu bem. - Digo ficando irritado.

- M-me desculpe. Eu espero que um dia você me perdoe. - Ela diz, segurando na mão do namorado e dando as costas para a mim e entrando no carro dele.

O que ela não sabia, era que, mesmo com tudo isso, eu já havia perdoado. Por que mesmo assim, eu ainda a amo.

Vi os dois entrando e ela abriu a janela, ela estava chorando. O carro foi ligado e eles saíram, fiquei ali parado, sem mover um músculo e deixei que uma lágrima caísse em meu rosto. Estou caminhando a passos lentos quando duas mãos seguram meus ombros, é Chanyeol.

- O que aconteceu? Você está acabado! – Me levou para um canto para conversar.

- Ela me traiu, nós acabamos de fazer uma promessa, e ela joga no lixo! – Disse irritado.

- Você ainda a ama, não é? – Ele diz e concordo, acabando por chorar novamente. Sinto ele me puxando para me abraçar e acabo chorando tudo o que podia em seus ombros.

De repente, escutamos um barulho de carro batendo na esquina próxima a sorveteria. Olho para Chanyeol e vou correndo até aonde o barulho tinha vindo. Fiquei paralisado. Era o carro do namorado de Suzy, ele estava capotado e tinha batido em uma placa. As testemunhas haviam dito que ele havia perdido o controle logo que virou a rua e um caminhão bateu de frente com eles. As lágrimas retornaram e nem sequer pediram licença. Eu estava chorando de novo. Chorando por que jamais poderia ver Suzy novamente, chorando por que tudo acabou da pior maneira possível. Chorando por que a tratei mal e foram seus últimos minutos de vida. Chorando por que me sentia culpado. Talvez, se eu não tivesse a deixado ir naquele dia, talvez se eu não tivesse explodido daquela maneira, ela poderia estar ao meu lado, ela poderia sorrir ao meu lado, mas não foi o que aconteceu. Mas também não poderia ficar culpado, eu não era o único errado da história, ou talvez, eu nem estava errado.

Ela morreu. Mas eu jamais vou esquece-la. Eu amei Suzy como eu nunca vou amar ninguém. Como eu queria. Como eu queria que você estivesse aqui comigo.

E desde então, passei meus dias vivendo com uma culpa enorme no peito, e por mais que as pessoas dissessem nada me fazia mudar a idéia de que eu tinha culpa na morte de Suzy e seu namorado. Mas, não era apenas esse tipo de culpa. Foi a culpa de tê-la feito ficar comigo, quando na verdade, ela amava outro. A culpa de ter agido por impulso e nem sequer deixa-la se expressar. Simplesmente, A CULPA. 


" Eu achei que tinha sido machucado antes
Mas nunca ninguém me deixou tão ferido
Suas palavras cortam mais do que faca
Agora preciso de alguém para me trazer a vida
Sinto que estou afundando
Mas eu sei que conseguirei sair vivo
Se eu parar de te chamar de meu amor
E seguir em frente "

 


Notas Finais


Eu sei que ficou bem cortado os fatos e cenas, mas eu queria resumir o máximo possível. Espero que tenham entendido o que o Baek passou e como ele se sente e espero que o primeiro cap tenha ficado bom. Não tenho a melhor escrita mas tento melhorar sempre. Desculpem qualquer erro!
Por favor, comentem o que acharam, é muito importante saber o que vocês acham! Sugestões e ajudas são bem-vindas e obrigada por lerem até aqui!
~Beijinhos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...