História Eu sou o mal - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Karol Sevilla, Ruggero Pasquarelli, Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Personagens Originais, Simón
Tags Amor, Badboy, Declaração, Drama, Gastina, Lutteo, Proibido, Romance, Sou Luna, Soy Luna, Vilão
Exibições 188
Palavras 2.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Famí­lia, Festa, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


IMPORTANTE.... ALERTA DE IMPORTÂNCIA MÁXIMA.
Olá amores, primeiramente, esse não é o capítulo que eu prometi, mas como meus problemas tecnológicos ( que estão me deixando desconfiada u.u) ainda não estão resolvidos, eu escrevi esse bônus, que pretendia escrever nos ultimos capitulos dafic, mas dada as circunstâncias aqui está ele para nos deixar vocês muito tempo sem um capítulo novo.
É praticamente em flashback, por isso, o Itálico está apenas nas partes onde a Luna eata escrevendo a as lembranças do Matteo tem a marcação das datas, Ok?
LEIAM AS NOTAS FINAIIIIIS

Capítulo 20 - Bônus - Como tudo começou


 

Luna Valente, tão concentrada em pensar no que a esperava naquela noite, que não percebeu estar pensando demais em Matteo, quer dizer, ela sempre pensava, mas era incrível como naquela tarde, sua mente projetava uma descrição diferente e detalhada do namorado, algo que ela não sabia explicar. Algo que vinha de dentro do seu coração, junto a uma esperança que o moreno mudaria.

Sem saber o porque, pegou seu caderno e começou a escrever.
 

Matteo Balsano encarava o irmão com certo ódio, ele era a prova concreta do seu passado, um passado doloroso e que precisava ser superado. O Balsano não conseguia pensar diferente, não poderia sentir mais que raiva daquele garoto a sua frente, afinal, apesar de ainda se culpar, foi muito mais fácil jogar a sua própria "culpa" nas costas do seu irmão, alguém tinha que ser culpado e preferia tentar se convencer que Nicolas era esse alguém, apesar de sentir o contrário.

E pela primeira vez em muito tempo, Matteo permitiu que as lembranças o atingisse.

"Matteo Balsano, um perfeito mauricinho prepontente, sarcástico e exibicionista, mas também um cavaleiro, conquistador e "amoroso", aparentemente é claro. Ele era capaz de despertar os mais belos sentimentos, as mais diversas sensações. O exemplo perfeito da tentação."

03 de Outubro de 2014 - Londres, Inglaterra

O dia estava frio, incrivelmente frio até mesmo para aquela época do ano. Matteo sentia todos dos seus músculos doerem e seu corpo tremer levemente, se arrependia de não ter ouvido sua mãe que o avisou sobre se agasalhar melhor. 

- Tudo bem? - O Balsano mais novo olhou de relance o irmão e apenas assentiu olhando a estrada por onde Enzo dirigia. Nem o calor do carro, esquentava suficientemente o corpo do moreno, talvez fosse algo psicológico.

Lorenzo Balsano era um jovem extremamente bonito e sedutor, ele desejava ser o grande exemplo de Matteo, aquele que o ensinava sobre a vida e resolvesse os problemas que cercavam o moreno, coisa que seu pai não parecia capaz de fazer no momento. 

Matteo o considerava um péssimo exemplo.

- Já disse que você tem que parar de chorar por ela, tem que dizer... "Eu posso ter quantas quiser, fique com ele, a "mesmisse" enjoa mesmo."

- Eu amo a Luz e ela é minha namorada, então... - Matteo pensou em concluir dizendo suas dúvidas em relação ao que a namorada sentia por ele, mas preferiu se calar diante ao olhar debochado do irmão. - Não é ela o problema, é o...

- Nicolas... - Enzo concluiu soltando um riso irônico. - Ele acha que pode tudo, mas na verdade, você é muito melhor do que ele. Basta perceber isso.

Lorenzo não gostava das atitudes do outro irmão, porém, tinha uma relação parcialmente normal com ele, apesar de preferir Matteo. Isso não era questão de sentimentos ou inveja, porém, sabia que ambos eram parecidos e isso dificultava a convivência. Matteo era o caçula e o  completo oposto dos dois.

- Bem, eu sou um pouco pior, mas não ficaria dando em cima da namorada dele. - Foi a primeira vez que Matteo riu, claro que Lorenzo era um idiota pegador e traíra, achava que a nova namorada dele já tinha incontáveis chifres apesar do pouco tempo de namoro. Além do grande poder que Enzo tinha na Universidade e nos grupos de "amigos". Eram seus seguidores, faziam o que ele mandava e não reclamavam. Lorenzo era um idolo, invejado e amado. Tudo o que qualquer um quer ser. - O amor nos torna vulnerável a dor,  Matteo. Está na hora de entender isso... simplesmente, não a ame.

"O amor nos torna vulnerável a dor."

Matteo não sabia, mas essa frase moveria a sua vida durante longos anos.

