História Eu sou um erro. [GumLee] - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Hora de Aventura
Personagens Finn, Hudson Abadder, Marshall Lee, Personagens Originais, Principe Chiclete, Príncipe de Fogo
Exibições 79
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Doces para convites.


Fanfic / Fanfiction Eu sou um erro. [GumLee] - Capítulo 7 - Doces para convites.

-O que você vai fazer na semana do saco cheio...? - Marshall perguntou, ao destrancar a porta do consultório.

Gumball não pôde deixar de se sentir um pouco intimidado com a pergunta repentina. No entanto, ele faria o que sempre fez em toda sua vida; se trancaria em casa e não sairia até que precisasse, ficaria comendo alguns vegetais e assistindo qualquer porcaria.

Sua vida não era emocionante, não era incrível nem nada assim, Gumball era só mais um, dentro de um monte de garotos sem uma perna e com a vida chata pra caramba.

-Não vou fazer nada... - O rosado entrava no consultório gelado, logo deixando sua bolsa sobre o chão. -No máximo terminar de arrumar a bagunça da mudança...

-Então eu vou ajudar você. - Marshall tirava seus sapatos e os trocava por pantufas brancas.

-O que...? - Gumball deu uma risada mínima de escárnio.

-É, amanhã cedo eu passo na sua casa. - Marshall deu um meio sorriso. -Vou comprar algum doce e você faz o café.

-Isso é sério? Você não tem nenhuma luta ilegal pra ir ou... Sei lá, uma daquelas festas de gente popular...? - Gumball estava desacreditado.

E com medo, também, afinal, não poderia dar muita brecha, e, uma semana que poderia descansar sua mente do trabalho de esconder sua perna mecânica. Teria que ficar na defensiva o tempo todo.

Isso era uma merda, pois tudo que queria era um descanso.

Mas seria rude recusar, e de qualquer forma, sentia que queria Marshall por perto.

Não. Não iria aceitar, era somente um trabalho à mais, Gumball não iria aceitar aquilo. Precisava de um tempo para esfriar a cabeça e ficar tranquilo.

-Tudo bem... - Gumball dizia. -Eu acordo tipo umas oito horas, vou estar te esperando.

-Ótimo, Gumb. - O moreno já caminhava à passos lentos e largos até sua pequenina sala.

Aquilo era um erro, uma adição desnecessária de stress e preocupação.

Mas sinceramente, Gumball não se importava, realmente.

~∆~

Gumball não esperava que Marshall viesse, de verdade.

Pensava que ele não estava totalmente sério porém, ao mesmo tempo, queria muito que ele viesse.

E se surpreendeu, às oito da manhã, ter que pausar o seriado em sua televisão, sair do sofá coberto com o edredom, para atender a porta, a campainha havia tocado rapidamente duas vezes seguidas.

E mesmo que não tivesse tanta certeza sobre Marshall vir, ainda havia feito café. O café que ele amava. E ele realmente veio, estava apenas esperando ao lado de fora da porta que Gumball atendesse.

Eram mais ou menos oito e meia, Gumball havia acordado às seis, estava ansioso. Sentia-se como uma garota esperando o primeiro namorado para a noite do baile.

Mas estavam realmente longe disso.

Ao atender a porta, teve uma visão diferente de Marshall, sentiu até que ele tinha um brilho reluzindo em seus olhos.

Era um pouco estranho vê-lo sem jaleco ou as roupas brancas de dentista. Ele usava uma calça xadrez, de flanela, e uma regata preta, mostrava seus braços finos com alguns poucos músculos.

-Espero que não se incomode que eu esteja de pijama. - Marshall sorriu, já entrando no apartamento, com uma caixa na mão, parecia uma caixa de padaria. -Comprei algumas rosquinhas, você gosta, né?

Talvez fosse um pouco audacioso que Marshall já julgasse que tipo de comida Gumball gostava. Mas tudo bem, essa ousadia, essa coragem, fazia Gumball se fascinar.

O pijama também não é problema nenhum, afinal, Gumball usava uma calça larga e rosa, com uma camiseta de mangas longas e branca.

-Eu... Nem tive tempo de arrumar a casa... - O rosado fechava a porta. -Não achei que você viesse realmente.

-É legal, dá pra ver quem você é de verdade... - O moreno olhava em volta. -Um adolescente normal que gosta de Pretty Little Liars, hmm... Seriado de menina... Você é gay? - Ele riu.

Isso fez o rosado corar em vergonha. Ele nunca havia pensado realmente sobre sua sexualidade, afinal, em sua cabeça, era um erro pensar nesse tipo de coisa, sendo quem é, sendo como é.

Mas, algo que costumava fazer frequentemente era esquecer que ele era ele mesmo, Gumball simplesmente fingia ser outra pessoa em sua imaginação e assim podia pensar em coisas comuns.

E dessa forma, refletindo, ele sempre sentiu mais atração por homens.

-Nossa, foi mal a piada... - Marshall finalmente entendeu que Gumball era gay, mesmo. -Você fez café?

-Ah, sim... - Ele assentiu. -Senta aí no sofá, eu já volto.

Gumball foi diretamente à cozinha, pequena, pegando duas xícaras vermelhas e grandes, as enchendo de café puro e quente, logo voltando à sala e vendo Marshall usar o controle da televisão para escolher algum filme.

O menor sentou ao lado de Marshall, lhe entregando a xícara de café, ao que o moreno abria a caixa com algumas rosquinhas com coberturas rosa, marrom e azul, pareciam até obra de arte.

Finalmente, não puderam escolher filme algum, Gumball colocou uma música na televisão, All those friendly people do Funeral Suits (N/a: recomendo a música pra todo mundo<3).

Era um Indie meio agitado, com pegada vintage anos noventa.

-Então... - Marshall buscava puxar algum assunto. -O que costuma fazer aqui?

-Sinceramente, eu costumo assistir alguma série ou arrumar as coisas... - Gumball estava até meio acanhado, ao expor sua vida nada legal. -Se bem que falta pouca coisa para arrumar, então não precisa se incomodar com...

-Então vamos terminar as coisas logo. - Marshall o interrompeu com um sorriso, olhando para o quarto de Gumball.

Não era nada demais, só algumas paredes brancas, a cama desmontada e um guarda-roupas de madeira, antigo.

-Hmm... O que foi...? - Gumball mordia uma rosquinha azul, que tinha gosto de mirtilo.

-Deveríamos pintar parede do seu quarto. - Marshall sorriu, convicto. -Fazer tipo... Uma galáxia ou algo assim, o que acha?

O rosado riu, fazendo que não.

-Seria trabalhoso demais, melhor deixar assim... - Gumball não sabia porque aceitar aquilo. Seu quarto estava bom daquele jeito.

-Ah, vamos! - Marshall deu uma ombrada leve em Gumball. -Vai ser legal trazer um pouco de criatividade, vai ficar autêntico, original.

Gumball pensou um pouco no assunto. Queria realmente evitar o trabalho de pintar.

Mas não sabia como recusar algo à Marshall.

-Tudo bem... Vamos fazer isso... - Ele cedeu, finalmente.

~∆~

Reflexão delicinha <3

A admiração nos faz mudar, realmente, principalmente quando se trata de alguém que temos um carinho especial.

Marshall aos poucos traz mais cores para a vida de Gumball, e a casa dura do nosso rosadinho está se rachando, cada vez mais, para uma vida mais alegre e melhor vivida.

E é assim que tem que ser, né? No final, todo mundo vira pó, então temos que ao menos fazer essa vida valer a pena<3



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...