" Ele se escondia por trás daquela perfeição aos olhos das garotas. Mas por trás do Mauricinho arrogante, existe alguém mal, capaz de coisas que não condizem com a postura e aparência dele. Mas não era só isso, Matteo tinha algo de bom."

15 de Outubro de 2014 - Londres, Inglaterra.

Matteo respirou fundo vendo Nicolas mexer nos cabelos da sua namorada, ela tirou as mãos dele e se afastou bruscamente, fazendo o coração do Balsano se alegrar, ao menos ela não retribuia.

- Não tem o que decidir. - Luíza disse deixando toda a magoa visível em sua voz. Matteo arqueou uma sobrancelha sem saber do que ela falava. - Nicolas, você tem que entender.

- Eu entendo, Luz... - O garoto se aproximou da cunhada e tentou tocar o rosto da mesma, algo que ela rapidamente negou. - Eu sei que sente algo por mim, eu vejo nos seus olhos...

- Eu não sinto - Luz o olhou negando com a cabeça, tentando convencer Nicolas. - Eu sou fiel e se sentisse algo por você, não estaria com ele. Me desculpa, mas essa sua insistência não é legal, não gosto que me elogie na frente do Matteo e fique soltando cantadinhas, ele é seu irmão, deveria ter mais respeito.

- Luz... - Antes que Nicolas tivesse a chance de falar, Matteo entrou na sala se sentando ao lado da morena que sorriu ainda constrangida. - Bom dia.

Matteo soltou seu típico sorriso de lado mostrando que havia ouvido a conversa. A arrogância e prepotencia, sempre foi algo natural dos Balsanos.

Luz era dele e nem Nicolas afetaria isso.

"Eu quando se olha naquela imensidão castanha de Matteo, se percebe mais do que suas duas personalidades, se percebe alguém frágil e com um passado cruel, cheio de decepções e mágoas. Ele é um mauricinho atuando como vilão, ele é alguém que carrega uma culpa que não deveria ser dele."

17 de Outubro de 2014 - Londres, Inglaterra

- Ele não vai desisir.  - Concluiu Enzo enquanto dirigia a um lugar que Matteo não fazia a mínima idéia. O irmão havia o convidado dando a desculpa de que apresentaria a ele o seu mundo. - Porque não deixa essa garota e vive. Tem que parar de ser esse filhinho de papai, apesar de fazer sucesso com as garotas, você tem que saber como se defender. Sentir é uma merda.

- Falando assim até parece aqueles vilões das novelas mexicanas que a mãe adora ver. - Ele riu assentindo. Enzo não se considerava um vilão, mas não era o mocinho.

- Eu curto a vida, amanhã posso morrer e não ter feito tudo o que queria, por isso, namoro apenas para manter a pose perfeita dos Balsano, mas o negócio é curtir o quanto for possível.  - Enzo olhou o irmão e entrou em um rua deserta. A música alta atingiu os ouvidos do moreno. - Como acha que eu consigo tudo o que quero? Como faço para ser o cara popular e dominador de tudo?

- O mesmo que eu. Tendo estilo.

- Não deixando ninguém pisar em mim, mostrando que quem manda sou eu. - Matteo não sabia para onde olhar. O rosto do irmão depois de uma declaração como aquela, ou o lugar para onde ele havia o levado. - Não tem nada melhor do que se sentir no poder, nada pode te afetar. 

- O que aconteceu?

- Quando entrei aqui, fiz inimigos, na universidade também. Acabei arrumando meus próprios meios de mostrar que sou invencível. - Matteo o encarou perplexo, mas logo Enzo negou mostrando que não falaria mais nada. O garoto percebeu que estava tudo bem, não era nada a mais do que disputa entre universitários. Então apenas saiu olhando tudo em volta. Os carros, as pessoas dançando.

- Vou te ensinar a correr, vou te mostrar que o sentimento só nos faz mal. Acredite, esse medo de perder a Luíza não existiria se trancasse esse sentimento. O medo de perder alguém é péssimo e não deveria ser sentido. - Lorenzo bateu levemente na cabeça do moreno e apontou para um dos seus carros. Matteo não conseguia falar nada.

- Porque isso Enzo?

- Eu só quero te proteger, Matt, e sou fraco por isso, mas não vou deixar nosso irmão passar por cima de você. - Refletiu encarando as pessoas. Matteo sorriu e lado, ainda sugerindo as palavras dele. - Isso não é injusto, sofrer, ter medo... sentir. Matteo, ninguém precisa disso, ninguém precisa amar pra ser feliz. Você não deve abaixar a cabeça, nem para nossos pais, acredite, seu namoro não vai durar pra sempre. E no fim, todos saem perdendo.

- O que aconteceu com você? - Matteo tinha os olhos arregalados em uma clara expressão decepcionada e confusa.

- Nada, eu só acho que não vale a pena sofrer por esse garota.

- Mas eu gosto dela. - Repetiu e Enzo bufou revirando os olhos.

- Eu sei, mas temos exemplos suficientes para ver que o amor não nos leva nada, é uma escolha, é um jeito de viver e se proteger.

Lorenzo tinha um ar misterioso, e no fim, ele sabia que Matteo sofreria. Amar, só nos leva a esse fim.

"E quando deixa trasparecer... toda a sua arrogância se transformava em auto-proteção, toda a sua grosseria vira um sarcasmo revelador, seu ódio mostra uma mágoa, sua fachada de garoto mal,  dá lugar a uma pessoa marcada pelo sofrimento e de vilão, se torna apenas o mauricinho."

29 de Novembro de 2014 - Londres, Inglaterra. 

E aquela cena despedaçou o coração do Balsano mais novo. Nicolas segurava forte os braços de Luz colando seus corpos, uma posição extremamente comprometedora, apesar de empurrão que a morena deu no cunhado.

- Você sabe que vai perder. - Nicolas gritou quando Luz foi de encontro ao namorado que apenas apontou para a porta pedindo que ela os deixasse sozinhos. - Eu sou melhor.

- Isso é ridículo Nicolas. - Matteo tinha a voz baixa. Não conseguia encarar o irmão, apesar de tentar. - Ela é minha e isso não vai mudar.

- Você é um covarde, e logo ela vai perceber. Você não é nada comparado a mim. E sabe disso, nossos pais sabem disso, Enzo sabe... - Matteo não respondeu, apenas saiu batendo fortemente a porta e descobrindo que Luíza já tinha se retirado da mansão. O sentimento péssimo o atingia, aquele sentimento que não queria sentir.

Nicolas estava certo.

Lorenzo estava certo.

Sem rumo, caminhou pela cidade até chegar em um bar. Os homens pareciam felizes, ao menos naquele momento, e pela primeira vez ele contrariou tudo o que um dia acreditou. Bebendo e deixando que o líquido desconhecido queimasse a sua garganta.

- O que quer? - A voz já estava falha, denunciando a embriaguez, o que fez Enzo rir do outro lado da linha. - Não estava transando com a sua chifruda? 

- Ah por favor, nossa mãe me ligou desesperada, não pude evitar desisitir da minha noite para te procurar. Poderia ter atendido esse merda... - Espraguejou bufando, contudo, quando Matteo achou que ouviria mais um sermão, o silêncio se fez presente e logo ele pode ouvir algumas derrapadas,  mostrando que Enzo estava no trânsito. - Escuta, isso não vale a pena, mas quero que seja feliz, tente, mas prometa que se não dar certo, fará do meu jeito. Não deixe que ninguém pise em você... não se esqueça que o amor nos torna vulnerável a isso que está sentindo.

- Vai pro inferno, Enzo... - Ele riu, uma risada nervosa, mas que foi capaz de fazer Matteo sorrir também.

- Seja o mal... - Foi tudo o que Matteo ouviu antes da ligação cair. Sem mais explicações.

Aquela foi a última vez que Matteo ouviu a voz do irmão, o único que o entendia e o apoiava. Talvez, o único com que ele realmente obteve uma relação verdadeira.

Um acidente... um caso encerrado, mas cheio de especulações. 

Matteo achava incrível como as pessoas precisavam inventar uma história cruel para justificar uma morte, qualquer história absurda, era melhor do que acreditar em um trágico acidente.

Bem, as pessoas não estavam tão erradas..  foi um assassinato, um assassinato não planejado, mas não deixava de ser.

Matteo matou seu irmão no dia em que saiu de casa, o obrigando a segui-lo. 

E essa culpa o atormentou, fazendo-o se transformar em alguém amargurado e frio. Entre suas crises onde passava a noite em bares, Matteo viu Luíza sofrer sem saber o futuro do relacionamento, principalmente quando sua família se mudou a levando para longe do namorado.

- Tente... - As palavras de Enzo ecoaram pela sua mente.

Matteo tentou, mas descobriu que Nicolas havia ganhado e aí... era hora de tentar do jeito de Lorenzo Balsano.

"Seu coração é capaz de amar, ele ama. Ele sente mais do que gostaria e isso o machuca. Afinal, por muito tempo se negou a sentir e, apesar de parecer ilusão, sei que ele voltou a amar por mim.... Afinal, eu não posso muda-lo, mas talvez, seja o motivo disso acontecer."
 


Notas Finais


Capítulo revelador, confuso hahaha.... mas me deixam suas opiniões. Posso dizer que deixam algumas dicas sobre a Luiza. Matteo era totalmente diferente né? Mudança graças ao Enzo u.u (Ele tinha uma visão muito particular do mundo)
Enfim, ainda essa semana, venho com um capitulo em " Me nego a te esquecer" e " Me ama do seu jeito" é um pouco mais complicado, então não prometo, mas vou fazer o possivel.
Aqui está o link da minha nova one que é apenas uma prévia de um futura fic u.u... :
https://spiritfanfics.com/historia/nos-seus-olhos-7162451
Me digam o que acham dela e.... vou responder os comentários daqui a pouco (estava na bad povo, u.u) nos vemos em breve e.. e nada... Beijinhos.
Ps: Qualquer erro me avisem e logo irei revir novamente, escrever pelo celular é um perigo para a ortográfia no meu caso


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...